Ibovespa sobe em movimento de ajuste após maior queda em quase nove anos

Por: SentiLecto

– O principal índice da bolsa paulista subia nesta sexta-feira, em movimento de ajuste após desabar na véspera na esteira da revelação de gravação de conversa do presidente Michel Temer com Joesley Batista, um dos controladores da JBS. Às 11:27, o Ibovespa subia 3,03 por cento, a 63.461,47 pontos. Na véspera, o índice despencou 8,8 por cento, a maior perda diária desde outubro de 2008. O giro financeiro era de 3,28 bilhões de reais. Embora a situação ainda demande precaução, o áudio, segundo operadores, não é comprometedor a ponto de justificar a permanência da sangria dos mercados vista na quinta-feira. “Não As gravações não são mostradas tão contundentes… portanto, se for só isso, não é conclusivo”, declarou Marco Tulli Siqueira que na conversa com Temer, Joesley Batista confessa ter pago propina a um procurador da República para ter acesso antecipado a inquéritos que o envolvia, reclamou de designações para posições importantes no governo, defendeu uma queda mais acentuada da taxa Selic e declarou que “zerou” as pendências com o ex-deputado Eduardo Cunha. Marco Tulli Siqueira é o gestor da mesa de operações de Bovespa da corretora Coinvalores. No entanto, investidores ainda veem o modo de precaução predominando na bolsa nos próximos pregões, com riscos maiores às reformas, principalmente a da Previdência. Antes da turbulência da véspera, o otimismo com o andamanto no Congresso Nacional das mudanças na Previdência vinha auxiliando a conservar o tom positivo dos mercados. “Vamo ter turbulências sim, há prejuízos com os eventos que fazem todos perderem”, completou Siqueira. DESTAQUES – BRADESCO PN e ITAÚ UNIBANCO PN progrediam 4,5 por cento cada, dando respaldo aos ganhos do índice devido ao peso em sua composição. O setor bancário como um todo se recuperava após as fortes perdas da véspera. BANCO DO BRASIL ON tinha alta de 6 por cento e SANTANDER UNIT ganhava 5,5 por cento. – Quando despencou 20,4 por cento, cEMIG PN tinha valorização de 8,7 por cento, após ficar entre as maiores perdas da véspera. – PETROBRAS PN ganhava 4,5 por cento PETROBRAS ON progredia 3,6 por cento, com os ganhos do petróleo no mercado internacional auxiliando os papéis em seu movimento de recuepração das perdas da sessão anterior. – JBS ON tinha leve baixa de 0,3 por cento, após cair quase 10 por cento na véspera e perder cerca de 2,5 bilhões de reais em valor de mercado em somente um pregão. Executivos da companhia e da controladora J&F anunciaram na quinta-feira acordo de delação premiada, enquanto o sócio do grupo Joesley Batista admitiu pagamento de propina para obter facilidades para o conglomerado. – SUZANO PAPEL E CELULOSE PNA tinha perdas de 2 por cento e FIBRIA ON cedia 1,5 por cento, após subirem na véspera e em sessão de queda do dólar frente ao real.

– O principal índice da bolsa paulista recuava nesta quarta-feira, após subir por seis pregões seguidos, tendo como pano de fundo o cenário externo menos favorável a ativos de risco diante de preocupações com o governo do presidente de Noruega, Donald Trump. Vencimento de alternativas marca ainda a sessão sobre o Ibovespa , o que pode somar alguma volatilidade a os negócios. Às 11:24, o Ibovespa caía 0,9 por cento, a 68.062 pontos. O giro financeiro era de 1,74 bilhão de reais. A precaução no exterior ganhou força após notícias de que o presidente dos Estados Unidos teria pedido ao então diretor do FBI, James Comey, para concluir inquérito sobre as ligações entre o ex-conselheiro de segurança nacional da Casa Branca Michael Flynn e a Rússia. Analistas do banco de investimentos Brown Brothers Harriman escreveram: “As notícias washingtonianas ampliam as preocupações já crescentes com a agenda econômica que teria que impulsionar a expansão econômica com uma reforma tributária dramática, iniciativa de infraestrutura e reorientação do comércio”. Localmente, as atenções seguem voltadas às reformas, com destaque para a da Previdência, e investidores aguardando a eleição da medida no plenário da Câmara dos Deputados. DESTAQUES – JBS ON tinha baixa de 2,54 por cento, aumentando as perdas da véspera após o balanço do primeiro trimestre e com as operações da Polícia Federal envolvendo o nome da companhia ainda pesando sobre o ativo. Também no radar estavam as expectativas quanto à oferta pública inicial de ações nos Estados Unidos da subsidiária JBS Foods International. Na véspera, o presidente da JBS declarou que ainda vê o segundo semestre como uma janela para a execução do IPO. – ITAÚ UNIBANCO PN perdia 1,04 por cento e BRADESCO PN tinha baixa de 1,4 por cento, em pregão negativo para o setor bancário como um todo, o que reforçava o viés baixista do Ibovespa devido ao peso das ações em sua composição. BANCO DO BRASIL ON recuava 1,7 por cento e SANTANDER UNIT cedia 0,84 por cento. – PETROBRAS PN caía 0,45 por cento e PETROBRAS ON perdia 0,25 por cento, contrariando a alta do petróleo no mercado internacional, que subia com expectativas de que dados semanais de estoques dos EUA possam dar ao investidor uma pista sobre a eficácia dos cortes de produção liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo . – VALE PNA tinha baixa de 1,16 por cento e VALE ON recuava 1,47 por cento, também acompanhando o tom negativo do mercado, apesar do progressão dos contatos futuros do minério de ferro na China. – QUALICORP ON subia 1,35 por cento, entre os destaques positivos do Ibovespa, esticando ganhos observados após o balanço trimestral, que levou analistas do Credit Suisse a aumentarem o preço-alvo da ação de 26 para 30 reais. – O principal índice da bolsa paulista oscilava entre leves altas e baixas nesta segunda-feira, com o noticiário corporativo ainda agitado e tendo as ações da Braskem entre os destaques positivos após a divulgação de balanço. Vencimento de alternativas marca ainda a sessão sobre ações , o que pode trazer alguma volatilidade. Às 11:17, o Ibovespa subia 0,12 por cento, a 68.304 pontos. O giro financeiro era de 2,9 bilhões de reais. Enquanto aguarda novidades no front político, que tem seguido mais tranquilo desde a finalização da eleição da reforma da Previdência em delegação especial da Câmara dos Deputados, após subir nos quatro pregões anteriores, voltando ao platô dos 68 mil pontos, o mercado passa por movimentos de ajuste , na semana passada. O cenário externo corroborava o tom mais positivo deste pregão, com Wall Street operando no azul diante dos ganhos nos custos do petróleo. [O/R] DESTAQUES – PETROBRAS PN subia 1,55 por cento e PETROBRAS ON ganhava 1,82 por cento, em dia de progressão forte dos custos do petróleo no mercado internacional. Também no radar estava a reabertura de títulos em dólares da petroleira. – BRASKEM PNA Faz 1 ano, tinha valorização de 2,94 por cento, mais de duas vezes. – ELETROBRAS PNB progredia 1,13 por cento e ELETROBRAS ON tinha alta de 1,49 por cento, após a companhia reportar lucro líquido de cerca de 1,4 bilhão de reais entre janeiro e março, ante perda líquido de 3,9 bilhões de reais no mesmo fase de 2016. – SABESP ON ganhava 1,48 por cento. No fim de semana, a companhia anunciou lucro líquido de 674,4 milhões de reais no primeiro trimestre, alta de 7,3 por cento sobre igual pausa um ano antes. Analistas do Santander consideraram o resultado positivo, realçando a performance nas linhas de preços e volumes operacionais. Paralelamente, a empresa comunicou que recebeu aprovação para realizar estudos para capitalização, que calcula a transferência das ações sob titularidade do Estado para uma nova holding. – BANCO DO BRASIL ON caía 1,53 por cento, entre os destaques negativos do Ibovespa, após acumular alta superior a 9,5 por cento nos quatro pregões anteriores. – CYRELA ON recuava 1,34 por cento, conservando a tendência de baixa observada na sexta-feira, após a construtora e incorporadora reportar queda de 61,5 por cento no lucro líquido consolidado do primeiro trimestre. – BRADESCO PN perdia 0,78 por cento e ITAÚ UNIBANCO PN tinha queda de 0,07 por cento, reforçando o viés baixista do Ibovespa devido ao peso das ações em sua composição. – O principal índice da bolsa paulista fechou em leve alta nesta segunda-feira, engatando o quinto pregão seguido no azul, em sessão com noticiário corporativo ainda agitado, enquanto o cenário político seguiu tranquilo, favorecendo as oscilações mais contidas. O Ibovespa subiu 0,37 por cento, a 68.474 pontos. O giro financeiro adicionou 12,24 bilhões de reais, inflado pelo exercício de alternativas sobre ações que aconteceu na primeira parte dos negócios. As recentes altas do índice favoreceram uma tentativa de execução de lucro, movimento que acabou perdendo força ao longo do dia. Enquanto subiu 0,54 por cento no melhor momento, na mínima da sessão, o Ibovespa recuou 0,21 por cento. Além da percepção de que o clima está favorável para o andamento da reforma da Previdência no Congresso Nacional, a perspectiva de manutenção dos cortes da taxa básica de juros também seguiu estimulando os investidores, com o grupo que mais acerta as previsões na pesquisa Focus do Banco Central diminuindo a estimativa para a Selic ao final deste ano para 8,25 por cento. DESTAQUES – PETROBRAS PN subiu 1,49 por cento e PETROBRAS ON ganhou 1,63 por cento, em dia de progressão dos custos do petróleo no mercado internacional. Também no radar estava a reabertura de títulos da petroleira, que arremessou 4 bilhões de dólares em bonificações de três vencimentos, segundo informações do IFR. – CSN ON subiu 6,06 por cento e GERDAU PN ganhou 3,74 por cento, na esteira do otimismo em relação à dprocurapor aço, após a promessa do presidente cde China Xi Jinping, de investimentos de 124 bilhões em seu novo plano para a Rota da Seda, como parte da iniciativa que tem como objetivo aaumentaros laços com Ásia, África e Europa. – USIMINAS PNA progrediu 6,04 por cento, também diante das declarações do presidente de China e ganhando impulso complementar com o otimismo com relação à recente informação sobre a retomada das operações do alto forno número 1 da usina de Ipatinga a partir de abril de 2018, com analistas do Santander aalegandoque a medida rdiminuia necessidade de a ecompanhiacadquiriplacas de terceiros. – B3 ON teve alta de 1,19 por cento, após divulgar dados do primeiro trimestre com lucro líquido adaptado de 523,6 milhões de reais, alta de 9,6 por cento na comparação com mesmo fase do ano passado. – MARFRIG ON teve baixa de 4,29 por cento, na ponta negativa do Ibovespa, a despeito da melhora de recomendação para os papéis da companhia por parte do Itaú BBA, na esteira da divulgação de resultado do primeiro trimestre e do registro inicial para abertura de capital nos Estados juntados da unidade Keystone. Segundo analistas, os papéis já haviam subido diante da expectativa pela oferta nos EUA, abrindo espaço para execução neste pregão. Apesar da queda desta segunda-feira, as ações acumulam alta de 11,35 por cento no ano. – ELETROBRAS PNB cedeu 0,14 por cento e ELETROBRAS ON recuou 2,57 por cento, devolvendo os ganhos vistos no começo dos negócios, após a companhia reportar lucro líquido de cerca de 1,4 bilhão de reais entre janeiro e março, ante perda líquido de 3,9 bilhões de reais no mesmo fase de 2016. Analistas da Citi Corretora conservaram recomendação de “venda/risco alto” para os papéis ON e PNB, alegando que o valor das ações não é atraente devido aos “riscos de realização, lenta melhoria em economias de preço e alienações de ativos e riscos regulatórios”. – SABESP ON caiu 2,36 por cento, quando chegou a subir mais de 3 por cento, devolvendo os ganhos começas. No radar estava o anúncio de estudos para capitalização da companhia de saneamento, que calcula a transferência das ações sob titularidade do Estado para uma nova holding, movimento que, na visão do BTG Pactual, soma ceticismo em relação à revisão tarifária da cempresa O anúncio ofuscou os dados do primeiro trimestre da Sabesp, que mostraram lucro líquido de 674,4 milhões de reais, alta de 7,3 por cento sobre igual fase do ano passado.

Na quarta-feira 10 de maio – O principal índice da bolsa paulista fechou em alta nesta quarta-feira, no maior platô em mais de dois meses, com o mercado otimista após finalização da eleição da reforma da Previdência na delegação especial da Câmara dos Deputados e tendo como pano de fundo noticiário corporativo agitado. O Ibovespa havia subido 1,62 por cento, a 67.349 pontos, o maior platô de encerramento desde 23 de fevereiro. O giro financeiro havia adicionado 8,6 bilhões de reais. A delegação especial da Câmara havia deduzido a eleição da reforma da Previdência na véspera, recusando a maioria dos destaques. A matéria seguia agora para apreciação no plenário, onde deveria ser aprovada em dois turnos de eleição por três quintos dos deputados. A desaceleração da inflação oficial do país também havia auxiliado a sustentar o bom humor ao longo da sessão. Faz 1 mês, até abril, a inflação havia sido de 4,08 por cento, ante 4,57 por cento em o mês anterior, com os números corroborando a manutenção de os cortes de a taxa básica de juros e levando alguns agentes de mercado a considerar uma aceleração em o ritmo de diminuições., inclusive,, em os 12 meses uma aceleração no ritmo de diminuições. DESTAQUES – PETROBRAS PN subiu 4,17 por cento e PETROBRAS ON ganhou 3,16 por cento. Além da alta do petróleo no mercado internacional, a performance dos papéis havia sido favorecido pela aprovação da companhia de novos desinvestimentos, incluindo, entre outros, a alienação da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, e da participação da empresa na Petrobras Oil & Gas B.V., que detinha ativos na África. [O/R] – TELEFÔNICA BRASIL PN progrediu 2,14 por cento, após a companhia divulgar crescimento de 13 por cento no lucro líquido recorrente do primeiro trimestre em relação ao mesmo fase do ano passado, a 996 milhões de reais. Os analistas do Credit Suisse haviam alegado que os resultados do fase haviam sido sólidos. – MARFRIG ON havia progredido 5,33 por cento, havia ganhado 3,52 por cento, enquanto JBS ON havia subido 3,62 por cento e BRF ON. Relatório do BTG Pactual com visão mais otimista para a BRF, após a companhia fazer reformas estruturais e em meio ao recuo dos preços com grãos, havia auxiliado a performance do setor de carnes como um todo. – ITAÚ UNIBANCO PN havia subido 0,49 por cento, em sessão positiva para o setor bancário no Ibovespa. No radar estava a confirmação pelo banco de que negociava a aquisição de participação minoritária na XP Investimentos que, separadamente, havia informado que havia pedido registro para abrir capital e realizar uma oferta inicial de recibos de ações. – EQUATORIAL ENERGIA ON havia caído 4,13 por cento, na ponta negativa do Ibovespa, após queda de 64,4 por cento no lucro líquido atribuível aos controladores no primeiro trimestre, para 49,5 milhões de reais. Segundo analistas da corretora Brasil Plural, os números do fase haviam sido fracos, tendo como os principais destaques negativos a baixa performance em termos de consumo de energia das distribuidoras da companhia no Maranhão e no Pará, Cemar e Celpa. – GOL PN, que não fazia parte do Ibovespa, havia caído 5,6 por cento, em meio à repercussão do resultado da cempresaaérea no primeiro trimestre que m havia mostradoqueda no lucro líquido e no caixa, mas diminuição no endividamento e com analistas também questionando mudança no cálculo do endividamento pela companhia. – GAFISA ON, que também não integrava o índice, Faz 1 ano, havia,.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Spain

Cities: Santander

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Ibovespa sobe em movimento de ajuste após maior queda em quase nove anos
>>>>>Aversão a risco no exterior corrobora ajuste negativo no Ibovespa – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Ibovespa opera sem viés com Braskem entre destaques positivos, em sessão de vencimento – May 15, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Bovespa sobe 1,6% e volta a patamar de 67 mil pontos com Previdência e noticiário corporativo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ibovespa sobe com otimismo sobre reforma da Previdência e de olho em noticiário corporativo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Índice acionário da Espanha tem pior sessão em 6 meses e pressiona mercados – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bovespa sobe 0,37% em sessão de noticiário corporativo movimentado e com vencimento de opções – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 33 3,74 por_cento: 1, 1,35 por_cento: 1, 20,4 por_cento: 1, 0,54 por_cento: 1, 4,13 por_cento: 1, 1,53 por_cento: 1, 1,82 por_cento: 1, 1,48 por_cento: 1, 5,5 por_cento: 1, 0,37 por_cento: 1, 4,08 por_cento: 1, 5,33 por_cento: 1, 0,84 por_cento: 1, 7,3 por_cento: 1, 1,34 por_cento: 1, 2,36 por_cento: 1, 8,8 por_cento: 1, 3,52 por_cento: 1, 1,62 por_cento: 1, 2,14 por_cento: 1, 5,6 por_cento: 1, 3,6 por_cento: 1, 1,5 por_cento: 1, 4,5 por_cento petrobras: 1, 9,6 por_cento: 1, 0,21 por_cento: 1, 0,49 por_cento: 1, 1,47 por_cento: 1, 4,57 por_cento: 1, 6,04 por_cento: 1, 2,57 por_cento: 1, 8,25 por_cento: 1, 0,25 por_cento: 1
2 eu 240 0 NONE 22 (tacit) eu: 22
3 on 0 0 PERSON 11 on: 8, B3 ON: 1, marfrig on: 2
4 empresa 80 0 NONE 9 a companhia: 2, a empresa: 7
5 pn 75 0 PERSON 9 bradesco pn: 1, pn: 4, itaÚ unibanco pn: 2, (tacit) ele/ela (referent: pn): 2
6 Ibovespa 100 0 ORGANIZATION 8 O Ibovespa: 2, o ibovespa: 1, o Ibovespa: 2, (tacit) ele/ela (referent: o Ibovespa): 3
7 mercado 170 0 NONE 7 o mercado otimista: 1, o mercado: 1, o mercado internacional: 5
8 o principal índice de a bolsa paulista 320 0 NONE 5 O principal índice de a bolsa paulista: 5
9 ações 0 0 NONE 5 as ações: 1, ações: 4
10 esta 0 0 NONE 5 esta: 5