Por: SentiLecto

Estes são links externos e vão abrir numa nova janela

As medidas de guerrazinha ao coronavírus levaram a população a ter mais cuidados na hora de fazer compras ou de pedir um delivery.

A Rede Covida, uma iniciativa do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde e da Universidade Federal da Bahia, instituiu um painel para monitoramento do coronavírus no país, com atualização em tempo real.»Não se pode ter um governo livre sem votações. Se o motim nos forçar a desistir ou protelar a votação nacional, então pode se declarar que nos conquistou e destruiu», declarou Lincoln, que acabou reeleito e cujo lado sagrou-se ganhador no combate.

Na terça-feira 10 de março em meio à preocupação de contágio, s surgiamnas redes sociais diversas dicas de saúde, variando de algumas inúteis a relativamente iinócuasaté outras mbastanteparriscadas

A seguir, veja os cuidados que devem ser tomados na hora de ir ao mercado, receber uma entrega ou adquiri uma refeição para viagem.

Mas essas intervenções emergenciais são extremamente deformadas, e é por isso que o Senado de America aprova um pacote de US$ 2 trilhões, o que em tese significaria conceder US$ 6 mil por pessoa ou US$ 24 mil por família, mas ninguém receberá isso tudo de dinheiro . E a maior parte desse valor vai ser dado pra companhias, e muita gente ganhará muito dinheiro no percurso. Então, isso é uma espécie abominável de socialismo corporativista.

O coronavírus se propaga quando uma pessoa contagiada tosse ou espirra, disseminando pequenas gotículas no ar. Se você tocar em uma superfície em que o vírus parou, eles podem provocar uma infecção se forem inspirados ou.

É por isso que ir às compras e se mmesclarcom outras pessoas envolve um risco. Muitos estabelecimentos estão adotando o distanciamento social e estabelecendo normas para que os clientes e funcionários conservem pelo menos 2 metros de distância entre eles.

Os supermercados podem ser o «cenário ideal» para a propagação do vírus, segundo a professora Sally Bloomfield, da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

«Muitas pessoas estão tocando e repondo itens, etiquetas, cartões, botões de máquinas, bilhetes de estacionamento, recibos de papel etc. Além disso, há a proximidade de várias outras pessoas.»

Três medidas para diminuir os riscos são:

Não há evidências de que a covid-19 seja transmitida por meio de alimentos, e o cozimento inteiro suprimirá o vírus.

Bloomfield assinala, no entanto, que outras pessoas manipulam a embalagem de os alimentos , o que se torna uma das principais preocupações.

A recomendação do governo do Reino Unido para companhias de alimentos declara que «as embalagens de alimentos não encarnam um risco específico». Mas experts independentes têm conselhos complementares.

Para produtos embalados, Bloomfield recomenda armazenar «por 72 horas antes de utilizar-las ou pulverize e limpe os recipientes de plástico ou vidro com alvejante «.

«Para produtos frescos e sem embalagens, que podem ter sido manuseados por qualquer pessoa, lave bem em água corrente e deixe secar», adiciona ela.

A alternativa de delivery é menos arriscada que uma ida ao supermercado, se for possível, pois você evita os outros consumidores.

Nesse caso, o risco é a possível contaminação por meio da superfície de qualquer alimento ou embalagem ou do contato com o entregador.

O expert em segurança alimentar Lisa Ackerley propõe deixar um recado na porta da sua casa pedindo ao motorista que toque a campainha e se afaste. Isso permite que você pegue sua comida com segurança, sem contato.

E as redes de voluntários que atuam para auxiliar as pessoas vulneráveis ​​e idosas?

«Limpar superfícies com alvejante doméstico diluído vai desativar o vírus em um minuto», aconselha Para suprimi qualquer medo de o vírus estar nas superfícies, James Gill, da Warwick Medical School,.

Alison Sinclair adiciona: «O risco de utilizar um serviço de entrega é similar ao de pedir a um amigo ou voluntário para buscar as compras para você». Alison Sinclair é expert em virologia da Universidade de Sussex.

Alguns experts também aconselham não reutilizar sacolas plásticas durante a pandemia.

Quando pensamos em uma refeição para viagem preparada na hora, é provável que cadeias de restaurantes e estabelecimentos sérios estejam inquietados com a preparação profissional e higiênica de alimentos, para que haja um risco mínimo.

Zingales – Sim, nós não sabemos, e podemos chegar a múltiplos resultados a depender das nossas premissas. Acho que se os Estados Unidos fizessem um pouco mais de financiamento monetário do seu déficit, isso não seria o fim do mundo, teríamos um pouco mais de inflação. No Brasil, a situação é diferente, porque o país tem uma longa história de hiperinflação, e, nos últimos tempos, tem conseguido controlar isso. O risco de regressar à hiperinflação não é trivial. Isso será problemático, se você desejar fazer massivos financiamentos da dívida. Por outro lado, esse nível de crise demanda alta intervenção. Vejo uma provável necessidade de instituir impostos sobre grandes fortunas, porque, durante combates, seus meios de financiar um país são basicamente imprimindo dinheiro ou instituindo alguma forma de taxar riquezas. Sou sempre oposto a essa espécie de solução em tempos habituais, mas, em situações extremas, essa pode ser a maneira para resolver.

O risco de contaminação da embalagem pode ser diminuído, segundo Bloomfield, «esvaziando o conteúdo em um prato limpo, descartando a embalagem em um saco de lixo e lavando bem as mãos antes de comer».

«Tire a comida do recipiente com uma colher e coma com faca e garfo, não com as mãos.»

Pode ser melhor, nas circunstâncias atuais, pedir comida quente recém-cozida, em vez de itens frios ou crus. A Agência de Normas Alimentares do Reino Unido sublinha que o risco relacionado aos alimentos é baixo e que «não há razão para evitar que os alimentos prontos sejam entregues se tiverem sido preparados e manuseados de forma adequada».

Para quem está bastante receoso e para os mais vulneráveis, pode haver um cuidado extra. Bloomfield di: «Com uma pizza, por exemplo, pode até colocá-la no microondas por alguns minutos, se vocêdesejar ficar realmente seguro..

Já assistiu aos nossos novos vídeos no ? Inscreva-se no nosso canal!

Final de YouTube post de BBC News Brasil

Final de YouTube post 3 de BBC News Brasil

Fonte: BBCBrasil-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: United Kingdom

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Coronavírus: é seguro ir ao mercado ou pedir comida em casa?
>>>>>Brasil deveria fazer ‘esforço de guerra’ para manter as pessoas em casa, diz economista da Universidade de Chicago – (BBCBrasil-pt)
>>>>>Coronavírus: os sites que mostram dados de mortes, curvas de contágio e situação dos Estados no Brasil – (BBCBrasil-pt)
>>>>>Coronavírus pode causar o adiamento das eleições nos Estados Unidos e no Brasil? – (BBCBrasil-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 80 0 NONE 9 (tacit) eu: 9
2 Sally Bloomfield 0 0 PERSON 9 (tacit) ele/ela (referent: Bloomfield): 3, a professora Sally_Bloomfield de a Escola_de_Higiene: 1, Bloomfield: 4, ela (referent: Bloomfield): 1
3 risco 215 375 NONE 7 o risco relacionado: 1, um risco: 1, O risco: 2, um risco mínimo: 1, um risco específico: 1, o risco: 1
4 você 0 0 NONE 7 você: 6, (tacit) você: 1
5 alimentos 0 0 NONE 4 os alimentos: 1, os alimentos prontos: 1, alimentos: 2
6 Lisa Ackerley 0 0 PERSON 3 Lisa_Ackerley: 1, (tacit) ele/ela (referent: Lisa_Ackerley): 2
7 embalagem 0 0 NONE 3 embalagem: 1, a embalagem: 2
8 esto 0 0 NONE 3 (tacit) esto: 3
9 pessoas 0 0 NONE 3 Muitas pessoas: 1, outras pessoas: 2
10 vírus 0 0 NONE 3 o vírus: 3