Safra de soja 18/19 do Brasil progride para 19% da área, declara AgRural

Por: SentiLecto

– A safra da colheita de soja 2018/19 do Brasil, maior exportador mundial da oleaginosa, progrediu para 19 por cento da área cultivada até a última quinta-feira, ante 13 por cento uma semana antes, informou a consultoria AgRural nesta segunda-feira. Os trabalhos seguem à frente dos 6 por cento observados tanto no ano passado quanto na média de cinco anos. “Os trabalhos poderiam ter progredido ainda mais depressa, não fosse o regresso das chuvas a Mato Grosso, que no Paraná, 25 por cento da área está colhida, adicionou a AgRural, que já adiantou que vai revisar para baixo sua estimativa de produção nacional em 2018/19, atualmente em 116,9 milhões de toneladas, após um fase de tempo mais seco. Mesmo assim, as colheitadeiras já passaram por 40 por cento da área de soja do Estado”, alegou a consultoria em relatório semanal.

– O Ibovespa progredia nesta quinta-feira, superando os 98 mil pontos pela primeira vez, com as ações do Bradesco puxando o movimento após resultado trimestral e previsões para 2019 considerados fortes por analistas. Índice de referência do mercado acionário de Brasil, o Ibovespa subia 1,1 por cento às 11:09, a 98.063,16 pontos. Na máxima até o momento, chegou a 98.106,94 pontos, lembre intradia. O volume financeiro adicionava 2,48 bilhões de reais. A sinalização “dovish” do Federal Reserve na véspera, quando conservou os juros na faixa de 2,25 a 2,5 por cento ao ano e prometeu ser paciente em aumentar as taxas neste ano, endossava o movimento positivo no pregão de Brasil. A XP Investimento em nota a clientes declarou: “Mercados reagem positivamente nesta quinta-feira após o Fed sinalizar que não ampliará as taxas de juros novamente se a inflação não agilizar”. A equipe da XP também chamou a atenção para a declaração do banco central norte-americano de que ele estaria preparado para interromper o processo de redução do balanço – processo de venda de títulos do governo que estão no seu ativo. Ainda na quarta-feira, o Ibovespa recuperou o alento após a sinalização da autoridade monetária dos EUA, assim como Wall Street, que nesta sessão assinalava uma abertura mais fraca, com o futuro do S&P 500 oscilando perto da estabilidade. A perspectiva de prolongamento do ambiente de aumentada liquidez mundial, em particular as sinalizações do BC de Noruega, tem apoiado ativos emergentes neste início de ano, apesar das preocupações com a desaceleração mundial. O ânimo no pregão paulista também encontrava apoio em expectativas positivas para a temporada de balanço no Brasil, com estrategistas do Banco Santander Brasil estimando resultados operacionais fortes. DESTAQUES – BRADESCO PN subia 3,8 por cento, a 44,48 reais, perto da câmbio recorde intradia atingida mais cedo, de 44,79 reais, após alta anual de 19,9 por cento no lucro do quarto trimestre, superando estimativas de analistas, em um performance marcado por queda nas provisões para perdas com crédito. O segundo maior banco privado do país ainda estimou aceleração do crescimento nos empréstimos em 2019. – VALE progredia 0,8 por cento, no terceiro pregão de recuperação, após perda histórica de 24,5 por cento na segunda-feira, conforme investidores continuam avaliando os potenciais efeitos da calamidade com ruptura de uma represa da mineradora que matou pelo menos 99 pessoas. Faz 9 dias, a companhia protelou a divulgação de o balanço de o quarto trimestre, ante previsão anterior de divulgação em 13 de fevereiro. – ITAÚ UNIBANCO PN valorizava-se 1,4 por cento. O maior banco privado do país exibe sua performance trimestral na próxima segunda-feira, após o encerramento do pregão. SANTANDER BRASIL UNIT, que já divulgou balanço, cedia 0,2 por cento e BANCO DO BRASIL, que traz seus números em meados de março, tinha acréscimo de 2 por cento. – PETROBRAS PN tinha elevação de 1 por cento, em sessão sem tendência firme dos custos do petróleo, com o noticiário da petrolífera de controle estatal incluindo a venda da polêmica refinaria em Pasadena, no Texas, à norte-americana Chevron e oaccondutadas reservas pconfirmadasde petróleo e gás da cempresa – TIM progredia 3,4 por cento, tendo de pano de fundo relatório do Itaú BBA somando os papéis em seu portfólio ‘Buy List’ de Brasil, trocando os papéis da BRADESPAR. “A TIM vem exibindo aprimoramentos sólidos de crescimento e eficiência, levando a uma expansão de margem ininterrupta para máximas recordes”, mencionou em relatório a clientes. TELEFÔNICA BRASIL progredia 1,5 por cento. – GOL tinha alta de 3,45 por cento, beneficiada pelo forte declínio do dólar ante o real, dada à suscetibilidade de seus resultados ao movimento da moeda norte-americana. – ESTÁCIO caía 1,3 por cento, em ajuste após forte alta neste mês, de 36,8 por cento no acumulado até a véspera. Analistas do Itaú BBA esperam novo declínio nas margens da companhia de educação no quarto trimestre na comparação ano a ano em razão de provisões de inadimplência sazonalmente altas. A empresa divulga balanço em 14 de março, no final do dia. Faz 2 meses, a produção industrial de Brasil registrou alta de 0,2 por cento em a comparação com o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em esta sexta-feira.- A produção industrial de Brasil frustrou as expectativas de perdas e Faz 2 meses, aumentou, concluindo 2018 com ganhos, porém em ritmo mais fraco do que no ano anterior. Em dezembro, a indústria registrou progressão de 0,2 por cento na produção, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística . Este resultado compensa o recuo de 0,1 por cento de novembro e foi melhor do que a expectativa assinalada em pesquisa da Reuters de recuo de 0,2 por cento. Na comparação com dezembro de 2017, a produção exibiu queda de 3,6 por cento, quando houve uma progressão de 2,5 por cento que suspendeu três anos seguidos de queda da produção industrial, contra projeção de contração de 4,2 por cento Com isso, o setor concluiu 2018 com ganho de 1,1 por cento, mostrando desaceleração em relação ao ano anterior. No quarto trimestre, a produção industrial teve recuo de 1,1 por cento sobre o mesmo fase de 2017, mostrando que a atividade perdeu força ao longo do ano após ampliações de 2,8 por cento no primeiro trimestre, 1,8 por cento no segundo e 1,2 por cento no terceiro, na mesma base de comparação. Foi o resultado mais fraco desde o quarto trimestre de 2016. O administrador da pesquisa no IBGE, André Macedo declarou: “Atividades como alimentos, metalurgia e bebidas, que mostraram conduta positiva no começo do ano, perderam intensidade ao longo dos meses”. Os dados do IBGE mostraram que, entre as categorias econômicas, a que mais aumentou no ano foi a de Bens de Consumo Duráveis, com alta de 7,6 por cento, impulsionada por automóveis e eletrodomésticos da linha marrom. Bens de Capital teve ampliação no ano passado de 7,4 por cento, devido principalmente aos bens de capital para equipamentos de transporte e para construção. Bens de Capital é uma medida de investimento. Por outro lado, a produção de Bens de Consumo Semiduráveis e não Duráveis teve contração de 0,3 por cento. Entre os ramos pesquisados, 13 dos 26 exibiram resultados positivos. A produção de veículos automotores, reboques e carrocerias exerceu a maior influência positiva, com ampliação de 12,6 por cento. “Faz 1 ano, a maior procura foi especialmente favorecido o setor automobilístico de o mercado de Argentina, embora tenha perdido intensidade em os últimos meses de o ano “, completou Macedo. Em dezembro sobre o mês anterior, entretanto, enquanto Bens Intermediários aumentaram 0,7 por cento, a fabricação de Bens de Capital recuou 5,7 por cento. 2018 marcou um mercado de trabalho fraco de os caminhoneiros , a greve , crise em a Argentina e instabilidade em o fase eleitoral , fatores que afetaram a indústria de Brasil ao longo do ano. A mais recente pesquisa Focus do Banco Central mostra que os economistas esperam em 2019 uma expansão da indústria de 3,04 por cento, indo a 3 por cento em 2020.

Na sexta-feira 25 de janeiro – O ritmo da safra da colheita 2018/19 de soja continuou agilizado nesta semana, informou a consultoria AgRural nesta sexta-feira, assinalando que Brasil já colheu em 13 por cento da área cultivada com o grão, segundo comunicado. Até anterior, produtores de Brasil tinham colhido 6 por cento da área. A safra seguia adiantada ante o mesmo fase do ano passado, quando o índice era de 4 por cento, e também estava à frente da média histórica . Enquanto no Paraná havia progredido para 18 por cento, em Mato Grosso, a safra havia atingido 29 por cento da área. Goiás já havia colhido 14 por cento. “Além do ritmo forte das colheitadeiras, chamava a atenção o efeito negativo das chuvas irregulares e das temperaturas altas de janeiro sobre o desenvolvimento das lavouras de diversos Estados”, havia declarado a AgRural, mencionando que “isso tinha que levar a um novo corte na estimativa de produção, que seria revisada pela AgRural na primeirde fevereiro”. Faz 5 dias, a produção de soja 2018-19 de o Brasil já havia sido diminuída por a AgRural em 4,5 milhões de toneladas, para 116,9 milhões de toneladas, em o último dia 9.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil, Argentina

Cities: Parana

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Safra de soja 18/19 do Brasil progride para 19% da área, declara AgRural
>>>>>Com chancela do Fed, Ibovespa avança e supera 98 mil pontos guiado por Bradesco – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Produção industrial no Brasil sobe 0,2% em dezembro, diz IBGE – February 01, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Índices chineses recuam sob pressão de redução de lucro industrial – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Déficit em transações correntes do Brasil dobra em 2018, a US$14,511 bi, aponta BC – January 28, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Arrecadação federal sobe 4,74% em 2018, melhor dado desde 2014, diz Receita – January 24, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Adiantada, colheita de soja do Brasil chega a 13% da área, diz AgRural – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Em Davos, Argentina coloca luta contra inflação elevada como prioridade – January 23, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Argentina registra déficit fiscal primário de 2,4% do PIB em 2018 e cumpre meta do FMI – January 18, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil quer que comércio exterior responda por 30% do PIB até fim do governo, diz fonte – January 17, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>BC do Japão corta previsão para inflação, mantém estímulo em meio a aumento dos riscos para economia – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>FMI eleva crescimento do Brasil em 2019 a 2,5%, mas reduz projeção para 2020 a 2,2% – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>IGP-M avança 0,01% em janeiro, diz FGV – January 30, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Confiança da indústria Brasil sobe em janeiro para maior nível em 5 meses, diz FGV – January 29, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Produção industrial no Brasil cresce em dezembro, mas perde força em 2018 – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 por_cento 0 0 NONE 18 1,1 por_cento: 1, 1,3 por_cento: 1, 2,5 por_cento: 2, 36,8 por_cento: 1, 7,4 por_cento: 1, 3 por_cento: 1, 0,8 por_cento: 1, 1,2 por_cento: 1, 1,4 por_cento: 1, 18 por_cento: 1, 3,4 por_cento: 1, 1,5 por_cento: 1, 1,8 por_cento: 1, 14 por_cento: 1, 5,7 por_cento: 1, 0,7 por_cento: 1, 13 por_cento: 1
2 eu 50 180 NONE 9 (tacit) eu: 9
3 produção 0 80 NONE 7 a produção: 2, produção: 1, a produção industrial: 2, A produção industrial brasileira: 2
4 esta 0 0 NONE 6 esta: 6
5 AgRural 0 50 ORGANIZATION 5 a AgRural: 4, (tacit) ele/ela (referent: a AgRural): 1
6 Ibovespa 105 0 ORGANIZATION 4 o Ibovespa: 2, O Ibovespa: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Ibovespa): 1
7 o Brasil 0 0 PLACE 4 o Brasil: 3, Brasil: 1
8 resultado 30 70 NONE 3 Este resultado: 1, o resultado mais fraco: 1, resultado trimestral: 1
9 TIM 115 0 ORGANIZATION 3 TIM: 1, A TIM: 1, (tacit) ele/ela (referent: A TIM): 1
10 Mato Grosso 0 0 PERSON 3 Mato_Grosso: 3