Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Joao Sousa (14629210874)

Tenista vimaranense enfrenta Yannik Sinner, número 11 do circuito mundialJoão Sousa vai ser o único tenista de Portugal a disputar o quadro principal do Open da Austrália, primeiro «major» do ano, que arranca na segunda-feira, em Melbourne Park, e confessa que «já tinha saudades de jogar neste torneio».O vimaranense, número 140 no «ranking» ATP, jogou o período de qualificação e acabou por perder na última ronda frente ao moldavo Radu Albot , em dois «sets», por duplo 6-4, mas foi repescado como «lucky loser», voltando a aceder ao quadro principal depois de, em 2021, ter falhado devido a um teste positivo ao coronavírus, em vésperas de viajar para os Antípodas.»Apesar do desaire da última ronda, estou bastante contente por poder disputar mais uma vez um quadro principal de um torneio do Grand Slam, algo que, no ano passado, me tinha sido negado por ter testado positivo à covid-19. Já tinha saudades de jogar neste torneio e jogar o quadro principal é sempre bastante especial. Estou bastante contente pela notícia», alegou o jogador, de 32 anos.Além de reconhecer não ter feito ante Albot «um encontro bastante bem conseguido, sem tirar mérito ao oponente», e ter ficado «um bocadinho aquém das expectativas», o número um português está decidido a preparar-se da melhor maneira para o «encontro difícil» com o de Italia Yannik Sinner, número 11 mundial, na jornada inaugural.»Na primeira ronda terei um oponente bastante difícil, mas, como é óbvio, não há encontros fáceis num Grand Slam e, portanto, será um encontro em que vou ter de jogar ao mais alto nível para ter alternativas de vencer. Espero poder fazê-lo. Vou prepará-lo o melhor possível nos próximos dois dias, só jogo na terça-feira, para poder continuar no torneio», rematou o minhoto.João Sousa marcará presença pela nona vez na carreira no quadro principal em Melbourne Park, onde em 2015 e 2018 alcançou o melhor resultado, ao atingir a terceira ronda, sendo frear pelo escocês Andy Murray.O tenista vimaranense vai ser o único representante nacional em prova, depois da desistência de Nuno Borges, com teste positivo ao coronavírus, e das derrotas de João Domingues, Frederico Silva e Gastão Elias no período de qualificação.

Suprimiu-se tenista de Portugal em a última ronda de qualificação para o Grand Slam.João Sousa, 140.suprimiu-se º jogador global, em a última ronda de qualificação para o Open da Austrália em ténis, pelo que Portugal não terá qualquer representante em o quadro principal.O 17.º cabeça de série do período de qualificação perdeu com o de Moldavia Radu Albot, 123.º da hierarquia global e quinto pré-designado, em dois sets, por um duplo 6-4, em uma hora e 26 minutos.No court número 5 de Melboune Park, João Sousa, 28.º jogador global em 16 de maio de 2016, liderou o primeiro parcial até 3-2, recuperou de um primeiro «break» e empatou 4-4, mas voltou a ver o seu serviço quebrado e acabou derrotado por 6-4.Enquanto Sousa teve de resgatar quatro, o de Moldavia voltou a «quebrar» o jogador luso no primeiro jogo do segundo set e, depois venceu os seus jogos de serviço, enfrentando somente um ponto de «break», com 4-3, no oitavo jogo.Antes, também na final da qualificação, Gastão Elias, número 217 mundial, foi igualmente afastado do quadro principal, ao perder com o cazaque Timofey Skatov, 255.º, por 6-4 e 7-6 , em uma hora e 43 minutos, no «court» número 15.O jogador de Lusakade Lusaka, que já foi o 57.Faz 6 anos, º jogador global liderou o primeiro parcial por 3-2, mas perdeu quatro dos cinco últimos jogos, e, no segundo, desperdiçou um benefício de 5-2 e dois set points com 5-3.Nuno Borges , obrigado a desistir por estar infetado pelo coronavírus responsável pela pandemia da covid-19, João Domingues , na primeira ronda de qualificação, e Frederico Silva , nas meias-finais, também já tinham caído.O quadro principal é, para já, liderado por Novak Djokovic, primeiro do «ranking» global e nove vezes ganhador , mas o de Sérrai, avesso à vacina contra a covid-19, ainda pode ser dextraditadoPrimeiro Grand Slam de 2022 arranca já na próxima segunda e não se sabe se o número um mundial vai estar a postosA 110.ª edição do Open da Austrália continua envolvida em incerteza e discordância, graças à pcontinuidadedo tenista sde SérraiNovak Djokovic, que tem o visto cancelado, no quadro principal em Melbourne Park, em que João Sousa tem lugar garantido.A polémica em torno do primeiro «major» do ano tem sido a tónica dominante nos Antípodas e um pouco por todo o mundo, após o número um mundial ter recebido uma isenção médica para entrar na Austrália, que lhe permitiria jogar o torneio sem estar vacinado contra a covid-19, e que foi posteriormente cancelada pelas autoridades fronteiriças.Tendo em conta as progressões e recuos no processo, com uma primeira resolução judicial a ser-lhe favorável e uma segunda decretada pelo Governo australiano a cancelar o visto, «por razões de saúde e ordem pública», declarou em comunicado o ministro da Imigração, Alex Hawke, a participação do nove vezes campeão do «Happy Slam» continua a ser uma incógnita.Certo é que enquanto o Tribunal Federal não se pronunciar, e em tempo útil, Novak Djokovic continua no «draw» como primeiro cabeça de série e a ser assinalado como o mais forte candidato àovtriunfofinal em Melbourne, onde decorre o torneio entre 17 e 30 de janeiro.Caso seja autorizado a competir, o tenista de Belgrado vai começar logo na segunda-feira, frente ao compatriota Miomir Kecmanovic, número 78 do mundo, a sua campanha rumo àquele que poderá ser o 10.º troféu australiano e 21.º título do Grand Slam, descolando assim dos 20 «majors» do suíço Roger Federer e do espanhol Rafael Nadal.Sem Djokovic na corrida, o de Rusia Daniil Medvedev é o principal favorito num torneio que será disputado igualmente pelo vimaranense João Sousa, que entrou como ‘lucky loser’. O de Rusia Daniil Medvedev é vice-campeão do Open da Austrália em 2021.O número dois mundial, de 25 anos, ganhou o seu primeiro título do Grand Slam no Open dos Estados Unidos, precisamente ao bater Novak Djokovic, por triplo 6-4, e chega aos Antípodas com a confiança em alta.Medvedev, que conquistou quatro títulos na época passada, auxiliou ainda a Rússia a conquistar as Finais da Taça Davis e, já este ano, a atingir as meias-finais da ATP Cup, apesar de ter perdido a final do Masters 1.000 de Paris para o sérvio e o último embate das Finais do ATP para o alemão Alexander Zverev.Assim como Zverev, que figura no terceiro lugar na hierarquia global aspira a grandes feitos na Austrália, onde há dois anos foi semifinalista e, em 2021, alcançou os quartos de final, sendo então frear por aquele que viria a ser campeão, DjokovZverev, que figura no terceiro lugar na hierarquia global aspira a grandes feitos na Austrália, onde há dois anos foi semifinalista e, em 2021, alcançou os quartos de final, sendo então frear por aquele que viria a ser campeão, Djokovic. Zverev, que figura no terceiro lugar na hierarquia global é o moscovita. Zverev, que figura no terceiro lugar na hierarquia global é o moscovita.Depois de conquistar seis torneios na última temporada , Alexander Zverev, de 24 anos, ascendeu ao seu melhor «ranking» de sempre e mais do que jamais tem boas condições de se estrear a vencer no Grand Slam.Menos hipóteses terá o esquerdino Rafael Nadal, campeão no estado de Victoria em 2009, uma vez que está a regressar à competição, após ter encerrado precocemente em agosto a última época, devido a uma lesão no pé direito.Em 10 meses, o antigo número um global e único campeão de o Open da Austrália em prova, para além de Djokovic, vai estar em igualdade de circunstâncias, em termos de favoritismo, com o grego Stefanos Tsitsipas, embora tenha voltado com uma triunfo em o domingo em o ATP 250 de Melbourne, e o de Rusia Andrey Rublev Na competição feminina, a número um do mundo, Ashleigh Barty, volta a assumir especial importância a jogar em casa, já depois de ganhar o primeiro título da temporada em Adelaide.Duas vezes campeã do Grand Slam, em Roland Garros e Wimbledon , a jovem de Australia, de 25 anos, dirige o regulamento de primeira pré nomeada num torneio em que vai tentar superar o seu melhor resultado de sempre, as meias-finais de 2020.Como principal adversário, Ashleigh Barty poderá ter a japonesa Naomi Osaka, 13.ª cabeça de série, mas a defender o título, após uma primeira vitória em 2019, e que ganhou quatro «majors» em piso rápido nos últimos quatro anos.As duas ficaram na metade superior do quadro, assim como a grega Maria Sakkari e a tunisina Ons Jabeur , e poderão ter que medir forças nos quartos de final.A bielorrussa Aryna Sabalenka, segunda colocada na hierarquia WTA, a bicampeã de Espanha do Grand Slam, Garbiñe Muguruza, que ganhou as Finais WTA em 2021, e a romena Simona Halep, com o sua vitória em Melbourne, podem ter também um vocábulo a declarar no debate pelo primeiro «major» de 2022.O tenista de Rusia Aslan Karatsev, primeiro cabeça de série, conquistou hoje o torneio de Sydney, ao vencer em dois sets o britânico Andy Murray na final da prova australiana em piso duro.Faz 1 ano, Karatsev, 20º classificado de o ranking global e uma de as revelações de a modalidade impôs se com relativa facilidade a Murray, antigo número um e atual 135º posicionado de a hierarquia de a ATP, por duplo 6-3, após uma hora e 32 minutos de confrontoO tenista russo, de 28 anos, conquistou o terceiro título em o circuito masculino, em a prova que serve também de preparação para o Open da Austrália, primeiro Grand Slam de 2022, enquanto Murray, de 34 anos, bastante afetado por lesões, disputou a primeira final desde 2019.

Na segunda-feira 03 de janeiro o vimaranense, número um nacional e 140.º do ranking global, foi batido por Cressy, 112.º da hierarquia e oitavo favorito no torneio australiano, em uma hora e 15 minutos.o de Noruega Maxime Cressy derrotou O português João Sousa , por 6-2 e 6-3 , em a primeira ronda de qualificação para o torneio melanésioprecedia o Open da Austrália ,.O vimaranense, número um nacional e 140.º do ranking global, foi batido por Cressy, 112.º da hierarquia e oitavo favorito no torneio australiano, em uma hora e 15 minutos.Igualmente na Austrália, onde preparava a presença no qualifying do primeiro Grand Slam da temporada, Frederico Silva também se estreou em 2022 com uma derrota, frente ao australiano Dane Sweeny, mas na primeira ronda do Challenger de Traraagon.O tenista natural das Caldas da Rainha, 240.º do mundo, perdeu por duplo 6-4 diante do 494.º do circuito, em uma hora e 26 minutos.Faz 5 dias, além de João Sousa e Frederico Silva, os lusos Nuno Borges, Gastão Elias e João Domingues também entravam em a qualificação para o Open da Austrália cujo quadro principal vai ser disputado entre 17 e 30 de janeiro,.

João Pedro Coelho Marinho de Sousa é um tenista profissional de Portugalde Portugal que compete no ATP World Tour.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Australia

Cities: Melbourne

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>João Sousa preparado para a estreia na Austrália: «Já tinha saudades»
>>>>>João Sousa perde e Portugal fica sem representantes no Open da Austrália – (ojogo-pt)
>>>>>Open da Austrália: a grande dúvida Novak Djokovic e o regresso de João Sousa – (ojogo-pt)
>>>>>Tenista russo Karatsev bate Murray e conquista torneio de Sydney – January 15, 2022 (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 250 50 NONE 13 (tacit) eu: 12, me: 1
2 João Sousa 35 40 PERSON 10 O português João_Sousa: 1, o vimaranense João_Sousa: 2, João_Sousa 140: 1, Sousa: 2, João_Sousa: 4
3 número 0 0 NONE 7 O número: 1, o número: 2, número: 3, o antigo número: 1
4 Alexander Zverev 200 40 PERSON 6 o alemão Alexander_Zverev: 1, (tacit) ele/ela (referent: Zverev): 1, Alexander_Zverev de 24 anos: 1, Zverev (apposition: o moscovita): 2, (tacit) ele/ela (referent: Alexander_Zverev de 24 anos): 1
5 quadro 440 0 NONE 6 o quadro principal: 4, quadro principal: 1, O quadro principal: 1
6 tenista 200 0 NONE 6 O tenista russo: 1, o único tenista português: 1, O tenista vimaranense: 1, um tenista profissional português: 2, Tenista português: 1
7 Novak Djokovic 0 0 PERSON 6 (tacit) ele/ela (referent: Novak_Djokovic): 2, Novak_Djokovic: 4
8 jogador 0 0 NONE 6 º jogador mundial: 2, º jogador mundial em 16_de_maio_de_2016 e: 1, O jogador luso: 2, o jogador: 1
9 torneio 0 0 NONE 5 o torneio: 1, um torneio: 4
10 Melbourne 0 0 PLACE 4 Melbourne: 4