Por: SentiLecto

A expansão do ensino superior público ficou expressa nos dados divulgados pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira nesta sexta-feira. Segundo o Censo da Educação Superior 2019, em uma década o número de matrículas em universidades federais aumentou 59,1%.

O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes ressaltou o abismo entre instituições públicas e privadas de ensino superior. Somente 6,3% dos cursos de graduação avaliados no Enade 2019 alcançaram concepção 5, nota máxima da avaliação, desses, aproximadamente 80% são de universidades públicas. Cerca de 35,3% dos 8.368 cursos avaliados na última edição do Enade foram «reprovados», ou seja, obtiveram concepção 1 ou 2, os mais baixos da avaliação. O concepção Enade varia de 1 a 5 e, em 2019, 391.863 alunos concluintes do ensino superior fizeram a prova. O Instituto Nacional de Estudos divulgou em esta terça-feira os dados e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e por o Ministério da Educação. 90 dias: A três meses de um Enem como nenhum outro, veja as novas maneiras de se preparar para a prova Segundo as estatísticas, a maior parte dos cursos de graduação avaliados, 58,5% deles, pontuam nas faixas 3 e 4. A cada ano o Inep avalia cursos de determinadas áreas. Na última edição, as áreas avaliadas foram Engenharia, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Agrárias, Ciências da Saúde; no bacharelado. E Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança; para cursos superiores de tecnologia. O Enade mede os talentos adquiridos pelos alunos ao longo da formação universitária. 40 questões de as quais dez são de Formação geral e 30 de conhecimento específico compõem a prova ,. Uma análise dos dois extremos mostra que,ao todo, 419 cursos receberam concepção 1, a nota mais baixa da avaliação e 512 cursos alcançaram a nota 5. Entre aqueles de pior pontuação, 377, ou cerca de 90%, eram de instituições privadas de ensino. No lado oposto, dos cursos que receberam a nota mais alta, 417 deles, o que encarna 81,4%, eram de instituições públicas de ensino, com maior destaque para as universidades federais . Considerando o total de cursos de instituições privadas, somente 1,5% dos 6360 avaliados no Enade obtiveram concepção 5. O percentual de notas máximas foi bastante maior entre as instituições públicas de ensino. Pesquisa: Brasil registra primeiro caso confirmado de gato com Covid-19 Em 2019, se avaliaram os cursos de Agronomia Arquitetura e Urbanismo os cursos de Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, e Zootecnia. Também foram submetidos ao teste alunos dos cursos de Tecnologia em Agronegócio, Tecnologia em Estética e Cosmética, Tecnologia em Gestão Ambiental, Tecnologia em Gestão Hospitalar, Tecnologia em Radiologia, Tecnologia em Segurança no Trabalho. É possível verificar certa diferença de performance em relação à modalidade presencial. E, embora os cursos de educação à distância correspondam a asomente2% do total analisadoOs mais baixos da avaliação, no ensino presencial o índice de cursos com nota 1 e 2 foi 35%, enquanto 51,3% dos 165 cursos de EAD avaliados obtiveram cconcepção1 ou 2. Pandemia: Compreenda por que a Anvisa estuda fazer testes de sangue em farmácia e o que muda para o paciente O MEC e o Inep também divulgaram o resultado do Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado . Esse indicador analisa o valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos alunos concluintes. Para isso, é feita uma análise das notas dos aluno no Exame Nacional do Ensino Médio e no Enade. De acordo com o IDD, 17,1% dos cursos analisados não agregaram o esperado para os alunos. São cursos que alcançaram notas 1 e 2 em uma escala que vai até 5. Quando entrou na universidade, o IDD leva a uma análise de quanto o ensino superior contribuiu para a formação do aluno em comparação com o que ele exibia. A maior parte dos cursos, 61,3%, obteve nota 3 nesse quesito. Em comparação com as demais, proporcionalmente, as universidades federais são as que mais contribuem para a formação dos alunos universitários.

As universidades federais reúnem a maior fatia de matrículas entre as instituições da rede pública, ou seja, dois terços das matrículas de graduação dessa rede estão em universidades federais. Faz 1 ano, as universidades federais tinham um total de 1.335.254 de matrículas, em 2019. Nas outras esferas da educação publica, a rede estadual exibiu ampliação no número de matrículas de 16 %. Já a rede municipal teve uma queda de 25,3%.

Apesar do ampliação, no entanto, essas instituições, juntamente com as universidades estaduais e municipais, correspondem a somente 24,2% do total de matrículas no ensino superior brasileiro. A distribuição de vagas da rede pública em relação à rede privada ainda é desigual no Brasil. Segundo o Censo, o país tem em média 2,2 alunos matriculados na rede privada para cada estudante da rede pública.

Entre os estados essa razão varia para mais ou para menos. Os estados onde as vagas são melhor distribuídas são o Tocantins, Paraíba e o Rio Grande do Norte, onde o número de matrículas é praticamente igual nas duas redes. O estado de São Paulo é a unidade da federação com maior discrepância: são 4,4 alunos em instituições privadas para cada estudante da rede pública.

O rio Tocantins é um curso de água que nasce na serra Dourada, no estado de Goiás, passando logo após pelos estados de Goiás, Tocantins, Maranhão e Pará, até a sua foz no Golfão Marajoara, logo após o furo de Santa Maria .

A Paraíba é uma das 27 unidades federativas do Brasil.

Enquanto a rede pública ampliou 32,4%, em relação ao número de estudantes novos no ensino superior, em dez anos, a rede privada aumentou 87,1%. A área com maior número de ingressantes no país em 2019 foi Negócios, Administração e Direito, cuja taxa foi de 58,6 alunos novos para cada 10 mil habitantes. Essa área também exibe maior índice de finalização do curso com taxa de 19,9 para 10 mil moradores. O curso no qual mais pessoas entraram e se formaram em 2019, no entanto, foi pedagogia.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

Cities: Rio Grande

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Matrículas em universidades federais ampliaram 59,1% em uma década
>>>>>Enade: 80% das universidades com maior desempenho são públicas – October 20, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 cursos 90 0 NONE 10 os 8.368 cursos avaliados: 1, os cursos: 3, os 165 cursos: 1, 419 cursos: 1, os cursos analisados: 1, cursos: 2, cursos superiores: 1
2 universidades 80 0 NONE 8 As universidades federais: 1, universidades públicas: 1, universidades federais: 2, as universidades federais: 3, as universidades estaduais e municipais: 1
3 Tecnologia 0 0 PERSON 6 Tecnologia: 6
4 rede 0 0 NONE 6 a rede municipal: 1, a rede pública: 2, a rede privada: 2, a rede estadual: 1
5 Enade 0 0 ORGANIZATION 5 O conceito Enade: 1, O Enade: 1, o Enade: 3
6 ensino 310 0 NONE 4 o ensino superior: 3, o ensino presencial: 1
7 IDD 0 0 ORGANIZATION 4 O IDD: 1, o IDD: 1, (tacit) ele/ela (referent: O IDD): 1, ele (referent: O IDD): 1
8 conceito 0 0 NONE 4 conceito: 4
9 nota 0 0 NONE 4 a nota: 1, a nota mais alta: 1, nota: 2
10 curso 0 0 NONE 3 o curso: 1, O curso e: 2