Por: SentiLecto

Circula pelas redes sociais uma mensagem com a imagem de uma conta do Twitter atribuída ao diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, que acusa o STF e o ex-presidente Lula de terem instituído um plano para matar o presidente Bolsonaro. É #FAKE.

— Com a ressalva de que ainda não foi formalmente selecionado relator da CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros , assinalado como favorito para o posto, alegou ao GLOBO que o presidente Jair Bolsonaro «errou» e se «omitiu» na condução da pandemia e evidenciou que a delegação poderá pedir a quebra de sigilo telefônico dos investigados. Renan realça, no entanto, que a crítica ao governo é uma avaliação dele próprio e que o trabalho da CPI vai ser técnico e apartidário. Qual a sua avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia? Minha opinião é que a administração do Bolsonaro foi abominável no enfrentamento à pandemia. Ele complicou tudo. Complicou porque errou, se omitiu e diminuiu a enfermidade. Prescreveu medicamentos sem comprovação científica, animou aglomeração, não utilizou máscara. Priorizou o tratamento preventivo. É um somatório. Estamos pagando esse custo em mortes. Mas isso é só uma avaliação pessoal. Defendo uma CPI técnica, que arregimente boas cabeças da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do Tribunal de Contas da União. Vou defender um inquérito rigorosamente técnico, sem partidarismo e sem alvos pré-determinados. Qual o papel da CPI? Que instrumentos pretende utilizar? O papel da CPI é propor uma revisão dos procedimentos para aliviar o horror que estamos vivendo no país. A CPI tem poderes constitucionais para investigar. E, a partir daí, convidar pessoas, fazer oitivas, ter acesso a informações, quebrar sigilos telefônicos, todos os sigilos. Temos livro que sistematiza todas as resoluções de CPI tomadas pelo STF. Ressalto que ainda não fui selecionado relator e nem priorizo isso. Isso só vai se definir quando a CPI for instalada. O presidente da delegação menciona o relator mediante conversa com demais integrantes. Consentirei com qualquer nome do grupo. Não preciso ser relator para cooperar no inquérito. Vou fazer o meu melhor como integrante. Leia a íntegra da entrevista exclusiva para assinantesBolsonaro instituiu, em 2019, o Programa Água Doce. A ministra de Cita casos análogos decididos pelo STF. Em uma se reconheceu a invalidade de lei de o Rio de as resoluções, que determinava o dever de manutenção de exemplares de o Bíblia em bibliotecas de o estado de Janeiro. E em outra, foi julgada inconstitucional regra de Rondônia que havia adotado a Bíblia como livro-base de fonte doutrinária.

Na quarta-feira 07 de abril circulava pelas redes sociais uma capa da revista «Veja» com uma chamada que declarava que o ministro Edson Fachin , de o Supremo Tribunal Federal , ameaçou o ministro Edson Fachin de o Supremo Tribunal Federal para que invalidasse as condenações de Lula na Operação Lava Jato. era #FAKE.

A Polícia Federal informa, por meio de nota, que Paulo Maiurino não foi o autor da postagem e que o link de sua conta no Twitter é PMaiurino. Paulo Maiurino é o diretor-geral da Polícia Federal.. A conta @d_delegado, atribuída a Maiurino, é falsa. Quando o endereço é acessado, o Twitter informa que a conta não existe.

No perfil oficial do delegado, não há nem sequer uma postagem feita. O perfil foi aberto ainda neste mês e não segue nenhum usuário.

Um dos posts falsos exibe uma fotografia do STF e declara: «Partiu daqui em conjunto com @LulaOficial e outros a ideia de matar Bolsonaro. Por enquanto, não posso declarar bastante, mas vocês vão saber… quem desejar pensar que é falsa a informação, fiquem à vontade, nos próximos dias svão saberde muitas coisas! Deus abençoe vocês».

Outro post declara: «Vou declarar algo, antes que caia novamente meu perfil a vocês, eles desejam arruinar @jairbolsonaro, porém não conseguirão porque mais da metade dos urubus de capa preta receberam propina para acabar com o Pr. Nos próximos dias vão saber de todas as brutalidades que ali ocorrem».

Depois que a jornalista Leda Nagle leu seu conteúdo, a mensagem falsa ganhou impulso nas redes sociais em uma live privada.

A Polícia Federal abriu dois investigações para investigar a ação de Adélio. E se encontraram indícios de a participação não de terceiros em o crime.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>É #FAKE que diretor-geral da PF tuitou que STF e Lula arquitetaram plano para matar Bolsonaro
>>>>>’Bolsonaro errou e se omitiu na pandemia’, diz Renan Calheiros, apontado como relator da CPI – (Extraoglobo-pt)
>>>>>É #FAKE que Gleisi Hoffmann disse que seca no Nordeste é ‘quase um patrimônio’ do país e ‘não deve ser destruída’ – April 16, 2021 (Extraoglobo-pt)
>>>>>É #FAKE que decisão do STF proíbe Bíblia em escolas e bibliotecas públicas – April 16, 2021 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 140 0 NONE 13 (tacit) eu: 13
2 CPI 50 0 ORGANIZATION 4 Qual o papel de a CPI: 1, a CPI: 1, A CPI: 1, uma CPI técnica: 1
3 Paulo Maiurino 0 0 PERSON 4 Paulo_Maiurino (apposition: o diretor-geral de a Polícia_Federal): 1, Maiurino: 1, Paulo_Maiurino: 2
4 vocês 90 0 NONE 3 vocês: 3
5 FAKE 0 0 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: FAKE): 1, FAKE: 2
6 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 3
7 redes 0 0 NONE 3 as redes sociais: 3
8 julgada inconstitucional norma de rondônia 0 220 NONE 2 julgada inconstitucional norma de Rondônia: 2
9 mensagem 0 80 NONE 2 uma mensagem: 1, A mensagem falsa: 1
10 perfil 80 0 NONE 2 meu perfil: 1, O perfil: 1