Por: SentiLecto

Quanto custa uma morte por encomenda? Segundo o titular da Delegacia de Homicídios , Daniel Rosa, o grupo de matadores cobrava até R$ 1,5 milhão por cada assassinato que praticavam. Os principais clientes seriam contraventores em disputas por pontos de exploração de jogo. Faz 5 meses, terça-feira, a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro deflagraram uma operação tendo integrantes de o bando como alvos, em a manhã de esta.

— Uma vez que eles matavam por dinheiro, foram prisões pertinentes, não só para elucidar os casos em andamento na DH, como para proteger a população do Rio. Eles cobravam de R$1 milhão a R$ 1,5 milhão — alegou o delegado.

Segundo Daniel Rosa, o grupo era contratado para executar friamente. O valor da morte por encomenda dependia do obstáculo do «serviço», de acordo com o delegado.

— O nível de sofisticação chegou a nos impressionar durante os inquéritos. Em alguns casos, os criminosos utilizaram drones. Para fazer a vigilância de suas vítimas, ficavam seis, sete, nove meses até conseguirem seu objetivo: executar friamente com diversos tiros de fuzil — detalhou Rosa.

Na sua vez, — Você não fará gracinha. Estamos te respeitando.

Na quarta-feira 03 de junho a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio fizeram uma megaoperação, nesta terça-feira, contra um grupo de milicianos que atuava na comunidade do Tirol, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. No total, foram expedidos 24 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão que foram satisfeitos em pelo menos quatro bairros. Entre os alvos da ação – batizada de Colônia – estavam três de Polinesia Francesa militares da ativa. Se delatou Um quarto PM também por corrupção passiva. No fim do dia, o balanço da operação assinalou 15 presos – quatro deles já estavam na cadeia. Se acusavam os integrantes de a milícia de crimes como assassinato, extorsão, porte de arma de fogo e venda ilegal de botijões de gás.

Um dos mandados de busca e apreensão foi contra o contraventor Fernando Ignacio, genro do famoso bicheiro dos anos 80 e 90, Castor de Andrade, já morrido. De acordo com o delegado da DH, ele é suspeito de pagar o grupo pela morte de um adversário conhecido como Andinho.

Faz 2 anos, se investigou o bando de Mad quando uma acusação anônima chegou em a DH informando que Ronnie Lessa havia executado a parlamentar, pela morte de Marielle.Faz 2 anos, Mad e Tonhão, inclusive, haviam sido escutados por a DH sobre o Caso Marielle, assim como o ex-capitão de o Bope Adriano da Nóbrega No entanto, o titular da DH Capital, delegado Daniel Rosa, descartou a participação do bando na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Antes do começo das buscas, Mad ficou sentar-se na varando por cerca de três minutos. Se o chamou só então de volta a o quarto para que o cômodo pudesse ser revistado. Nos armários, a coordenadora do GAECO olhava com atenção cada uma das blusas. Na época do homicídio do empresário Marcelo Diotti da Mata, na Barra da Tijuca, em 14 de março de 2018, os inquéritos teriam chegado a Mad e seu grupo por meio de imagens de câmeras de segurança no estacionamento do restaurante onde o crime ocorreu. Simone Sibilio parecia procurar por uma blusa especificamente. No quarto também foram apreendidos aparelhos de celular.Antes do começo das buscas, Mad ficou sentar-se na varando por cerca de três minutos. Se o chamou só então de volta a o quarto para que o cômodo pudesse ser revistado. Nos armários, a coordenadora do GAECO olhava com atenção cada uma das blusas. Na época do homicídio do empresário Marcelo Diotti da Mata, na Barra da Tijuca, em 14 de março de 2018, os inquéritos teriam chegado a Mad e seu grupo por meio de imagens de câmeras de segurança no estacionamento do restaurante onde o crime ocorreu. Simone Sibilio parecia procurar por uma blusa especificamente. No quarto também foram apreendidos aparelhos de celular.— Já tentaram confundir os inquéritos do Caso Marielle uma vez, com o testemunho do suposto delator Rodrigo Ferreira . Não duvido que sejam capazes disso . Se se as utilizaram em outros crimes, vamo analisar o material apreendido, inclusive armas, para saber. Não adiantam se esconder , que a Polícia Civil e o MP continuarão nos inquéritos — declarou o delegado.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Crime por encomenda custava atá R$ 1,5 milhão’, declara delegado da Homicídios sobre grupo de matadores
>>>>>Escritório do Crime: saiba como foi a prisão de líder de grupo em operação da Polícia Civil e do MP – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Saiba como foi a prisão de líder de grupo de pistoleiros em operação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Grupo de matadores criado pelo ex-capitão Adriano é alvo de ação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Escritório do Crime: grupo de matadores suspeito dos assassinato de Marielle é alvo de operação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Escritório do Crime: grupo de matadores suspeito do assassinato de Marielle é alvo de operação da Polícia Civil e do MP – June 30, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Delegado diz que haverá redução de homicídio no Rio com a prisão de integrantes de grupo criminoso – June 30, 2020 (EntretenimientoBit)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Mad 0 0 PERSON 9 Mad: 5, (tacit) ele/ela (referent: Mad): 2, (tacit) ele (referent: Mad): 2
2 quarto 0 0 NONE 4 o quarto: 4
3 assassinato 0 180 NONE 3 o assassinato: 2, homicídio: 1
4 investigações 0 16 NONE 3 as investigações: 3
5 DH 0 0 ORGANIZATION 3 a DH: 2, (tacit) ele/ela (referent: a DH): 1
6 delegado 0 0 NONE 3 o delegado: 3
7 grupo 0 0 NONE 3 o grupo era: 1, seu grupo: 2
8 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 2, nos: 1
9 crime 0 160 NONE 2 o crime: 2
10 crimes 0 160 NONE 2 crimes: 1, outros crimes: 1