Por: SentiLecto

Uma vez que os laços entre as duas maiores potências econômicas do mundo continuam tensos, china e Estados Unidos precisam comportar-se juntos com «boa vontade» para melhorar as relações , alegou neste sábado o embaixador de China em Washington, que cortou o número de cidadãos de China autorizados a trabalhar nos escritórios estadunidense da grande mídia estatal chinesa. As relações sino-americanas caíram ao seu ponto mais baixo em décadas devido a questões como comércio e segurança, direitos humanos e COVID-19. Na sexta-feira, um editorial da mídia estatal de China declarou que os laços estão mudando para «um percurso arriscado».

O embaixador Cui Tiankai na videoconferência da Conferência Anual do Instituto de Estudos China-América declarou: «Para colocar as relações no percurso certo, para ter uma melhora real das relações, ambos os lados têm que proceder com boa vontade e boa fé».

Ele, de acordo com uma transcrição postada no site de sua embaixada declarou: «Não acho que a China deva somente fazer algo para comprazer a ninguém aqui».

Faz 5 meses, quando a China fechou o consulado de os Estados Unidos em a cidade de Chengdu, os nervosismos entre os dois países ampliaram drasticamente, em o sudoeste, em retaliação em a saída de Pequim de seu consulado em Houston, Texas.equim então expulsou jornalistas de America dos escritórios chineses do New York Times, do Wall Street Journal e do Washington Post.

«Devo declarar que não começamo o encerramento dos consulados. Não fomos os primeiros a pedir que jornalistas estrangeiros saíssem do país. Fizemos tudo isso em resposta a ações tomadas pelos Estados Unidos. Se o governo dos EUA estiver pronto para reverter o curso, então estamos prontos para olhar para isso», declarou Cui.

Por outro lado, – Profissionais de saúde e outras pessoas recomendadas a receber as primeiras doses de uma vacina contra Covid-19 nos Estados Unidos podem começar a receber as injeções dentro de 24 horas ou no máximo em 36 a 48 horas após uma aprovação regulatória, declarou nesta terça-feira o principal conselheiro do programa de aceleração de uma vacina contra o coronavírus do governo dos EUA. O conselheiro Moncef Slaoui declarou que espera que 20 milhões de pessoas sejam imunizadas até o final deste ano nos EUA. Slaoui em um acontecimento realizado pelo The Washington Post declarou: “Em 24 horas, talvez no máximo 36 a 48 horas, a partir da aprovação, a vacina pode estar nos braços das pessoas”. – O vice-presidente Hamilton Mourão alegou nesta sexta-feira que «no momento certo» o presidente Jair Bolsonaro vai cumprimentar o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, quando for efetivada a triunfo do democrata na disputa pela Casa Branca, o que, a seu juízo, acontecerá daqui a 10 dias. «Tacitamente isso já aconteceu. No momento em que o presidente julgar necessário ele estabelecerá as ligações, que eu acredito que, por via da nossa embaixada em Washington, já estão sendo feitas. No momento certo ele irá cumprimentar o presidente Biden, assim que for efetivada o triunfo, o que na minha visão acontecerá em 14 de dezembro, quando o Colégio Eleitoral de America se reunir e carimbar o triunfo do Biden», declarou. Até o momento, mais de um mês depois da votação nos Estados Unidos, o governo de Brasil não reconheceu oficialmente o triunfo de Biden no pleito. Na semana passada, Mourão se referiu ao democrata como «futuro presidente» e calculou que vai ser possível estabelecer um diálogo «sem maiores problemas» com o norte-americano. Se divulgaram os dados anuais de desmatamento em a ocasião, em entrevista em a sede de o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, onde , Mourão foi mais uma vez questionado sobre as declarações de Biden sobre a Amazônia e a ameaça de sanções a o Brasil pelo ampliação de o desmatamento. O vice-presidente reconheceu que esse provavelmente vai ser um dos primeiros assuntos a ser erguido pelo novo governo norte-americano, mas declarou acreditar que isso se vai dar em fóruns internacionais existentes. Depois que uma imagem sua gerada por computador desencadeou uma rusga entre Pequim e Canberra, um jovem artista de computação gráfica desconhecido fora da China ganhou notoriedade instantânea no exterior.

Na quinta-feira 12 de novembro o ministro das Relações Exteriores da Alemanha declarou que os laços com os Estados Unidos melhorarão na administração do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, mas alegou que ainda existiam muitas divergências com os parceiros europeus para propor que nem tudo seria diferente.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: United States, China

Cities: Washington, Houston, Chengdu

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>EUA e China precisam de boa vontade para melhorar relações, declara embaixador de China
>>>>>Vacina da Covid-19 nos EUA pode ser aplicada de 24 a 48 horas após aprovação, diz autoridade – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Mourão prevê que Bolsonaro cumprimentará Biden após definição de Colégio Eleitoral dos EUA – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Artista de computação gráfica vira novo capítulo na propaganda chinesa – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 60 0 NONE 8 (tacit) eu: 7, eu: 1
2 laços 100 60 NONE 3 os laços: 3
3 Joe Biden 0 0 PERSON 3 Biden: 1, o presidente Biden: 1, Joe_Biden: 1
4 Washington 0 0 PLACE 3 Washington: 3
5 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 3
6 os Estados_Unidos 0 0 PLACE 3 os Estados_Unidos: 3
7 Cui Tiankai 0 0 PERSON 2 Cui: 1, o embaixador Cui_Tiankai: 1
8 Moncef Slaoui 0 0 PERSON 2 (tacit) ele/ela (referent: O conselheiro Moncef_Slaoui): 1, O conselheiro Moncef_Slaoui: 1
9 Mourão 0 0 PERSON 2 Mourão: 2
10 Pequim 0 0 PERSON 2 Pequim: 2