Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Membros da Rede Sustentabilidade durante a sessão do Tribunal Superior Eleitoral

O governo Jair Bolsonaro informou ao Supremo Tribunal Federal ter incluído trabalhadores da área de educação na lista dos serviços imprescindíveis e que farão parte do grupo prioritário de vacinação contra Covid-19 no país, em documento encaminhado à Corte na noite de terça-feira e visto pela Reuters. Em Nota Informativa, a Secretaria de Vigilância, que mencionou que, «principalmente no ensino básico, esses profissionais têm contato com muitos estudantes concomitantemente, é de extrema pertinência a vacinação dos trabalhadores da educação», em Saúde, do Ministério da Saúde, declarou compreender que o ambiente de escolas e universidades são potenciais na exibição à infecção por Covid.

Enquanto os grupos prioritários estiverem em processo de vacinação, de acordo com o projeto de lei, todas as doses compradas pela iniciativa privada deverão ser doadas ao Sistema Único de Saúde. Se a vai distribuir gratuitamente, depois, as companhias terão que doar metade das doses adquiridas para o SUS e a outra metade.O governo federal negocia a compra da vacina do laboratório desde o ano passado, mas tem reclamado da companhia. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, criticam principalmente a pré-requisito de isenção de responsabilidade em relação a possíveis conseqüência colaterais. Bolsonaro chegou a declarar que se alguém que tomasse a vacina virasse um «jacaré», a farmacêutica não poderia ser responsabilizada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária de a Pfizer já aprovou a vacina.

Na segunda-feira 08 de fevereiro o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal , deu prazo de cinco dias para que o governo federal divulgue, “com base em critérios técnico-científicos”, a ordem de preferência entre os grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19. O ministro também pedia para que seja especificado, “com transparência, dentro dos respectivos grupos, a ordem de precedência dos subgrupos nos distintos períodos de imunização”.

Jair Messias Bolsonaro é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro.

Ainda que o encerramento das escolas no ano de 2020 impossibilitou evidências mais robustas sobre seu papel nas cadeias de transmissão e que é preciso também avaliar os efeitos psicossociais e socioeconômicos da interrupção dos aulas, o documento realçou :

A Rede Sustentabilidade que cobra um detalhamento de as ações de o governo tomou em o âmbito de uma ação movida a manifestação e de qual a prioridade de vacinação contra Covid-19. O ministro Ricardo Lewandowski relata o processo.

Rede Sustentabilidade é um partido político brasileiro, liderado por Marina Silva.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Governo inclui trabalhadores da educação no grupo prioritário de vacinação
>>>>>Câmara aprova texto-base de projeto que autoriza governo a assumir risco por efeitos adversos de vacinas – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 grupos 100 0 NONE 3 respectivos grupos: 1, os grupos prioritários: 2
2 Secretaria de Vigilância 0 0 ORGANIZATION 3 a Secretaria_de_Vigilância: 2, (tacit) ele/ela (referent: a Secretaria_de_Vigilância): 1
3 governo 0 0 NONE 3 o governo: 1, O governo federal: 1, o governo federal: 1
4 Rede Sustentabilidade 0 0 ORGANIZATION 2 a Rede_Sustentabilidade: 2
5 Ricardo Lewandowski 0 0 PERSON 2 o ministro Ricardo_Lewandowski: 1, o ministro Ricardo_Lewandowski de o Supremo_Tribunal_Federal: 1
6 alguém 0 0 NONE 2 alguém: 2
7 prazo de cinco dias 0 0 NONE 2 prazo de cinco dias: 2
8 vacina 0 0 NONE 2 A vacina: 1, a vacina: 1
9 o ensino básico 0 80 NONE 1 o ensino básico: 1
10 o fechamento de as escolas 0 70 NONE 1 o fechamento de as escolas: 1