Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Alexandre de Moraes (cropped)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal , encaminhou à Procuradoria-Geral da República uma notícia-crime aexibidacontra o presidente Jair Bolsonaro por ter faltado ao dtestemunhomarcado para a última sexta, na Polícia Federal., que deduziu que o presidente, o deputado federal Filipe Barros e o tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid, ajudante de ordens da Presidência da República, teriam cometido o crime de violação de sigilo funcional ao divulgarem o material, A denúncia encaminhada por Moraes à PGR foi feita na última sexta-feira por um advogado, que ddeclaraque Bolsonaro descumpriu ordem judicial.

O deputado Luis Miranda sobre a Covaxin ergueu as acusações e o irmão , o servidor Luis Ricardo Miranda. Eles relatam que advertiram Bolsonaro em uma reunião no dia 20 de março sobre suspeitas de anormalidades na compra do imunizante.se investiga Bolsonaro por a divulgação de informações de uma outra investigação em que a Polícia Federal apura um ataque hacker a o Tribunal Superior Eleitoral,. Embora não houvesse relação do ataque com o funcionamento das urnas, o presidente tornou as informações públicas com o objetivo de agredi a credibilidade das urnas eletrônicas. Em relatório de novembro, mas tornado público semana passada, a delegada Denisse Dias Ribeiro, da PF, alegou que Bolsonaro teve «atuação direta, voluntária e consciente» na prática do crime de violação de sigilo funcional.

Na terça-feira 18 de janeiro o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal , determinou que o presidente Jair Bolsonaro preste testemunho até o dia 28 de janeiro na investigação aberta para apurar vazamento de dados de outro inquérito. Bolsonaro era investigado por ter divulgado informações sigilosas de uma investigação que apurava um ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral .

Alexandre de Moraes é um jurista, juiz e ex-político brasileiro, atual ministro do Supremo Tribunal Federal .

Jair Messias Bolsonaro Gomm é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro, filiado ao Partido Liberal .

No despacho, dado pelo ministro nesta quarta-feira, Moraes dá 15 dias para que a procuradoria se demonstre. Na última sexta-feira, o presidente não compareceu ao testemunho marcado por Moraes na investigação que investiga vazamento de dados sigilosos envolvendo um ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral .

A AGU desejava levar o debate para o plenário do STF, sob o argumento de que o presidente não seria obrigado a comparecer. A colunista Bela Megale antecipou a informação. Moraes, ao recusar o pedido , considerou que exibiu-se o recurso fora de o prazo. Por isso, não vai ir ao plenário.No despacho, o ministro não impôs penalizações ou sanções a Bolsonaro. No entanto, ao recusar o recurso feito pela AGU, permanece a resolução de Moraes dada nesta quinta-feira.

Embora a Polícia Federal tenha deduzido que houve crime, Bolsonaro e Filipe Barros não foram indiciados porque há um entendimento, entre ministros do Supremo Tribunal Federal , de que essa medida só pode ser aplicada a pessoas com foro privilegiado se houver prévia autorização. Se indiciou o ajudante de ordens assim, somente .

Bolsonaro divulgou os documentos em sua rede social e também durante uma transmissão ao vivo em julho na qual divulgou informações falsas a respeito da confiabilidade das urnas eletrônicas. O presidente, então, mostrou documentos de um inquérito da PF sobre ataque ao TSE, mas que não tinha nenhuma relação com as urnas eletrônicas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Moraes manda à PGR notícia-crime contra Bolsonaro por ausência em dtestemunho
>>>>>Moraes rejeita recurso da AGU para adiar depoimento de Bolsonaro – January 28, 2022 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Entenda o que pode acontecer a Bolsonaro se ele faltar ao depoimento na PF – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Alexandre de Moraes, do STF, manda Polícia Federal ouvir Abraham Weintraub – January 24, 2022 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Em dia de depoimento marcado na PF, Bolsonaro reclama de ‘interferências no Executivo’ e AGU analisa recurso – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Polícia Federal diz ao STF que Bolsonaro não cometeu crime de prevaricação no caso Covaxin – January 31, 2022 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>PF diz que Bolsonaro cometeu crime em divulgação de documentos sigilosos; ajudante de ordens é indiciado – (Extraoglobo-pt)
>>>>>AGU tentou retirar Moraes da relatoria de processo que apura se Bolsonaro vazou dados sigilosos – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 35 0 PERSON 8 Bolsonaro: 5, o presidente Jair_Bolsonaro: 2, Bolsonaro era investigado por ter divulgado informações sigilosas de um inquérito: 1
2 inquérito 115 0 NONE 6 o inquérito: 2, um inquérito: 1, um outro inquérito: 2, o inquérito aberto: 1
3 Moraes 0 0 PERSON 5 (tacit) ele/ela (referent: Moraes): 1, Moraes: 4
4 presidente 40 0 NONE 4 O presidente: 2, o presidente: 2
5 Alexandre de Moraes 0 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: O ministro Alexandre_de_Moraes de o Supremo_Tribunal_Federal): 1, Alexandre_de_Moraes: 1, O ministro Alexandre_de_Moraes de o Supremo_Tribunal_Federal: 1, o ministro Alexandre_de_Moraes de o Supremo_Tribunal_Federal: 1
6 ataque 0 0 NONE 4 um ataque hacker: 3, ataque: 1
7 eu 0 0 NONE 4 (tacit) eu: 4
8 Federal 0 0 PERSON 3 a Polícia_Federal: 3
9 Tribunal Eleitoral 0 0 PERSON 3 o Tribunal_Superior_Eleitoral: 3
10 depoimento 0 0 NONE 3 o depoimento marcado: 2, depoimento: 1