Por: SentiLecto

Primoz Roglic, ganhador das últimas, que três edições da Volta a Espanha, voltará à Volta a França, ao lado do dinamarquês Jonas Vingegaard e do belga Wout van Aert, anunciou esta terça-feira a Jumbo-Visma, três edições da Volta a Espanha, vvoltaráà Volta a França. A formação de Neemuch do WorldTour exibiu-se esta terça-feira para a nova temporada, na qual volta a aspirar aas maiores vitórias do calendário, a iniciar pelo retorno de «Rogla» ao Tour, onde deseja destronar o compatriota Tadej Pogacar , ganhador das últimas duas edições.O esloveno, de 32 anos tem dominado em Espanha e acumulado triunfos em outras corridas WorldTour O de Eslovaquia, de 32 anos é campeão olímpico de contrarrelógio., mas não tem conseguido impor-se no Tour: em 2020 foi segundo e em 2021 deveu abandonar.Na «grande boucle» vai estar também Vingegaard, que foi segundo classificado em 2021, e o belga Wout van Aert, que vai apostar na classificação dos pontos da prova, num ano em que voltará a alinhar nas principais clássicas.Merijn Zeeman explicou em conferência de jornalismo por via telemática, a partir da concentração em Alicante, Espanha, que a equipa assinala «aos grandes monumentos do ciclismo» e, em França, aposta nos dois principais líderes. Merijn Zeeman é o diretor esportivo.Fora disso, o holandês Tom Dumoulin vai disputar a Volta a Itália, que venceu em 2017, deixando a Vuelta, onde Roglic tem «reinado» em 2019, 2020 e 2021, com uma formação dependente de quem sair em melhores condições do Tour.Fora de França, depois de três etapas ganhas em 2021, o tricampeão global de ciclocrosse Wout van Aert arranca a temporada na Omloop Het Nieuwsblad e correrá três monumentos: Milão-Sanremo, Volta a Flandes e Paris-Roubaix.Outras provas na primeira metade de 2022 incluem a Gent-Wevelgem, a Clássica E3 e a Amstel Gold Race, em que se impôs no ano passado, mas também o Paris-Nice.

Faz 2 anos, em que se mostrou a o mundo de o ciclismoO ciclista de Portugal João Almeida admitiu hoje que deseja combater de novo por a Volta a Itália em o ano de estreia em a UAE Emirates em a qual vai ter um papel direto como líder,, o que lhe traz » uma pressão boa «, depois de um quarto lugar em 2020 e sexto de 2021 o de Portugal volta em a corsa rosa.O Giro é o meu grande objetivo. Todas as corridas e preparativos [até lá] serão focadas no Giro, a que espero chegar na minha melhor maneira. Também desejo debater outras corridas e conseguir bons resultados», disse o ciclista, de 23 anos, em conferência de jornalismo virtual, a partir de Espanha, onde a equipa está concentrada.Depois de um quarto lugar em 2020 e sexto de 2021, o de Portugal volta à «corsa rosa», em que se mostrou ao mundo do ciclismo, ao serviço da Deceuninck-QuickStep, que deixou no final do ano passado.Na UAE Emirates, tem vivido uma «grande mudança», mas «bastante positiva», mostrando-se «contente com a equipa» e em processo de adaptação à formação dos Emirados Árabes Unidos, pela qual também correm os compatriotas Rui Costa, Rui Oliveira e Ivo Oliveira.Para já, e até correr o Giro, que arranca em 06 de maio, o calendário tem como principais destaques o Paris-Nice e a Volta à Catalunha, corridas que svão servirde preparação, mas nas quais também deseja «bons resultados».O traçado da primeira grande Volta do ano, entretanto, tem menos contrarrelógio do que «seria ideal», admitiu o especialista, «mas é o que é».»No final de contas, vai ter muita montanha. No cômputo geral, as grandes voltas decidem-se nas subidas», atirou.Faz 2 anos, depois de » despontar » com 15 dias como camisola rosa de a Volta a Itália, o ano de 2021 de o português trouxe os primeiros triunfos entre a elite, a o triunfar em a Volta a o Luxemburgo e em a Volta em a Polónia campeão nacional de » crono «, entre outros resultados e a o sagrar se de destaque.inda um ciclista jovem, mostrou abertura para poder «aprender com todos» os colegas de equipa, sentindo «muita confiança» depositada nas suas características e elogiando Rui Costa, com quem tem treinado.Quanto ao esloveno Tadej Pogacar, que venceu as últimas duas edições da Volta a França e agora é seu colega de equipa, não poupa nos elogios: É «um dos melhores ciclistas de sempre, não só do presente», observou.»Vai ser um prazer correr com o Tadej. Ele é único. Poder correr e aprender com ele, estar nesta equipa e também ajudá-lo a vencer corridas, faz-me sentir bem eestimulaa-me para o futuro», admitiu.Ainda assim, e questionado sobre isso, não revelou se poderá passar pelos seus planos correr o Tour ao lado do esloveno, mas embora esteja dependente do desenrolar da temporada, admitiu que está em cima da mesa correr também a Volta a Espanha.Para já, sente-se comprazido com «os treinos, a nutrição» e toda a envolvente método, nos primeiros tempos com novas cores, e mesmo que tenha existido uma mudança de «abordagem» a todos os fundamentos, sente-se «a melhorar» dada a diferença entre a antiga equipa e a nova.O êxito, e quando vem junto com um primeiro ano em novas condições, o novo papel de destaque na equipa, em que vai ser um líder assumido por todos, incluindo pelo diretor esportivo, em várias corridas, a iniciar pelo Giro, traz «alguma pressão», ainda mais.»É uma pressão boa, com a qual consigo lidar. Dá personalidade e assistência a conservar o foco. Temos noção das responsabilidades, do trabalho», comentou.A presença de colegas de equipa de Portugal, dos irmãos Oliveira, que também correram pela norte-americana Hagens Berman Axeon, à ssimilaridadedo ciclista das Caldas da Rainha, a Rui Costa, torna «mais fácil comunicar e trabalhar em equipa».»Estamos na mesma página, e é sempre bom falar português, dá outro ambiente. Mas, no geral, em toda a equipa, somos todos amigos», revelou.

Na quarta-feira 22 de dezembro Roglic foi terceiro no Giro de 2019 e segundo no Tour em 2020, perdendo a liderança na prova de Francia, e o triunfo, no contrarrelógio do penúltimo diaO ciclista esloveno Primoz Roglic, campeão olímpico de contrarrelógio e ganhador das últimas três edições da Volta a Espanha, renovou contrato com a Jumbo-Visma até 2025, anunciou a equipa de Holguín.»Roglic estendeu contrato e completaria uma década na Team Jumbo-Visma», referia a formação de Holguín na sua página oficial na Internet, recordando ainda chegada ao pelotão profissional do ciclista de Eslovaquia.O corredor, de 32 anos, que contava com três triunfos em etapas da Volta a França e também no Giro de Itália, lembrou igualmente o seu percurso na equipa dos Países Baixos e o crescimento que tem tido, apesar da chegada tardia ao «World Tour», proveniente dos saltos de esqui.» temos já uma bonita história juntos, da qual me sentia orgulhoso. Fiz a minha estreia no pelotão do «World Tour» um pouco tarde. podia ter parecido fácil, porque os melhores momentos são os que nos recordamo depressa, mas nem sempre foi assim», declarou Primoz Roglic, mencionado pela equipa.Para o futuro, o esloveno declarou desejar desenvolver-se mais em áreas específicas, física e mentalmente, como «líder de equipa» e como «pessoa», garantindo que está no «lugar certo» para o fazer.Faz 3 anos, Roglic foi terceiro e segundo em o Tour em 2020, perdendo a liderança em a prova de Francia, e o triunfo, no contrarrelógio do penúltimo dia, para o seu compatriota Tadej Pogacar .Da parte da Jumbo-Visma, o diretor-desportivo Merijn Zeeman enfatizou que Primoz Roglic » representava a mudanças» da equipa nos últimos anos e que esta renovação permitia traçar planos e objetivos para o futuro, em que o esloveno teria «papel central».»Primoz era um das coluninhas da equipa. A cultura que construíamo juntos coadunava-se bastante com o desportista e pessoa», enfatizou Zeeman.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Spain, France, Brazil

Cities: Roubaix, Franca, Alicante

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Jumbo-Visma coloca Roglic, Vingegaard e Van Aert no Tour, Dumoulin no Giro
>>>>>João Almeida aponta ao Giro com a «pressão boa» de ser líder na UAE Emirates – January 10, 2022 (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 equipa 0 0 NONE 9 a equipa holandesa: 1, toda_a equipa: 1, a antiga equipa: 1, a equipa: 6
2 eu 0 0 NONE 9 (tacit) eu: 6, me: 3
3 Tour 60 36 ORGANIZATION 8 (tacit) ele/ela (referent: o Tour): 5, o Tour: 3
4 nós 190 0 NONE 5 (tacit) nós: 5
5 Primoz Roglic 80 0 PERSON 5 Primoz_Roglic vencedor de as últimas: 1, (tacit) ele/ela (referent: Primoz_Roglic vencedor de as últimas): 2, Primoz_Roglic: 2
6 Merijn Zeeman 0 0 PERSON 5 Merijn_Zeeman (apposition: O diretor desportivo): 1, (tacit) ele/ela (referent: Merijn_Zeeman): 1, o diretor-desportivo Merijn_Zeeman: 1, (tacit) ele/ela (referent: o diretor-desportivo Merijn_Zeeman): 2
7 corridas 0 0 NONE 5 outras corridas: 2, corridas: 2, várias corridas: 1
8 Espanha 0 0 PLACE 4 Espanha: 4
9 van Wout Aert 0 0 PERSON 4 o belga Wout_van_Aert: 1, o belga Wout_van_Aert em um ano: 3
10 Paris-Nice 0 36 ORGANIZATION 3 o Paris-Nice: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Paris-Nice): 2