Mercado revê para baixo previsão de taxa Selic no fim de 2017 pela segunda semana seguida

Por: SentiLecto

Pela segunda semana seguida, o mercado reviu para baixo a projeção para a taxa Selic no fim do ano. Em 5 meses, segundo o Boletim Focus, que reúne as principais estimativas de o mercado, a taxa de juros vai ficar em %8, ante previsão de a semana passada de %8,25. Na semana passada, a expectativa caiu de 8,50% de 8,25%.

– O Congresso Nacional aprovou, nesta quinta-feira, a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2018, que admite um déficit primário de R$ 129 bilhões para o governo central no ano que vem, equivalente a 1,78% do Produto Interno Bruto calculado. Com a eleição da LDO, deputados e senadores poderão entrar oficialmente de férias a partir do dia 17. Pela Constituição, o Congresso só pode começar o recesso após a eleição da lei. Nos últimos 15 anos, no entanto, essa é somente a segunda vez em que os parlamentares votaram a LDO dentro do prazo. Quando as sessões são suspensas, por isso, acabam fazendo o “recesso branco”. A sessão desta quinta-feira só iniciou após a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara votar o parecer sobre a aceitação da acusação contra o presidente Michel Temer. Antes de votar a LDO, os deputados ainda analisaram 15 vetos presidenciais. As projeções para 2018, estabelecidas na LDO, assinalam para um crescimento real de 2,49% na economia de Brasil no ano que vem. Em 2 anos, esta dinâmica vai dever se conservar com altas de %2,49 e %2,58, respectivamente, para 2019 e 2020. O cenário base projeta ainda %4,5 para a inflação oficial para o fase de 2018 a 2020. A inflação oficial é medida pelo IPCA. Com isso, a política monetária encontrou extenso espaço para diminuição da taxa básica de juros, Selic. Para o fim de 2017, o cenário base projeta 9,3% para a taxa Selic e 9% para o fim dos anos subsequentes até 2020. Deputados e senadores consentiram com o parecer exibido pelMarcus Pestana que abre espaço de somente R$ 39 bilhões para expansão dos gastos do governo federal no ano que vem. Marcus Pestana é o relator. Estabeleceu-se esse número com base em a Emenda de o telhado de os gastos, aprovada em o ano passado. Faz 1 mês, a inflação acumulada Com isso, a despesa máxima de o governo corrigiu ela em 12 meses até junho, de %3. Na avaliação do relator, o valor é insuficiente para abrigar o progressão calculado para as despesas compulsórias no ano que vem. Diante do quadro, o deputado avalia que a única chance de aumentar despesas compulsórias é se o governo conseguir diminuir ou optar por abrir mão de outros gastos da mesma natureza. A equipe econômica, porém, tem declarado que a despesa efetivamente realizada em 2017 vai ficar abaixo do telhado, devido à frustração de receitas e ao compromisso do governo com a meta de déficit de R$ 139 bilhões. Isso na prática abriria margem para uma expansão maior nas despesas compulsórias, na avaliação dos técnicos do governo. Em 1 ano, em meio em a indefinição sobre o modelo de financiamento para as próximas campanhas eleitorais, Pestana garantiu em seu relatório a chance.Definiu-se o valor não . SUPERÁVIT SÓ EM 2020 O rombo nas contas públicas só deve ser revertido em 2020, segundo o texto da LDO aprovado. A previsão é de um déficit primário no governo central de R$ 65 bilhões em 2019, e de um superávit de somente R$ 10 bilhões em 2020. Consideram-se estados municípios e companhias estatais para o setor público consolidado, quando estados, municípios e companhias estatais, o déficit sobe para R $ 131,3 bilhões, equivalente a %1,8 de o Produto Interno Bruto estimado para o ano.

Na segunda-feira 03 de julho – A perspectiva para a taxa de juros em 2018 recuou em meio ao cenário de inflação mais baixa no Brasil, com o mercado também já adaptando suas projeções mais longas depois que o governo fixou metas menores para a alta dos custos em 2019 e 2020. A pesquisa Focus do Banco Central divulgada havia mostrado que os economistas haviam diminuído a estimativa para a Selic em 2018 a 8,25 por cento, contra 8,50 por cento anteriormente. Para este ano, permanecia a expectativa de que a taxa básica de juros, atualmente em 10,25 por cento, concluiria a 8,5 por cento, com corte de 0,75 ponto percentual na reunião de julho do Comitê de Política Monetária . Já o grupo que mais acertava as previsões havia diminuído seu cenário para ambos os anos, vendo a Selic a 8,13 por cento, sobre 8,38 poro grupo que mais acertava as previsões havia diminuído seu cenário para ambos os anos, vendo a Selic a 8,13 por cento, sobre 8,38 por cento, em 2017 O grupo que mais acertava as previsões é o chamado Top-5. O grupo que mais acertava as previsões é o chamado Top-5.; e a 8 por cento, frente a 8,25 por cento, em 2018. Isso em meio a um cenário de inflação que perdia força a cadno Focus. A projeção para a alta do IPCA neste ano agora era de 3,46 por cento, contra 3,48 por cento anteriormente. Com isso, o dado se aproximava da faixa mais baixa de tolerância para a meta, que era de 4,5 por cento com margem de 1,5 ponto percentual. Em 1 ano, a inflação havia sido estimada em 4,25 por cento, contra 4,30 por cento em o levantamento anterior, enquanto que para 2019 a expectativa havia permanecido em alta de 4,25 por cento, para 2018. O movimento de redução se repetiu para 2020 e 2021, com redução de 0,25 ponto percentual para cada, a 4 por cento. Em 3 anos, Npassada, o Conselho Monetário Nacional havia fixado para 2019 o centro de a meta de inflação a 4,25 por cento por o IPCA e a 4 por cento, em os dois casos com tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. A medida era um esforço para mostrar a permanência de uma política econômica mais austera. As contas para a atividade econômica, por sua vez, haviam mostrado manutenção da estimativa de que o Produto Interno Bruto neste ano aumentaria 0,39 por cento. Mas, Em 1 ano, havia havido piora, com a expansão estimada em 2 por cento de 2,10 por cento, antes, para 2018.

As expectativas para o IPCA recuaram de uma alta de 3,38% para outra de 3,29% para 2017 e de 4,24% para 4,20% para 2018

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Mercado revê para baixo previsão de taxa Selic no fim de 2017 pela segunda semana seguida
>>>>>Congresso aprova LDO de 2018, com rombo de R$ 129 bilhões nas contas do governo – July 14, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Relator da LDO de 2018 quer que aumento de despesas obrigatórias implique em cortes – July 10, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Projeção na Focus para taxa de juros este ano cai a 8,25%; Top-5 vê Selic abaixo de 8% em 2018 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Comissão aprova texto-base de projeto da LDO de 2018, com déficit de R$131,3 bi – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Comissão conclui votação e LDO de 2018 vai ao plenário do Congresso – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 11 4,30 por_cento: 1, 0,39 por_cento: 1, 10,25 por_cento: 1, 8,5 por_cento: 1, 8,50 por_cento: 1, 8,13 por_cento: 1, 4,25 por_cento: 2, 8,25 por_cento: 1, 8,38 por_cento: 1, 4 por_cento: 1
2 expectativa 200 0 NONE 4 expectativa: 1, a expectativa: 3
3 IPCA 0 0 ORGANIZATION 3 o IPCA: 3
4 Selic 0 0 PERSON 3 a taxa Selic: 2, Selic: 1
5 cenário 0 0 NONE 3 seu cenário: 1, o cenário base: 1, O cenário base: 1
6 governo 0 0 NONE 3 o governo central: 1, o governo: 2
7 o Produto_Interno_Bruto estimado 0 0 OTHER 3 o Produto_Interno_Bruto: 1, o Produto_Interno_Bruto previsto: 1, o Produto_Interno_Bruto estimado: 1
8 r 0 0 NONE 3 R: 3
9 vez 0 0 NONE 3 a segunda vez: 2, sua vez: 1
10 valor 150 80 NONE 2 O valor: 1, o valor: 1