Por: SentiLecto

Faz 1 dia, se desmantelou um depósito clandestino de remédios em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio, por policiais de a 58ª DP em esta. Guardado em cerca de 800 caixas, de clínicas públicas, informou a Polícia Civil por meio de um comunicado, se os desviaram o material. Avaliaram-se os medicamentos apreendidos em R $ 1 milhão. Na ação, foi preso um homem acusado de integrar a quadrilha especializada nesta espécie de crime.

Faz 3 meses, já Thiago conseguiu deixar a cadeia. Segundo a resolução da juíza Beatriz de Oliveira Monteiro Marques, da Vara de Execuções Penais, ele deveria satisfazer o resto da pena em casa, no endereço que forneceu à Justiça, em Cosmos. Ele deveria utilizar tornozeleira eletrônica. Quando foi assassinado, Thiago estava a cerca de 25 quilômetros do endereço de sua casa.

Na quinta-feira 30 de julho policiais da 56ª DP apreenderam, , 44 avezinhas, sendo que 41 deles utilizavam anilhas. Entre as espécies havia coleiro, trincava ferro e tiziu. A apreensão ocorreu no bairro Nova Era, na Baixada Fluminense.

Faz 2 meses, de acordo com a delegada titular de a 58ª DP, Waleska Garcez, os inquéritos iniciaram, após receberem uma acusação de que desviavam se remédios de a clínica de Nova Iguaçu, em a Baixada Fluminense. Com base em levantamento de dados, os agentes identificaram tanto a placa de um veículo envolvido no transporte dos medicamentos quanto o seu dono, que trabalha em uma companhia que comercializa o referido materal.

Os investigadores monitoraram a circulação de pessoas em dois locais envolvidos no esquema e descobriram que Vargem Grande era o bairro usado pela quadrilha para guardar os medicamentos desviados de hospitais públicos para serem revendidos a hospitais e clínicas particulares do Rio de Janeiro.

O caso segue em andamento para identificar e prender os outros integrantes da quadrilha.

Na sua vez, em 2017, Thiago brigou com outros integrantes da milícia dentro do Complexo de Gericinó, em Bangu, onde satisfazia pena. O motivo do racha foi a ascenção wellingtoniana, o Ecko, ao comando da maior milícia do Rio, após a morte de seu irmão, Carlos Alexandre Braga, o Carlinhos Três Pontes. A escolha do novo chefe, usuário de drogas e assinalado como um homem violento, desagradToni Ângelo que na época estava num presídio federal. Toni Ângelo é seu irmão. Toni Ângelo é seu irmão.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Polícia apreende remédios avaliados em R$ 1 milhão desviados de clínicas públicas
>>>>>Irmão de chefe da maior milícia do Rio é executado três meses após sair da cadeia – August 12, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Acusado de integrar maior milícia do Rio é preso e tem BMW avaliada em R$ 85 mil apreendida – August 08, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Ex-policial militar apontado como líder de milícia em Itaboraí é preso – August 05, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Preso mais um integrante da quadrilha do miliciano Ecko – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Preso mais um integrante da quadrilha do miliciano Ecko – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Thiago 0 0 PERSON 4 Ele (referent: Thiago): 1, ele (referent: Thiago): 1, Thiago: 2
2 medicamentos 0 0 NONE 3 Os remédios apreendidos: 1, medicamentos: 2
3 Ângelo Toni 0 140 PERSON 2 Toni_Ângelo (apposition: seu irmão): 2
4 homem 0 130 NONE 2 um homem violento: 1, um homem acusado: 1
5 DP 0 0 ORGANIZATION 2 a 58ª DP: 1, a 56ª DP: 1
6 a Baixada_Fluminense 0 0 PLACE 2 a Baixada_Fluminense: 2
7 empresa 0 0 NONE 2 uma empresa: 2
8 endereço 0 0 NONE 2 o endereço: 2
9 proprietário 0 0 NONE 2 seu proprietário: 2
10 preso 0 130 NONE 1 preso: 1