Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Foto oficial de Eduardo Paes

Na estreia da propaganda eleitoral na TV e no rádio, nesta sexta-feira os dois primeiros colocados nas pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura do Rio, Eduardo Paes, que abriu seu horário gratuito abordando o assunto da corrupção, tentando se descolar da imagem do ex-governador Sérgio Cabral, preso desde 2016 e condenado pela Lava-Jato, e Marcelo Crivella , anteciparam-se a assuntos sensíveis que podem enfrentar na corrida até as urnas, como corrupção. Os dois também trocaram farpas, algumas explícitas, outras somente insinuadas. Já a maioria dos demais candidatos, alguns iniciante na política e por isso pouco conhecidos do grande público, focou na apresentação de suas biografias. Ninguém pode ser julgado porque foi “amigo de alguém que se sujou”, quando os dois eram do MDB, declarou o candidato do DEM, sem mencionar o ex-correligionário. Já Crivella, que tenta a reeleição, repetiu que é o “mais insatisfeito de todos os cariocas” e que desejava ter feito mais em sua administração, mas ressalvou que, além de crises como a da Covid-19, teria assumido o município com problemas de caixa e obras superfaturadas, que seriam herança do antecessor, Paes, mas sem mencionar o nome do oponente.

A candidatura de Glória Heloiza alegou que o material ainda está em produção. Informou somente que o programa terá que conter gravações de suporte do ex-candidato a presidente Cabo Daciolo.A candidatura de Glória Heloiza alegou que o material ainda está em produção. Informou somente que o programa terá que conter gravações de suporte do ex-candidato a presidente Cabo Daciolo.

Faz 11 anos, filiado a o Democratas, foi prefeito de o Rio até 2017.

Marcelo Bezerra Crivella GOMM · goma é um engenheiro filiado ao Republicanos e atual prefeito do Rio de Janeiro, posição que ocupa desde 1 de janeiro de 2017. Um engenheiro é escritor religioso e político brasileiro.

Paes, por sua vez, foi mais direto na menção ao concorrente. Declarou que a cidade “não suporta mais” um novo Crivella e um novo Wilson Witzel , em referência ao governador afastado do Rio. E prometeu que, se eleito, vai colocar em funcionamento “tudo que foi abandonado por Crivella”. Ao tratar das acusações de corrupção que o ligam a Cabral, alegou que nenhuma se sustentou e emendou declarando que é ficha limpa e que não enriqueceu na política.

Já Benedita da Silva evidenciou que o Rio jamais teve uma mulher negra como prefeita. Ao lado de sua candidata a vice, a deputada estadual Enfermeira Rejane , ela selecionou o assunto da Saúde para suas primeiros fantasmazinhos no horário eleitoral. E recordou o episódio do “fala com a Márcia”, de julho de 2018, no qual Crivella, em uma reunião com 250 pastores e líderes evangélicos, propôs que a funcionária da prefeitura fosse procurada para resolver atendimentos na rede de saúde — uma reportagem revelou o caso de o EXTRA.

Martha Rocha , Renata Souza , Luiz Lima e Paulo Messina selecionaram exibi suas biografias. Martha Rocha e Messina, por exemplo, evidenciaram suas formações escolares na escola pública. Martha continuou falando sobre seus 31 anos de atuação na Polícia Civil. E Messina frisou sua participação na política na última década. Renata Souza lembrou sua atuação junto à vereadora assassinada Marielle Franco e recorreu a uma intervenção do deputado federal Marcelo Freixo . Luiz Lima abordou a carreira como desportista de natação e foi o único a mencionar o presidente Jair Bolsonaro, recordando que, se o convidou em Brasília, a ser um dos vice-líderes do governo na Câmara dos Deputados.

Na sua vez, renata Souza e Eduardo Bandeira de Mello têm 3% das intenções. Cyro Garcia tem 2%. Renata, Bandeira e Cyro Garcia estão tecnicamente empatados com Benedita, sendo que o candidato do PSTU empata no limite da margem de erro.

Com poucos segundos na TV, Fred Luz e Clarissa Garotinho exibiram suas candidaturas como diferentes das demais. E Glória Heloíza deixou questões no ar, como quem ela é, em maneira de versos.

O cientista político Paulo Baía, da UFRJ, avalia que os candidatos aproveitaram bem o horário eleitoral e as inserções no primeiro dia de propaganda na TV e no rádio. Além das apresentações normais da estreia, ele realça o fato de Crivella e Paes terem se antecipado a possíveis críticas que têm que acompanhá-los até aeleiçãoo.

— Eles seguiram as pesquisas que possivelmente têm em mãos. Paes sabe que o que fragiliza é sua amizade com Cabral e outros, como Picciani . Então, já no primeiro programa, ele toca na ferida. O Crivella fez o mesmo, ao falar de temas em que a prefeitura tem sido criticada — declara Baía.

É uma espécie de “vacina” para se prevenir de possíveis ataques, declara outro cientista político, Felipe Borba, professor da UniRio. Ele acredita que esse começo de campanha na TV e no rádio possa aquecer uma corrida eleitoral que, na opinião dele, ainda está morna:

— O horário eleitoral normalmente desperta o eleitor para a disputa. Este ano, além das consequências da pandemia do novo coronavírus, temos um eleitor do Rio bastante desesperançoso, após acusações de corrupção e a prisão e afastamento de governadores.

Borba e Baía alegam, no entanto, que agora a corrida eleitoral deve se intensificar também nas redes sociais, inclusive com os programas de TV sendo replicados. Já o cientista político Eurico Figueiredo, da UFF, faz uma ressalva. Ele acredita que o formato do horário eleitoral precisa ser repensado, para que contribua mais à dresoluçãodo eleitor.

O Datafolha escutou 900 eleitores na segunda e na terça-feira desta semana, dias 5 e 6 de outubro. A TV Globo encomendou a pesquisa e por o jornal » Folha de S. Paulo «, e se a registrou em a Justiça Eleitoral com o protocolo RJ-09140-2020. O nível de confiança – isto é, a probabilidade de que os resultados retratem o atual momento eleitoral – é de 95%.

Se vai veicular o horário eleitoral de o primeiro turno até o dia 12 de novembro, de segunda a sábado. Se o apresentará em a TV, de as 13h em as 13h10 e de as 20h30 em as 20h40.Se o vai transmitir já em o rádio, de as 7h em as 7h10 e de as 12h em as 12h10.s candidatos têm ainda 70 minutos diários, inclusive aos domingos, para se exibirem em inserções de 30 a 60 segundos durante a programação. Diariamente, serão 42 minutos para os postulantes a prefeito e 28 minutos aos que concorrem para ser vereador.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

Cities: Brasilia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>A melhor defesa é o ataque: Marcelo Crivella e Eduardo Paes miram um no outro no horário eleitoral e se antecipam a críticas
>>>>>Datafolha Rio: Paes (DEM) lidera com 30%, e Crivella (Republicanos) tem 14% – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Horário eleitoral no Rio estreia com ataques a adversários e propostas para a cidade – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Horário eleitoral no Rio estreia na sexta com ataques a adversários e propostas para a cidade – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Eduardo Paes 80 140 PERSON 10 (tacit) ele/ela (referent: Paes): 4, Eduardo_Paes: 2, Paes: 3, ele (referent: Paes): 1
2 Marcelo Crivella 0 150 PERSON 9 Marcelo_Crivella: 1, o (referent: Crivella): 1, Crivella: 4, (tacit) ele/ela (referent: Crivella): 3
3 Benedita da Silva 0 0 PERSON 6 Benedita: 1, Benedita_da_Silva: 1, (tacit) ele/ela (referent: Benedita_da_Silva): 3, ela (referent: Benedita_da_Silva): 1
4 TV 30 0 ORGANIZATION 5 a TV: 5
5 horário 120 0 NONE 4 seu horário gratuito: 1, o horário eleitoral: 1, O horário eleitoral: 1, O horário eleitoral normalmente desperta: 1
6 eu 40 0 NONE 4 (tacit) eu: 4
7 rádio 0 0 NONE 4 rádio: 4
8 assuntos 140 0 NONE 3 assuntos: 1, temas sensíveis: 2
9 o fato de Crivella e Paes 50 0 PERSON 3 (tacit) eles/elas (referent: o fato de Crivella e Paes): 1, o fato de Crivella e Paes: 1, Eles (referent: o fato de Crivella e Paes): 1
10 Daciolo 0 0 PERSON 3 (tacit) ele/ela (referent: presidente Cabo_Daciolo): 1, presidente Cabo_Daciolo: 2