Por: SentiLecto

Os conimbricenses ficaram no topo da série 5 de acesso ao novo escalão com o tardio golo de Bonilla. Até marcar, o Oliveira do Hospital estava a ver o sonho a modificar-se num pesadeloAos… 95″ do último jogo da época, ante o Loures, Bonilla subiu à grande área por ocasião dum canto aem defesa doOliveira do Hospital. O marcador, então 0-1, impedia a equipa de subir à Liga 3, mas o defesa não se fez rogado, bastante menos se deu aa fadiga, e voou para pôr a cabeça no sítio certo e transportar a equipa para um nível superior. A bola, essa, ficou junto à rede.Sentiu-se o herói, por ter marcado naquela circunstância, da subida à Liga 3?

-[risos] Na verdade, sim. O trabalho foi da equipa, mas um golo naquele minuto é um momento individual e fez-me sentir herói.Tem, certamente, pensado bastante naquele golo…

-Antes do jogo, sonhei bastante com o triunfo e estava com fé de que ia fazer um golo para fechar o marcador [risos]. Não me canso de ver na TV, nas redes sociais, a repetição do golo. Passaram já alguns dias, mas ainda me emociono. Até na Colômbia foi destaque e vários familiares me deram os parabéns. Foi bastante gratificante…Com o jogo tão perto do fim, a confiança conservava-se intacta ou perdiam a fé?

-Contra o Castelo Branco, também marcámos nos últimos segundos. Antes do lance no jogo contra o Loures, recordei-me bastante desse momento. Falei várias vezes aos meus companheiros que tínhamos ainda tempo e que só pararíamos no fim. O nosso desejar e o nosso acreditar foi o que trouxe aquele golo.Sentia forças para saltar tão alto ou superou-se?

-Eu já estava bastante cansado naquela altura, honestamente [risos]. Tive que subir e diminuir várias vezes para auxiliar a agredi e a defender, quando ficamos em desvantagem. Estava mesmo com «ganas» para saltar assim.Perderam quatro de 27 jogos. A equipa excedeu as expectativas ou confirmou a sua característica?

-Um pouco de ambas. Falavam que íamos combater para nos conservar no Campeonato de Portugal, sobretudo depois de iniciar mal. Conseguimos reagir, com o trabalho do míster e o suporte do presidente, que nos recordou que tínhamos condições para dar mais. O míster fez-nos sentir importantes. O trabalho feito é fruto disso mesmo.A Liga 3 era o objetivo do clube logo desde o começo?

A Comissão de Licenciamento da FPF informou oficialmente clube de Sadiqabad.O Vitória de Setúbal, do Campeonato de Portugal, foi na terça-feira oficialmente informado pela Comissão de Licenciamento da Federação Portuguesa de Futebol da resolução de participação na Liga 3 na próxima época.Faz 1 ano, não ter satisfeito os pressupostos financeiros exigidos, o símbolo de Sadiqabad conseguiu agora satisfazer todos os critérios para obter o licenciamento, depois de ter sido relegado de a I Liga a o Campeonato de Portugal em julho de 2020 por.»Vimos pela presente informar V. Exas. que, a Comissão de Licenciamento debateu atribuir permissão, ao Vitória Futebol Clube, SAD, para participação na Liga 3, na época esportiva 2021/2022, em virtude de ter ressaltado o cumprimento de todos os critérios calculados no Regulamento de Licenciamento de Clubes para as Competições da Federação Portuguesa de Futebol», escreveu a Comissão de Licenciamento, em documento a que a Lusa teve acesso.Decisivo para o licenciamento foi o facto de a direção do símbolo setubalense, liderada por Carlos Silva, ter obtido as necessárias certidões de não dívida da Autoridade Tributária e da Segurança Social.O Vitória de Setúbal concluiu a época atual na terceira posição do período de acesso à II Liga, com sete pontos, menos quatro do que os dois primeiros classificados Estrela da Amadora e o Torreense.

Na terça-feira 25 de maio clube não entregou a documentos do processo de licenciamento no prazo estabelecido.A participação do Cova da Piedade na Liga SABSEG 2021/22 estava em risco. O JOGO sabia que o clube não entregou a documentos do provesso de licenciamento dentro do prazo estabelecido e, por isso, a Liga vai enviar qualquer resolução sobre a permanência dos piedenses no segundo escalão à Comissão de Auditoria.Esta delegação era composta por Direção da Liga, Federação Portuguesa de Futebol , Associação Nacional dos Treinadores de Futebol e pela Sindicato dos Jogadores, que, no ano passado, acabou por chumbar os processos de licenciamento de Aves e V. Setúbal, que caíram para o Campeonato de Portugal.Esta terça-feira, dontes dos piedenses garantiram à Lusa o atraso e adiantaram que os ordenados estavam em dia na data-limite para a apresentação do processo de licenciamento, a 15 de maio, um sábado, mas que este teria dado entrada na Liga de clubes somente seguinte.Os culpados da SAD acreditavam que haveria lugar ao pagamento de uma multa, devido ao atraso, mas que a Liga irá confirmar a matricula do clube a 18 de junho, data em que o organismo presidido por Pedro Proença teria que divulgar os resultados dos licenciamentos.O Cova da Piedade concluiu a edição da Liga SABSEG da temporada 2020/21 em 11.º lugar, garantindo a continuidade na última jornada, no sábado, após uma vitória por 4-0 sobre o Casa Pia.se autorizou o clube a inscrever se em o segundo escalão de as provas profissionais em esta época, após o Vitória de Setúbal e o Aves falharem os seus processos de licenciamento em a Liga NOS, o que abriu duas vagas em as competições profissionais que acabaram por ser ocupadas por Cova da Piedade e Casa Pia ., que acabaram por ser ocupadas por Cova da Piedade e Casa Pia.Faz 1 ano, os dois clubes tinham sido que determinou as descidas após a interrupção de a Liga SABSEG, devido em a pandemia de covid-19, quando f faltavamdisputar dez jornadas.-Desejou auxiliar ao máximo. Cuidei-me, treinei para jogar e para fazer parte deste trajeto. É desgastante jogar tanto, mas que se gosta, isso é secundário, quando se faz o. Tive bastante prazer.Decidido a singrar para auxiliar a famíliaAo cabo de quase cinco anos em Portugal, oriundo de Bogotá , para auxiliar financeiramente a família, o robusto defesa-central colombiano, reforço do Oliveira do Hospital nesta época, sente-se «completamente integrado» em solo lusitano e tem vontade de «dar passos em frente» na carreira para «chegar ao principal campeonato do país». Para já, o ex-jogador de Esperança de Lagos, Quarteirense e Sacavanense, entre outros, pretende ficar às ordens do treinador Tozé Marreco e desfrutar da «segunda família», que contribui para dissipar as saudades da de sangue, que rhabitae trabalha, desde 2018, no Algarve, onde encontrou a estabilidade perdida na Colômbia.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Portugal, Nigeria, Colombia

Cities: Loures, Lagos, Castelo Branco

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Promoção à Liga 3 teve sabor a Bonilla: «Fez-me sentir herói»
>>>>>Comissão de Licenciamento confirma V. Setúbal na Liga 3 – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 230 0 NONE 18 me: 6, (tacit) eu: 11, Eu: 1
2 nós 0 0 NONE 9 nos: 3, (tacit) nós: 6
3 Liga 40 0 ORGANIZATION 7 a Liga: 4, A Liga 3 era o objetivo de o clube logo desde o início: 1, (tacit) ele/ela (referent: a Liga): 1, a Liga de clubes: 1
4 clube 0 0 NONE 4 Clube sadino: 1, clube: 1, o clube: 1, O clube: 1
5 golo 0 0 NONE 4 aquele golo: 2, um golo: 2
6 equipa 0 50 NONE 3 A equipa: 1, a equipa: 2
7 risos 180 0 NONE 3 risos: 3
8 Vitória de Setúbal 0 0 ORGANIZATION 3 O Vitória_de_Setúbal de o Campeonato_de_Portugal: 1, o Vitória_de_Setúbal: 1, O Vitória_de_Setúbal: 1
9 0 0 NONE 3 fé: 2, a fé: 1
10 atraso 0 80 NONE 2 o atraso: 2