Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Wilson Witzel e Michel Temer

Preso nesta terça-feira, dia 2, como um dos líderes de um esquema de cobrança de propinas em troca de resoluções favoráveis no Tribunal Regional do Trabalho do Rio, o desembargador Marcos Pinto da Cruz declarava ser um «soldado» do governador afastado Wilson Witzel. Faz 7 meses, a afirmação foi feita em uma troca de mensagens localizada por o Ministério Público Federal em o celular de o desembargador.

— A Polícia Federal e a Procuradoria-Geral da República satisfazem, na manhã nesta terça-feira, 11 mandados de prisão preventiva e 26 de busca e apreensão para colher provas sobre esquema de corrupção no Tribunal Regional de Trabalho da 1ª Região, do Rio de Janeiro. O Superior Tribunal de Justiça expediu os mandados. Entre os alvos da operação estão juízes e advogados. O inquérito obteve indícios de que parentes de juízes do TRT do Rio atuaram ilegalmente em processos de companhias de transporte e organizações sociais com dívidas trabalhistas. Há suspeitas do pagamento de propina em favor da inclusão dessas companhias e entidades no Plano Especial de Execução da Justiça do Trabalho, de parcelamento de dívidas. Requereram-se as buscas para erguer mais provas a respeito de o esquema. A operação é um desdobramento da Tris In Idem, que redundou no afastamento de Wilson Witzel do governo do Rio. Segundo os inquéritos, o desembargador Marcos Pinto da Cruz, do TRT do Rio, teria coordenado em conjunto com Witzel um esquema de desvio de dinheiro por meio de ações trabalhistas. Após o cumprimento de busca e apreensão contra o desembargador em outubro do ano passado, a PF localizou novas provas e aprofundou os inquéritos do caso.

Na quarta-feira 17 de fevereiro Apoiadores do deputado bolsonarista Daniel Silveira atacaram um manifestante, nesta quarta-feira, na porta da sede da Polícia Federal no Rio, no Centro do Rio. Muitos usavam blusas em suporte ao presidente Jair Bolsonaro e em favor do encerramento do STF. Faz 3 anos, o militante chegou a o local segurando uma placa de rua em homenagem em a vereadora Marielle Franco.

Wilson José Witzel é um advogado, ex-magistrado e político brasileiro, filiado ao Partido Social Cristão e atual governador do Rio de Janeiro.

Faz 10 meses, o diálogo aconteceu. Após uma entrevista concedida pelo governador à CNN, Pinto da Cruz emandoumensagens a Witzel elogiando sua participação. «Amigo, desejo te ver. Vamos aliviar um pouco a cabeça? Beber um vinho?» escreveu Marcos. Witzel propôs um encontro no dia seguinte, e o desembargador respondeu: «Vc manda. Dia e hora. Sou seu soldado», completou.

Para o MPF, o diálogo mostra uma relação íntima entre Witzel, ex-juiz federal. Faz 2 anos, além do diálogo, foram incluídas em a acusação registros de entrada de Marcos Pinto da Cruz em o Palácio Laranjeiras, residência oficial de o governador, em duas ocasiões. O desembargador também participaria de encontros semanais no Palácio Guanabara, segundo relato do ex-secretário estadual de Saúde Edmar Santos.

O inquérito sobre o plano especial do TRT-RJ está no mesmo investigação do Superior Tribunal de Justiça que afastou o governador Witzel. Além dele, corriam ainda quatro sindicâncias – três abertas no próprio TRT e uma no Conselho Nacional de Justiça — para apurar anormalidades na centralização e o envolvimento de dois desembargadores, Marcos Pinto da Cruz e Fernando Zorzenon — ex-presidente do TRT e culpado pelo ato que criou a centralização em 2017.Na delação, Edmar alegou que o esquema envolveria o desvio de recursos cobrados a título de honorários pelos advogados envolvidos nos acordos. Edmar conta que ele seria o culpado por captar as companhias com problemas trabalhistas e encaminhá-las a uma advogada, que, segundo o delator, seria Eduarda Pinto da Cruz, irmã do desembargador.

De acordo com os inquéritos, Witzel colocou o advogado Manoel Peixinho, também preso na mesma operação, para coordenar um esquema de pagamento de propinas em troca da inclusão da Organização Social Pró-Saúde no plano de realização de dívidas trabalhistas. Pelo acordo, a Organização receberia pagamentos atrasados do governo, que também assumiria as dívidas trabalhistas do grupo.

18 alvos: Esquema de corrupção no TRT desviou recursos que teriam que pagar trabalhadores da saúde do Rio, alega PGR

Peixinho foi o advogado de Witzel junto à Assembleia Legislativa do Rio naopprimeirofperíododo processo de impeachment, entre maio e setembro de 2020. A entrada do advogado na operação teria ocorrido após o então secretário de Saúde Edmar Santos não ter conseguido operacionalizar os acordos, depois da desistência do grupo do Pastor Everaldo de participar do esquema.

Segundo o inquérito, o Governo do Estado teria pago R$ 752 mil aos advogados da Organização Social Pró-Saúde a título de honorários advocatícios pelo ingresso no plano de realização de dívidas trabalhistas. Suzani Andrade Ferraro atuou como advogada da Organização ao lado de Eduarda Pinto da Cruz, irmã do desembargador preso. Suzani Andrade Ferraro é a esposa de Peixinho. Todos foram presos nesta terça-feira.

Procurado, Wilson Witzel não regressou o contato.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Desembargador preso por esquema no TRT declarava ser ‘soldado’ de Wilson Witzel
>>>>>PF e PGR cumprem 11 prisões preventivas em operação sobre esquema de corrupção no TRT do Rio – (Extraoglobo-pt)
>>>>>PF cumpre prisão de quatro desembargadores do TRT do Rio, incluindo ex-presidentes, por esquema de corrupção – March 02, 2021 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Esquema no TRT foi revelado em delação de ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos; veja vídeo – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Wilson Witzel 0 0 PERSON 8 Wilson_José_Witzel: 1, Witzel: 5, o governador Witzel: 1, Wilson_Witzel: 1
2 Marcos da Cruz Pinto 4 0 PERSON 5 (tacit) ele/ela (referent: Marcos_Pinto_da_Cruz): 1, o desembargador Marcos_Pinto_da_Cruz de o TRT_do_Rio: 1, o desembargador Marcos_Pinto_da_Cruz: 1, Marcos_Pinto_da_Cruz: 1, Marcos: 1
3 eu 5 0 NONE 4 (tacit) eu: 4
4 esta 0 0 NONE 4 esta: 4
5 Edmar 0 0 PERSON 3 Edmar: 2, ele (referent: Edmar): 1
6 desembargador 0 0 NONE 3 o desembargador: 2, O desembargador: 1
7 diálogo 0 0 NONE 3 diálogo: 1, o diálogo: 1, O diálogo: 1
8 investigação 0 0 NONE 3 a investigação: 1, A investigação: 2
9 operação 0 0 NONE 3 a operação: 1, operação: 1, A operação: 1
10 esquema de corrupção 0 60 NONE 2 esquema de corrupção: 1, Esquema de corrupção: 1