Previsões do BB para 2019 estimulam e ações sobem; sinaliza venda de fatias em bancos

Por: SentiLecto

– As ações do Banco do Brasil subiam nesta quinta-feira a reboque de resultados trimestrais animadores e de indicações da gestão de que perseguirá lucratividade crescente neste ano e que prepara as primeiras vendas de ativos. Às 13:50, a ação do BB tinha alta de 2 por cento, na contramão do setor. O Ibovespa, que mais cedo, a instituição anunciou que seu lucro adaptado no quarto trimestre atingiu 3,845 bilhões de reais, alta de 20,6 por cento ano a ano, o que levou o regresso sobre o patrimônio líquido a 16,3 por cento, o pico em 5 anos, tinha oscilação positiva de 0,04 por cento. Falando a jornalistas, Rubem Novaes, que assumiu a presidência-executiva do BB no mês passado, sinalizou que conservará as linhas gerais da gestão recente, com foco no controle de despesas e no aumento das receitas com tarifas. Novaes declarou: “Podemos alcançar a lucratividade dos bancos privados ou até superar”. Faz 1 ano, adversárias como Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil tiveram índices acima de 20 por cento. O centro da faixa estimativa de lucro de 2019, de 14,5 bilhões a 17,5 bilhões de reais, divulgada junto com o balanço, implica uma ampliação de quase 19 por cento sobre o registrado no ano passado, o que nos cálculos do Credit Suisse devem aumentar o ROE para 17,1 por cento. Analistas que reforçaram recomendação de compra para os papéis de o BB de os resultados trimestrais com as estimativas para este ano festejaram a combinação ,. A equipe do BTG Pactual chefiada por Eduardo Rosman alegou: “A mensagem do ‘guidance’ é definitivamente positiva, com o BB mencionando que pretende aumentar sua lucratividade e posição de capital”. VENDAS DE ATIVOS Na entrevista coletiva com o jornalismo, Novaes mencionou também que as participações no Banco Votorantim e no Banco Patagonia estão na lista de ativos que pretende desinvestir por considerá-los que não têm sinergia com o BB. O banco inclusive já está contratando uma consultoria para avaliar estratégias para o Banco Votorantim, do qual divide o controle com o Grupo Votorantim. Novaes a jornalistas, adiantando que uma suposição já descartada é de adquiri a metade detida pelo sócio. declarou: “Estamos avaliando opções para esse investimento”. Na terça-feira, o Banco Votorantim anunciou que teve lucro de 282 milhões de reais no quarto trimestre, também atingindo a maior lucratividade em vários anos, mas ainda inferior à do BB. Ainda que avalia alternativas para a fatia controladora que tem no argentino Banco Patagônia, novaes alegou. No caso da Cielo, companhia de meios de pagamentos que vem perdendo mercado e lucratividade há anos, e da qual divide o controle com o Bradesco, não há planos de encerramento de capital, declarou. O executivo reforçou também estratégia de parcerias em segmentos de negócios como banco de investimentos e administração de recursos de terceiros. Novaes, porém, não detalhou prazos para essas transações, especialmente nos casos de desinvestimentos. Novaes declarou: “Não temos pressa para vender ativos”.

– A combinação de ampliação das receitas com controle de preços levou o Banco do Brasil a uma forte alta do lucro no quarto trimestre, roteiro que foi conservada nas previsões para 2019, frisando o foco de aumentar sua lucratividade a níveis similares aos dos adversários privados. Faz 4 meses, o BB anunciou em esta que seu lucro adaptado de outubro a dezembro atingiu 3,845 bilhões de reais, uma ampliação de 20,6 por cento ante mesma etapa de 2017. Incluindo conseqüência não recorrentes, o lucro líquido ano a ano subiu 22,3 por cento, a 3,8 bilhões de reais. Com isso, a lucratividade sobre o patrimônio líquido, que mede como um banco remunera o capital de seus acionistas, atingiu 16,3 por cento, alta anual de 1,8 ponto percentual contra 12 meses antes e o maior nível em 5 anos. Faz 1 ano, adversárias como Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil tiveram índices acima de 20 por cento. Um das coluninhas do resultado do BB foi a queda de 19 por cento das despesas com provisões para perdas com inadimplência, que adicionaram 3,17 bilhões de reais no trimestre. O movimento refletiu a manutenção da característica dos ativos, com o índice de inadimplência acima de 90 dias caindo a 2,53 por cento, ante 3,72 por cento. Em outra frente, a despesa administrativa teve baixa de 0,2 por cento, para 8,22 bilhões de reais. Enquanto isso, a receita com tarifas subiu 7,4 por cento, para 7,24 bilhões de reais. Nesse contexto, as operações de crédito ficaram em segundo plano, com o estoque de empréstimos atingindo 697,3 bilhões de reais no fim de 2018, alta de somente 1,8 por cento no ano. 2019 Nas estimativas de performance para este ano, o BB mostrou que deve conservar a estratégia recente de controle das despesas administrativas e com provisões para calotes, ampliação das receitas com tarifas em nível superior ao da inflação e aceleração moderada das operações de crédito. A previsão para o lucro adaptado é de 14,5 bilhões a 17,5 bilhões de reais. No centro dessa faixa, o lucro aumentará 18,5 por cento em relação aos 13,5 bilhões de reais do ano passado. Se fixou a previsão de alta de a margem bruta em 3 a 7 por cento. Enquanto isso, a expectativa do BB para incremento de sua carteira de empréstimos ficou em 3 a 6 por cento, abaixo da média calculada por seus principais adversários. O BB também calculou alta de 5 a 8 por cento das receitas com tarifas e de 2 a 5 por cento das despesas administrativas. Para provisão para inadimplência, a expectativa é de que a despesa líquida fique na faixa de 11,5 bilhões a 14,5 bilhões de reais. No ano passado, a soma foi de 14,2 bilhões de reais nesta linha.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Previsões do BB para 2019 estimulam e ações sobem; sinaliza venda de fatias em bancos
>>>>>BB cresce lucro em 20,6% no 4º tri, prevê expansão tímida do crédito em 2019 – February 14, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Indústria de máquinas deve elevar investimento em 2019, mas abaixo da média dos últimos anos – February 11, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>UE corta previsão de crescimento da zona do euro, inflação deve desacelerar – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Lucro ajustado da BB Seguridade cai 10,7% no 4º tri, mas empresa prevê aumento em 2019 – February 12, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>IGP-DI sobe 0,07% em janeiro com aumento da pressão sob preços ao consumidor, diz FGV – February 07, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>IPC-Fipe acelera alta a 0,58% em janeiro por Alimentação e Transportes – February 04, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>IGP-M avança 0,01% em janeiro, diz FGV – January 30, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Nasdaq e S&P 500 fecham em alta, Dow tem leve queda – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Produção industrial no Brasil sobe 0,2% em dezembro, diz IBGE – February 01, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Lojas Renner prevê alta de quase 15% no investimento em 2019, mas vê desafios para rentabilidade – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>BC da França vê crescimento econômico do 1º tri em 0,4% – February 11, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>BC britânico vê perspectiva mais fraca para Reino Unido desde 2009 por Brexit e desaceleração global – February 07, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Incerteza com o “Brexit” afeta desempenho do setor de serviços no Reino Unido – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Petrobras guia alta do Ibovespa endossada por cena externa; BB Seguridade recua – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 16 5 por_cento: 1, 2,53 por_cento: 1, 17,1 por_cento: 1, 20,6 por_cento ano: 1, 16,3 por_cento: 2, 20 por_cento: 2, 22,3 por_cento: 1, 7 por_cento: 1, 7,4 por_cento: 1, 18,5 por_cento: 1, 1,8 por_cento: 1, por_cento: 1, 3,72 por_cento: 1, 6 por_cento: 1
2 Novaes 90 0 PERSON 8 (tacit) ele/ela (referent: Novaes): 2, Novaes: 6
3 BB 0 0 ORGANIZATION 7 o BB: 4, (tacit) ele/ela (referent: o BB): 1, O BB: 2
4 lucro 240 0 NONE 6 o lucro líquido: 1, o lucro: 1, seu lucro ajustado: 2, lucro de 282_milhões: 1, o lucro ajustado: 1
5 nós 0 15 NONE 4 (tacit) nós: 4
6 tarifas 0 0 NONE 4 tarifas: 4
7 reais 240 0 NONE 3 reais: 3
8 rentabilidade 120 0 NONE 3 rentabilidade crescente: 1, a rentabilidade: 1, a maior rentabilidade: 1
9 Rubem Novaes 0 0 PERSON 3 (tacit) ele/ela (referent: Rubem_Novaes): 1, Rubem_Novaes: 2
10 alta 0 0 NONE 3 alta de 5: 1, alta: 2