Atividade econômica brasileira recua mais que o esperado em janeiro, mostra BC

Por: SentiLecto

– Faz 2 meses, a atividade econômica de Brasil começou com contração acima do esperado em janeiro, de acordo com dados de o Banco Central, em um mês marcado principalmente por perdas em a indústria que reforçam a percepção de fraqueza de o crescimento em o começo de 2019. Faz 2 meses, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central, espécie de sinalizador de o Produto Interno Bruto, recuou 0,41 por cento sobre o mês anterior, informou o BC em dado dessazonalizado em esta segunda-feira. Faz 3 meses, o índice subiu 0,21 por cento, em dezembro. Na comparação com janeiro de 2017, o IBC-Br exibiu crescimento de 0,79 por cento e, no acumulado em 12 meses, teve alta de 1,00 por cento, segundo números observados. O banco Bradesco em relatório alegou: “Esse resultado e outros indicadores divulgados anteriormente propõem uma recuperação mais gradual da atividade econômica do que o calculado inicialmente”. Faz 2 meses, o destaque negativo ficou para a indústria cuja produção teve queda de 0,8 por cento sobre o mês anterior,, em o resultado mais fraco em quatro meses. O volume de serviços também assombrou ao recuar no mês, com queda no volume de 0,3 por cento em relação a dezembro. Somente o setor de varejo exibiu ganhos no começo do ano, com as vendas subindo 0,4 por cento em janeiro sobre o mês anterior, acima do esperado. Faz 1 ano, o Produto Interno Bruto de Brasil registrou expansão 1,1 por cento, em 2018, mas com o ritmo retardando no final do ano e aumentando 0,1 por cento no quarto trimestre sobre os três meses anteriores. A pesquisa Focus realizada semanalmente pelo BC junto a uma centena de economistas mostra que se diminuiu a expectativa para a atividade em este ano em o último levantamento, com o PIB aumentando 2,01 por cento, de 2,28 por cento estimados antes.

PAULO, 14 Mar – As vendas no varejo brasileiro progrediram 0,4 por cento em janeiro na comparação com o mês anterior e subiram 1,9 por cento sobre um ano antes, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta quinta-feira. A expectativa em pesquisa da Reuters era de alta de 0,20 por cento na comparação mensal e de progressão de 0,80 por cento sobre um ano antes.- Ainda que os negócios exibam um ritmo mais lento na comparação com a média histórica para esta época, produtores de Brasil já venderam 50,78 milhões de sacas de 60 quilos de café da colheita recorde de 2018/19, colhida no ano passado , avaliou nesta quinta-feira a consultoria Safras & Mercado. “Os armazéns ainda repletos, devido à scolheitarlembrecolhida no ano passado, também reforçam a impressão de que as vendas aprogridemmbastantelentamente. O fluxo caminha pouco em termos percentuais, mas o volume comprometido é expressivo”, realçou o expert em Gil Barabach em nota. Gil Barabach é café da Safras. Com base na previsão da consultoria de uma colheita de Brasil de 63,7 milhões de sacas, o analista assinalou que a comercialização progrediu seis pontos percentuais ante o último mês, para 80 por cento do total projetado. O índice assinala um atraso ante o mesmo fase dos negócios para a produção da colheita anterior , além de estar abaixo da média dos últimos cinco anos para esta época . Considerando a previsão da véspera do conselho de exportadores , de embarques recordes de quase 40 milhões de sacas em 2018/19 , e um consumo interno anual de mais de 20 milhões de sacas, a indicação é de que o volume produzido vai ficar bem adaptado à dprocurapara o maior produtor e exportador gmundial Faz 1 mês, segundo o consultor Barabach, as vendas de café arábica evoluíram de maneira mais acelerada, com o produtor comprometendo 78 por cento de a colheita. Mesmo assim, o percentual comercializado continua abaixo de igual fase do ano passado , e também aquém da média para o fase , em meio a custos fracos do café, que repercutem a grande colheita brasileira no ano passado, além da expectativa de produção futura. Nesta semana, a commodity teve o menor nível em 13 anos na bolsa ICE. A vendas de café conilon, por sua vez, alcançam 86 por cento da colheita estimada, abaixo de igual época do ano passado e também da média de 5 anos . – Haruhiko Kuroda descartou nesta sexta-feira a possibilidade de afrouxamento monetário complementar, mesmo após a intensificação dos riscos externos ter forçado o Banco do Japão a moderar o otimismo de que as exportações e produção industrial robustas vão sustentar o crescimento. Haruhiko Kuroda é o presidente do banco central do Japão. Kuroda também diminuiu os crescentes pedidos de políticos e executivos de bancos para aumentar os juros ou diminuir a meta de inflação de 2 por cento para acalmar a pressão das taxas ultrabaixas por um fase estendido sobre os lucros das instituições financeiras. “Não vejo necessidade de mudar a meta, ou acreditar que fazer isso seria desejável”, declarou Kuroda a repórteres após a esperada resolução do banco central de conservar a política monetária. O Banco do Japão conservou a promessa de guiar os juros de curto prazo em -0,1 por cento, e os rendimentos dos títulos do governo de 10 anos em torno de zero por cento. Também declarou que vai continuar a adquiri títulso do governo japonês. Em um aceno aos riscos aumentados, o banco central piorou sua avaliação sobre economias externas, declarando que elas mostram sinais de desaceleração. Também revisou para baixo sua visão sobre exportações e produção. Kuroda reconheceu os desafios que a economia enfrenta, mas não deu indicações de que vai haver qualquer estímulo complementar. Kuroda declarou: “É verdade que as exportações e produção do Japão estão sendo afetadas pela desaceleração do crescimento no exterior”. “Por outro lado, a procura doméstica continua a aumentar. Assim, conservamo nossa visão básica de que a economia está expandindo moderadamente.”

Na quarta-feira 27 de fevereiro – O estoque total de crédito no Brasil caiu 0,9 por cento em janeiro sobre dezembro, a 3,232 trilhões de reais, num mês marcado por elevação no preço dos financiamentos e alta da inadimplência. Conforme dados divulgados pelo Banco Central, o saldo geral de financiamentos havia passado a 46,8 por cento do Produto Interno Bruto . Faz 2 meses, olhando somente para o segmento de recursos livres, em que os bancos eram livremente definidas as taxas, a inadimplência havia subido a 4 por cento, sobre 3,8 por cento em a primeira alta desde janeiro de o ano passado. A mesmo tempo, os juros médios no mesmo segmento haviam progredido a 37,7 por cento ao ano, elevação de 2,1 pontos sobre o mês anterior. Faz 2 meses, o spread, que media a diferença entre a taxa de captação de os bancos e a cobrada a seus clientes, havia tido uma expansão de 2,4 pontos em a mesma base de comparação, chegando a 30,2 pontos percentuais A piora nas condições de crédito vinha a despeito de a taxa básica de juros seguir estacionada em 6,5 por cento, sua mínima histórica, desde março do ano passado. Faz 2 meses, expectativa 12 meses até janeiro, o saldo geral de financiamentos em o Brasil havia aumentado 5 por cento. Faz 3 meses, o BC que haveria alta de 6 por cento em o estoque de crédito havia calculado em dezembro, progressão guiada sobretudo por a alta em o saldo de financiamentos a famílias e por o alento em o segmento de crédito livre, para este ano. Nquanto o crédito às ecompanhiasre havia recuado,7 por cento., Faz 3 meses, o estoque de crédito em as pessoas físicas t havia tidoalta de 0,6 por cento sobre dezembro, em janeiro e já o crédito livre havia caído 1,0 por cento no primeiro mês do ano, retração maior que a de 0,8 por cento apresentada pelo crédito direcionado.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Atividade econômica brasileira recua mais que o esperado em janeiro, mostra BC
>>>>>Vendas no varejo do Brasil avançam 0,4 % em janeiro, diz IBGE – March 14, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Vendas no varejo dos EUA sobem em janeiro – March 11, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Economia dos EUA cria apenas 20 mil vagas de trabalho em fevereiro – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Vendas de supermercados em janeiro sobem 2,95% sobre um ano antes, diz Abras – March 06, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Prudência antes do Carnaval derruba Ibovespa abaixo de 95 mil pts – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Criação de vagas nos EUA deve ter desacelerado em fevereiro após fortes ganhos – March 08, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Gastos com construção nos EUA recuam inesperadamente em dezembro – March 04, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Vendas pendentes de moradias nos EUA sobem 4,6% em janeiro – February 27, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Crescimento econômico dos EUA desacelera menos que o esperado no 4º tri – February 28, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Receios com negociações EUA-China pesam e índices de Wall St recuam – February 28, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Vendas de novas moradias nos EUA atingem máxima de 7 meses em dezembro – March 05, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Renda pessoal nos EUA tem em janeiro primeira queda em mais de 3 anos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Dados de gastos dos consumidores e indústria nos EUA indicam 1º tri fraco – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Criação de vagas no setor privado dos EUA desacelera em fevereiro, mostra ADP – March 06, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Produção de veículos no Brasil em fevereiro sobe quase 30% ante janeiro, diz Anfavea – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Produção de veículos no Brasil em fevereiro sobe quase 30% no mês – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Mesmo lentas, vendas de café do Brasil já superam 50 mi sacas em 18/19, diz Safras – March 14, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Presidente do BC do Japão descarta chances de afrouxamento monetário adicional – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 12 5 por_cento: 1, 1,1 por_cento: 1, 0,41 por_cento: 1, 0,9 por_cento: 1, recuado,7 por_cento: 1, 2,28 por_cento estimados: 1, 0,21 por_cento: 1, 2,01 por_cento: 1, 0,1 por_cento: 1, 3,8 por_cento: 1, 4 por_cento: 1, 0,4 por_cento: 1
2 BC 0 0 ORGANIZATION 4 o BC: 4
3 Kuroda 0 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: Kuroda): 1, Kuroda: 3
4 eu 0 0 NONE 4 (tacit) eu: 4
5 indústria 0 0 NONE 4 a indústria: 4
6 visão 0 160 NONE 3 nossa visão básica: 2, sua visão: 1
7 crédito 80 0 NONE 3 o crédito livre: 1, o crédito direcionado: 1, o crédito: 1
8 ano 0 0 NONE 3 o ano passado: 2, o ano: 1
9 esta 0 0 NONE 3 esta: 3
10 média 0 0 NONE 3 a média histórica: 1, a média: 1, média: 1