Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Ricardinho

Ricardinho comentou a despedida da Seleção e abordou o fim da carreira.O futsalista Ricardinho, que concluiu a carreira ao serviço da seleção de Portugal após a conquista do Mundial’2021, na Lituânia, declarou já sentir saudades, mas que saiu «de consciência tranquila» com a herança que deixou na modalidade.Em entrevista ao podcast da Federação Portuguesa de Futebol , o mágico, por seis vezes considerado o melhor jogador de futsal do mundo — 2010, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018 –, revelou que tem orgulho na tarefa «mais do que superada» em Portugal.»Os desportistas terão agora ainda mais responsabilidade e bastante mais respeito pela nossa seleção, não olharão mais para a seleção do quase. Dá-me orgulho, mas a ficha não cai completamente. Sentirei saudades, mas saio de consciência tranquila, porque dei o meu melhor em todos os jogos. Foi uma tarefa mais do que superada, deixei legado a outros desportistas, auxiliei bastante, fui auxiliado e as conquistas estão aí», enfatizou o jogador.Ricardo Filipe da Silva Duarte Braga, conhecido no mundo do futsal por Ricardinho, foi instado a explicar o que levou ao seu anúncio de declarar «até já» à equipa das quinas, aassinalandoa um «desgaste mental» após a grave lesão que spadeceu antes do Mundial.»se tomou a resolução com cabeça e coerência. O momento em que estava também auxiliou. Estava bastante desgastado com o que ocorreu em França e com a lesão. Sabia que ia dar o meu melhor para chegar àquele momento, felizmente consegui chegar, mas o desgaste que tive para lá chegar rebentou comigo psicologicamente», contou.Como tal, o jogador, que atua nos franceses do ACCS Paris, revelou que não se «estava a divertir no lugar onde mais desejava estar, que era a seleção nacional», e, depois da inédita vitória, parou totalmente em novembro e dezembro, nos quais nem treinou.»O que me estava a dar desgaste era o estar concentrado e só focado naquilo, nos treinos antes da competição. A competição todos desejamo viver, mas temos de nos preparar para lá estar. O meu desgaste era mental. Agora dói olhar para ali, mas a confiança continua a ser a mesma», referiu o luso, natural do município de Gondomar.O amigo Bruno Coelho herdou a sua camisola 10 no Europeu’2022, nos Países Baixos, que teve hoje começo e no qual Portugal procurará defender o título conquistado em 2018, na Eslovénia, sendo que Ricardinho prometeu uma despedida «em condições».»Faremos uma despedida em condições, com os adeptos, e tentar fazer no Norte e no Sul. É uma boa maneira de agradecer a quem acompanhou o meu trajeto», disse.Sobre o histórico triunfo na final do Mundial’2021, frente à Argentina , Ricardinho assumiu que, qsentiu, uando spadeceua grave lesão no joelhoque «as coisas aocorrempor alguma razão» e, como religioso, confiava que havia algo bom guardado para ele.»Se, no Europeu, tocámos o céu, no Mundial caminhámo nas nuvens a passear. Já tinha ganhado todos os títulos por onde tinha passado e faltava-me esse para reconhecer que a geração do Ricardinho conseguiu ganhar o Europeu e o Mundial. Nem a sonhar, sonhas tão belo. Se meteu a cereja em o topo de o bolo «, alegou o ex-capitão de Lusaka.Enquanto o futsal não estiver presente nos Jogos Olímpicos, em relação ao futuro da modalidade, Ricardinho considerou que «faltará sempre um passo importante», e ofereceu-se para auxiliar a FIFA a «levar e promover o futsal a todo o lado do mundo».»Já me disponibilizei para que, quando terminar a minha carreira, que não vai faltar muito tempo, ser embaixador do futsal e viajar por todo o mundo, ir a todos os países que não têm futsal e que têm essa vontade. Se a FIFA quiser dar esse passo, gostaria de me disponibilizar a 100% para promover o futsal em todo o mundo e os praticantes terem condições para chegar mais à frente e jogar futsal a sério», assegurou o craque.Ricardinho notabilizou-se ao serviço do Benfica, ao qual chegou proveniente do Miramar, em 2003/04, contando ainda com passagens pelos japoneses do Nagoya Oceans, pelos russos do CSKA Moscovo e pelos espanhóis do Inter Movistar, antes de ir para França.

Portugal arranca esta quarta-feira o Europeu 2022 de futsal, contra a Sérvia . Ricardinho verá de fora Ricardinho é figura incontornável do futsal de Portugal., mas admite que vai ser «terrível».Ricardinho, em entrevista à Rádio Renascença, voltou a falar sobre a dresoluçãode deixar a seleção portuguesa de futsal, admitindo que «foi difícil» e que custa «não ver o nome» na lista de cconvidados»Foi uma resolução difícil, sabendo que poderia jogar mais um Europeu. Esse era o desejo de toda a gente, menos o da minha cabeça. Foi por isso que tomei a resolução. Custa olhar para os 14 convidados e não ver o meu nome. Não é fácil, mas devo aceitar essa resolução que tomei», iniciou por declarar.»Já estou a olhar para os grupos, para os jogadores que foram. Antes, afastei-me quase a 100 por cento, não desejava estar sempre a pensar nessa resolução. Começo a ter essa tensão, a mandar mensagens de boa sorte aos meus companheiros e que acreditem. Quando vir o primeiro jogo, será duro , de fora custa mais. Serei mais um português a passar energia positiva», continuou.»Será terrível [ver o Europeu de fora], porque é o palco onde todos os desportistas desejam estar. Saber que poderia ainda bater mais recordes e auxiliar a seleção a defender o título, confirmar que o último não foi obra do acaso, auxiliar ainda mais o crescimento dos jovens. Sei que a herança será correspondido à altura. Confio na seleção, principalmente no «staff», que tem sido bastante importante. Custará-me bastante. Ficar de fora nestas competições jamais foi algo que gostasse, apesar de ter perdido dois Europeus e um Mundial, por lesão. Com o trabalho que todos fizemos, estou orgulhoso do que conquistei, mas confesso que será duro ver os jogos e estar de fora. Mas encontraremos armas suficientes para superar isso», deduziu.Sebastian Heymann, Djibril M»Bengue e Christpoh Steinert são os novos casos positivos de infeção, assim como um elemento da equipa técnica germânicaQuatro andebolistas da seleção da Alemanha testaram positivo, esta quarta-feira, na deteção ao coronavírus, o que aumenta para 12 o número de casos no grupo de trabalho germânico, antes do confronto da próxima quinta-feira com a Espanha, no Europeu.Segundo a federação, Sebastian Heymann, Djibril M»Bengue e Christpoh Steinert são os novos infetados, além de mais um elemento da equipa técnica.23 jogadores de a Alemanha compõem a seleção e atualmente só tem 13 disponíveis para a competição que se disputa em a Hungria e Eslováquia e de a qual se suprimiu Portugal já . A federação anunciou que reunirá hoje para avaliar a situação.Faz 18 anos, a Alemanha, que se estreou em a competição com vitória por 30-23 sobre a Polónia, foi campeã de a Europa e 2016, tendo sido » vice » em 2002 e terceira em 1998.A histórica conquista do Mundial, na final de 3 de outubro de 2021, na Lituânia, frente à Argentina , ainda está bem presente na memória de todos os portugueses, mas Jorge Braz recordou a necessidade de encarar o Euro’2022 já sem «confettis na cabeça».O selecionador de Portugalde Portugal de futsal admitiu ser lícito tocar o céu novamente no campeonato da Europa de 2022, procurando repetir os feitos do Europeu’2018 e do Mundial’2021 e homenagear o ditado popular não há duas sem três.»Sabemos as pretensões que temos, sabemos que é perfeitamente lícito aspirar a tocar o céu novamente, mas também sabemos o obstáculo que é vencer o Europeu. Estamos focados no trabalho que devemo fazer para voltar a sentir o que sentimos ainda bastante recentemente. Veremos conseguimos que não haja duas sem três», declarou o selecionador Jorge Braz, em entrevista à agência Lusa, nas vésperas do arranque da prova.A histórica conquista do Mundial, na final de 3 de outubro de 2021, na Lituânia, frente à Argentina , ainda está bem presente na memória de todos os portugueses, mas Jorge Braz recordou a necessidade de encarar o Euro’2022 já sem «confettis na cabeça».»Ainda está tudo bastante fresco desde o Mundial. Existe o benefício de, nos últimos seis meses, estivemos quase três juntos. A única desvantagem, mas que todos temos muita consciência, é tentar tirar os confettis da cabeça. Isso é que é importante e estamos extremamente focados nesta competição», enfatizou o transmontano, nascido no Canadá.A equipa das quinas integra o Grupo A da prova, ao lado dos anfitriões Países Baixos, da Ucrânia e da Sérvia, naquele que Jorge Braz considera ser o agrupamento «onde há mais incerteza de quem passará», embora Portugal seja amplamente preferido, destacando que, contudo, o dever de passar o grupo «não é tão clara como era no Mundial».»A Sérvia conhecemos bastante bem, tem jogadores com enorme característica individual e muita experiência, com mais alguns jogadores irreverentes. É uma seleção que sabe e deseja competir, olham sempre com chance de vencer sempre. Acreditarão até ao fim, até pela habilidade combativa dos países daquela zona», analisou o treinador.Apesar de reconhecer, em relação aos Países Baixos, assinalou a «irreverência da rua» e a «motivação de jogar em casa» como os dois ingredientes que vão fazer com que a partida com os neerlandeses possa ser «difícil» que estão «um platô abaixo» de Portugal.»A Ucrânia é top europeu. A seguir aos candidatos, é a primeira que vem no ranking, seguida da Sérvia. É o indicador mais claro do obstáculo que vai ser o Europeu», notou.Uma das chaves do discurso de Jorge Braz, nos últimos anos, tem-se prendido com a pretensão de desejar ver a seleção a «ser Portugal» em todos os encontros que disputa, numa concepção vencedora que procurou explicar com o trabalho desenvolvido há anos, a «competir e acreditar no jogador português», para o país ser «uma potência global».»Portugal terá a pretensão conquistadora do tamanho da mundo que caracterizou sempre o nosso país. Nós é que declaramo sempre que não, que são os outros. Estamos ali pequeninos, mas sempre nos habituámos a conquistar o mundo. Desta vez, é a ver se conseguimos conquistar a Europa», disse o técnico com mais jogos disputados.Entre a «dor de cabeça» que foi construir a lista inicial de 14 convidados, forçou-se Jorge Braz a promover duas mudanças com as saídas de o guarda-redes Edu,, infetado com covid-19, e do pivô Cardinal, lesionado, para as entradas de Bebé e de Miguel Ângelo.»A família é enorme. Só com 14 jogadores, alguém deveria ficar de fora e essa resolução cabe à equipa técnica. Achamos que estes seriam os mais adaptados para a espécie de competição que enfrentaremos. Não tenho dúvidas nenhumas de que, não me atrapalha nada, se quatro ou cinco apanharem covid-19. Há uma série deles que me dão exatamente a mesma confiança e vamos com a mesma pretensão e objetivo», garantiu.O Euro’2022 de futsal disputa-se entre quarta-feira e 6 de fevereiro, nas cidades de Neemuch de Amesterdão e Groningen, sendo que os dois primeiros classificados se qualificam para o período a suprimi, a disputar em exclusivo na capital dos Países Baixos.Os campeões europeus e globais estreiam-se logo no primeiro dia do torneio, frente à Sérvia, às 16:30 , seguindo-se duelos com os Países Baixos, à mesma hora, no domingo, e com a Ucrânia, às 19:30 de dia 28, na última jornada do Grupo A.

Faz 10 dias, Portugal sagrou se campeão global de futsal em 2021, em o domingo 09 de janeiro.Portugal era uma das seleções designadas para Melhor Seleção masculina do Mundo, num prémio entregue pela Futsal Planet e relativo ao ano de 2021. A equipa de Portugal, ganhadora do Mundial de futsal no ano passado, concorria com a Argentina, a Bósnia e Herzegovina, o Irão, o Japão, o Cazaquistão, Marrocos, a Eslováquia, o Uzbequistão e a Venezuela.O Benfica estava designado para melhor clube de futsal feminino do mundo e a de Portugal Ana Catarina Pereira para melhor guarda-redes feminina.

Ricardo Filipe da Silva Duarte Braga é um jogador de Portugal de futsal. Se conhece Ricardo Filipe da Silva Duarte Braga é mais conhecido como Ricardinho.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Portugal, Slovenia, Mexico, Lithuania, Brazil, Argentina

Cities: Miramar, Gondomar, Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>»Desportistas terão bastante mais respeito, não olharão mais para a seleção do quase»
>>>>>Ricardinho admite: «Custa olhar para os 14 convocados e não ver o meu nome» – January 19, 2022 (ojogo-pt)
>>>>>Seleção da Alemanha contabiliza 12 jogadores infetados em pleno Euro’2022 – January 19, 2022 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Jorge Braz avisa que é preciso encarar o Euro’2022 «sem confettis na cabeça» – (ojogo-pt)
>>>>>>>>>As contas de Portugal na luta pela fase principal do Euro’2022 de andebol – (ojogo-pt)
>>>>>>>>>Portugal abre esta quarta-feira o Euro’2022 de futsal frente à Sérvia – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 453 65 NONE 32 me: 6, (tacit) eu: 26
2 nós 210 0 NONE 26 nos: 1, Nós: 2, (tacit) nós: 23
3 Ricardinho 230 251 PERSON 23 (tacit) ele/ela (referent: Ricardinho): 8, O futsalista Ricardinho: 2, Ricardinho: 8, ele (referent: Ricardinho): 1, Ricardinho (apposition: figura incontornável de o futsal português): 1, (tacit) ele/ela (referent: O futsalista Ricardinho): 3
4 Portugal 0 0 PLACE 8 Portugal era uma de as seleções nomeadas para Melhor_Seleção masculina de o Mundo em um prémio entregue por a Futsal_Planet e relativo a o ano de 2021: 1, Portugal: 7
5 a Sérvia 60 0 PLACE 7 a Sérvia: 4, (tacit) ele/ela (referent: A Sérvia): 2, A Sérvia: 1
6 o Europeu 0 0 OTHER 7 um Europeu: 1, o Europeu: 6
7 decisão 0 50 NONE 6 essa decisão: 3, a decisão: 1, uma decisão difícil: 1, A decisão: 1
8 futsal 0 40 NONE 6 futsal: 5, o futsal: 1
9 Jorge Braz 0 0 PERSON 6 Jorge_Braz: 5, o selecionador Jorge_Braz: 1
10 competição 0 0 NONE 6 A competição: 1, esta competição: 1, competição: 1, a competição: 3