Por: SentiLecto

Flávio Dino compreende que incluir governadores e prefeitos na mesma CPI do Senado que vai investigar as ações do governo federal na guerrazinha na pandemia vai fazer com que as apurações não caminhem e comparou a tática adotada pelo presidente Jair Bolsonaro com a de um «batedor de carteira» que berra «pega assaltante para poder escapar». Flávio Dino é o governador do Maranhão.Ele alega que não há problemas em fazer uma outra delegação para analisar os repasses federais para estados e municípios.

— O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal , pela resolução de mandar o Senado instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito investigar a atuação do governo federal na pandemia de Covid-19. Bolsonaro alegou que Barroso faz «politicalha» e «ativismo judicial». CPI da Pandemia: Em cinco pontos, compreenda como a crise aumenta pressão sobre o governo Bolsonaro também alegou que Barroso não tem «coragem moral» para determinar também que o Senado analise pedidos de impeachment contra ministros do STF. Se exibiram diversos pedidos de impeachment contra membros de a Corte em os últimos anos, mas nenhum teve andamento. — Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial. Não é disso que o Brasil precisa. Vivemos um momento crítico de pandemia, pessoas falecem, e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal — declarou o presidente, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada. Analítico: CPI da Pandemia inicia em momento de fragilidade do governo Bolsonaro Bolsonaro publicou um trecho da conversa com apoiadores em suas redes sociais e escreveu que para Barroso «falta-lhe coragem moral e sobra-lhe imprópria militância política». Tomou-se a resolução de Barroso em a quinta-feira. A oposição conseguiu as assinaturas necessárias para que a delegação funcionasse, mas Rodrigo Pacheco vinha resistindo em instalá-a. Rodrigo Pacheco é o presidente do Senado.. O objetivo da CPI é investigar se o governo cometeu omissões na guerrazinha à pandemia do novo coronavírus. Na conversa com apoiadores, Bolsonaro criticou o alcance da CPI, por não investigar também governadores e prefeitos, e declarou que Barroso fez uma «jogadinha casada» com senadores de esquerda para «desgastar o governo». A resolução do ministro atendeu a um pedido dos senadores Jorge Kajuru e Alessandro Vieira . — A CPI não é para apurar desvio de recursos de governadores. É para apurar, segundo está lá na ementa do pedido de CPI, omissões do governo federal. Ou seja, uma jogadinha casada, Barroso bancada de esquerda do Senado para desgastar o governo. Eles não desejam saber o que ocorreu com os bilhões desviados por alguns governadores e alguns poucos prefeitos também. O presidente também criticou Barroso por ter atuado como advogado do ex-ativista italiano Cesare Battisti, que satisfaz pena de prisão eterna pela participação em quatro assassinatos no fim dos anos 1970. — Barroso, nós conhecemos teu passado, tua vida, o que você sempre defendeu, como chegou ao Supremo Tribunal Federal, inclusive defendendo terrorista Cesare Battisti. Então, utilize sua caneta para boas ações a favor da vida e do povo de Brasil, e não para fazer politicalha dentro do Senado Federal. Se tiver moral, um pingo de moral, mande abrir processo de impeachment contra alguns dos, se tiver moral seus companheiros no Senado Federal.

Na terça-feira 23 de março — O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal , negou liminar pedida pelo presidente Jair Bolsonaro e conservou válidos decretos dos governos do Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul com limitações de circulação de pessoas para conter a Covid-19. A resolução devia ser mandada para análise do plenário, mas ainda não há data definida para o julgamento acontecer. “Ante os ares democráticos vivenciados, impróprio, a todos os títulos, era a visão totalitária. Ao Presidente da República cabia a liderana liderança maior escreveu Marco Aurélio. A liderança maior é a coordenação de esforços visando o bem-estar dos brasileiros». A liderança maior é a coordenação de esforços visando o bem-estar dos brasileiros». Em personalidade reservada, ministros do Supremo declararam ao GLOBO que o pedido de Bolsonaro não devia ser atendido no julgamento em plenário. Segundo esses ministros, as medidas adotadas pelos governadores eram necessárias e não podiam ser comparadas com o estado de sítio, como afirmou o presidente. A ação, assinada pelo próprio Bolsonaro, foi ajuizada no STF na última sexta-feira. Segundo ele, não há previsão legal para o toque de recolher que tem sido adotado em alguns estados. A ação pedia que o Supremo determine que o encerramento de atividades não imprescindíveis durante a pandemia só podia acontecer com base em lei aprovada pelo Legislativo, e não por decreto diminuído por governadores. A jurisprudência recente do STF era no sentido de dar autonomia aos governadores e prefeitos para tomar atitudes no sentido de travar a pandemia. Assim como o governo federal, as autoridades locais têm o poder de diminuir decretos limitando a mobilidade da população, conforme resolução tomada pelo Supremo no ano passado. Esse entendimento devia ser conservado em plenário diante da ação proposta por Bolsonaro. Na quinta-feira à noite, Bolsonaro ddeclarouem sua live semanal que r recorreriaao STF para acabar com “abusos”. Na visão dele, os governadores impuseram “estado de sítio” ao editar medidas restritivas. Reforçou-se o discurso de o presidente em esta sexta-feira, em conversa com o jornalismo. — Onde era que nós pararemos? seria que antes que isso ocorra, o governo federal vai ter que tomar uma resolução? seria que a população estava preparada para uma ação do governo federal dura no tocante a isso? — questionou Bolsonaro nesta sexta-feira.

Qual avaliação o senhor faz do episódio da conversa do presidente Bolsonaro com o senador Jorge Kajuru ?

— Após a divulgação de uma conversa entre o presidente Jair Bolsonaro e o senador Jorge Kajuru , integrantes do governo federal consideram que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia é irreversível e pretendem intensificar a defesa por um aumento do alcance do inquérito. Auxiliares do presidente negam que a divulgação do áudio tenham sido combinada, mas acreditam que o fato vai auxiliar na narrativa de Bolsonaro, porque mostraria que ele não tem nada a esconder. Se Senado pode investigar governadores A avaliação no Planalto é que barrar a CPI, cPI da Pandemia: Pacheco vai fazer consulta para saber não é o percurso, mas insistir na defesa de um inquérito amplo. Apesar de admitirem um desgaste político, auxiliares consideram que Bolsonaro não tem nada a perder porque já é criticado constantemente e que não haveriam fatos novos a serem apresentados. Governadores e prefeitos que não estão sob evidência, por outro lado, podem ser prejudicados, já que o desenrolar de uma CPI é tido como imprevisível e novas inquéritos podem surgir. O governo federal insistirá na tese de que fez os repasses necessários, e que estados e municípios têm que responder como aplicaram os orçamentos. Vera Magalhães: Áudio de Bolsonaro com Kajuru é mais grave que o ‘Bessias’ de Dilma No áudio divulgado pelo senador Kajuru, Bolsonaro insiste em pedir um inquérito ou impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal . Auxiliares palacianos diminuem a fala, afirmando que o presidente já havia feito esta cobrança publicamente. Uma preocupação em relação à CPI é com a articulação política no Senado. Um ministro, escutado de maneira reservada, reconhece que a relação com os senadores é pior do que a com a Câmara, mas recusa a ideia de que é necessário entregar um ministério a um senador para reverter isso. Leia também: Objetivo do governo ao tentar incluir estados e municípios na CPI da Pandemia é inviabilizar o inquérito, declara Renan Na semana passada, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra , chegou a anunciar que iria trabalhar para retirar assinaturas do requerimento de criação da CPI. A iniciativa, contudo, fracassou. Diminuiu-se o trecho de a conversa e sair em a porrada em que Bolsonaro chama o senador Randolfe Rodrigues de » bosta » o trecho de a conversa e declara que teria que » sair em a porrada » com ele também . A avaliação é de que foi um ataque individualizado, a um parlamentar identificado com a esquerda, e não ao Senado. Bernardo Mello Franco: A compulsão de Bolsonaro com Randolfe Rodrigues Líder do governo no Congresso, o senador Eduardo Gomes declara que o Planalto não comportar-se para impedir a instalação da delegação, mas mencionou que ela só vai fazer sentido se englobar governadores e prefeitos: — Em as últimas dez CPIs sugestão aumentou o alcance de o roteiro de trabalho de o relator e eleição de o plenário de a CPI. Essa também seria. Como o senador Alessandro Vieira já pediu, e outros já pediram, não tem que debater isso. A CPI se funcionar vai ser com estados e municípios — declarou Gomes.O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal , determinou nesta quinta-feira a instalação da CPI da Pandemia no Senado. A oposição conseguiu as assinaturas necessárias para que a delegação funcionasse, mas Rodrigo Pacheco vinha resistindo em instalá-a. Rodrigo Pacheco é o presidente do Senado.. O objetivo da CPI é investigar se o governo Bolsonaro cometeu omissões na guerrazinha à pandemia do coronavírus.

São mais uma vez fatos graves, porque mostram de um lado Bolsonaro desesperado com a CPI e de outro lado chantagem sobre o Supremo. Isso é crime de responsabilidade. Segundo a lei 1.979 de 1950, o presidente não pode ameaçar e coagir os outros poderes. Configura uma interferência ilegítima. Ficou bastante nítido na gravação ele articulando pedido de impeachment do ministro do Supremo para fazer um arrego geral. Colocar todo mundo de joelho: governadores, o Senado, o Supremo. A gravação confirma que é um déspota.

Senadores reuniram assinaturas para uma CPI para investigar os estados e municípios. O senhor acha que é para desviar o foco?

Que a motivação é desviar o foco não resta a menor dúvida, porque antes ninguém tinha se estimulado para fazer tal inquérito. Desde que obedeça a Constituição e o batalhão interno do Senado, agora, ela pode acontecer. A Constituição declara que só pode fazer CPI com fato determinado. Não pode fazer CPI para investigar governadores e prefeitos. Só investiga fatos. O artigo 146 do regime interno do Senado declara que uma CPI não pode investigar estados e municípios por causa do princípio federativo, tem assembleias e câmaras municipais . Só é possível esse inquérito se se referir a recursos federais.

E se for para investigar recursos federais, como o senhor vê?

Quanto a isso não tem nenhum problema, acho até bom que ocorra. Chegaram por três vias: emendas de deputados federais, emendas de senadores e portarias do Ministério da Saúde, se recursos federais chegaram aos estados e municípios eles. É só pegar. Esse é um bom roteiro. Vai lá e investiga onde houve anormalidade.

O inquérito seria em uma única na CPI?

Colocar tudo numa CPI só é para não caminhar nada. O certo é fazer uma CPI sobre o governo federal, que é o vetor principal da crise com as ações e omissões do Bolsonaro, a fala sobre «gripezinha» a vacina, a má utilização do dinheiro público, os insumos. «gripezinha» é a máscara. Quando entregou a posição para o Queiroga, há um roteiro que é dado pelo próprio requerimento e por aquele discurso do Pazuello. É só pegar aquela gravação e isso é a CPI federal. Agora, deve investigar os recursos para estados e municípios. Ótimo. Agora se coloca tudo no mesmo balaio, no mesmo cesto, parece aquela tática de batedor de carteira que fica berrando pega assaltante para poder escapar. Tem que separar. Acho que têm que ser duas CPIs.

Mais do que medo, desespero. O Bolsonaro está cada dia mais desatinado. Faz 1 dia, ele fez um tuíte falando em expropriação de imóveis, ontem. Coisa absolutamente fantasiosa, não tem o menor sentido, coisas desconexas. Não estão no mundo da realidade. Ele está no despero porque estamos em abril, não tem verba, não tem política econômica. Há desemprego, fome e inflação de alimentos. O posto Ipiranga está mais do que fechado, ele faliu. A administração política é essa calamidade. Vem a CPI e ele faz ameaças. O Bolsonaro é aquele valentão que ostenta uma coragem que não tem. Ameaça, ameaça, mas não se notabiliza pela coragem pessoal.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Pedir governadores em CPI é como batedor de carteira que berra pega assaltante’, declara Flávio Dino
>>>>>Bolsonaro diz que Barroso fez ‘politicalha’ e ‘ativismo judicial’ ao mandar abrir CPI da Pandemia – April 09, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Barroso manda Senado instalar CPI da Pandemia – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Pacheco diz que vai instalar CPI da Covid, mas critica decisão do STF – April 09, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Ministro Fábio Faria afirma que abertura de CPI da Covid no Senado será ‘vitória antecipada’ de Bolsonaro – April 09, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Armamentista será relator no Senado de projeto que susta atos de Bolsonaro para flexibilizar aquisição de armas de fogo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Após áudio, integrantes do governo avaliam que não há como barrar CPI – April 12, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Autor do pedido de CPI da Covid, Randolfe reivindicará presidência ou relatoria na comissão – April 09, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>STF vai julgar na quarta-feira instalação da CPI da Pandemia no Senado – April 10, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Após decisão sobre CPI da Pandemia, Bolsonaro diz que Brasil está ‘sofrendo’ e não precisa de ‘conflitos’ – April 09, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro diz torcer para que STF mantenha decisão de abrir igrejas – April 07, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Fux se vacina no Rio e poupa Bolsonaro sobre dúvida em relação ao imunizante – April 02, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Fux é vacinado no Rio e poupa Bolsonaro sobre dúvida em relação a tomar imunizante – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Em discurso, Bolsonaro defende ‘liberdade total’ para médicos receitarem tratamento contra Covid-19 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Condenado no mensalão participa de posse de nova ministra do governo Bolsonaro – April 06, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo Bolsonaro adota modelo de posse reservada para novos ministros – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>‘Religiosos estão dispostos a morrer’: Sustentação oral de André Mendonça em julgamento sobre abertura de igrejas provoca críticas nas redes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>CPI da Pandemia não é a primeira investigação autorizada pelo STF; relembre outros casos – April 09, 2021 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 160 190 PERSON 24 O presidente Jair_Bolsonaro: 1, (tacit) ele/ela (referent: o próprio Bolsonaro): 1, O Bolsonaro: 2, (tacit) ele/ela (referent: o governo Bolsonaro): 1, um lado Bolsonaro: 1, o governo Bolsonaro: 1, (tacit) ele/ela (referent: O Bolsonaro): 3, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 2, o próprio Bolsonaro: 1, Bolsonaro: 7, o presidente Jair_Bolsonaro: 3, ele (referent: o próprio Bolsonaro): 1
2 eu 240 0 NONE 22 (tacit) eu: 21, me: 1
3 CPI 0 0 ORGANIZATION 19 CPI: 2, (tacit) ele/ela (referent: uma CPI): 1, A CPI: 1, a CPI: 3, a CPI federal: 1, (tacit) ele/ela (referent: A CPI): 2, uma CPI: 2, uma Cpi: 1, A CPI se: 1, a Cpi: 1, (tacit) ele/ela (referent: CPI): 3, (tacit) ele/ela (referent: a CPI federal): 1
4 Luís Roberto Barroso 0 175 PERSON 10 Barroso: 8, O ministro Luís_Roberto_Barroso de o Supremo_Tribunal_Federal: 1, o ministro Luís_Roberto_Barroso: 1
5 Senado 0 0 ORGANIZATION 7 Senado: 1, o Senado: 6
6 presidente 15 0 NONE 6 o presidente: 5, O presidente: 1
7 governadores 0 40 NONE 5 alguns governadores: 1, os governadores: 2, governadores: 2
8 coragem 340 0 NONE 5 coragem moral: 2, a coragem pessoal: 1, uma coragem: 2
9 assinaturas 240 0 NONE 5 as assinaturas necessárias: 4, assinaturas: 1
10 pandemia 0 200 NONE 4 a pandemia: 2, a pandemia de Covid-19: 1, pandemia: 1