Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Mora

Campeão olímpico de Portugalde Portugal despediu-se dos Jogos magoado e abraçando todos os outros triplistasNelson Évora, que não foi além de 15,39 metros no segundo ensaio, ficou pela qualificação do triplo salto de Tóquio’2020, com 15,39 metros, os de um salto falhado ao segundo ensaio, fazendo a despedida competitiva dos Jogos Olímpicos. Aos 37 anos, e O seu primeiro salto foi nulo e deixou-o magoado, o desportista invalidou o terceiro de o Barcelona , por se tratar de uma marca fraca. «Magoei-me no primeiro ensaio e ainda tentei recuperar, mas… Ainda tenho muitas dores neste momento», disse no final, aos microfones da RTP.

Évora Ote é uma cidade de Portugal na região do Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com 49 252 moradores, em 2011. Uma cidade de Portugal é capital do distrito de Évora.

Nelson Évora chegou aos seus quartos Jogos Olímpicos, depois do ouro em Pequim’2008, do sexto lugar no Rio’2016 e do 40.º posto em Atenas’2004, tendo 15,93 metros como melhor marca do ano. Faz 6 anos, foi ainda campeão de a Europa em pista coberta e 2017, e Faz 3 anos, a o ar livre tendo como lembre pessoal 17,74 metros, alcançados em Osaka, em o Japão, onde se sagrou campeão de o mundo, em 2007.

Évora, que aos 37 anos entra em prova na terça-feira no triplo salto, revelou, no Instagram, que padeceu «uma pequena lesão no menisco» e teve de «correr contra o tempo» após a cirurgia.O desportista do triplo salto Nelson Évora revelou que se submeteu a uma operação ao menisco em março deste ano, ficando com menos de 18 semanas para preparar os JO desportista do triplo salto Nelson Évora revelou que se submeteu a uma operação ao menisco em março deste ano, ficando com menos de 18 semanas para preparar os Jogos Olímpicos Tóquio’2020. O desportista do triplo salto Nelson Évora é campeão olímpico em 2008. O desportista do triplo salto Nelson Évora é campeão olímpico em 2008.2020.Évora, que aos 37 anos entra em prova na terça-feira no triplo salto, revelou, no Instagram, que padeceu «uma pequena lesão no menisco» e teve de «correr contra o tempo» após a cirurgia.»Lá vem mais uma dificuldade, quando tudo estava a correr bem. Nada de novo numa vida recheada de tantas rochas no percurso. Mas mais uma vez chorei, arregacei as mangas e fui à luta», escreveu o adesportista ao lado de um vídeo datado do dia da operação.O desportista reiterou o que já tinha anunciado, que é «a última» prova que disputa, depois de já ter declarado que fará os últimos Jogos Olímpicos, mas acredita «sempre» nas suas habilidades, após uma carreira que, as lesões depois de o ouro olímpico em a capital de China , foi bastante afetada ela.Na quinta-feira, já em Tóquio, Nelson Évora tinha falado àoijornalismopara pedir aos colegas da missão que se «divirtam ao máximo», com um dos quatro campeões olímpicos portugueses a drealçar»o peso da responsabilidade» no dia da prova.várias lesões graves de Évora marcam , além dos vários títulos internacionais , a carreira , como foram os casos de uma fratura de esforço em a tíbia , em 2010 , uma lesão em o calcanhar , em 2011, e nova fratura de esforço, em 2012.O agora desportista do Barcelona conquistou os títulos europeus em pista coberta, em Belgrado, em 2017, e ao ar livre, em Berlim, em 2018, assim como as medalhas de bronze nos Mundiais de 2017, em Londres, e «indoor» de 2018, em Birmingham.Faz 14 anos, campeão de o mundo em Osaka, em o Japão, com o recorde pessoal de 17,74 metros, o saltador vestiu também as camisolas de o FC Porto, entre 2002 e 2004, e do Benfica, entre 2004 e 2016.Nelson Évora chegou a Tóquio2020 graças ao 26.º posto do ranking de qualificação, cimentado sobretudo com resultados obtidos em 2018 e 2019, tendo como melhor marca do ano os 15,93 metros alcançados na Maia, em 26 de junho último.Enquanto a final vai ser disputada, a qualificação do triplo salto está marcada para terça-feira, a partir das 09:00 locais na quinta-feira, às 11h00 .Nas anteriores participações olímpicas, além do título de Pequim’2008, foi sexto no Rio’2016, tendo falhado Londres’2012, por lesão.Auriol Dongmo assumiu a amargura com o quarto lugar no lançamento do peso nos Jogos Olímpicos Tóquio’2020, a cinco centímetros da medalha de bronze.A de Portugal Auriol Dongmo assumiu a amargura com o quarto lugar no lançamento do peso nos Jogos Olímpicos Tóquio’2020, a cinco centímetros da medalha de bronze, identificado o momento como a «coisa mais terrível» da sua vida.A campeã da Europa em pista coberta em 2021, na zona mista do Estádio Olímpico, após a final campeã do mundo em 2017 e 2019 A final é vencida pela de China Lijiao Gong. alegou: «Dói-me bastante, ficar em quarto lugar é a coisa mais terrível da minha vida»., e nova campeã olímpica, com 20,58 metros, seguida da norte-americana Raven Saunders, medalha de prata, com 19,79.Auriol Dongmo concluiu o concurso no quarto lugar, com 19,57 metros, abaixo do recorde nacional , que hoje lhe valeria a medalha de bronze, conquistada pela neozelandesa Valerie Adams, campeã em Pequim’2008 e Londres’2012 e prata no Rio’2016, com 19,62.»O quarto lugar é o pior, mas agora não há nada a fazer. Eu estava a sentir-me bem, mesmo no aquecimento e, depois, não sei o que se passou. Há coisas que não consigo explicar, porque eu estava bem, mesmo com calor, que estava igual para todas», explicou.A lançadora, que se naturalizou portuguesa em 2019, chegou ao concurso olímpico com a quinta melhor marca do ano, com o objetivo de conseguir melhorar o seu recorde nacional, elogiando as concorrentes, que «foram bastante fortes».»Eu estive focada até ao fim, com a esperança de que o melhor saísse até ao fim, a qualquer momento. Já fiz 20 metros em treino e estava com a esperança de que conseguia fazer hoje», reconheceu, lamentando ter ficado a cinco centímetros de Valerie Adams: «Ainda custa mais ficar em quarto lugar e tão perto do terceiro».Na estreia olímpica por Portugal – foi 12.ª no Rio’2016, a encarnar os Camarões -, e a dois dias de completar 32 anos, Dongmo não tem dúvidas quanto ao seu futuro, prometendo persistência para melhorar, se possível já na final da Liga de Diamante, em 08 e 09 de setembro, em Zurique, na Suíça.»Claro que eu tenho tempo, eu continuarei a trabalhar, é isso que eu posso fazer agora», vincou, antevendo um ano de 2022 «bastante complicado», com Mundiais e Europeus ao ar livre e Mundiais em pista coberta.Devota de Fátima, Dongmo não fez, nem faz, promessas – «para mim não há promessas, não é satisfazer se me der «x», é a santificação do dia a dia» -, admitindo a amargura com o desfecho da competição.»Tudo o que ocorre na nossa vida é porque Deus deseja. Não posso ficar chateada com Deus, estou um bocadinho triste, sem dúvida, mas será Ele que me dará forças para progredir», assegurou.Gong segurou a liderança desde o primeiro lançamento, com 19,95 metros, tal como Saunders o segundo, com 19,65. Ambas viriam a melhorar nos quintos ensaios, para 20,53 e 19,79, tendo a bicampeã do mundo reforçado na sexta e última tentativa, para os vitoriosos 20,58, que constituem a sua melhor marca do ano.Dongmo iniciou com 19,29, então a terceira marca, assegurando um lugar entre as oito finalistas, mas só conseguiu melhorar no quarto ensaio, para os finais 19,57, depois de 18,95 e 19,17, concluindo o concurso com dois de lançamentos a 19,45, sem conseguir superar o terceiro registo, de Adams , e chegar ao pódio.O canoísta de Portugal Fernando Pimenta agride nesta terça-feira a medalha no K1 1000 metros de Tóquio’2020, com a entrada em ação do campeão olímpico em Pequim’2008 Nelson Évora e Pedro Pichardo no triplo salto.O canoísta de Portugal Fernando Pimenta agride nesta terça-feira a medalha no K1 1000 metros de Tóquio’2020, com a entrada em ação do campeão olímpico em Pequim’2008 Nelson Évora e Pedro Pichardo no triplo salto.Pimenta, medalha de prata em Londres’2012, então ao lado de Emanuel Silva, tem um alinhamento teoricamente mais acessível, contra o húngaro Adam Varga e o de Bielorrusia Aleh Yurénia, pelas 10:00 .Já a Teresa Portela, que seguiu para as meias e compete às 09:30 , tocaram quase todas as candidatas ao pódio em K1 200 metros, nomeadamente a campeã olímpica, a neozelandesa Lisa Carrington, a dinamarquesa Emma Jorgensen, a polaca Marta Walczykiewicz e a espanhola Teresa Portela, com o mesmo nome e treinador que a portuguesa.Em caso de apuramento, Fernando Pimenta entra em ação pelas 12:20 , na final, um pouco depois de Teresa Portela, em ação, em caso de qualificação, a partir das 11:37 .Logo pela manhã, às 09:00 , a qualificação do triplo salto coloca em prova o único campeão olímpico luso em atividade, Nelson Évora, ouro em Pequim’2008, ao lado de um dos favoritos às medalhas, Pedro Pichardo, além do estreante Tiago Pereira.Às 09:53 , salta para a pista Cátia Azevedo, na qualificação dos 400 metros com a hora de almoço no Japão a reservar atenções para a vela lusa, em Enoshima.Diogo Costa e Pedro Costa concluem o período regular do 470 com as últimas duas regatas, a partir das 12:15 , num programa da modalidade todo protelado de segunda para terça-feira, devido à falta de vento.Às 13:33 , José Costa e Jorge Lima disputam a medalha em 49er, na regata das medalhas para a qual partem na sexta posição.Portugal volta à competição em equestre, com Luciana Dinis nos saltos de odificuldades pelas 19:00 , com Francisco Belo na qualificação do lançamento do peso, pelas 19:15, depois do quarto lugar de Auriol Dongmo na final feminina.

: Athēnai) é a capital e a maior cidade da Grécia.

«Levo bastante boas recordações. Por inacreditável que pareça não são as das medalhas, mas o convívio com as pessoas, as aventuras que temos, o estar na Aldeia Olímpica. É isso que fica, assim como o estar aqui com toda a equipa e dar-lhes boas energias, querer-lhes sorte e boa disposição», concluiu Évora.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Spain, Portugal, Greece

Cities: Evora, Barcelona, Athens

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Nelson Évora na despedida: «Emocionei-me, mas a vida é assim…»
>>>>>Nelson Évora revela operação feita em março: «Mas um obstáculo. Nada de novo…» – (ojogo-pt)
>>>>>»Ficar em quarto lugar é a coisa mais horrível da minha vida» – (ojogo-pt)
>>>>>Fernando Pimenta ataca as medalhas e Évora e Pichardo arrancam as provas – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 35 192 NONE 25 me: 3, (tacit) eu: 16, eu: 4, Eu: 2
2 metros 0 0 NONE 8 15,93 metros: 1, 19,57 metros: 1, 15,39 metros: 2, 20 metros: 1, 19,95 metros: 1, K1 200 metros: 1, 17,74 metros: 1
3 Évora 0 0 PLACE 8 Évora: 4, Évora em a: 4
4 prova 0 0 NONE 7 a prova: 1, prova: 6
5 lugar 0 90 NONE 6 o sexto lugar: 1, O quarto lugar: 1, o quarto lugar: 3, um lugar: 1
6 salto 0 70 NONE 5 o triplo salto: 4, seu primeiro salto: 1
7 Nelson Évora 0 0 PERSON 5 Nelson_Évora: 4, Évora_Ote: 1
8 Pequim 0 0 PERSON 5 Pequim: 5
9 ensaio 0 0 NONE 4 o quarto ensaio: 1, o primeiro ensaio: 1, o segundo ensaio: 2
10 lesão 0 0 NONE 4 uma pequena lesão: 2, uma lesão: 1, lesão: 1