Por: SentiLecto

Estes são links externos e vão abrir numa nova janela

Um dia após a operação da Polícia Federal para satisfazer mandados de busca e apreensão no âmbito de uma investigação contra fake news que corre no Supremo Tribunal Federal, o presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e aliados reagiram com críticas e ameaças ao STF.

«As coisas têm um limite. Faz 1 dia, foi o último dia «, alegou Bolsonaro diante do Palácio do Alvorada em esta quinta-feira, ontem. «Acabou, porra! Me desculpem o desabafo. Acabou. Não dá para admitir mais atitudes de certas pessoas individuais, tomando de maneira quase que pessoal certas ações.»

Diante de jornalistas, ele alegou também que «jamais tive a intenção de controlar a PF, pelo menos serviu . Mas ordens absurdas não se satisfazem, devemo botar um limite nessas questões». Bolsonaro respondeu: «Quem tá falando sou eu, não estou dando entrevista, quando um jornalista começou uma questão. Vai embora», se não deseja me escutar.

Pela manhã, pelo Twitter, o presidente declarou que «ver cidadãos de bem terem seus lares invadidos por exercerem seu direito à liberdade de expressão é um sinal de que algo mbastantegrave está aocorrendona nossa democracia» e que «estamos trabalhando para que se faça valer o direito à livre expressão em nosso país. Nenhuma violação desse princípio tem que ser aceita passivamente!»

A operação da PF fez buscas em endereços ligados a empresários, políticos e blogueiros próximos a Bolsonaro, acusados de financiar e administrar uma rede de disseminação de notícias falsas que beneficiaria o governo e, nos vocábulos do ministro Alexandre de Moraes – que governa a investigação no STF -, ameaçar a democracia, o estado de direito e a independência entre os Poderes.

Segundo Da Mata, há três núcleos sob inquérito: «o operacional, que conta com assessores de deputados estaduais e federais; o distribuidor, que envolve sites e blogs; e o núcleo econômico, que todos desejamo identificar». Um dos objetivos próximos passos da CPMI é «seguir o percurso do dinheiro».Nesta segunda-feira, uma das principais notícias da Business Insider assinala, no título, que «povos indígenas brasileiros correm risco de ‘genocídio'», assinalando taxas de mortalidade mais aceleradas que no restante da população.»O regime democrático precisa ter engrenagens de contenção que façam sua defesa. A Constituição não aceita ditadura, nem a desestruturação dos poderes», alega.

Na sexta-feira 08 de maio uma série de publicações com rumores sobre caixões vazios ou com rochas, em meio à pandemia do novo coronavírus, t temcirculado nas redes sociais nas últimas semanas. Informações falsas e imagens e notícias de anos anteriores compartilhadas massivamente buscavam diminuir ou contestar o atual cenário de mortes em decorrência da covid-19, enfermidade provocada pelo vírus, no Brasil.

Moraes em um webinário na quarta-feira. declarou: «robôs não constroem a liberdade de jornalismo , o que é construído por robôs são as fake news». «Ao possibilitar dessas milícias digitais, vamo estar permitindo um ataque à liberdade de ijornalismo»

Em uma transmissão ao vivo por redes sociais, o filho do presidente, deputado Eduardo Bolsonaro , alegou que «não é mais uma questão de se, mas de quando» haverá um «rompimento» institucional e que seu pai pode ter de tomar uma «medida enfática».

«Eu até compreendo quem tem uma postura mais moderada, vamos declarar, para não tentar chegar ao momento de rompimento, um momento de cisão ainda maior, um conflito ainda maior. Eu compreendo essas pessoas que desejam evitar esse momento de caos. Mas falando bem abertamente, opinião do Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de ‘se’, mas de ‘quando’ isso vai acontecer», declarou em live do blogueiro Allan dos Santos, um dos alvos da operação da Polícia Federal.

«Não se enganem: quando chegar ao ponto em que o presidente não tiver mais saída e for necessária uma medida enfática, ele é que será taxado como ditador.»

Ao seu lado, Santos chamou Alexandre de Moraes de «criminoso» e «moleque» e falou que a ação do ministro foi uma «tirania» e tentativa de «criminalizar opinião».

Na mesma transmissão, a deputada Bia Kicis alegou que entrou com pedido de impeachment contra Moraes.

Políticos, como a ministra Damares Alves e a deputada federal Carla Zambelli , afirmaram defender a «liberdade de expressão» e serem contra o «cerceamento de direitos».

A , que também foi alvo da operação de Polinesia Francesa de quarta, respondeu com ameaças a Moraes: alegou que «essa foi a pior resolução da vida» do ministro e que ele «jamais mais vai ter paz».

O empresário Luciano Hang, que é acusado de ter financiado a rede de fake news, agradeceu as manifestações de Bolsonaro pelo Twitter e declarou que «nunca vou deixar de falar o que eu penso. Estamos juntos com o povo de Brasil para mudar o nosso país. Democracia e liberdade é tudo!»

‘Ação planejada para confronto institucional’

«Em rostito dessa situação, a Comissão Arns diz seu suporte e sua solidariedade ao Supremo Tribunal Federal e ao Poder Judiciário geralmente, em razão de sua imprescindibilidade como responsável pela aplicação da lei, para elidir conflitos de interesses, com o fim de conservar a ordem e a paz sociais, de acordo com a Constituição e com as leis pátrias.»

Faz 2 anos, instituiu se a delegação para investigar suspeitas de ataques em a internet e uso de perfis falsos e foi aumentada para apurar a possível utilização de essas práticas depois de o pleito.

Fonte: BBCBrasil-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil

Cities: Alvorada

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Acabou, porra’: as reações de Bolsonaro e aliados um dia após operação contra fake news
>>>>>Inquérito do STF sobre fake news: entenda as polêmicas da investigação que provoca atrito entre Bolsonaro e a Corte – May 27, 2020 (BBCBrasil-pt)
>>>>>De ‘quebrar Brasil’ a ‘levar país a desastre’, a imagem de Bolsonaro na imprensa internacional – May 25, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Coronavírus: Brasil vai se tornar ‘Coreia do Norte em questões sanitárias’, diz pesquisador – (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>Coronavírus: EUA banem entrada de estrangeiros que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias – May 24, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Qual pode ser o impacto da divulgação do vídeo com falas polêmicas de Bolsonaro e seus ministros? – (BBCBrasil-pt)
>>>>>Operação da PF contra bolsonaristas acirra debate jurídico sobre validade do inquérito das fake news – May 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>As suspeitas por trás da operação que levou a PF à residência do governador Witzel no RJ – May 26, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>O que se sabe até agora sobre operação da PF na na residência oficial de Witzel – May 26, 2020 (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>>>>>Falas em reunião são ou não provas contra Bolsonaro? – (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>>>>>Vídeo de reunião inflama base mais fiel a governo, mas afasta apoio de outros grupos, dizem analistas – (BBCBrasil-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 270 0 NONE 14 Me: 1, eu: 2, Eu: 3, me: 1, (tacit) eu: 7
2 nós 80 0 NONE 7 (tacit) nós: 7
3 Eduardo Bolsonaro 0 0 PERSON 6 Bolsonaro: 3, deputado Eduardo_Bolsonaro (apposition: o filho de o presidente): 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 2
4 A Constituição 0 0 OTHER 3 a Constituição: 1, A Constituição: 1, (tacit) ele/ela (referent: A Constituição): 1
5 Moraes 0 0 PERSON 3 Moraes: 3
6 news 0 0 PERSON 3 news: 3
7 o empresário luciano_hang de ter financiado a rede de fake news e que 0 100 NONE 2 O empresário Luciano_Hang de ter financiado a rede de fake news e que: 2
8 notícias 55 80 NONE 2 notícias falsas: 1, as principais notícias: 1
9 ameaças 0 60 NONE 2 ameaças: 2
10 a liberdade de imprensa 80 0 NONE 2 A liberdade de imprensa: 1, a liberdade de imprensa: 1