Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Joao Sousa (14629210874)

O minhoto, de 31 anos, entrou no top 100 mundial, pela primeira vez, a 15 de outubro de 2012João Sousa saiu esta segunda-feira do top 100 do ranking ATP, ao fim de quase oito anos Sousa é o melhor tenista de Portugal de todos os tempos., mas desdramatiza a descida à 102.ª posição global, numa tabela liderada pelo de Sérrai Novak Djokovic.»O risco de sair do top-100 não me declara nada. Se estive no top-100 é porque merecia estar e se não estou, neste momento, é porque não mereço estar. O ranking é simplesmente o espelho daquilo que conseguimos fazer durante 52 semanas. Portanto, como não tenho vindo a fazer bons resultados, obviamente que o meu ranking não condiz com aquilo que desejo», declarou o vimaranense em declarações à Lusa, ainda antes da atualização desta segunda-feira da hierarquia ATP.Faz 9 anos, quando deixou a então 102, o minhoto, de 31 anos, entrou em o top 100 mundial, pela primeira vez, a.ª posição para figurar no 99.º lugar. No final desse mesmo ano saiu dos 100 primeiros, mas voltou a reentrar entre janeiro e abril de 2013, retornando em definitivo em julho ao top 100. Desde então, tem permanecido constantemente entre a elite global.Durante os últimos oito anos, João Sousa venceu três títulos ATP. O primeiro em Kuala Lumpur, em 23 de setembro de 2013, o segundo em Valência, em 01 de novembro de 2015, e o terceiro no Estoril Open, em 06 de maio de 2018, alcançando a melhor classificação de sempre de um jogador de Portugal no ranking ATP, o 28.º lugar, a 16 de maio de 2016.Faz 2 anos, saiu, em setembro de 2019, contudo, do top 50, deixando o 44.º posto para ocupar o 64.º, e pouco depois concluiu precocemente a temporada, duas semanas após o último triunfo em quadros principais do ATP Tour, frente ao de Sérrai Filip Krajinovic, no Masters 1.000 de Xangai, com uma fratura de esforço no pé esquerdo.Desde então que tem vindo a registar uma tendência descendente, agravada pela pandemia da covid-19, que provocou a paragem do circuito durante cerca de seis meses em 2020, e uma tendinite no antebraço direito, contraída em outubro no ATP 250 de Antuérpia, numa época em que não conseguiu qualquer vitória em quadros principais do ATP Tour.»As lesões não foram a causa deste período menos boa. Já tive outros períodos maus, não tive lesões e consegui dar a volta, portanto não é por aí. Não está a ser o melhor período da minha carreira, mas é mais um período. Já tive outras difíceis e obviamente que, quando se perde, nem sempre se consegue manter a motivação ao mais alto nível, porque cada derrota é triste e, depois do bom trabalho, é sempre difícil aceitar as derrotas», defendeu.Além de assegurar não estar a viver «os momentos mais difíceis da carreira», porque já teve outros, Sousa garante continuar «a ser o mesmo, a tentar fazer bons resultados e a trabalhar ao máximo para este período menos boa passar.»»É um momento difícil, com certeza, mas, com o suporte da minha equipa e das pessoas que me rodeiam e gostam de mim, vou tentar voltar aos bons resultados e ao bom nível de ténis», adicionou o vimaranense, que falhou, este ano, pela primeira vez na carreira desde o Open dos Estados Unidos, em 2013, ano em que atingiu a terceira ronda em Flushing Meadows. A carreira é a presença no quadro principal de um torneio do Grand Slam.João Sousa acusou positivo num teste ao novo coronavírus na véspera de viajar para Melbourne e ficou, assim, impossibilitado de jogar o Open da Austrália, em Melbourne Park, onde havia debatido a terceira ronda em 2015, 2016 e 2019. Faz 3 anos, foi em o Open dos Estados Unidos, e em Wimbledon, em julho de 2019, contudo, que alcançou o melhor resultado no Grand Slam, ao marcar presença nos oitavos de final.Esta semana, depois de ter perdido na estreia do Challenger de Antalya, do ATP 250 de Córdoba, do ATP 250 de Buenos Aires e do ATP 250 de Santiago do Chile, o minhoto conseguiu quebrar a malapata e alcançar o primeiro triunfo da temporada na ronda inaugural do «qualifying» do ATP 500 de Acapulco.Apesar do italiano Andreas Seppi ter conquistado domingo o título do Challenger de Biella e empurrado o tenista de Portugal para o 102.º lugar do ranking de singulares, João Sousa, que há uma semana jogou a meia-final de duplas em Buenos Aires, conserva-se no «top 100» da hierarquia global de pares, na 73.ª posição de uma tabela na qual foi 26.º classificado, em maio de 2019.

Tenista de Portugal bateu o irmão mais velho de Alexander Zverev.O tenista de Portugal João Sousa conquistou no sábado o primeiro triunfo da temporada, ao derrotar o alemão Mischa Zverev na primeira ronda do período de qualificação do ATP 500 de Acapulco, no México.O número um português e 100 do ranking ATP frear um longo e renhido duelo com o germânico, 280.º colocado na hierarquia global, mas acabou por levar a melhor, ao fim de duas horas e 38 minutos, com os parciais de 7-5, 5-7 e 7-5.Quando serviu a 5-4 para fechar o encontro, naquele que foi o terceiro encontro entre ambos, Mischa Zverev, antigo «top-10» global e irmão mais velho de Alexander Zverev , ainda teve chance de passar para a frente no confronto direto, mas o minhoto, de 31 anos, ganhou três jogos consecutivos e desforrou-se do único desaire que havia padecido diante o alemão, no Masters 1.000 indianoindiano, em 2017.Apurado para a segunda ronda do «qualifying», João Sousa defrontará agora o jovem de Noruega Stefan Kozlov, antigo «‘top-10″ global de juniores, que se impôs na estreia ao compatriota Jordi Arconada, por 6-4 e 6-1.Tenistas de Portugal com sortes diferentes na tentativa de acesso ao quadro principal do ATP 500.enquanto Frederico Silva conquistou um triunfo, se suprimiu João Sousa o tenista de Portugal em o domingo em a segunda ronda de o » qualifying » de o ATP 500 de Acapulco e está apurado para a última jornada de acesso a o quadro principal em o México.O vimaranense, número um nacional e 102.º colocado no ranking ATP, perdeu diante o de Noruega Stefan Kozlov, antigo top-10 mundial de juniores que figura atualmente no 389.º lugar na hierarquia ATP, em três sets, pelos parciais de 6-2, 2-6 e 6-3, em uma hora e 49 minutos.Uma vez suprimido da prova de singulares, após na estreia ter batido o alemão Mischa Zverev e alcançado a primeira triunfo da época, João Sousa, de 31 anos, vai agora disputar apenas a competição de pares na companhia do argentino Diego Schwartzman.Já Frederico Silva, número três nacional e 174.º classificado na hierarquia ATP, precisou igualmente de três partidas frente ao germânico Cedrik-Marcel Stebe , de 33 anos, para alcançar a vitória, com os parciais de 6-4, 3-6 e 6-3, ao fim de duas horas e 49 minutos.Depois de superar na estreia Jason Jung, do Taipé, e Stebe, o esquerdino das Caldas da Rainha, de 25 anos, vai debater o acesso ao quadro principal do ATP 500 de Acapulco com o jovem de Italia Lorenzo Musetti , de 19 anos, que bateu na segunda ronda o argentino e «wild card» Agustin Velotti, por 6-3 e 7-5.Tenista de Rusia bateu o francês Pierre-Hughes Herbert na final.O tenista de Rusia Daniil Medvedev conquistou este domingo pela primeira vez o torneio ATP 250 de Marselha, em piso duro, ao bater na final o francês Pierre-Hugues Herbert, 93. Daniil Medvedev é terceiro jogador global.º.Medvedev, primeiro cabeça de série da prova gaulesa, superou Herbert em três sets, pelos equilibrados parciais de 6-4, 6-7 e 6-4, num embate que durou duas horas e 11 minutos, para adicionar o 10.º título da carreira.O de Rusia, de 25 anos, vingou o desaire rostito ao francês na primeira ronda do torneio de Roland Garros de 2019 e recomeçou a liderança no confronto direto , uma vez que se tinha imposto no primeiro duelo, na edição 2018 do torneio de Roterdão.Com esta vitória, Medvedev ascenderá, na segunda-feira, ao segundo lugar do ranking ATP, ultrapassando o espanhol Rafael Nadal e colocando-se somente atrás do de Sérrai Novak Djokovic.

Na segunda-feira 01 de março Classificação global de tenistas foi recentemente atualizada. Quando deixou a 102, tenista de Portugal não esteve tão mal posicionado desde 2013.ª posição. Frederico Silva foi o único de Portugal a subir na listaO tenista João Sousa desceu duas posições no «ranking» ATP, divulgado esta segunda-feira, e figurava agora no 100.º lugar da tabela liderada pelo de Sérraide Sérrai Novak Djokovic, que equiparou o recorde de 310 semanas no topo do suíço Roger Federer.O vimaranense, que falhou o Open da Austrália, ao acusar positivo ao novo coronavírus na véspera de viajar para Melbourne, perdeu na primeira ronda do ATP 250 de Córdoba, na última semana, e quando deixou a 102, não conseguiu evitar a descida ao «ranking» mais baixo desde julho de 2013.ª posição para ascender à 93.º.Faz 9 anos, o número um global Novak Djokovic equiparou as 310 semanas de Federer em a liderança de o » ranking » ATP, quando superou as 286 semanas de o de America Pete Sampras, enquanto João Sousa disputava o ATP 250 de Buenos Aires, para tentar reverter a tendência descendente um máximo detido desde 2012.Da mesma maneira que o de Sérrai se conservava como número um mundial, o «top-10» também não padeceu qualquer mudança, conservando-se o espanhol Rafael Nadal na segunda posição e o de Rusia Daniil Madevedev, vice-campeão do Open da Austrália, no terceiro lugar.Entre os portugueses, o tenista Frederico Silva foi o único a «galgar» a hierarquia global, ascendendo cinco lugares, para figurar no 179.º posto, após ter atingido os quartos de final no Nur-Sultan 1 ATP Challenger 125.Já Pedro Sousa, depois de ter sido derrotado na estreia no ATP 250 de Córdoba, desceu ao 110.º lugar, assim como João Domingues caiu para o 188.º posto e Gonçalo Oliveira diminuiu à 296.º posição do «ranking» global.A hierarquia WTA continuava a ser comandada pela australiana Ashleigh Barty, seguida da japonesa e campeã do «Naomi Osaka com Simona Halep a completar o pódio, numem que o «top-10» também não padeceu qualquer mudança. Naomi Osaka é major dos Antípodas.

João Pedro Coelho Marinho de Sousa é um tenista profissional de Portugalde Portugal que compete no ATP World Tour.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Australia, Venezuela, United States, Portugal, Malaysia, Argentina

Cities: Melbourne, Valencia, Kuala Lumpur, Estoril, Buenos Aires

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>João Sousa desdramatiza saída do top 100 e tenta «voltar aos bons resultados»
>>>>>João Sousa conquista primeira vitória da época em Acapulco – March 14, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Frederico Silva estreia-se com vitória no «qualifying» de Acapulco – (ojogo-pt)
>>>>>João Sousa eliminado, Frederico Silva na 3.ª ronda do «qualifying» de Acapulco – March 15, 2021 (ojogo-pt)
>>>>>Daniil Medvedev conquista torneio de ténis de Marselha – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 120 NONE 15 me: 2, (tacit) eu: 12, mim: 1
2 ATP 0 0 ORGANIZATION 14 o ranking ATP: 3, o ATP: 5, o torneio ATP: 1, ATP: 3, a hierarquia ATP: 2
3 João Sousa 435 50 PERSON 13 (tacit) ele/ela (referent: João_Sousa): 2, Sousa: 1, Sousa (apposition: o melhor tenista português de todos os tempos): 1, º lugar de o ranking de singulares João_Sousa a: 1, (tacit) ele/ela (referent: Sousa): 1, João_Sousa: 7
4 tenista 120 90 NONE 9 o tenista português: 1, Tenista português: 2, um tenista profissional português: 2, O tenista português: 2, Tenista russo: 1, O tenista russo: 1
5 top 0 0 NONE 6 top: 1, o top: 5
6 triunfo 405 15 NONE 5 qualquer triunfo: 1, a última vitória: 1, uma vitória: 1, este triunfo: 1, o triunfo: 1
7 Novak Djokovic 0 0 PERSON 5 sérvio Novak_Djokovic: 1, (tacit) ele/ela (referent: o sérvio Novak_Djokovic): 4
8 top-10 mundial de juniores 0 80 NONE 4 top-10 mundial de juniores: 4
9 Frederico Silva 60 0 PERSON 4 Frederico_Silva: 2, (tacit) ele/ela (referent: Frederico_Silva): 1, o tenista Frederico_Silva: 1
10 lugar 0 0 NONE 4 º lugar: 2, o terceiro lugar: 1, º lugar a 16_de_maio_de_2016: 1