Por: SentiLecto

Entre as 22 pessoas indiciadas pela Polícia Federal, na última quinta-feira, por crime contra o sistema financeiro nacional, estão o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos e demais integrantes que se passariam por consultores, além de supostos «laranjas» da organização criminosa. Quando se aplica num investimento, para a Polícia Federal, Glaidson e a mulher dele, a de Venezuela Mirelis Yoseline Diaz Zerpa, ambos de 38 anos, são sócios da GAS Consultoria e culpados por um esquema conhecido como Ponzi , sem a necessidade de mencionar outras pessoas para o negócio. O grupo utilizaria criptomoedas, daí o cognome de Glaidson: «faraó dos Bitcoins».se acusam todos além do crime contra o sistema financeiro nacional, de lavagem de dinheiro e administração temerária ou fraudulenta.

Em comunicado: Companhia do ‘faraó dos bitcoins’ adverte a investidores que parará pagamentos até que a Justiça desbloqueie bens

Na segunda-feira 30 de agosto o relatório do Ministério Público Federal e da Polícia Federal que embasou a prisão do ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos, de 38 anos, proprietário da GAS Consultoria Bitcoin – que prometia rendimentos descomunais mediante investimentos em criptomoedas – assinala que somente os 27 maiores destinatários de recursos das contas bancárias do acusado e de sua companhia receberam cerca de R$ 2,3 bilhões entre 2018 e 2020. A lista das transferências milionárias, que para a PF mencionavam lavagem de dinheiro, incluía companhias de consultoria, escritórios de advocacia, pessoas físicas e até a Igreja Universal do Reino de Deus.

Faz 1 mês, desarticulou se a organização criminosa quando a PF, com o suporte de o Ministério Público Federal e de a Receita Federal, realizaram a Operação Kryptos. A ação redundou na prisão do ex-garçom, com quem foram encontrados, segundo a polícia, cerca de R$15,3 milhões em dinheiro vivo. Em seis anos, ele teria agitado cerca de R$ 38 bilhões. A principal área de atuação do grupo era Cabo Frio e algumas cidades da Região dos Lagos. A mulher de Glaidson se encontra foragida. Segundo a PF, ela está nos Estados Unidos. Faz 5 meses, foi a apreensão de R $ 7 milhões feita por agentes federais de este ano que colocou Glaidson e Mirelis em a mira de a PF., que colocou Glaidson e Mirelis na mira da PF. Encontrou-se o dinheiro com eles, em o momento em que embarcavam em um helicóptero, em Armação dos Búzios, cidade de a Região dos Lagos, com destino a São Paulo. Os inquéritos sobre a origem do dinheiro acabaram revelando a existência do esquema do bando.Glaidson Acácio dos Santos

Faz 7 anos, Glaidson foi pastor em a Igreja Universal do Reino de Deus, em a Venezuela, até 2014. Ele voltou do país com a companheira, a de Venezuela Mirelis Yoseline Diaz Zerpa era garçom em um restaurante de Búzios, na Região dos Lagos. Naquela ocasião, ele ganhava pouco mais de R$ 800, segundo o Ministério Público do Trabalho. Faz 6 anos, então o empresário decidiu sair de a companhia e abrir o Sol e Lua Restaurante que posteriormente se chamaria a G.A. S Consultoria e Tecnologia LTDA. o : – que posteriormente se chamaria a G.A.S Consultoria e Tecnologia LTDA. O comércio ficava no mesmo endereço onde o ex-garçom morava, na Praia do Siqueira, em Cabo Frio. Naquele ano, de acordo com a Receita Federal, a companhia “teve movimentação financeira muito modesta e compatível com seu porte: R$ 73.799,39 ”. Em junho de 2018, Glaidson modificou o nome da companhia para GAS Consultoria e Tecnologia e se mudou para um edifício no centro de Cabo Frio. Quando a movimentação financeira começou a estourar, foi.De acordo com o MPF, ao mencionar o negócio de Glaidson, alegou que “o esquema criminoso está em franca operação e aumenta em proporção geométrica”. Faz 3 anos, segundo o órgão, a GAS agitou pouco mais de R $ 1 milhão. No ano seguinte, a ampliação nas contas da companhia foi exponencial: R$ 477.648.698,03 e R$ 476.238.943,04 . Já a movimentação financeira relativa a Glaidson, declaram os procuradores, foi de R$ 294.271.823,15 e R$ 296.417.678,95 ”. De acordo com a PF, Glaidson agitou mais de R$ 2 bilhões na GAS. Ele também é proprietário de outras quatro companhias no Rio de Janeiro e em São Paulo. Somadas elas têm capital social avaliado em R$ 136 milhões. As empresas — duas em Cabo Frio, na Rio, e duas em Barueri, em São Paulo — juntas adicionam R$ 136,2 milhões. As companhias são: G.A.S Consultoria e Tecnologia LTDA , G.A.S Assessoria e Consultoria Digital Eireli , G.A.S Inovação Tecnologia Artificial LTDA e Tronipay Soluções em Pagamentos e Cartão LTDA .Mirelis Yoseline Diaz ZerpaA venezuelana Mirelis Yoseline Diaz Zerpa, de 38 anos, esposa e sócia de Glaidson, de 38, na GAS Consultoria Bitcoin, é quem organiza os trades da companhia. É o que consta nos inquéritos da Polícia Federal e da Delegacia de Combate às Organizações Criminosas e à Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil do Rio. Os investigadores da Polícia Civil deduziram a apuração de uma investigação de lavagem de dinheiro e evasão de divisas e enviaram para o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Rio. Se a considera, segundo a PF, Mirelis está nos Estados Unidos e foragida. Seu nome consta na difusão vermelha da Interpol para extradição. O ex-pastor é sócio da mulher em duas companhias: G.A.S Consultoria e Tecnologia LTDA e G.A.S Inovação Tecnologia Artificial LTDA . Tunay Pereira Lima e Márcia PintoTunay, que foram presos pela Polícia Federal no último dia 25, e Márcia são casados. Os dois se identificam como consultores na aplicação em criptomoedas. Quando se aplica no investimento, eles investem o dinheiro no esquema conhecido como Ponzi , sem a necessidade de mencionar outras pessoas para o negócio. A captação de clientes para o negócio, segundo a acusação, seria feita num condomínio comercial da Barra da Tijuca, onde era localizada uma companhia de Tunay. O empresário e a mulher foram presos em São Paulo. Tunay estava num aeroporto e declarou que estava embarcando para um congresso da G.A.S em Punta Cana, na República Dominicana. A Consultória em Soluções e Tecnologia Lima Eireli, pertencente a Tunay, sócio de Glaidson, recebeu R$ 224,9 milhões. Por sua vez, na conta pessoal do empresário, as transações ultrapassaram R$ 77 milhões em dois anos. Já a Consultoria e Tecnologia dos Anjos Eireli, da mulher dele, recebeu do ex-garçom a soma de R$ 60 milhões. Passaram pelas contas pessoais da mulher outros R$ 37 milhões. Para os investigadores, dinheiro oriundo de lavagem que, posteriormente, voltaria para Glaidson.Felipe José Silva Novais e Kamila Martins Novais

No centro do poder político nacional, a cidade brasileira, Glaidson também tem negócios com movimentações milionárias e participação de pelo menos 12 pessoas e 10 companhias, assinala o relatório do Ministério Público Federal e da Polícia Federal , que pediu a prisão do ex-garçom. Para tocar esse braço na capital federal, de acordo com o documento, as operações tinham a supervisão do casal Felipe José Silva Novais e Kamila Martins Novais. Os dois teriam recebido de Glaidson, aproximadamente, R$ 80 milhões num fase de dois anos e meio. O que os procuradores e delegados chamam de Núcleo Brasília existiria, pelo menos, desde 2017. O relatório identificou que a primeira viagem de Glaidson ao Distrito Federal aconteceu em 24 de agosto daquele ano. Em seguida, ele regressou mais sete vezes. Faz 4 anos, foi também, segundo o relatório, que as transações entre Felipe Novais e Glaidson passaram a chamar a atenção de as instituições financeiras e começaram a ser comunicadas ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras . A partir de então, as cifras se multiplicaram. Faz 3 anos, relatório de o Coaf, entraram R $ 8,1 milhões em as contas de Felipe Novais de transferências feitas, por Glaidson, somente em o segundo semestre de 2018 segundo os. Faz 3 anos, em 27 de junho de 2018, o suposto supervisor em Brasília ingressou como sócio de a companhia de o ex-garçom, a GAS Consultoria e Tecnologia, condição em a qual permaneceu formalmente até 2019, alguns meses antes. E com a instalação do núcleo na capital nacional, de acordo com os investigadores, seus operadores obtiveram um «imenso e injustificado patrimônio». Os dados evidenciam que, entre 2016 e 2020, a movimentação financeira do casal Novais saltou de aproximadamente R$ 217,4 mil para quase R$ 16,9 milhões. No mesmo fase, os bens e direitos dos dois, adicionados, foram de R$ 244 mil para cerca de R$ 2,28 milhões. Kamila, que em 2018 trabalhava como ajudar de escritório, com salário de pouco mais de R$ 3,3 mil, declara o documento, teve «abrupta evolução patrimonial». Quanto ao marido, segundo trecho de um relatório da Receita Federal transcrito pelo MPF e pela PF, Felipe Novais era «autônomo, trabalhava com venda de grãos, veículos, compra e venda de terrenos, constrói casas no Brasil e fora do Brasil, compra terrenos para Igreja Universal».Vicente Gadelha e Andrimar Morayma

Na sua vez, no relatório do inquérito, ao qual O GLOBO teve acesso, consta que a mulher, de 55 anos, foi alvo de interceptações telefônicas realizadas com autorização da Justiça. Chamou a atenção dos agentes o fato de que, não houve, no fase do grampo, nenhum diálogo, ligação ou mensagem de texto que mencionasse qualquer envolvimento dela com os negócios das firmas, embora aparecesse como sócia em três companhias ligadas às atividades do filho.Mais de R$ 14,7 milhões foi a soma movimentada somente no ano passado por João Marcus Pinheiro Dumas Viana, um dos alvos do segundo período da Operação Kryptos, segundo a Polícia Federal. Se o assinala por os como suspeito de ser o operador financeiro de o esquema de Glaidson Acácio preso em o primeiro período de a ação ., preso no primeiro período da ação. Se utilizariam as contas bancárias de João Marcus e de a mulher de ele, Larissa Viana Ferreira Dumas, para receber e agitar recursos de o ex-garçom. Segundo o inquérito da PF, foram identificadas operações suspeitas de João Marcus em contas bancárias da GAS Consultoria. No ano passado, de acordo com levantamento feito durante os inquéritos, ele agitou R$ 14.712.443,51. Esse valor destoa dos rendimentos ditos à Receita Federal referentes a 2020. Faz 1 ano, João Marcus agitou mais de R $ 7 milhões em uma de suas contas bancárias, somente de abril a outubro de 2020. No entanto, o valor dito de renda mensal de cerca de R$ 8 mil, proveniente da atuação como técnico em eletricidade, eletrônica, telecomunicações, não condiz com os ganhos informados à Receita Federal. Faz 1 ano, O GLOBO teve acesso, em o fase de novembro de 2019 a junho de 2020, João Marcus agitou mais de R $ 6 milhões em uma conta aberta em Belo Horizonte, Minas Gerais, de acordo com relatório de a PF a o qual. Desta quantia, foram identificados R$ 2,4 milhões de créditos feitos por Glaidson. Naquele espaço de um ano, João Marcus disse como atividades trabalho de atendimento a público despachante, recenseador e afins, com rendimento mensal de R$ 3.500 e patrimônio de R$ 25 mil. Público é caixa. De acordo com os inquéritos, João Marcus está à frente de uma ecompanhiaregistrada como da área de tecnologia da informação, mesmo segmento em que sua esposa também é titular de uma segunda firma. Esta com registro no endereço de outras usadas no sistema. A PF suspeita que utilizam-se as contas de o casal para receber e agitar recursos de Glaidson. Investiga-se João Marcus ainda por ter desde 2019, em conta feito depósitos cujo titular é o ex-garçom,. Faz 5 meses, João Marcus agitou R $ 1.199.951 em uma conta aberta em a capital paulista, valor incompatível com R $ 6 mil ditos de renda mensal a o banco em a ocasião, em 2021 somente de março a abril.Michael de Souza MagnoConhecido como o «corretor das famas», de acordo com o relatório da Polícia Federal. Segundo os inquéritos, ele seria operador financeiro do esquema fraudulento montado pelo ex-garçom. De acordo com o relatório da PF, o corretor disse, em 2021, bens e rendimentos tributáveis de R$ 32.700, além de um patrimônio de pouco mais de R$ 293 mil. O texto afirm: «Apesar disso, desde 2017, seu patrimônio e sua norma de vida ampliaram muito, o que leva a RFB a apontá-lo como provável sonegador contumaz..Veja a lista completa com os nomes dos indiciados:1 – Glaidson Acácio dos Santos2 – Mirelis Yoseline Diaz Zerpa3 – Tunay Pereira Lima4 – Márcia Pinto dos Anjos5 – Felipe José Silva Novais6 – Kamila Martins Novais7 – Vicente Gadelha Rocha Neto8 – Andrimar Morayma Rivero Vergel9 – Diego Silva Vieira10 – Mariana Barbosa Coelho11 – Eliane Medeiros de Lima12 – Michael de Souza Magno13 – Arthur dos Santos Leite14 – João Marcus Dumas15 – Larissa Viana Ferreira Dumas16 – Elvis Almeida de Oliveira17 – Victor Lemos de Almeida Teixeira18 – Matheus Rodrigues Pereira Bezerra19 – Guilherme Silva de Almeida20 – Alan Gomes Soares21 – Paulo Henrique Rosa de Lana22 – Kelly Pereira Deo de Souza Lana

Por outro lado, o aporte inicial, em grande parte dos casos, era baixo, de no máximo R$ 10 mil, como um investimento cuidadoso. Em seguida, com o recebimento dos primeiros rendimentos, associados a contratos de 24 ou 36 meses, os clientes ampliavam o valor das transferências — foi o que ocorreu, por exemplo, com a enfermeira de Jacarepaguá.Vítimas e advogados escutados pelo EXTRA relatam uma abordagem habitual para atrair os investidores. O assédio iniciava com consultores da GAS, que geralmente comportar-se como uma espécie de representante informal, sem vínculo oficial com a companhia. Em muitas das ações esses intermediários também constam entre os alvos.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil, Venezuela, Uruguay, United States, Nigeria, Mexico, Gambia, Dominican Republic, Cape Verde

Cities: Sao Paulo, Praia, Minas, Mexico, Lagos, Cabo Frio, Brasilia, Belo Horizonte, Barueri, Barra

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Faraó dos Bitcoins’: Conheça quem são as 21 pessoas acusadas pela PF de integrar o bando do ex-garçom Glaidson Acácio
>>>>>Polícia acredita que ‘faraó dos bitcoins’ usou a própria mãe como ‘laranja’ em esquema de pirâmide financeira – September 22, 2021 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Em corrida contra o prejuízo, ‘faraó dos bitcoins’ já é alvo de quase 300 ações de clientes na Justiça do Rio – September 24, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Sete em cada dez policiais mortos no Rio nos últimos cinco anos estavam de folga – September 22, 2021 (Extraoglobo-pt)
>>>>>’Faraó dos bitcoins’ é alvo de quase 300 ações de clientes na Justiça do Rio, e R$ 38 bi podem ser bloqueados para pagar vítimas – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 R 0 0 PERSON 22 R: 21, ele (referent: R): 1
2 Glaidson 0 0 PERSON 19 Glaidson_Acácio de os Santos2: 1, (tacit) ele/ela (referent: Glaidson): 2, Ele (referent: Glaidson): 2, Glaidson_Acácio_dos_Santos: 1, o ex-garçom Glaidson_Acácio_dos_Santos: 2, Glaidson: 10, ele (referent: Glaidson): 1
3 João Marcus Pinheiro Dumas Viana 60 0 PERSON 10 (tacit) ele/ela (referent: João_Marcus): 1, João_Marcus: 8, João_Marcus_Pinheiro_Dumas_Viana: 1
4 PF 0 0 ORGANIZATION 7 a PF: 6, A PF: 1
5 Federal 0 0 PERSON 6 a Polícia_Federal: 6
6 eu 60 8 NONE 5 (tacit) eu: 5
7 Mirelis Yoseline Diaz 0 0 PERSON 5 (tacit) ela (referent: Mirelis): 1, Mirelis_Yoseline_Diaz: 1, Mirelis: 1, a venezuelana Mirelis_Yoseline_Diaz_Zerpa: 2
8 dinheiro 40 0 NONE 4 dinheiro: 1, O dinheiro: 1, o dinheiro: 1, dinheiro vivo: 1
9 G.A. S Consultoria 0 0 ORGANIZATION 4 G.A._S_Inovação_Tecnologia_Artificial_LTDA: 1, (tacit) ele/ela (referent: G.A._S_Consultoria): 3
10 ex-garçom 0 0 ORGANIZATION 4 o ex-garçom: 4