Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Daniel Soranz

A cidade do Rio vai privilegiar a «mistura de vacinas», esquema conhecido por experts como vacinação heteróloga, na aplicação da terceira dose do imunizante contra a Covid-19. A medida visa a promover uma maior resposta imunológica do organismo, como propõem estudos internacionais.

A nota, assinada pelo Subsecretário de Vigilância e Atenção Primária à Saúde, Mário Sergio Ribeiro, também pede que os municípios não rrejeitema aplicação da vacina a pessoas com deficiência, idosos e acamados, nem especifiquem datas para a repescagem de vacinação desses grupos, «de modo a que possam ser cadmiradoscom a imunização a qualquer tempo e em qualquer posto de vacinação, haja vista tratar-se de grupo de maior vulnerabilidade às fomaneirasraves da Covid-19».Não. Para esse grupo, há um calendário específico, que começa a valer no dia 29 de novembro. A partir dessa data, serão admiradas as pessoas com 59 anos ou mais que tenham tomado a segunda dose há pelo menos três meses. O calendário prossegue com cerca de cinco dias para cada idade, com uma idade por vez. Assim:

Na sexta-feira 05 de novembro a Prefeitura do Rio antecipou a aplicação da segunda dose da Pfizer para adultos a partir de 20 anos. Antes, a pausa era de 12 semanas. Faz 1 mês, a Secretaria municipal de Saúde recebeu 350.004 doses de o imunizante de a Pfizer, em o último dia 22 de outubro. Ne neste sábado, haveria aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas com 12 anos ou mais, além da segunda dose para quem estiver com a data agendada. Já a dose de reforço estaria disponível para idosos com 63 anos ou mais; além de pessoas com alto grau de imunossupressão com 12 anos ou mais; e profissionais da saúde que tomaram a segunda dose em maio.

Doses de reforço: Cidades do Rio recebem vacina para a dose de reforço em todos os adultos

Quem tomou a vacina da AstraZeneca ou CoronaVac nas duas primeiras aplicações terá que tomar, de preferência, o imunizante da Pfizer. E quem tomou a vacina da Pfizer terá que receber o reforço de AstraZeneca. Daniel Soranz evidencia Daniel Soranz é o secretário municipal de Saúde., contudo, que quem preferir tomar uma dose da mesma marca das outras aplicações vai poder fazê-lo.

Daniel Ricardo Soranz Pinto é um médico sanitarista e pesquisador brasileiro.

Janssen-Cilag Farmacêutica, ou Janssen-Cilag na maioria dos países, é uma empresa farmacêutica baseada em Beerse, Bélgica, fundada em 1935.

A vacina da Janssen, que o Rio vai receber nas próximas semanas, também pode ser utilizada para o reforço das demais vacinas. Uma remessa de aproximadamente 220 mil doses do imunizante tem que chegar na cidade até o começo de janeiro, segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Na sua vez, em outubro a proporção de idosos acima de 75 anos foi a maior de toda a pandemia: 41% dos hospitalizados estavam nesta faixa etária. Entretanto, com a diminuição nas últimas semanas o índice já está em 30%.

Covid-19: Prefeitura do Rio vai instituir ambulatório para pacientes com sequelas — Todos os que tomaram Pfizer ou AstraZeneca podem tomar a Janssen, que depende da quantidade de doses de Janssen que a gente terá. Está calculada a chegada de um número bastante pequeno — explica o secretário.

Segundo Soranz, cerca de 170 mil pessoas que tomaram a vacina da Janssen em junho aguardam para tomar uma nova dose do mesmo imunizante, que se o vai aplicar em o Rio a título de injeção de reforço.

Questões e respostas: Tire suas dúvidas sobre a aplicação da dose de reforço na cidade do Rio

— A gente, a princípio, tratará como prioritário o grupo de 55 a 59 anos, que teve um calendário especial por idade. Esse público vai poder tomar a vacina com uma pausa menor, de três meses após a segunda dose . É um grupo que tem maior obstáculo para produzir anticorpos para a Covid-19 e também é o grupo que mais registra internações — alega Soranz.

Faz 10 meses, de o começo de a pandemia até o início de a vacinação a idade média de os internados por coronavírus em a capital variava entre 60 e 65 anos. Após o começo da imunização gradualmente o índice foi caindo, chegando ao menor platô em junho. Foi neste mês, inclusive, que ampliaram a percepção dos médicos da linha de frente que havia mudado o perfil dos internados: os mais jovens ocupavam os leitos que antes só idosos ficavam. Faz 5 meses, concluiu com o calendário vacinando com a primeira dose cariocas de 44 anos, o mês de junho.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Covid-19: Rio vai privilegiar ‘mistura de vacinas’ na terceira dose; veja qual imunizante tomar
>>>>>Levantamento mostra queda na idade média dos internados no Rio por Covid-19 após doses de reforço em idosos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Cidades do Rio recebem vacina para a dose de reforço em todos os adultos; calendário da capital deve ser divulgado nesta quinta-feira – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Covid-19: Tire suas dúvidas sobre a aplicação da dose de reforço na cidade do Rio – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 grupo 0 80 NONE 6 o grupo de 55: 1, o grupo: 2, esse grupo: 1, um grupo: 2
2 Daniel Soranz 0 0 PERSON 6 Daniel_Soranz: 1, Soranz: 2, Daniel_Soranz (apposition: O secretário municipal de Saúde): 1, (tacit) ele/ela (referent: Soranz): 1, (tacit) ele (referent: Soranz): 1
3 dose 0 0 NONE 6 segunda dose: 2, a segunda dose: 3, a primeira dose: 1
4 calendário 230 0 NONE 4 o calendário: 1, um calendário especial: 1, um calendário específico: 2
5 pessoas 0 0 NONE 4 pessoas: 3, 170_mil pessoas: 1
6 a vacina de a janssen 0 0 NONE 3 A vacina de a Janssen: 2, a vacina de a Janssen: 1
7 o índice 0 0 NONE 3 (tacit) ele/ela (referent: o índice): 3
8 índice 0 40 NONE 2 o índice: 2
9 e profissionais de a saúde 280 0 NONE 2 e profissionais de a saúde: 2
10 a dose de reforço 80 0 NONE 2 a dose de reforço: 2