Por: SentiLecto

Quando se realizou uma força-tarefa em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal para lutar a ação de as milícias em a Baixada Fluminense, a Polícia Civil já identificou os 12 milicianos mortos durante confronto na noite de quinta-feira, em Itaguaí. Quando se os assombrou, os suspeitos estavam em comboio na Rio-Santos e houve confronto.

A Polícia Civil, por meio de nota, confirma que suspeitos foram mortos, mas não informa quantos. Pelo menos oito fuzis foram apreendidos, além de pistolas, munição, aparelhos de comunicação e os quatro carros que faziam parte do comboio.Ainda segundo a nota, o grupo vinha sendo monitorado há cerca de 15 dias pelo serviço de inteligência da força Tarefa, que apurou a frequente movimentação de criminosos em uma rota que liga a Zona Oeste à Baixada.Nas redes sociais, habitantes relataram a ação:— Antes de chegar à PRF, tem um desvio. Para não passar em frente ao posto, eles desviavam por essa via secundária. Chegamos a montar quatro ou cinco operações dessas, mas só hoje ocorreu. Na hora que eles pegaram a bifurcação, nós fechamos a via secundária e eles ficaram encurralados — relata Oliveira.

De acordo com a Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil, nas últimas horas equipes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense , peritos legistas e papiloscopistas trabalharam para conseguir confirmar as identidades dos homens assinalados como paramilitares na ação. Além do ex-PM Carlos Eduardo Benevides Gomes, o Cabo Benê, braço direito de Wellington da Silva Braga, o Ecko, e líder da milícia de Itaguaí, também foram mortos no confronto: Magnun Cirilo da Silva, vulgo MG ou Magnun; Emerson Benedito da Silva, vulgo Macumba; Wagner Eduardo da Cruz; Paulo Cesar Cassimiro Duarte; Maicon Rodrigo da Costa; Rodrigo Faustino Gamma; Walace dos Santos Lopes; Luiz Felipe Pereira Bertoldo; João Vitor Leitão Rangel; Otavio Victor Schwantes de Araújo; Mateus dos Santos Silva. De acordo com a polícia, todos têm envolvimento com a milícia.

Cabo Bené, de acordo com os relatórios da polícia, era um criminoso de «altíssima periculosidade» e de perfil altamente violento. Atuava como líder da milícia de Itaguaí e áreas próximas. Trabalhou como policial militar e Faz 12 anos, foi expulso de a corporação por envolvimento com a milícia de Campo Grande. Se o assinala como braço direito de o miliciano Ecko. Benevides, ainda de acordo com os inquéritos, tem envolvimento com um cemitério clandestino encontrado em Itaguaí e com pelo menos seis assassinatos. Ele era procurado pela polícia e tinha mais de dez mandados de prisão preventiva pendentes e dezenas de anotações criminais por diversos crimes, como assassinatos, assalto, extorsão, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo e organização criminosa.

Emerson, vulgo Macumba, também era considerado um criminoso de «altíssima periculosidade». De acordo com a polícia, ele liderava a milicia de Itaguaí ao lado do Cabo Bené. Tinha anotações por porte ilegal de arma, extorsão e organização criminosa. Tinha um mandado de prisão pendente.

Magnun, vulgo MG, era assinalado como comparsa e um dos homens de confiança de Benevides, também considerado de «altíssima periculosidade». Tinha oito anotações criminais, por, por exemplo, extorsão, assalto majorado, porte ilegal de arma, organização criminosa e lesão corporal. Ele era procurado e tinha sete mandados de prisão pendentes.

Além dos principais membros da milícia mortos no confronto, a Polícia Civil também detalhou o histórico dos outros suspeitos baleados. Paulo Cesar era egresso do sistema penitenciário e tinha uma anotação criminal por lesão corporal; Maicon Rodrigo tinha duas anotações criminais, sendo uma por assalto majorado; Rodrigo Faustino era ex-presidiário e tinha duas anotações criminais por extorsão, receptaçao e falsificação de sinal identificador de veículo; Wallace também era egresso do sistema penitenciário e tinha anotações por lesão corporal; Luiz Felipe Pereira Bertoldo tinha passagens na polícia por lesão corporal e receptação. Otavio Victor Schwantes respondeu por atos infracionais quando era menor de idade.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Brazil

Cities: Campo Grande

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Polícia identifica 12 milicianos mortos em confronto em Itaguaí; saiba quem são
>>>>>Força-tarefa da Polícia Civil com a PRF intercepta comboio de milicianos em Itaguaí; suspeitos são mortos – October 16, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Polícia Civil cria força-tarefa para investigar crimes políticos na Baixada após assassinatos de candidatos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Força-tarefa de combate às milícias é recebida a tiros de fuzis durante operação em Nova Iguaçu – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Suspeito de integrar grupo tático de milícia de Nova Iguaçu é preso pela força-tarefa da Polícia Civil – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Força-tarefa da Polícia Civil com a PRF intercepta comboio de milicianos em Itaguaí; mais de dez suspeitos são mortos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Força-tarefa da Polícia Civil com a PRF intercepta comboio de milicianos em Itaguaí; 12 suspeitos são mortos – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 240 NONE 8 (tacit) eu: 8
2 anotações 0 240 NONE 5 duas anotações criminais: 2, anotações: 2, oito anotações criminais: 1
3 confronto 0 140 NONE 4 o confronto: 2, confronto: 2
4 A Polícia_Civil 0 50 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: A Polícia_Civil): 1, A Polícia_Civil: 2, a Polícia_Civil: 1
5 Itaguaí 0 0 PERSON 4 Itaguaí: 4
6 envolvimento 0 0 NONE 3 envolvimento: 3
7 lesão 0 0 NONE 3 lesão corporal: 3
8 polícia 0 0 NONE 3 a polícia: 3
9 suspeitos 0 230 NONE 2 Os suspeitos: 1, suspeitos: 1
10 Bené 0 160 PERSON 2 Cabo_Bené: 1, Cabo_Bené de_acordo com os relatórios de a polícia era um criminoso de altíssima periculosidade e de perfil extremamente violento: 1