Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – BRAlogo1

– O governo precisa oferecer custos mais realistas para seringas e agulhas se desejar garantir a vacinação em massa da população, advertiu um representante dos fabricantes de Brasil do material nesta quarta-feira, após o fracasso de um pregão eletrônico. O Brasil ficou atrás de outros países latino-americanos na obtenção de vacinas contra a Covid-19 e agora corre o risco de não ter seringas suficientes quando as vacinas chegarem, declarou um representante da indústria. O governo tentou adquiri 331 milhões de seringas em leilão na terça-feira, mas só conseguiu adquiri 8 milhões, ou 2,5%, porque seus custos eram bastante baixos, alegou Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos . Fraccaro por telefone declarou: “Os custos de referência definidos pelo governo não têm relação com a realidade das companhias de seringas”. Quando as empresas pediam entre 22 e 48 centavos dependendo do item, o Ministério da Saúde ofereceu 13 centavos por seringa , alegou ele. Ao considerar que o Estado de São Paulo já adquiriu 50 milhões de seringas e planeja adquiri outras 50 milhões, o Brasil precisaria adquiri cerca de 320 milhões de seringas que custariam no máximo 120 milhões de reais, declarou Fraccaro. A perspectiva de ficar sem seringas pode provocar pânico no país ou levar a importações mais caras, segundo ele. Fraccaro declarou que não é possível produzir 330 milhões de seringas em 60 dias, mas recordou que o país não precisará todo esse material de uma vez porque o processo de vacinação deve se estender até 2022. Ainda que não existe problema com a habilidade de produção, ele evidenciou. O Brasil tem três companhias que produzem seringas, segundo Fraccaro, e abastecem 1,4 bilhão de seringas ao ano ao mercado doméstico, cerca de 120 milhões por mês, incluindo 10 a 12 milhões que vaõ para o Programa Nacional de Imunização a cada mês. Experts em saúde pública temem que a divergência de custos possa atrasar ainda mais o programa de vacinação brasileiro certa para iniciar porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou ainda nenhuma vacina. Forçou-se O Brasil a fazer concessões regulatórias em a quarta-feira para agilizar seu programa de imunização em meio a uma ampliação de casos de Covid em o país que tem o segundo maior número de mortos por a enfermidade em o mundo ., que tem o segundo maior número de mortos pela enfermidade no mundo. Outros vizinhos latino-americanos, como Chile, México e Argentina, já começaram a vacinar suas populações.

– A licitação realizada pelo Ministério de Saúde para adquiri seringas e agulhas para a execução da vacinação contra a Covid-19 fracassou. Enquanto buscava comprar 331,2 milhões, a pasta só conseguiu garantir 7,9 milhões de unidades. O jornal O Estado de S. Paulo publicou a informação em a noite de esta terça-feira e confirmada por O GLOBO. Boletim: Brasil registra 1.075 mortes em um dia por Covid-19, deduziu-se pregão eletrônico o maior número desde 15 de setembro O em esta terça-feira e houve ganhador em somente um dos quatro itens da concorrência. E, mesmo assim, o provedor se comprometeu somente com uma entrega parcial dos itens. A companhia ganhadora garantiu a entrega de exclusivamente 7,9 milhões de unidades em um item do edital que pretendia comprar 31,2 milhões. Uma concorrente chegou a ser chamada pelo leiloeiro para negociar se complementaria a soma desejada, mas não houve progressão. A companhia ganhadora ainda deverá passar pela avaliação da área técnica sobre o material a ser adquirido. Consulte: Veja a situação do coronavírus em seu estado Nos outros três itens do edital nada se o adquiriu . Se a questão se deveu ao custo querido pelas companhias, pelo site de compras do governo federal não é possível identificar se houve problema de documentos com as concorrentes ou. O governo federal avalia que poderia implementar o plano nacional de imunização a partir de 20 de janeiro, caso alguma vacina seja certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária em tempo competente, mas o obstáculo para a compra das seringas e agulhas pode ser um novo complicador. Em geral , estados realizam as compras e municípios, mas na pandemia o governo federal tem feito processos de compra unificados na busca de garantir melhor custo e a entrega dos materiais. Se procurou O Minsitério da Saúde para falar sobre o resultado de a licitação, mas ainda não respondeu.

O Ministério da Saúde, no Brasil, corresponde ao setor governamental culpado pela gestão e manutenção da Saúde pública do país.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária é uma agência reguladora, sob a maneira de autarquia de regime especial, vinculada ao Ministério da Saúde.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Mexico, Chile, Brazil, Argentina

Cities: Mexico, Sao Paulo

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Governo precisa oferecer custos mais realistas para seringas, declara representante de fabricantes
>>>>>Ministério da Saúde só consegue comprar 2,4% das seringas em licitação – December 30, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Brasil 0 0 ORGANIZATION 7 O Brasil: 3, o Brasil: 3, Brasil: 1
2 companhias 160 0 NONE 6 A empresa vencedora: 2, três empresas: 2, as companhias: 1, as empresas: 1
3 governo 0 0 NONE 6 O governo: 2, O governo federal: 1, o governo: 1, o governo federal: 2
4 seringas 160 0 NONE 5 seringas: 5
5 Ministério da Saúde 0 0 ORGANIZATION 4 o Ministério_da_Saúde: 1, O Ministério_da_Saúde: 2, ele (referent: O Ministério_da_Saúde): 1
6 Paulo Henrique Fraccaro 0 0 PERSON 4 Fraccaro: 4
7 país 0 70 NONE 3 o país: 3
8 esta 40 0 NONE 3 esta: 3
9 Agência Nacional de Vigilância Sanitária 0 0 ORGANIZATION 2 a Agência_Nacional_de_Vigilância_Sanitária: 2
10 Minsitério da Saúde 0 0 ORGANIZATION 2 O Minsitério_da_Saúde: 1, (tacit) ele/ela (referent: O Minsitério_da_Saúde): 1