Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Hélio Negão e Jair Bolsonaro

Pesquisa Datafolha publicada neste sábado mostra que para 76% dos brasileiros o presidente Jair Bolsonaro deve padecer impeachment se não satisfazer ordens judiciais. O jornal Folha de S. Paulo o levantamento feito realizou em 190 cidades com 2.667 eleitores de 13 a 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

— A reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro bateu rercorde, de acordo pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira. O índice dos que consideram a administração ruim ou péssima chegou a 53%, o maior desde o começo do mandato. Faz 11 dias, se alcançou o número após os episódios em que Bolsonaro fez ameaças a o ministro Alexandre de Moraes de o Supremo Tribunal Federal , e depois recuou. Em julho, a reprovação ao presidente era de 51%, o que menciona que a elevação agora aconteceu dentro da margem de erro da pesquisa. Mas a curva é de elevação, se for analisado o índice desde dezembro. No final do ano passado, 32% consideravam o presidente ruim ou péssimo. O presidente é avalidado como bom ou ótimo por 22%, uma oscilação negativa de dois pontos em relação aos 24% da pesquisa anterior. Considera-se Bolsosnaro regular %24, mesmo platô verificado em julho. Se realizou a pesquisa de o Datafolha entre os dias 13 a 15 de setembro e escutou presencialmente 3.667 pessoas com mais de 16 anos, em 190 municípios de o país. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.— A reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro bateu rercorde, de acordo pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira. O índice dos que consideram a administração ruim ou péssima chegou a 53%, o maior desde o começo do mandato. Faz 11 dias, alcançou se o número após os episódios em que Bolsonaro fez ameaças a o ministro Alexandre de Moraes, de o Supremo Tribunal Federal , e depois recuou. Em julho, a reprovação ao presidente era de 51%, o que menciona que a elevação agora aconteceu dentro da margem de erro da pesquisa. Mas a curva é de elevação, se for analisado o índice desde dezembro. No final do ano passado, 32% consideravam o presidente ruim ou péssimo. O presidente é avalidado como bom ou ótimo por 22%, uma oscilação negativa de dois pontos em relação aos 24% da pesquisa anterior. Considera-se Bolsosnaro regular %24, mesmo platô verificado em julho. Se realizou a pesquisa de o Datafolha entre os dias 13 a 15 de setembro e escutou presencialmente 3.667 pessoas com mais de 16 anos, em 190 municípios de o país. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos. O levantamento ainda assinalou uma ampliação da rejeição a Bolsonaro na faixa de renda entre cinco e dez salários míninos. Faz 2 meses, o índice em esse grupo passou de %41 para %50 agora. Entre as pessoas com mais de 60 anos, o percentual dos que recusam o presidente foi de 45% para 51%.

Na sexta-feira 10 de setembro quase 24 horas após a publicação da “declaração à nação”, carta em que o presidente Jair Bolsonaro recuou depois das declarações de tom golpista com ataques ao Supremo Tribunal Federal e ao ministro Alexandre de Moraes nas manifestações de 7 de setembro, parte dos filhos do chefe do Executivo adotaram uma única tática: o silêncio. Nas redes sociais, o vereador Carlos Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro não publicaram nada sobre o tema. Já o senador Flávio Bolsonaro foi conciso, e publicou somente um pedido: “confiem no capitão”.

Jair Messias Bolsonaro é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro.

Enquanto 3% não souberam opinar, outros 21% acreditam que o presidente não deveria ser castigado por desobedecer a Justiça. Faz 11 dias, a pesquisa levou em conta a ameaça feita por Bolsonaro durante o ato de personalidade golpista em o qual Bolsonaro alegou que não iria satisfazer nenhuma ordem judicial de o ministro Alexandre de Moraes,, de o Supremo Tribunal Federal.

No jantar, que contou com a presença de figuras como o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, o humorista brincou com a carta:

Na pesquisa com resposta animada e única, a avaliação de que Bolsonaro deve padecer processo de impeachment chega a 93% entre homossexuais e bissexuais. 91% dos alunos também consentem com a afirmação, assim como 69% dos evangélicos entrevistados e 57% dos empresários.

A avaliação de que Bolsonaro não deveria ser retirado da posição de chefe do Executivo é feita por 59% das pessoas que aprova o governo Bolsonaro. 24% dos que se dizem brancos também recusam o impeachment do presidente, assim como 14% dos que ganham até dois salários mínimos. Entre os eleitores de 16 e 24 anos, somente 11% defendem a continuidade de Jair Bolsonaro na presidência.

Na sua vez, o entorno de Temer rebate críticas sobre sua atuação no episódio da carta a Bolsonaro. Pessoas próximas a ele declaram que o PT e a esquerda estavam apostando no «quanto pior melhor» ou numa «convulsão social» e argumentam que o ex-presidente contribuiu para pacificar o ambiente político.

Já 32% dos mais ricos são mais tolerantes aos ataques institucionais, e não veem necessidade da abertura de um processo de impeachment. No grupo de empresários, 39% também defendem a continuidade de Bolsonaro, assim como 59% do grupo de pessoas que aprovam o governo.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Datafolha: 76% acham que Bolsonaro deve padecer impeachment se desobedecer a Justiça
>>>>>Em ligação a Bolsonaro, Temer explica imitações do presidente durante jantar em SP – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Reprovação a Bolsonaro bate recorde, aponta Datafolha – September 16, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Manifestantes pedem impeachment de Bolsonaro em Copacabana, no Rio de Janeiro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Divisão da oposição esvazia atos contra o governo Bolsonaro após 7 de setembro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Após atos de 7 de setembro, reprovação a Bolsonaro bate recorde, aponta Datafolha – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 0 60 PERSON 14 Eduardo_Bolsonaro: 1, o governo Bolsonaro: 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 1, Bolsonaro: 8, o senador Flávio_Bolsonaro: 1, o presidente Jair_Bolsonaro: 2
2 presidente 0 400 NONE 6 O presidente: 2, o presidente: 2, o presidente ruim ou péssimo: 2
3 pessoas 100 90 NONE 6 pessoas: 1, as pessoas: 2, 3.667 pessoas: 2, Pessoas próximas: 1
4 pessoas próximas 130 0 NONE 5 (tacit) eles/elas (referent: Pessoas próximas): 5
5 Datafolha 0 0 ORGANIZATION 4 o Datafolha: 2, (tacit) ele/ela (referent: o Datafolha): 2
6 o índice de os ou o maior desde o início de o mandato 0 0 NONE 4 O índice de os ou o maior desde o início de o mandato: 4
7 Supremo Tribunal Federal 0 0 ORGANIZATION 4 o Supremo_Tribunal_Federal: 4
8 avaliação 0 0 NONE 4 a avaliação: 2, A avaliação: 2
9 elevação 0 0 NONE 4 elevação: 2, a elevação: 2
10 episódios 0 0 NONE 4 os episódios: 4