‘É ignorância, é burrice, é atraso’, declara Ana Maria Braga sobre matança de macacos por febre amarela

Por: SentiLecto

A apresentadora Ana Maria Braga, 68, mostrou motim com a matança de macacos por causa da febre amarela em publicação feita no Instagram nesta segunda .

“Já falei mais cedo e agora repito: NÃO MATEM OS MACACOS! Eles não são culpadas pela transmissão da febre amarela. Matar o macaquinho é ignorância, é burrice, é atraso”, declarou a artista na rede social.

“Além de uma extrema crueldade, prejudica o inquérito científico sobre a disseminação da enfermidade. Teremos consciência, nada de matar macaco, ok?”, completou compartilhando a ilustração de um macaco com os declarare “Eu não transmito febre amarela, não me machuque”.

Nas observações, os seguidores da apresentadora do “Mais Você”, da Globo, também provaram motim.

“A raça humana é tão ignorante tem sempre que por a culpa em alguém e dessa vez as vítimas são os macacos”; “Triste, povo ignorante”; “Como a população de Brasil é ignorante. Falta leitura e desejar estudar para ter o conhecimento” são alguns das observações deixadas por internautas.

Pouco antes de fazer a publicação, Ana Maria também falou sobre o tema durante seu programa.

“A gente vem sempre bombardeando com notícias de febre amarela e não param de aparecer casos de macacos que estão sendo mortos propositalmente, principalmente no Estado do Rio de Janeiro por conta da febre amarela. Isso continua ocorrendo. Apesar a mídia explicar insistentemente em todos os meios de comunicação há vários meses que o macaco não transmite a enfermidade. Ela   [ febre amarela ] transmitem ela febre amarela.”

– O Centro de Controle e Prevenção de Doenças da União Europeia recomendou nesta sexta-feira que cidadãos do bloco com viagem marcada para áreas de risco de contaminação de febre amarela no Brasil durante o Carnaval tomem a vacina e se protejam de picadas de mosquito, após a ampliação no número de casos da enfermidade no país. De acordo com o ECDC, as transmissões de febre amarela podem afetar áreas urbanas do país, o que amplia o risco de contaminação de viajantes, especialmente durante o Carnaval, em fevereiro. O ECDC em comunicado publicado em seu site declarou: “Com o fluxo de viajantes a áreas urbanas no Brasil, o número de viajantes não imunizados sendo contagiados pode ampliar no próximo mês”. O alerta recomenda a imunização e a adoção de medidas para evitar as picadas de mosquito, como a utilização de repelente, vestimentas com mangas e calças compridas e a acomodação em locais que tenham ar condicionado ou mosquiteiros. Procurado, o Ministério da Saúde ainda não se demonstrou sobre a recomendação europeia. Dados divulgados pelo ministério nesta semana assinalam que até o dia 14 de janeiro, no atual fase de monitoramento, de julho/2017 a junho/2018, foram confirmados 35 casos de febre amarela em todo o país, sendo 20 os casos de óbitos provocados pelo vírus. No Estado de São Paulo, no entanto, a Secretaria de Saúde divulgou mais de 10 mortes só neste ano. Na terça-feira, a Organização Mundial da Saúde disse o Estado de São Paulo como área de risco para febre amarela, e recomendou vacinação contra a enfermidade para todos os viajantes internacionais que visitam a região, inclusive a capital paulista e o litoral, devido aa ampliação do nível de atividade do vírus. A recomendação da OMS para vacinação de viajantes internacionais já estava em forcita para Estados das Regiões Centro-Oeste e Norte, Minas Gerais e Maranhão, além de partes de Estados da Região Sul, Bahia e Piauí, segundo a organização.

Na sexta-feira 12 de janeiro Ana Maria Braga havia exibido um vídeo do menino, gravado pela professora, em uma aula de ilustração na qual ele havia decidido mostrar para um amigo como o corpo humano era formado.

Como relatou Mônica Bergamo, colunista da Folha, nesta quarta , a apresentadora e ativista da causa animal Luisa Mell decidiu convidar artistas para que auxiliem a disseminar mensagens em redes sociais elucidando que macacos não transmitem febre amarela.

A artista declara ter recebido relatos “horripilantes” de primatas mortos por pessoas que os associam ao surto da enfermidade. “O macaco é vítima assim como a gente, mas a ignorância ainda impera”, lamenta ela.

A DOENÇA

Se os registrou humanos em o país, a febre amarela voltou a chamar a atenção no começo deste ano, depois que casos em macacos e. O regresso da enfermidade acontece meses após seu maior surto no Brasil, no primeiro semestre de 2017.

Desde julho de o ano passado , já confirmou ocorrências e mortes o Ministério da Saúde em os Estados de São Paulo , Minas Gerais , Distrito Federal e Rio de Janeiro.

A exemplo dos humanos, bugios, saguis e outros primatas são vítimas do vírus, transmitidos pelos mosquitos —o Haemagogus e, nas cidades, o já conhecido Aedes aegypti .

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Mexico, Uruguay, Brazil

Cities: Mexico, Minas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’É ignorância, é burrice, é atraso’, declara Ana Maria Braga sobre matança de macacos por febre amarela
>>>>>UE recomenda vacinação contra febre amarela a turista que viajar ao Brasil para Carnaval – January 19, 2018 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 febre 0 480 NONE 6 febre amarela: 5, A febre amarela: 1
2 macacos 25 125 NONE 5 os macacos: 2, macacos: 3
3 eu 0 0 NONE 4 (tacit) eu: 2, Eu: 1, me: 1
4 ECDC 0 0 ORGANIZATION 3 o ECDC: 2, (tacit) ele/ela (referent: o ECDC): 1
5 país 0 0 NONE 3 o país: 2, todo o país: 1
6 Triste 0 160 ORGANIZATION 2 (tacit) ele/ela (referent: Triste): 1, Triste: 1
7 ignorância 0 160 NONE 2 ignorância: 1, a ignorância: 1
8 gente 0 150 NONE 2 A gente: 1, a gente: 1
9 revolta 0 120 NONE 2 revolta: 2
10 macaco 0 90 NONE 2 o macaco: 1, O macaco: 1