No último dia da semana de moda, desfiles costuram crise na passarela

De mãos atadas a uma crise que se arrasta e parece não ter fim, os estilistas e as marcas que desfilaram no último dia da São Paulo Fashion Week fizeram críticas à moda e a um sistema que, segundo a Amapô, está mais para circo.

Modelos exibiram propostas que enviam à roupa dos palhaços -há, por exemplo, bolas impressas nos conjuntos jeans e culotes nas calças-, aos figurinos de Charles Chaplin e ao cantor Klaus Nomi, que inspirou a fperíodo”Ashes to Ashes”, de David Bowie .

Principais vitrine da marca apareceram tanto em peças puramente imagéticas, como nos macacões volumosos e arredondados, feitos de vários recortes de denim, como também em outras propostas mais comerciais. Principais vitrine da marca são os jeans. Se antes era a silhueta skinny a principal aposta, agora as jaquetas e as calças com modelagem folgada são as bolas da vez.

Em uma das entradas mais marcantes desta temporada, duas modelos bastante parecidas e com os cabelos entrelaçados desfilaram na passarela, no que parecia ser uma referência a “Xipófagas Capilares”, desempenho histórico de Tunga .

Na crítica das estilistas Carolina Gold e Pitty Taliani, as pessoas estão utilizando camisas de força. A peça apareceu na passarela com pedaços de alfaiataria desconstruída.

Quem também segue questionando as normas da moda é a LAB, grife dos músicos Emicida e Evandro Fióti. Com a assistência do estilista João Pimenta, eles desmontaram a roupa dos sambistas de gafieira, adicionando a elas o lado urbano pelo qual a marca a marca é reconhecida.

As comuns bandeiras contra preconceitos apareceram na passarela composta por negros, magros, plus size e andróginos.

O samba foi o fio condutor do estudo do trio, que bordou rodas de gafieira e elementos do estilo musical nas jaquetas desportivas, nas bermudas e nas camisetas.

A música também deu a cara da apresentação da Reserva, grife carioca que regressou à SPFW nesta estação.

Com música ao vivo, a apresentação ofereceu um ponto de vista bem-humorado e irônico para a situação de crise em que a moda se encontra.

Rony Meisler, defensor de novos perfis para a passarela e de uma moda mais comercial, colocou os convidados no meio de uma celebração regada a bebida e notas de MPB. Os modelos, assim como as roupas, eram somente parte do cenário festeiro instituído pela marca.

A mesma celebração que o DJ e proprietário da boate de Paulista The Edge, Renato Ratier, desejou imprimir nas roupas de pedido “clubber” e gótico de seu desfile, o primeiro do dia.

A Romênia serviu de referência para os emblemas místicos que acompanham a cultura cigana, com modelagens arredondadas e jaquetas bordadas com fios de lã.

Colagens de pentagramas, morcegos e cruzes formaram a imagem horripilante de conde Drácula das pistas. No extremo contrário, a grife A. Niemeyer, que confirmou que é possível ser comercialmente viável e não descambar na vala da inconsistência, fez a melhor estreia desta São Paulo Fashion Week tomada por neófitos de passarela. As estilistas Fernanda Niemeyer e Renata Alhadeff cortaram linho, algodão, seda e lã, principal matéria-prima da coleção, para instituir uma imagem de aconchego.

A lógica desta temporada de simplificar a moda e dar viés comercial às criações, produziu roupas banais e sem eafeição

ORGÂNICO

A cartela de cores, clara e com pinceladas de tons terrosos, enviava a uma leveza cromática que supre a ausência de grifes como Huis Clos e Maria Bonita, duas das mais pertinentes do passado recente da SPFW.

Um certo tom de natureza permeia a coleção da grife, a mesma que exibiu outra estreante, a Green Co.

Um dos destaques do projeto Top 5, realizado pelo Sebrae para dar suporte a cinco nomes em ascensão no mercado da moda, a grife do engenheiro ambiental Cassius Pereira colocou diversos fios biodegradáveis em suas propostas.

Linho, algodão orgânico e “hemp”, a fibra da maconha, compuseram os conjuntos de moda casual e desportiva com estampas de folhagens.

Tudo como manda a cartilha do exército verde que a marca deseja atingir.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>No último dia da semana de moda, desfiles costuram crise na passarela
>>>>>Amapô faz critica à crise com desfile bem-humorado na SPFW – March 18, 2017 (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 marca 0 0 NONE 4 a marca: 3, marca: 1
2 passarela 0 0 NONE 3 a passarela composta: 1, a passarela: 2
3 roupas 0 25 NONE 2 roupas banais: 1, as roupas: 1
4 festa 180 0 NONE 2 uma festa regada: 1, mesma festa: 1
5 modelos 140 0 NONE 2 duas modelos: 1, Os modelos: 1
6 símbolos 120 0 NONE 2 os símbolos místicos: 2
7 A. Niemeyer 0 0 PERSON 2 A._Niemeyer: 2
8 Emicida e Evandro_Fióti 0 0 PERSON 2 elas (referent: Emicida e Evandro_Fióti): 1, Emicida e Evandro_Fióti: 1
9 Green 0 0 ORGANIZATION 2 a Green_Co.: 1, a (referent: a Green_Co.): 1
10 LAB 0 0 ORGANIZATION 2 (tacit) ele/ela (referent: a LAB): 1, a LAB: 1