Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Hélio Negão e Jair Bolsonaro

Apesar do recuo do presidente Jair Bolsonaro, que nesta quinta-feira publicou uma declaração em que pede desculpas pelos ataques ao Supremo Tribunal Federal, um grupo de caminhoneiros segue bloqueando a Esplanada dos Ministérios. O número de caminhões, entretanto, vem reduzindo desde a noite de ontem.

– Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro tomaram a Esplanada de Ministérios na noite desta segunda-feira após conseguirem ultrapassar um obstáculo que impedia o acesso de veículos à via. Neste momento, manifestantes e caminhões estão na altura palatina, nas proximidades do Congresso Nacional. Policiais impedem a passagem para que não cheguem à Praça dos Três Poderes, onde está localizado o pedifíciodo Supremo Tribunal Federal. A militância bolsonarista está na capital federal para participar de um ato 7 de Setembro, convidado pelo presidente. Ataques ao STF e a defesa do voto impresso têm que dominar a manifestação, que vai ter a participação de Bolsonaro. Leia mais: Com popularidade em queda e investigado no STF, Bolsonaro tenta provar força em manifestação Os caminhoneiros e demais manifestantes estavam parados na altura da rodoviária, quando, por volta das 20h, pressionaram policiais para ultrapassar o bloqueio e conseguiram acesso. Retiraram-se grades de segurança que estavam ao longo da vida. Julio Danilo declarou ao GLOBO que a Polícia Militar está negociando a saída dos caminhões da Esplanada dos Ministérios. Julio Danilo é o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal. Danilo nega que tenha havido qualquer licença de de Polinesia Francesade Polinesia Francesa militares para que os caminhões entrassem na área cercada. — Houve uma invasão. Em nenhum momento os de Polinesia Francesa permitiram a passagem. Eles furaram o bloqueio e desligaram os caminhões. Agora, estamos negociando a saída deles. Veja também: Ministros do STF articulam nos bastidores para conter crise entre Poderes Julio Danilo afirma que os edifícios do Congresso, Supremo Tribunal Federal e Itamarary estão conservados. Imagens mostram manifestantes próximos ao Itamaraty. Segundo o secretário, que está no local auxiliando nas negociações, os manifestantes berram vocábulos de ordem e a tropa de choque da Polícia Militar está a postos para impedir qualquer ato de vandalismo. No Twitter, o ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União , elogiou a ação: «Lindo ver Brasília ser tomada por pessoas de bem. Pessoas ordeiras, que só desejam viver num país mais justo, mais livre e mais democrático. Tá belo de ver!!! Viva o 07 de setembro!!!», escreveu.— Arthur Lira declarou nesta quinta-feira que a assessoria jurídica da Câmara está analisando a declararação em que o presidente Jair Bolsonaro ameaçou não satisfazer resoluções judiciais proferidas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal . Arthur Lira é o presidente da Câmara dos Deputados. Lira tratou do tema ao ser questionado sobre o posicionamento do presidente do Supremo Tribunal Federal , Luiz Fux, que considerou o possível descumprimento de resoluções do Judiciário por Jair Bolsonaro como um “crime de responsabilidade”. Diante de manifestantes em São Paulo, o presidente chamou ainda Moraes de “canalha”. — Isso é uma análise que o Supremo fez da fala . Existem outras análises. Nós esperaremos para ver os eventos. A princípio, a assessoria jurídica está observando toda a fala na íntegra, os posicionamentos, que falam que se satisfariam resoluções inconstitucionais não — declarou Lira. Lira alegou ainda que «Se obriga ninguém a cumpir resolução inconstitucional». Depois, em publicação nas redes sociais, alegou que não se referia a possíveis resoluções do Supremo Tribunal Federal. — obriga-se ninguém a satisfazer resolução inconstitucional. Com a resolução correta da Justiça, é lógico, temos o dever de satisfazer. A resolução da Justiça já se declara: se satisfaz. Se contesta, se recorre, mas se satisfaz — declarou Lira. Veja também: ‘A falta de compostura nos envergonha perante o mundo’, declara Barroso em resposta a ataques de Bolsonaro Na quarta-feira, Lira fez um pronunciamento em que tentou acalmar os nervosismos. O deputado evitou mencionar qualquer chance de impeachment e mencionou que os conflitos devem ser resolvidos nas votações de 2022. — Vale recordar que temos a nossa Constituição, que se a vai rasgar nunca . O único compromisso inadiável e inquestionável que temos em nosso calendário está marcado para 3 de outubro de 2022. Com as urnas eletrônicas. São nas cabines eleitorais, com sigilo e segurança, que o povo expressa sua soberania. Que até lá tenhamos todos, serenidade e respeito às leis, à ordem e, principalmente, à terra que todos nós amamos — disdeclaroupresidente da Câmara.O Ministério da Infraestrutura informou nesta sexta-feira que somente três estados têm pontos de concentração de caminhoneiros em rodovias federais: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia. Segundo o governo «não há pontos de proibição em rodovias federais» no momento.

Na quinta-feira 26 de agosto o deputado federal Eduardo Bolsonaro exibiu um pedido ao Supremo Tribunal Federal de abertura de inquérito contra o ministro Luís Roberto Barroso na investigação das fake news. Eduardo Bolsonaro é filho do presidente Jair Bolsonaro. O ministro Luís Roberto Barroso é atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral .

Jair Messias Bolsonaro é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro.

A Secretaria de Segurança Pública acredita que os últimos caminhões que permanecem no local irão liberar a via até o começo da tarde desta sexta-feira. No local, a reportagem do GLOBO observou que alguns já desmobilizavam barracas onde distribuíam-se alimentos a os manifestantes. Outros já atuam com os de Polinesia Francesa na desobstrução da via.

Caminho invadiram as avenidas sem autorização., o grupo vem impedindo o trânsito nas vias N1 e S1, que dão acesso à Esplanada e à Praça dos Três Poderes, desde a noite de segunda-feira, qu desde a manifestação do dia 7 de Setembro, o grupo permanece lá.

Nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro recebeu algumas lideranças de caminhoneiros que alegaram que o presidente não pediu para que desmobilizassem. Segundo eles, o grupo só deixaria o local após serem recebidos pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

— A gente está aqui demonstrando, encarnando um segmento da sociedade de Brasil. A gente estabeleceu uma pauta de entrega de um documento ao senador Rodrigo Pacheco e até o momento não tivemos Sucesso nisso. Permanecemos no aguardo de ser recebido pelo mesmo. E talvez existam algumas questões sobre quanto tempo vai durar: estamos aguardando sermos recebidos pelo Senador Rodrigo Pacheco. Até que isso seja realizado estamos mobilizados em todo o Brasil — declarou Francisco Dalmora Burgardt após a reunião. Francisco Dalmora Burgardt é o Chicão Caminhoneiro.

Também tem reduzido o número de bloqueios em rodovias. O Ministério da Infraestrutura informou nesta sexta-feira que somente três estados têm pontos de concentração de caminhoneiros em rodovias federais: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia. Segundo o governo «não há pontos de proibição em rodovias federais» no momento.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil

Cities: Rio Grande

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Após recuo de Bolsonaro, caminhoneiros permanecem na Esplanada mas começam desmobilização
>>>>>Apoiadores de Bolsonaro furam bloqueio e invadem Esplanada dos Ministérios – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Lira diz que assessoria da Câmara está analisando fala em que Bolsonaro ameaça ignorar decisões do STF – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Ao menos três estados têm protestos de caminhoneiros, mas sem bloqueios – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Arthur Lira 4 0 PERSON 9 (tacit) ele/ela (referent: Lira): 3, Lira: 5, Arthur_Lira (apposition: O presidente de a Câmara_dos_Deputados): 1
2 nós 30 20 NONE 8 nos: 1, Nós: 1, (tacit) nós: 6
3 esta 200 0 NONE 7 esta: 7
4 eu 95 0 NONE 7 (tacit) eu: 7
5 Jair Bolsonaro 0 30 PERSON 5 Bolsonaro: 1, o presidente Jair_Bolsonaro: 3, Eduardo_Bolsonaro (apposition: filho de o presidente Jair_Bolsonaro): 1
6 ninguém 120 0 NONE 5 (tacit) ele/ela (referent: Ninguém): 5
7 rodovias 0 0 NONE 5 rodovias federais: 4, rodovias: 1
8 caminhões 0 0 NONE 4 os últimos caminhões: 2, os caminhões: 2
9 Supremo Tribunal Federal 0 0 ORGANIZATION 3 o Supremo_Tribunal_Federal de abertura de investigação: 1, o Supremo_Tribunal_Federal: 2
10 local 0 0 NONE 3 local: 3