Por: SentiLecto

Falava com amigas no último fim de semana sobre como, nesta pandemia, o mundo parece ter apertado um botão de intervalo na expectativa de uma vacina. O movimento antivacina caminha calado — ainda bem! — mas, por outro lado, estamos deixando de nos proteger — e a nossos filhos adolescentes — de tantas outras enfermidades evitáveis, que também matam, com vacinas que a ciência nos presenteou após anos e anos de pesquisa. É o caso da imunização contra o papilomavírus . A cobertura vacinal no Brasil de meninas de 9 a 14 anos está abaixo de 50%. E a dos meninos, abaixo de 20%. E a vacina está logo ali, no posto de saúde, de graça!

É difícil não me inquietar ao ver minhas filhas hipnotizadas tanto tempo diante do celular, acessando pessoas e conteúdos que desconheço, ainda que a pesquisa permita um olhar otimista para a internet. Um percurso que vejo é procurar estar também nas redes, saber quem e quais grupos seguem, seguir alguns de seus amigos, conhecer seus youtubers favoritos e o que postam. Amor não falta, mas haja tempo e disposição!

Os dados entendem os anos de 2014 a 2019. Os de 2020 só serão divulgados em março do ano que vem. O estado do Rio, com somente 12,2% dos meninos vacinados, só ganha do Acre no ranking nacional, com 12,08%. Vejam abaixo os números do Ministério da Saúde por unidade da federação e gênero.

O vírus também provoca câncer de pênis, de ânus e de garganta, embora esteja associado ao câncer de colo de útero em mulheres. Publicado em 2017, o estudo HIM , feito com mais de 4 mil homens de 18 a 73 anos de Brasil, México e Estados Unidos, assinalou que 72% dos brasileiros exibiam HPV na região genital. Mexicanos eram 62% contagiados e de America, 61%.

Potenciais conseqüência prejudiciais parecem estar restritos ao fase de 2009-2010, declara a sinopse do estudo científico.

Para meninas de 9 a 14 anos, o esquema é de duas doses, com pausa de seis meses entre elas. Meninos podem tomar entre os 11 e 14 nos meninos. A efetividade da vacina chega a 98%.

Entre amigas, numa boa propaganda dos filhos adolescentes, além de declarar que são afáveis, educados, estudiosos e inteligentes, não pode faltar a brincadeira: «E é vacinado!»

Siga-me no Instagram @danieladariano

‘Liguem suas câmeras! A gente se sente bastante sozinho’, pede professora a estudantes adolescentes

Seu filho não é quem você imagina

‘Sou em defesa de trocarem a gramática por leitura’, declara fundadora da Estação das Letras

Dicionário adolescente: 50 tons de satisfatório

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Mexico, Brazil

Cities: Mexico

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Menos de 20% dos adolescentes estão vacinados contra o HPV
>>>>>Novo estudo diz que uso de redes sociais não aumenta o risco de depressão em adolescentes – August 19, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 0 NONE 7 (tacit) eu: 5, me: 2
2 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 1, nos: 2
3 amigas 160 0 NONE 2 amigas: 2
4 Mexicanos 0 0 PLACE 2 Mexicanos: 1, (tacit) ele/ela (referent: Mexicanos): 1
5 caminho 0 0 NONE 2 Um caminho: 2
6 filho 0 0 NONE 2 Seu filho: 2
7 meninos 0 0 NONE 2 os meninos: 1, os meninos vacinados: 1
8 o Brasil de meninas de 9 0 0 PLACE 2 o Brasil de meninas de 9: 1, Brasil: 1
9 potenciais efeitos prejudiciais 70 140 NONE 1 Potenciais efeitos prejudiciais: 1
10 preocupar a o ver minhas filhas hipnotizadas tanto tempo diante_do celular 0 110 NONE 1 preocupar a o ver minhas filhas hipnotizadas tanto tempo diante_do celular: 1