ISS46Shanghainighttimeview.jpg

Índice de Xangai tem pior semana em 2017 com preocupações econômicas

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – ISS-46 Shanghai nighttime view

– O índice de Xangai registrou a sua pior semana em 2017, com preocupações sobre as perspectivas econômicas mais extensas, diminuindo o apetite de risco dos investidores. Enquanto o índice de Xangai ficou estável, o índice CSI300, que reúne as maiores empresas listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,2 por cento. Enquanto o SSEC perdeu 2,2 por cento, na semana, o CSI300 caiu 0,5 por cento. Preocupações crescentes de os investidores atingiram a confiança sobre as perspectivas econômicas chinas. Uma sondagem da Reuters calcula que o crescimento econômico de China retarde para 6,5 por cento neste ano e deve se enfraquecer mais para 6,2 por cento em 2018, como o governo tentando desaquecer o setor imobiliário e conter os riscos de uma arriscado ampliação de dívida. O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, progrediu 0,5 por cento diante de performance sólida de Wall Street na quinta-feira com expectativa de forte crescimento do lucro no primeiro trimestre. O índice, no entanto, acumulou uma perda semanal de 0,4 por cento. . Em TÓQUIO, o índice Nikkei progrediu 1,03 por cento, a 18.620 pontos. . Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,06 por cento, a 24.042 pontos. . Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,03 por cento, a 3.173 pontos. . O índice CSI300, que reúne as maiores empresas listadas em XANGAI e SHENZHEN, progrediu 0,15 por cento, a 3.466 pontos. . Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,74 por cento, a 2.165 pontos. . Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,88 por cento, a 9.717 pontos. . Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,06 por cento, a 3.139 pontos. . Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 progrediu 0,56 por cento, a 5.854 pontos.

– O Brasil aumentará menos do que a média dos países da América do Sul em 2017 e em 2018, com performance somente melhor do que a Venezuela e o Equador, países que vêm padecendo fortemente com a queda nos custos do petróleo. O cálculo é do Fundo Monetário Internacional , que conservou a projeção de expansão de somente 0,2 por cento para o Produto Interno Bruto brasileiro neste ano, depois de dois anos seguidos de recessão, e Faz 3 meses, melhorou a expectativa de 2018 para 1,7 por cento, ante 1,5 por cento calculados. No fase, a América do Sul deve aumentar 0,6 e 1,8 por cento, respectivamente, mostrou o FMI nesta terça-feira ao divulgar seu relatório “Perspectiva Econômica Global”. Na região, o Brasil só ganha da Venezuela e do Equador, que terão que ver suas economias encolhendo 7,4 e 1,6 por cento neste ano, respectivamente. A melhor performance tem que vir da Bolívia, com crescimento de 4 por cento em 2017. O crescimento médio calculado pelo FMI tem que ser de 1,1 e 2 por cento em 2017 e 2018, com destaque para o México, cujo PIB tem que ter expansão de 1,7 e 2 por cento, respectivamente, quando se olha para a América Latina toda. “No Brasil, o ritmo de contração reduziu, mas o investimento e a produção ainda estavam começando a sair do fundo do poço no fim de 2016″, informou o FMI no relatório. O crescimento brasileiro em 2017 também vai ser inferior ao das economias emergentes, cuja alta esperada é de 4,5 por cento. Ao esperar recuperação gradual para a economia brasileira neste e no próximo ano, o FMI considera fundamental a execução de “ambiciosas” reformas econômicas e fiscal. “Para reforçar a consolidação fiscal no médio prazo, as reformas teriam que incidir sobre as despesas insustentáveis, incluindo o sistema de seguridade social, mas também devem ser adotadas medidas para conseguir diminuição mais direta do déficit orçamentário”, informou o FMI no relatório. O FMI também realçou a necessidade de reformas que possam impulsionar o crescimento potencial brasileirocaracterística de vida da população, após a longa recessão enfrentada pelo país. A estimativa do FMI para o PIB de Brasil é mais pessimista do que a apurada pelo relatório Focus do Banco Central, que escuta semanalmente uma centena de economistas e menciona progressão de 0,4 por cento em 2017 e de 2,5 por cento para 2018. Para a economia mundial, o FMI estima crescimento de 3,5 por cento em 2017 e de 3,6 por cento no ano que vem.

Na terça-feira 11 de abril os mercados acionários chinos haviam revertido as perdas iniciais e haviam concluído em alta nesta terça-feira, com o índice de Xangai que concluindo a sessão na máxima de 15 meses.

Xangai, às vezes também nomeada pela maneira de Inglaterra Shanghai, é a maior cidade china e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de moradoras.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Taiwan, Korea, Hong Kong, China, Australia

Cities: Sydney, Seoul

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Índice de Xangai tem pior semana em 2017 com preocupações econômicas
>>>>>Brasil crescerá menos que a média da América do Sul em 2017 e 2018, diz FMI – April 18, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Economia do Brasil cresce 1,31% em fevereiro, diz BC, acima do esperado – April 17, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Economia do Brasil cresce em fevereiro ,diz Banco Central – April 17, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Banco Central considera ‘adequado’ ritmo de corte de 1 ponto na Selic – April 13, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>BC reduz taxa básica de juros em 1 ponto percentual, para 11,25% ao ano – April 12, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>BC acelera o passo e corta juros em 1 p.p., a 11,25%, e indica que esse ritmo é o adequado – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Corte maior da Selic agrada e é elogiado pelo setor empresarial – April 12, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo envia projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias ao Congresso – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Analistas esperam taxa Selic em nível ‘neutro’, a 9% ao ano, em 2017 – April 14, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Expectativa para Selic este ano cai a 8,5% na Focus, com projeção menor para a inflação em 2018 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Mercado agora prevê taxa de juros de 8,50% no fim de 2017 – April 10, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Economistas reduzem para 8,5% projeção para juros no fim de 2017 – (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Economia do Brasil cresce 1,3% em fevereiro, diz Banco Central – April 17, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Atividade econômica cresce 1,31% em fevereiro, diz BC, acima do esperado – April 17, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Vendas no varejo do Brasil caem 0,2% em fevereiro, diz IBGE – April 12, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Vendas no varejo têm queda inesperada de 0,2% em fevereiro, mostra IBGE – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>BC voltará a cortar Selic em 1 p.p. na próxima reunião, veem especialistas – April 17, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>BC acelera o passo e corta juros em 1 ponto percentual, a 11,25% – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 19 6,5 por_cento: 1, 0,03 por_cento: 1, 0,15 por_cento: 1, 0,56 por_cento: 1, 6,2 por_cento: 1, 4,5 por_cento: 1, 0,06 por_cento: 2, 0,2 por_cento: 2, 2,2 por_cento: 1, 1,5 por_cento previstos: 1, 1,6 por_cento: 1, 2 por_cento: 1, 1,8 por_cento: 1, 1,7 por_cento: 1, 1,03 por_cento: 1, 0,5 por_cento: 2
2 pontos 0 0 NONE 8 3.173 pontos: 1, 9.717 pontos: 1, 2.165 pontos: 1, 24.042 pontos: 1, 3.139 pontos: 1, 3.466 pontos: 1, 18.620 pontos: 1, 5.854 pontos: 1
3 FMI 80 0 ORGANIZATION 6 O FMI: 1, o FMI: 5
4 o Brasil 0 30 PLACE 4 O Brasil: 1, o Brasil: 3
5 índice 25 0 NONE 4 o índice straits: 1, O índice: 3
6 XANGAI 0 0 ORGANIZATION 4 XANGAI: 2, Xangai: 2
7 o índice de xangai 60 0 NONE 3 O índice de Xangai: 1, o índice de Xangai: 2
8 o PIB brasileiro 0 0 OTHER 3 PIB: 1, (tacit) ele/ela (referent: o PIB brasileiro): 1, o PIB brasileiro: 1
9 preocupações 0 120 NONE 2 preocupações crescentes: 1, preocupações: 1
10 a necessidade de reformas 100 80 NONE 2 a necessidade de reformas: 2