Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Googlelogoi

Entre os motivos que levaram à prisão do deputado federal Daniel Silveira, que pede à Câmara autorização para se defender presencialmente no plenário, a defesa de medidas antidemocráticas, como a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal , tem gerado milhões de visualizações no YouTube, plataforma do Google também utusadaelo parlamentar para atagredi Corte. Levantamento feito pelo EXTRA com base em dados do programador Guilherme Felitti, fundador da companhia de análise de dados digitais Novelo Data, localizou ao menos 26 vídeos no ar com suporte ao encerramento do STF, retirada de ministros da posição ou intervenção militar no tribunal.

— A prisão do deputado federal Daniel Silveira , por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, na noite desta terça-feira, a Câmara dos Deputados vai analisar ela a partir das 13h de esta quarta-feira. O STF tem que analisar o caso já no primeiro item da pauta da sessão de hoje, calculado para as 14h. A Constituição declara que deputados e senadores só podem ser presos em flagrante de crime inafiançável. Na resolução, o ministro do STF declara que os comportamentos do deputado atentam diretamente contra a ordem constitucional e o Estado Democrático. Silveira divulgou um vídeo no qual proferia ataques e injúrias aos ministros da STF. Na resolução, Moraes determina a notificação do presidente da Câmara, Arthur Lira , “para as providências que compreender cabíveis”. A Constituição também determina que, no caso da prisão de deputados e senadores, “os autos serão enviados dentro de vinte e quatro horas à Casa respectiva, para que, pelo voto da maioria de seus membros, resolva sobre a prisão”. Na eleição, por maioria, os deputados podem conservar ou derrubar a prisão. O STF já decidiu que, em casos como esse, a eleição é aberta. A mesma norma sobre prisão de deputados vale para afastamento do mandato. Faz 1 ano, a Câmara invalidou resolução de o STF que afastou de o mandato o deputado federal Wilson Santiago, em o começo de 2020.Por unanimidade, os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal confirmaram nesta quarta-feira a prisão em flagrante do deputado Daniel Silveira , determinada ontem pelo ministro Alexandre de Moraes. No começo da sessão, antes de começada a eleição, Luiz Fux fez um breve discurso em prol da harmonia entre os Poderes e a favor do STF. Luiz Fux é o presidente da Corte.

YouTube é uma plataforma de compartilhamento de vídeos com sede em San Bruno, Califórnia.

16 canais as postagens publicadas entre 2018 e 2020 viram mais de 2,1 milhões de vezes. Páginas compartilharam os vídeos de apoiadores de o presidente Jair Bolsonaro e têm tom menos agressivo que o de o publicado por Daniel Silveira em a última terça-feira. Diferentemente da postagem do parlamentar, não há nesses casos xingamentos e palavrões direcionados a ministros da Corte, nem apologia a agressões, mas os proprietários dos canais se posicionam abertamente em defesa da retirada dos juízes da posição ou do encerramento do tribunal.

Blogueiros de os vídeos compartilhou parte e parlamentares bolsonaristas investigados em a investigação relatada por o ministro Alexandre de Moraes que apura atos antidemocráticos contra o STF. É o caso da deputada federal Bia Kicis e do presidente do PTB, Roberto Jefferson. Faz 1 ano, a parlamentar publicou em o seu canal uma live com Jefferson em a qual o ex-deputado defende a utilização por Bolsonaro de o artigo 142 de a Constituição, para » aposentar os ministros de o Supremo. compulsoriamente » os ministros do Supremo.

Em sua página em uma rede social, o parlamentar relatou: «Polícia federal na minha casa neste exato momento com ordem de prisão expedida pelo ministro Alexandre de Moraes». A prisão aconteceu por flagrante transgressão por crime inafiançável e foi determinada de profissão pelo ministro dentro do investigação das fake news –sem pedido da PF ou da Procuradoria-Geral da República .

— O presidente tem que invocar o poder moderador das Forças Armadas que está no artigo 142 da Constituição e aposentar compulsoriamente esses 11 ministros do Supremo — declara Jefferson no vídeo, que adiciona quase 100 mil visualizações.

As forças armadas de uma nação constituem o conjunto das suas organizações e forças de guerrazinha e de defesa.

O trecho da Constituição mencionado declara que as Forças Armadas, “sob a autoridade suprema do Presidente da República”, “destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”. Diversos Poderes, no entanto, como as áreas técnicas da Câmara e do Senado, além da Procuradoria Geral da República , já alegaram que o artigo não autoriza a execução de uma intervenção militar.

Preso por descumprir medidas cautelares determinadas pelo STF no âmbito da investigação sobre os atos antidemocráticos, Oswaldo Eustáquio também defende a utilização do artigo para revogar resoluções da Corte. Se um ministro do tribunal não aceitar uma intervenção, em um vídeo publicado no ano passado com mais de 300 mil visualizações, ele propõe hipoteticamente que os militares podem utilizar o fuzil :

Como o EXTRA mostrou nesta quarta-feira, Silveira fez apologia a agressões físicas contra os ministros e defendeu a «destituição» deles. Investiga-se Silveira em a investigação de os atos antidemocráticos que apura a organização e execução de manifestações com ataques a o Legislativo e a o Judiciário, que apura a organização e execução de manifestações com ataques ao Legislativo e ao Judiciário, e também na investigação das fake news, que apura ataques aos ministros da corte.

— Quais são os meios que os militares têm para fazer satisfazer a lei e a ordem? Levar uma rosa? É o fuzil.

Outros 19 vídeos também fazem referência ao artigo 142. Em outras três publicações, a apologia ao encerramento do tribunal já aparece no título. É o caso de um vídeo de setembro de 2019 do jornalista Políbio Braga, que tem 150 mil inscritos em seu canal, e no qual ele alega que “chegou a hora de fechar o STF e o Congresso”.

O YouTube não tem, entre suas diretrizes, uma interdição expressa contra discursos que preguem medidas antidemocráticas, como o encerramento do STF. Para um vídeo ser removido, o usuário precisa, além de defender o rompimento democrático, violar uma das normas já calculadas pela plataforma, como incitação aa Animosidade, assédio ou ameaça. Outra chance é uma resolução judicial. Internamente, segundo apurou o EXTRA, há avaliação de que quando há, não é o YouTube que tem que definir nesses casos ou não violação da lei, mas a Justiça.

A companhia alegou, em nota, que não comenta casos específicos, mas quando não há violação, evidenciou que à sua política de uutilização a dresoluçãosobre remoção do conteúdo cabe ao Judiciário.— As sanções do YouTube são praticamente inofensivas. O mais habitual é a plataforma não fazer nada, quando alguém infringe normas. O que costumam fazer é desmonetizar o vídeo e tirá-lo das recomendações, mas ele continua sendo um vetor de desinformação em outras plataformas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Viram-se ataques em o YouTube, a o STF 2,1 milhões de vezes
>>>>>PF prende em flagrante deputado bolsonarista que divulgou vídeo com ofensas a ministros do STF – February 17, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Deputado investigado por atos antidemocráticos divulga vídeo com discurso de ódio atacando ministros do STF – February 16, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Supremo tem 377 julgamentos parados por pedidos de vista – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>STF determina que Polícia Federal investigue gastos do Ministério da Saúde com compra de cloroquina – February 15, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Aras rejeita pedido de Moro para investigar suspeitas envolvendo Abin em inquérito sobre interferência na PF – February 12, 2021 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Próximos passos: Câmara deve analisar prisão de Daniel Silveira, após decisão do STF – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Por unanimidade, STF mantém prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira – February 17, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Auxiliares de Bolsonaro defendem que governo não se envolva em caso de deputado preso – February 17, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Réus na Lava-Jato, novos aliados de Bolsonaro aumentam influência no governo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>PSL diz que vai expulsar Daniel Silveira do partido – February 17, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Defesa de deputado bolsonarista classifica prisão como ‘ilegal’ e aguarda soltura pela Câmara – February 17, 2021 (EntretenimientoBit)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Daniel Silveira 0 0 PERSON 8 Daniel_Silveira: 3, (tacit) ele/ela (referent: Silveira): 2, Silveira: 3
2 vídeo 0 0 NONE 6 o vídeo: 2, um vídeo publicado: 1, um vídeo: 3
3 A Constituição 12 0 OTHER 5 a Constituição: 2, A Constituição: 2, (tacit) ele/ela (referent: A Constituição): 1
4 YouTube 0 0 PERSON 5 YouTube: 1, o YouTube: 3, O YouTube: 1
5 casos 70 60 NONE 4 esses casos xingamentos: 1, casos: 1, esses casos: 1, casos específicos: 1
6 Alexandre de Moraes 0 0 PERSON 4 o ministro Alexandre_de_Moraes: 4
7 STF 0 0 ORGANIZATION 4 o STF: 1, STF: 1, O STF: 2
8 decisão 0 0 NONE 4 uma decisão judicial: 1, a decisão: 3
9 esta 0 0 NONE 4 esta: 4
10 vídeos 0 0 NONE 4 os vídeos: 1, Os vídeos: 1, Outros 19 vídeos: 1, 26 vídeos: 1