Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Generic football

Rui Águas jogou ao serviço de Benfica e FC Porto na carreira de futebolista. Acredita que os dragões estão em boa situação para o clássico de quinta-feira e analisa o duelo da passada semana na Taça de Portugal.FC Porto e Benfica abordam com ânimos antagónicos o clássico da 16.ª jornada da Liga Bwin, na quinta-feira, após o recente triunfo dos dragões sobre as águias nos «oitavos» da Taça de Portugal, observa o ex-futebolista Rui Águas.»Não quer dizer que as coisas se repitam nos mesmos moldes. Os confrontos jamais são iguais, mas, entre um e outro, o tempo é bastante curto e a questão psicológica é sempre fundamental. Quem ganha, evidentemente aborda este segundo jogo de forma bastante diferente de quem perde e é difícil mudar bastante em poucos dias», frisou à agência Lusa o ex-avançado de encarnados e azuis e brancos .O FC Porto, líder da I Liga, com os mesmos 41 pontos do campeão nacional Sporting, recebe o Benfica, terceiro, com 37, na quinta-feira, às 21:00, no Estádio do Dragão, no jogo de cfinalizaçãoda 16.ª ronda, a derradeira de 2021 e penúltima da primeira volta.»Faz parte do trabalho do treinador a intervenção nos jogadores, no sentido de as coisas correrem de outra maneira. Contudo, entre o vocábulo e a realização, é importante que a transmissão do que sejam as ideias do treinador seja aceite e recebida neste segundo jogo, de acordo com o quão mau foi o primeiro», avaliou o ex-internacional português.Em 23 de dezembro, no mesmo recinto, os dragões impuseram-se por esclarecedores 3-0, ao marcarem três golos em 31 minutos e resistirem em inferioridade numérica e sem obstáculo aparente na segunda parte, dois dias após um encontro entre Jorge Jesus e dirigentes do Flamengo sobre um eventual retorno do técnico representado ao Brasil.»Não se viu uma equipa no Benfica e viu-se um FC Porto a mandar desde o começo. É sempre uma alegria marcar cedo, mas não é à toa que os golos também apareceram assim que começou a partida. Houve uma almazinha coletiva que o FC Porto mais uma vez provou e o Benfica, que pode ficar a sete de dois oponentes e complicar ainda mais uma eventual recuperação», enquadrou, não esteve perto de o mostrar. Nestes jogos, além da característica individual das equipas, sobressai bastante o conjunto em vez da individualidade», notou.Considerando que os clássicos «normalmente seriam ou teriam que ser competitivos», Rui Águas, de 61 anos, acredita que os dragões, que adicionam sete duelos consecutivos sem derrotas frente às águias, vpartirão»em vbenefício para o último jogo «grande» do ano.»Embora precise também deste resultado, o FC Porto está mais confortável e tenha um terceiro oponente [Sporting] que durante anos não teve. Sete pontos de diferença na tabela tinham em conta dois clubes, mas agora existem três.Quando leva as coisas ainda mais, o ex-avançado, que conquistou quatro campeonatos e três Taças de Portugal, encontra naquele arranque demolidor do conjunto de Sérgio Conceição «marcas habituais aos jogos todos», sobretudo «em casa e a sério em «clássicos»».Se os azuis e brancos já estavam afastados da Taça da Liga e relegados da Liga dos Campeões para a Liga Europa, a equipa de Jorge Jesus padeceu na semana passada o primeiro revés nas metas para 2021/22 e prepara-se para «bastante mais do que um jogo».»O Benfica joga bastante em função do atraso pontual e da instabilidade que se sente em redor da equipa. É um jogo que pode definir tudo: ambições na I Liga, estabilidade da equipa e até o futuro da própria equipa técnica. Ou seja, tudo aquilo que já percebemos que se vai pondo em causa. Por isso, é algo mais que um clássico normal», assinalou.Confiando numa «mudança radical», mas sem perda do tradicional 3-4-3″, Rui Águas assume ser «difícil de calcular» a postura dos «encarnados», que acentuaram os problemas na defesa, já debilitado pela lesão do brasileiro Lucas Veríssimo até ao fim da época.O argentino Nicolás Otamendi, expulso no jogo da Taça, desfalcará o trio de centrais, e o espanhol Grimaldo, infetado com covid-19, vai abrir uma vaga no corredor esquerdo, ao passo que o uruguaio Darwin Núñez com 13 golos, está lesionado. O uruguaio Darwin Núñez é artilheiro da I Liga.»Mesmo marcando bastantes golos em vários jogos, aquilo que o Benfica tem mostrado em relação às expectativas cinstituídase ao investimento feito não tem sido convincente para muita gente e para mim também não. A equipa não dá uma imagem de força em termos coletivos, mas pontualmente a nível individual. Não se sentar-se aquela almazinha que, muitas vezes, vai além de tudo e consegue ganhar mesmo em ambientes adversos», lamentou.Jorge Jesus ainda não derrotou Sérgio Conceição desde o retorno à Luz, em 2020/21 – dois empates no campeonato e dois desaires na Taça de Portugal e na Supertaça – e tem enfrentado assobios e lenços brancos dos adeptos, sobretudo a partir da derrota spadecidana receção ao campeão nacional Sporting , em 3 de dezembro, na 13.ª jornada.»Raide do Flamengo antes do clássico? Olho de uma forma insólita, porque não é normal. Já não era normal no dia-a-dia. Agora, quando se prepara um jogo com um dos principais adversários e isto ocorre, não me parece que seja aceitável. Quer desejemos, quer não, é algo que desestabiliza equipa e jogadores. Não achei normal», comentou.

Se reconhece a falta de química internamente entre os jogadores e a equipa técnica. A falta de característica das exposições e os resultados com os dois adversários encheram a paciência dos dirigentesUm dos outros dos motivos que sustenta a avaliação interna a Jorge Jesus tem a ver com o Flamengo e com a presença em Portugal de dois dirigentes, Marcos Braz e Bruno Spindel, para tentar contratar, como é público, o ainda treinador do Benfica.Mesmo autorizado pelo presidente Rui Costa, o domo diretiva considera que o técnico deveria ter dirigido os eventos de outra maneira, protelando o encontro, não se sujeitando a aparecer numa foto com o empresário Bruno Macedo – que trabalha com o Flamengo e com Jesus e até poderá ser ele a acertar a saída e o retorno ao mengão – nem a dar respostas via Whatsapp a jornalistas brasileiros a poucas horas de um clássico com o FC Porto, que Jesus falhou por satisfazer uma suspensão de 15 dias, voltando na próxima visita ao terreno azul e branco.Devido a suspensão de 15 dias, Jorge Jesus viu o último clássico a partir de um camarote, mas se ainda for o técnico, poderá voltar ao banco já dia 30 das águiasA derrota com o FC Porto, aliada à qcaracterísticada eexposição foram mbastantemal digeridas pelos dirigentes benfiquistas, pelo que o futuro do comando técnico svai sertassuntode análise por parte dos seus rculpadosnas próximas horas, podendo Rui Costa ter de, ele próprio, dar um passo em frente para clarificar o atual momento que o Benfica acruzae pronunciar-se sobre um possível despedimento que custaria o pagamento do salário da metade da época em falta , a pagar por inteiro ou de fmaneirafaseada, pelo Benfica ou, como é convicção na Luz, pelo… Flamengo.O futuro do treinador dos encarnados na Luz irá depender de maneira decisiva do que suceder frente ao FC Porto.Passado o Natal, o futebol do Benfica vira-se agora, a partir de hoje em específico, para a preparação do segundo round da época frente ao FC Porto, desta vez a contar para o campeonato e com o espectro da saída de Jorge Jesus a marcar o dia a dia.O futuro do treinador no clube da Luz permanece rodeado de incerteza mesmo numa altura em que o nome de Paulo Sousa parece estar a perfilar-se como a escolha final do Flamengo para comandar a sua equipa.se vê o despedimento em a Luz como mais prejudicial antes de novo clássico, mas Faz 2 dias, contava se embora todos os dados, a o dia de hoje, assinalem, que o técnico abrisse a portaO fim de a linha é cada vez mais um cenário real para Jorge Jesus em o Benfica, podendo o mesmo ocorrer a qualquer momento sob o comando de o técnico de 67 anos para novo embate com o FC Porto, para a Liga Bwin. para que, segundo O JOGO que os encarnados entrarão, apurou, seja ainda, desta feita para a Liga Bwin. Se vai analisar isto por uma questão de agenda e porque ainda o estado de a nação em as próximas horas, em um momento em que de o lado de os responsáveis benfiquistas o técnico já teria que ter, pelo menos, colocado o lugar em a disposição.espedir o treinador custa «somente» o salário do resto da temporada, ou seja, mais dois milhões de euros

Na sábado 18 de dezembro o internacional argentino dirigia a lista de habituais titulares do Benfica que, depois do «descanso» na partida ante o Covilhã, retornavam a todo o gás na receção ao Marítimo.Jorge Jesus não desejava abrandamentos de ritmo ou de intensidade antes do duplo embate com o FC Porto, o primeiro para a Taça de Portugal e o segundo a contar para a Liga Bwin. Como tal, e depois de uma partida contra o Covilhã referente à Taça da Liga onde toda a equipa conheceu mexidas e, mesmo assim, fse csatisfezo objetivo de atingir a final four,agora é eratempo do rretornodos pesos pesados à titularidade. E, à cabeça desse elenco, e estariajá Otamendi.O central argentino foi um dos poupados na partida ante os serranos, mais por uma questão psicológica do que física dado que fora vítima de um roubo violento nos dias antes. Apesar disso, Otamendi não suspendeu as suas rotinas de treino com o plantel e, por isso, estava adequado e nos planos do técnico para entrar no jogo de no Estádio da Luz frente ao Marítimo, para a 15.ª jornada do campeonato.Quatro dias depois deste jogo, na quarta-feira, as águias deslocam-se ao Estádio do Dragão para os oitavos de final da Taça de Portugal e a prioridade é ter aí o plantel na máxima força possível. Após as mexidas frente ao Covilhã, era de calcular o retorno em pleno do onze de gala de Jorge Jesus.Nessas escolhas obviamente estaria o retorno de Vlachodimos à baliza após ter cedido a Helton Leite a posição na Taça da Liga mas não só: os alas Gilberto e Grimaldo s eramfortes candidatos a integrar uma defesa onde, além de Otamendi, também v voltariam em circunstâncias normais, André Almeida e Vertoghen. Weigl, João Mário, Rafa, Darwin e Yaremchuk também estavam em condições de dar um passo em frente e embalar para a dupla combate no Estádio do Dragão.

José Rui Lopes Águas é um ex-futebolista português e treinador.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Portugal, Brazil

Cities: Porto

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>»Raide do Flamengo antes do clássico? Olho de uma forma insólita, não é normal»
>>>>>Jorge Jesus: ligação ao Flamengo mal digerida no Benfica – (ojogo-pt)
>>>>>Exclusivo Rui Costa avalia desempenho após clássico: Jorge Jesus joga tudo no Dragão – December 27, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Estádio do Dragão é a última fortaleza europeia – (ojogo-pt)
>>>>>>>>>Exclusivo FC Porto «queima» Jorge Jesus e deixa a corda ainda mais esticada – (ojogo-pt)
>>>>>Exclusivo Benfica espera que Jorge Jesus abdique – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 140 0 NONE 13 (tacit) eu: 11, me: 1, mim: 1
2 Jorge Jesus 0 20 PERSON 11 Jorge_Jesus: 6, (tacit) ele/ela (referent: Jorge_Jesus): 5
3 FC_Porto 70 0 PLACE 11 FC_Porto: 1, o FC_Porto: 6, O FC_Porto: 2, um FC_Porto: 1, (tacit) ele/ela (referent: O FC_Porto): 1
4 Benfica 0 0 ORGANIZATION 10 (tacit) ele/ela (referent: o Benfica): 1, O Benfica: 1, o Benfica: 8
5 Rui Águas 40 160 PERSON 6 o ex-futebolista Rui_Águas: 1, Rui_Águas: 1, (tacit) ele/ela (referent: Águas): 2, Águas: 1, Rui_Águas de 61 anos: 1
6 clássico 80 0 NONE 6 um clássico: 1, o último clássico: 1, clássico: 1, um clássico normal: 1, o clássico: 2
7 jogo 0 0 NONE 6 um jogo: 4, este segundo jogo: 1, este jogo: 1
8 Sporting 0 0 ORGANIZATION 5 (tacit) ele/ela (referent: Sporting): 2, Sporting: 3
9 Nicolás Otamendi 30 115 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Otamendi): 1, O argentino Nicolás_Otamendi expulso: 1, Otamendi: 2
10 dragões 80 40 NONE 4 os dragões: 4