Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia –

– Em cerimônia de formatura de novos de Polinesia Francesa federais nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro, que ainda alegou que não tem dado motivos para a Polícia Federal ir atrás de seus ministros, em uma prova de que não haveria corrupção em seu governo, declarou que o trabalho da instituição contra a corrupção auxiliou-o a vencer a votação presidencial de 2018, ao fazer com que os brasileiros procurassem um candidato «diferente». Presidente na solenidade isse: «O trabalho de vocês na guerrazinha à corrupção fez que muitos olhassem para um candidato diferente e eu acabei sendo eleito»,.No entanto , a PF indiciou Marcelo Álvaro Antônio por associação criminosa , apropriação indébita e falsidade ideológica eleitoral , pelo suposta utilização de candidaturas-aranja em o PSL em as últimas votações. Marcelo Álvaro Antônio é o ministro do Turismo.. Bolsonaro aproveitou a cerimônia ainda para alfinetar o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, ao declarar que André Mendonça tem feito um trabalho bastante melhor que «aquele que nos deixou há pouco tempo». André Mendonça é o ministro atual. Moro pediu demissão em abril deste ano e deixou o governo alegando que Bolsonaro busca interferir politicamente na Polícia Federal, o que o presidente nega. A denúncia levou à abertura de uumaiinvestigaçãocontra Bolsonaro e também contra Moro, este por suposta dcalúniacontra o presidente. Se Bolsonaro pode depor por escrito na investigação, nesta quinta o plenário do Supremo Tribunal Federal deverá decidir ou se terá de prestar esclarecimentos presencialmente.

Os ministros que já se demonstraram publicamente sobre o tema são:Celso estava de permissão médica até recentemente. Assim, enquanto ficou afastado, quem ficou responsável por analisar a investigação foi o também ministro do STF Marco Aurélio Mello. Marco Aurélio preferiu levar o recurso da AGU para julgamento no plenário virtual (, em que os ministros não chegam a debater entre si. Eles somente colocam seus votos no sistema eletrônico da Corte, e se computa o resultado depois. Mas, antes mesmo do início do julgamento virtual, ele divulgou seu voto favorável ao testemunho por escrito.- Mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma cadeira de ministro do Supremo Tribunal Federal , o desembargador Kassio Nunes, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região , negou nesta quarta-feira em nota que tenha plagiado uma dissertação que consta de seu currículo oficial como juiz. «O desembargador Kassio Nunes Marques busca em sua dissertação a autocontenção judicial. O trabalho é diferente do posicionamento do professor Saul Tourinho, defensor do ativismo judicial. Não há, portanto, que se falar de plágio, pois são produções doutrinárias opostas», declarou nota mandada pela assessoria do desembargador. «A coincidência das menções assinaladas possivelmente decorra da troca de informações e arquivos relacionados a um dos assuntos abordados a partir de palestra em seminário que participaram em 2012″, completou. De acordo com a revista CrusoÉ, Nunes teria utilizado em 2015 trechos idênticos a outro autor, o advogado Saul Tourinho Leal, em uma dissertação exibida à Universidade Autônoma de Lisboa, de Portugal. Se exibiu a dissertação segundo Nunes, já tendo passado por a » melhor ferramenta antiplágio de Portugal » e esse programa avaliou ela e considerada dentro do norma exigível por a instituição. «Vale evidenciar que a titulação universitária jamais trouxe nenhum benefício financeiro para o desembargador, pois não exerceu a docência após a obtenção do título e nunca proferiu nenhuma palestra remunerada, tendo somente buscado o aperfeiçoamento do exercício da magistratura», adiciona a nota. A indicação de Kassio Nunes –que será sabatinado pelo Senado dia 21, após a aposentadoria de Celso de Mello– tem sido alvo de escrutínio nos últimos dias pela jornalismo e até por aliados do presidente. Bolsonaro, contudo, tem defendido o selecionado.Faz 9 meses, a Polícia Federal satisfez em esta mandados de busca e apreensão em o Rio de Janeiro contra pessoas ligadas em a Petrobras em um novo período de a operação Lava Jato, batizada de Sem Limites 3, que apura suposto recebimento de propina em troca de favorecimento em a escolha de companhias fornecedoras de combustível, declararam a PF e o Ministério Público Federal.

Jair Messias Bolsonaro [3]​ es un político y militar retirado brasileño,[4]​ actual presidente de Brasil, desde el 1 de enero de 2019.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Pakistan

Cities: Moro

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro declara que trabalho da PF contra corrupção auxiliou a elege-lo
>>>>>STF julga nesta quinta se Bolsonaro pode depor por escrito em inquérito sobre PF – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Indicado por Bolsonaro ao STF nega plágio em dissertação – (Extraoglobo-pt)
>>>>>PF cumpre mandados de busca e apreensão contra pessoas ligadas a Petrobras em nova fase da Lava Jato – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 0 0 PERSON 11 Bolsonaro: 5, o presidente Jair_Bolsonaro: 3, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 3
2 dissertação 0 0 NONE 5 a dissertação: 1, sua dissertação: 1, uma dissertação: 2, uma dissertação apresentada: 1
3 eu 0 0 NONE 5 eu: 1, (tacit) eu: 4
4 Celso 50 60 PLACE 4 Celso: 1, (tacit) ele/ela (referent: Celso): 3
5 nota 0 14 NONE 4 a nota: 1, nota enviada: 1, nota: 2
6 corrupção 0 180 NONE 3 a corrupção: 2, corrupção: 1
7 trabalho 100 0 NONE 3 O trabalho: 2, um trabalho muito melhor: 1
8 esta 0 0 NONE 3 esta: 3
9 presidente 0 0 NONE 3 o presidente: 3
10 Nunes 0 6 PERSON 2 Nunes: 2