Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Jair e Michelle Bolsonaro com a filha Laura em 7 de setembro de 2019

O presidente Jair Bolsonaro declarou neste domingo ninguém no seu governo está na “marca do pênalti“ após especulações nos últimos dias envolvendo ministros.

– O presidente Jair Bolsonaro não descartou nesta terça-feira uma nova prorrogação da ajudinha emergencial,- assistência paga pelo governo federal aos vulneráveis até o final do ano como maneira de enfrentamento ao novo coronavírus Questionado em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada a respeito da chance de prorrogação da ajudinha emergencial, que se o estendeu já uma vez, o presidente respondeu: «Pergunta para o vírus… A gente se prepara para tudo, mas deve esperar certas coisas ocorrer… esperamos que não seja necessário», declarou o presidente em um vídeo editado publicado nas redes sociais. «Espero que não seja necessário porque é sinal que a economia pegará e não vamo ter novos confinamentos no Brasil», adicionou. «A gente espera que não seja necessário e que o vírus esteja realmente de partida no Brasil, tá okay?», emendou. Nos primeiros meses da pandemia, o governo custeou uma ajudinha no valor de 600 reais mensais para os chamados vulneráveis. Faz 2 meses, diminuiu se o valor para 300 reais. Publicamente, o presidente sempre tem advertido para o efeito da assistência nas contas públicas de Brasil e que um dia esse apoio vai ter que acabar. – O presidente Jair Bolsonaro alegou nesta quinta-feira que o governo vai instituir no começo do próximo ano o programa Minha Primeira Empresa e realçou que aqueles que reclamavam de ser empregado vão ter a possibilidade de montar o seu próprio negócio. Em transmissão pelas redes sociais, Bolsonaro declarou que já falou do tema com o ministro da Economia, Paulo Guedes, embora não tenha dado detalhes de como vai ser o programa. O presidente, que elogiou a reforma trabalhista do antecessor Michel Temer, alegou também que ninguém está defendendo acabar com direitos e pediu para que não o acusem disso. Ainda assim, Bolsonaro comparou a situação a um casamento, declarando que tudo que é «amarrado demais» e «bastante rígido» acabando tendo «perda». O presidente exaltou novamente a geração de empregos no país, registrado mais cedo pelo Caged, e declarou que a economia está se recuperando em «V» da pandemia do novo coronavírus.

No domingo 22 de novembro – O presidente Jair Bolsonaro alegou neste domingo, em discurso proferido no domo do G20, que o governo trabalhará para repelir ataques ligados ao assunto ambiental vindo de nações menos competitivas e sustentáveis, ao mesmo tempo em que frisou que o país seguirá protegendo a Amazônia e o Pantanal. Em fala por videoconferência, Bolsonaro mencionou a necessidade de expor a «realidade dos fatos» após reconhecer que os acordos comerciais –que estão na agenda do governo para abertura econômica– são cada vez mais influídos pela questão ambiental. O presidente evidenciou que o país alimentava «quase um bilhão e meio de pessoas», garantindo a segurança alimentar de diversos países com a exportação de produtos agrícolas e pecuários «sustentáveis e de característica». «Ressalto que realizou-se essa verdadeira revolução agrícola em o Brasil usando somente %8 de nossas terras. Por isso, mais de 60% de nosso território ainda se encontrava conservado com flora nativa», declarou. » tenho orgulho de exibi esses números e reafirmar que trabalharíamos sempre para conservar esse aumentado nível de conservação, bem como para repelir ataques injustificados proferidos por nações menos competitivas e menos sustentáveis», adicionou. O posicionamento do presidente vinha num ano em que o Brasil tem sido duramente criticado internacionalmente pelo desmatamento e por queimadas na Amazônia, e pelava maneira como lidou com o fogo se alastrando pelo Pantanal. Roberto Campos Neto chegou a reconhecer o questionamento de investidores estrangeiros sobre a governança do país na área ambiental, pontuando que qualquer espécie de percepção que não estivesse em conformidade aRoberto Campos Neto chegou a reconhecer o questionamento de investidores estrangeiros sobre a governança do país na área ambiental, pontuando que qualquer espécie de percepção que não estivesse em conformidade afetava o fluxo de investimentos. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. Por sua vez, Paulo Guedes tem reiterado publicamente que há «oportunismo protecionista» de alguns países ao criticarem o Brasil. Paulo Guedes é o ministro da Economia. Neste domingo, Bolsonaro alegou que o país era responsável por menos de 3% da emissão de carbono, mesmo sendo uma das dez maiores economias do mundo, e que tem a matriz energética mais limpa dentre os integrantes do G20. «O que exibia aqui eram fatos, e não narrativas. eram dados concretos e não frases demagógicas que rebaixavam a discussão pública e, no limite, feriam a própria causa que fingiam apoiar», alegou. » continuaremos protegendo nossa Amazônia, nosso Pantanal e todos os nossos biomas», completou.

Jair Messias Bolsonaro é um capitão reformado, político e atual presidente brasileiro.

“Lá por enquanto não tem ninguém na marca do pênalti não. Não tem ninguém na marca do pênalti , está ok?”, declarou Bolsonaro quando questionado pela Reuters.

“Há três semanas vocês demitiram o Heleno e botaram na embaixada da França. Heleno veio falar… ‘logo na França? Bota em Bahamas’“, adicionou Bolsonaro, referindo-se ao ministro do Gabinete de Segurança Institucional . Emmanuel Macron é desafeto de Bolsonaro. Emmanuel Macron é o presidente de Francia.

— Questão pro vírus… — declarou Bolsonaro, com um sorriso na facezinha, em conversa com apoiadores na chegada ao Palácio da Alvorada.

Paulo Guedes caminhou divergindo do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sobre o ritmo das reformas estruturais. Paulo Guedes é o ministro da Economia. Paulo Guedes é o ministro da Economia. Antes, as fricções eram com a ala do governo que seria favorável a uma flexibilização dos gastos e chance de se furar o telhado de gastos.

Paulo Roberto Nunes Guedes GCRB · Gomm é um economista de Brasil.

Bolsonaro reiterou que Guedes é quem toma conta de 98% da economia e ele, como presidente somente 2%.

Por outro lado, — A gente espera que não seja necessário porque é sinal de que a economia pegará, e não vamo ter novos confinamentos no Brasil. É o que eu espero — disse.

“A economia esta na mão dele e é ele que decide como a Teresa Cristina decide a pecuária e agricultura“, declarou o presidente a jornalistas. Ele ainda fez elogios a Campos Neto.

Ao ser questionado se a ajudinha emergencial poderia ser estendido para 2021, outro ponto de discussão dentro do governo, Bolsonaro declarou que “isso é com a Economia”. No entanto, deu a compreender que não há espaço fiscal para um prolongamento da assistência.

“O ajudo foi endividamento mais de 700 bilhões … o Brasil suporta outra dessa? É como adquiri fiado no botequim… chega uma hora se você não paga o cara não vende mais pra você”, completou.

“Se fechar tudo novamente não sei como podemos reagir.”

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil, Bahamas

Cities: Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Ninguém no governo está na marca do pênalti, declara Bolsonaro
>>>>>Auxílio Emergencial: ‘Pergunta pro vírus’, responde Bolsonaro sobre possível prorrogação do benefício – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro não descarta nova prorrogação do auxílio emergencial – November 24, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Sem apresentar provas, Bolsonaro diz que foi ‘roubado demais’ na eleição de 2018 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Bolsonaro culpa pandemia por desajuste no mercado e alta dos preços dos alimentos – November 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro diz que moradores do campo não foram ‘frouxos’ durante pandemia – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Após prometer denunciar países, Bolsonaro faz acusação genérica a importadores de madeira ilegal – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro diz que governo vai criar programa Minha Primeira Empresa no próximo ano – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 0 80 PERSON 19 (tacit) ele/ela (referent: O presidente Jair_Bolsonaro): 2, Bolsonaro: 9, O presidente Jair_Bolsonaro: 4, O (referent: Bolsonaro): 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 3
2 o Brasil 0 95 PLACE 12 o Brasil: 7, (tacit) ele/ela (referent: o Brasil): 5
3 eu 290 0 NONE 9 (tacit) eu: 8, eu: 1
4 presidente 130 0 NONE 9 o presidente: 4, O presidente: 2, O presidente e para: 2, presidente: 1
5 governo 58 70 NONE 7 o governo: 4, governo: 1, o governo federal: 1, seu governo: 1
6 nós 60 0 NONE 7 (tacit) nós: 7
7 Paulo Guedes 0 30 PERSON 5 Paulo_Guedes (apposition: o ministro de a Economia): 2, Guedes: 2, Paulo_Guedes: 1
8 país 50 0 NONE 4 o país era responsável: 1, o país: 3
9 Ressalto 25 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Ressalto): 3, Ressalto: 1
10 ninguém 17 0 NONE 4 ninguém: 4