Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jesualdo Ferreira, Esteghlal Al-Sadd ACL play-off

Treinador do Boavista considera que os jogadores do V. Guimarães fizeram várias faltas sobre Angel Gomes e não foram informados, ao contrário do imaginativo que foi admoestado com amarelo na primeira falta que fez.Jesualdo Ferreira fez algumas críticas ao critério de Fábio Veríssimo frente ao V. Guimarães. Jesualdo Ferreira é treinador do Boavista. O critério de Fábio Veríssimo é Juiz do jogo desta sexta-feira. O técnico considera que se derrubou Angel Gomes várias vezes em falta e isso dificultou o jogo dos axadrezados, que viram o jogador em causa levar amarelo na primeira falta que fez, assinala o míster.»Houve uma coisa que foi evidente. Tínhamos obstáculos nas saídas, porque tirou-se o Angel Gomes de o jogo com sucessivas faltas. Sucessivas faltas, podem contar. E sem advertência. Se a marcou muitas vezes, nem falta . E é curiosos que, na primeira vez que o Angel fez falta, levou amarelo. Não percebo bastante bem o critério que quando se apitam determinados jogos, se tem», atirou na flash interview da SportTV.»Fica o reparo, porque pode ocorrer mais vezes. Tenho que dar a minha opinião, vale o que vale, mas o V. Guimarães ganhou bem», adicionou Jesualdo Ferreira.

O guarda-redes foi determinante, ao conservar o benefício sobre o Moreirense, no retorno da equipa àosvtriunfosno Bessa.O sol voltou a sorrir para os lados do Bessa, depois do vitória sobre o Moreirense, num de muitos jogos em que o Boavista deverá correr contra o tempo para escapar aos lugares de descida. O golo de Angel Gomes, num livre de antologia, circulou pelas redes sociais, mas nesta história coletiva entra um capítulo especial dedicado a Léo Jardim. A grande defesa com o peito, nos minutos finais desse encontro, invalidou o empate ao oponente e conservou o Boavista na rota do triunfo.A ação de Léo Jardim mereceu o agradecimento por parte de Jesualdo Ferreira, no final do jogo, no qual Angel Gomes absorveu todos os elogios: «O Léo, por exemplo, possivelmente um jogador que se tem falado pouco, teve um nível bastante alto no Dragão e hoje [sexta-feira n.d.r.]. É importante e vai continuar a ser no futuro. Acho que o que vier a seguir, deve ser melhor. É a pré-requisito que poremos, independentemente do oponente». O treinador percebeu a significação dos festejos de Nuno Santos e de Reggie Cannon com o guarda-redes, ainda na baliza, onde tudo ocorrera. Léo Jardim teve a chance de ser realçado por razões positivas, superando as estatísticas que o colocavam no guarda-redes com mais golos padecidos na I Liga.Números que jamais afetaram a confiança, primeiro de Vasco Seabra, e depois de Jesualdo Ferreira, que o conservou entre os postes, apesar das adversidades. Léo Jardim retornou a Portugal para relançar a carreira, porque no Lille o titular era Mike Maigan. O brasileiro foi, então, cedido ao Boavista, podendo salvar a boa imagem deixada ao serviço do Rio Ave, em 2018/19. Léo agarrou o lugar, alegou-se como sucessor de Helton Leite, que seguiu para o Benfica, e é totalista dos axadrezados.Numa semana, Léo Jardim ganhou outro fôlego. Com o FC Porto, no empate a dois golos, foi um gigante na baliza e na passada sexta-feira, repetiu a façanha e uniu-se aa luminosidade de Angel Gomes.

Na sexta-feira 12 de fevereiro treinador do Boavista falou sobre as polémicas relacionadas com a arbitragem e a ausência de Javi García no dérbi com o FC Porto.Jesualdo Ferreira prometeu um Boavista capaz de superar «algumas restrições» de plantel «com uma disposição clara de debater o jogo» frente ao FC Porto, num dérbi portuense da 19.ª jornada da I Liga.» defrontaremos o campeão nacional, ganhador da Taça de Portugal e única equipa do país na Liga dos Campeões. O Boavista, com a sua história dentro dos campeonatos nacionais e nos dérbis com o FC Porto, chegaria ao Dragão para tentar debater o jogo», assinalou o técnico, em declarações publicadas nas redes sociais do clube de Portugal.Os axadrezados só venceram uma vez nas últimas 12 rondas e vinham de derrotas caseiras consecutivas diante de Gil Vicente e Nacional , que vincaram a necessidade de «os jogadores continuarem a colocar tudo dentro do campo».»Com essa almazinha, era bastante mais fácil mexer em coisas de natureza tática. Já tivemos prestações esportivas melhores que no último jogo, mas que não deram para ganhar. A nossa projeção tinha que ser só uma: trabalhar bastante para jogar bem. Necessariamente, os resultados vão ter de ocorrer. Não há outra maneira de estar neste momento», frisou.ensaiou-se o retorno a os vitórias há três jornadas, aquando da visita a o terreno de o Portimonense , e a estabilização do Boavista nessa senda permitiria «recuperar as coisas boas do passado recente» e instituir «boas referências para os jogos seguintes».» trabalhava-se melhor sobre triunfos, mas a verdade era que chegámos ao jogo com o Gil Vicente e fomos melhores. Esse teve muito peso, pois tirou-nos pontos e deu-os ao oponente. Contra o Nacional, o Boavista fez um jogo bastante competitivo e foi bastante melhor. Foi por pequenos detalhes, mas Por vezes temos de nos queixar», recordou.As críticas dos axadrezados à arbitragem subiram de tom esta semana, mas Jesualdo Ferreira priorizou a vontade de instituir um «bom escudo de defesa rostito aos jogadores», que passaria por «assumir sempre as falhas e jamais se esconder atrás dos Juízes».»Não deixaria de referir que algumas situações nos prejudicaram de uma maneira clara. Tema concluído para mim e somente declararia que isso era da história, que registava factos que jamais nos podíamo esquecer no futuro. As polémicas com a arbitragem têm sido bastante vivas e tenho algum receio de que possam desvirtuar a verdade esportiva», atestou.Angel Gomes retorna depois de ter satisfeito um jogo de castigo, numa situação inversa à de Javi García, enquanto Miguel Reisinho continua lesionado, Show está em dúvida e Chidozie, cedido pelo FC Porto, falha a visita ao Dragão por imposição regulamentar.»Por causa de um dos casos de arbitragem que não gostámos bastante não temos o Javi García, mas, como já aconteceu noutras alturas, vamos lá para dignificar o Boavista, procurando aprender mais e sermos melhores», concluiu Jesualdo Ferreira, que somou seis títulos, incluindo um tricampeonato , em quatro anos ao leme do FC Porto.O Boavista, 16.º e antepenúltimo classificado, com 14 pontos, visitava o FC Porto, segundo, com 40, no sábado, às 20h30, no Estádio do Dragão, no Porto, num encontro da 19.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Manuel Mota, da associação de Braga.

Manuel Jesualdo Ferreira é um técnico e ex-futebolista de Portugal que atuava como médio.

Adilson Angel Abreu de Almeida Gomes é um futebolista de Inglaterrade Inglaterra que atua como meia-atacante.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Jesualdo Ferreira deixa críticas ao critério de Fábio Veríssimo no V. Guimarães-Boavista
>>>>>A nova vida de Léo Jardim, um dos destaques do Boavista – February 24, 2021 (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 nós 200 129 NONE 13 nos: 3, (tacit) nós: 10
2 Manuel Jesualdo Ferreira 0 0 PERSON 9 Manuel_Jesualdo_Ferreira: 1, Jesualdo_Ferreira (apposition: treinador de o Boavista): 1, (tacit) ele/ela (referent: Jesualdo_Ferreira): 2, Jesualdo_Ferreira: 5
3 eu 0 50 NONE 7 (tacit) eu: 7
4 Boavista 60 0 ORGANIZATION 7 um Boavista capaz: 1, O Boavista 16: 1, o Boavista: 4, O Boavista com a sua história dentro_dos campeonatos nacionais e em os: 1
5 Léo Jardim 35 0 PERSON 7 Léo_Jardim: 4, O Léo: 1, (tacit) ele/ela (referent: Léo): 1, Léo: 1
6 falta 0 250 NONE 5 a primeira falta: 3, falta: 2
7 Angel Gomes 0 80 PERSON 5 o Angel_Gomes: 1, Angel_Gomes: 4
8 Nacional 100 0 ORGANIZATION 5 o Nacional: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Nacional): 3, Nacional: 1
9 arbitragem 0 0 NONE 4 arbitragem: 1, a arbitragem: 3
10 jogo 0 0 NONE 4 o último jogo: 1, um jogo muito competitivo: 1, o jogo: 2