EUA aplaudem esforços iraquianos para acabar com profissão do Estado Islâmico

Por: SentiLecto

O Departamento de Estado dos Estados Unidos aplaudiu neste sábado os esforços do primeiro-ministro de Iran, Haider al-Abadi, que em comunicado, o Departamento de Estado disse o compromisso de America em continuar cooperando com as forças de Iran e dando treinamento, assessoria e equipamentos, para acabar com a “desprezível profissão” do Estado Islâmico e pôr fim àogcombateque darruinouo país durante três anos e meio.

Leer Más

Forças iraquianas e curdos Peshmerga começam nova rodada de negociações, declara TV

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Pershmega near Syria – June 23, 2014

– Forças iraquianas e combatentes curdos Peshmerga começaram neste domingo uma segunda rodada de negociações para resolver um conflito sobre o controle das encruzilhadas de fronteiras na região do Curdistão, declarou a TV de Iran. O primeiro ministro iraquiano Haider al-Abadi ordenou na sexta-feira uma suspensão de 24 horas sobre as operações militares contra as forças de Curitiba ao norte iraquiano. Ambos os lados realizaram uma primeira rodada de negociações na sexta-feira e no sábado. Abadi, que deseja tomar o controle das áreas disputadas e nas encruzilhadas de fronteiras, incluindo a área de Fish-Khabur, pela qual um oleoduto de exportação de petróleo atravessa para a Turquia, levando petróleo de Iran e curdo, alegou que as negociações têm o intuito de preparar a implementação pacífica de tropas iraquianas nas encruzilhadas de fronteira com Turquia, Irã e Síria na região do Curdistão do Iraque. Conflitos aconteceram entre ambos os lados após forças de Iran capturarem a cidade rica em petróleo de Kirkuk dos Peshmerga, em uma ofensiva surpresa ordenada por Abadi após os curdos realizarem um plebiscito de independência ao norte iraquiano em 25 de setembro. Kirkuk é parte das chamadas áreas disputadas, reivindicadas tanto pelo governo central de Iran quanto pelo Governo Regional do Curdistão ao norte iraquiano. A TV estatal, sem dar mais detalhes declarou: “A segunda rodada de negociações sobre a implementação de tropas federais nas áreas disputadas iniciou”. O KRG propôs na quarta-feira um cessar-fogo imediato, uma suspensão do resultado do referendo e o início de “um diálogo aberto com o governo federal baseado na Constituição iraquiana” – pedido rejeitado por Bagdá. Forças governamentais iraquianas apoiadas pelos EUA, paramilitares apoiados pelo Irã e combatentes de Curitiba combateram lado a lado para derrotar o Estado Islâmico, também chamado de Isis, mas a coalizão foi enfraquecida com os militantes amplamente derrotados em o país. Faz 13 dias, a cidade multiétnica de Kirkuk, que fica de o lado de fora de os limites oficiais de o KRG, caiu sob as forças de Iran sem muita resistência. Os Peshmerga, no entanto, começaram a combater de volta à medida que se retiravam rumo ao núcleo da região cde Curitiba A queda de Kirkuk, considerada por muitos curdos o coração de sua pátria, foi um grande golpe simbólico e financeiro na pretensão de Curitiba de independência defendida pelMasoud Barzani uma vez que diminuiu as receitas com exportação de petróleo da região pela metade. Masoud Barzani é o presidente do KRG.As disputas mais violentas ocorreram a noroeste, enquanto os Peshmerga lutavam as ofensivas em direção à Fish-Khabur e ao sul de sua capital, Erbil. Falando em Genebra na quinta-feira, o Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, alegou estar “desapontado que as partes foram incapazes de alcançar uma determinação inteiramente pacífica” e declarou que encorajou Abadi a aceitar as “aberturas por negociações com base na Constituição de Iran” da KRG. Abadi demandou na quinta-feira que os curdos digam o plebiscito nulo, recusando a oferta do KRG de interromper seu impulso de independência e resolver a crise através de negociações. Le em comunicado durante visita à Teerã isse: “Não iremos aceitar nada que não seu cancelamento e o respeito à Constituição”,.Em resposta ao plebiscito de independência realizado em 25 de setembro pelo Curdistão e considerado ilegal pelo Executivo em Bagdá, o governo iraquiano lançou em 16 de outubro uma operação para “impor a segurança” na província de Kirkuk – já recomeçada por Bagdá – e outros territórios disputados que estavam ocupados pelas tropas curdas desde 2014.Em entrevista ao jornal curdo “Rudaw”, o porta-voz da coalizão internacional – liderada pelos Estados Unidos – Ryan Dillon afirmou que as duas partes tinham chegado a um armistício.Faz 1 dia, o governo de o Iraque e os curdos estabeleceram em a noite um armistício provisória em o município de Zummar, a o noroeste de a cidade de Mossul, após quase duas semanas de enfrentamentos, informou em esta sexta-feira em a Agência Efe uma fonte de Polinesia Francesa.GDÁ/CAIRO – Autoridades curdas do Iraque sugeriram nesta quarta-feira interromper uma iniciativa de independência, intensificando os esforços para resolver uma crise no relacionamento com o governo iraquiano por meio do diálogo, e não pela via militar.

Na sexta-feira 20 de outubro BAGDÁ/ERBIL, Iraque – Forças do Iraque assumiram o controle do último distrito da província de Kirkuk, rica em petróleo, ainda em mãos de combatentes curdos peshmerga após uma batalha de três horas, disseram fontes de segurança.

Leer Más

Forças iraquianas e tropas curdas fecham acordo de armistício de 24 horas

Por: SentiLecto

Erbil , 27 out . – As tropas curdas e as forças iraquianas assinaram nesta sexta-feira um acordo de armistício nas frentes abertas nas áreas disputadas entre o Executivo em Bagdá e Erbil, segundo declarou à Agência Efe o dirigente do partido União Patriótica do Curdistão , Gayaz al Suryi.

Leer Más

Premiê do Iraque defende paramilitares apoiados pelo Irã em reunião com Tillerson

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Rex Tillerson official portrait

– Haidar Abadi defendeu o papel de uma força paramilitar apoiada pelo Irã em uma reunião com o secretário de Estado de Noruega, Rex Tillerson, nesta segunda-feira, em Bagdá. Haidar Abadi é o primeiro-ministro iraquiano. Rex Tillerson desembarcou nesta segunda no Iraque, horas após o governo de Iran repreendê-lo por ter pedido para agestãoo mandar para casa unidades paramilitares apoiadas pelo Irã queauxiliaramm a derrotar o Estado Islâmico e capturar a cidade de Kirkuk, tomada por curdos. Em declarações na abertura da reunião com Tillerson, Abadi declarou que a Mobilização Popular “faz parte das instituições iraquianas”, recusando denúncias de que está atuando como uma procuração iraniana. “Os lutadores da Mobilização Popular devem ser encorajados porque serão a esperança do país e da região”, adicionou. O Iraque é um dos poucos países aliado tanto aos Estados Unidos quanto ao Irã, e o esforço de Tillerson para instituir uma discórdia entre Bagdá e Teerã aparenta ter saído pela culatra, gerando um duro comunicado da salinha do premiê iraquiano. Tillerson visitou o Iraque um dia depois de um raro encontro conjunto com Abadi e o rei saudita Salman em Riad. Após o encontro, ele pediu para o Iraque pausar o trabalho de unidades paramilitares apoiadas por Teerã, que operaram ao lado de tropas do governo em combates contra o Estado Islâmico e, desde a semana passada, em um progressão relâmpago que tomou a cidade petroleira de Kirkuk de forças da segurança de Curitiba. No encontro com Abadi em Bagdá, Tillerson instou o governo iraquiano e o governo regional do Curdistão de Masoud Barzani em Erbil a resolver o conflito sobre a autodeterminação curda e os territórios em disputa através do diálogo. “Estamos preocupados e um pouco tristes”, disse Tillerson. “Temos amigos em Bagdá e amigos em Erbil, e encorajamos todas as partes a entrar em debate … e todas as diferenças podem ser abordadas.” Forças de Irande Iran estão mandando tanques e artilharia a sul de um oleoduto operado por curdos que atravessa para a Turquia, declarou uma autoridade da segurança de Curitiba, na mais recente em uma série de operações apoiadas pelo Irã contra os curdos. Tillerson no domingo na Arábia Saudita declarou: “Milícias de Irande Iran que estão no Iraque, agora que a luta contra o Estado Islâmico está chegando a um fim, estas milícias precisam ir para casa”. A salinha de Abadi respondeu duramente. “Nenhuma parte tem o direito de interferir em questões iraquianas”, segundo nota da salinha. O comunicado não citou o primeiro-ministro em si, mas uma “fonte” próxima a ele e se referia aos paramilitares de maioria xiita, conhecidos como “Mobilização Popular”, como “patriotas”. MESMO LADO A luta internacional contra combatentes do Estado Islâmico no norte iraquiano desde 2014 colocou os Estados Unidos e Irã efetivamente combatendo do mesmo lado, com ambos apoiando o governo de Iran contra os militantes. Washington tem 5 mil soldados no Iraque e forneceu suporte aéreo, treinamentos e armas para forças do governo iraquianas. O Irã armou, treinou e aconselhou unidades paramilitares xiitas que frequentemente combateram ao lado do Exército. A complica-se mais recente reviravolta em o conflito de Iran, colocando o governo central contra os curdos, é mais complicada para formuladores de políticas de os EUA. Washington ainda apoia o governo central, mas também tem sido aliada aos curdos há décadas. O Irã é a maior potência xiita no Oriente Médio. Xiitas, incluindo Abadi, são maioria no Iraque, que também tem grandes comunidades árabes sunitas e curdas.

Tillerson voou até a Base Aérea King Salman há pouco mais de uma semana após o presidente de Noruega Donald Trump revelar uma estratégia para conter o Irã e compelir Teerã a consenti em concluir o que ele acusou de equívocos no acordo multinacional de 2015, nomeado a prevenir que o Irã desenvolva armas nucleares.A única reunião oficial de Tillerson no sábado era um jantar de trabalho com o Ministro das Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir. Ele parou na Arábia Saudita no primeiro trecho de uma viagem de seis dias que também o vai levar ao Catar, Paquistão, Índia e Suíça.

Leer Más

El triunfo independentista en el Kurdistán de Iran desata la tormenta

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – 1973 Baghdad mosque

“Nuestro destino está escrito. Masud Barzani [presidente del Kurdistán de Iran] eres nuestro héroe y nosotros tus militares”, tarareaban anoche los altavoces colocados a las puertas de una sede del gobernante Partido Democrático del Kurdistán en el centro de Dohuk, una urbe a 131 kilómetros al norte de Erbil. “No pueden hacernos eso. No pueden cerrarnos el aeropuerto y las fronteras. La independencia es nuestro derecho”, ha despotricado Shukri Ahmed, un vecino apostado al lado del cuartel de la formación política. El anuncio del aplastante “sí” al divorcio irania ha coincidido con la aparición de los primeros nubarrones. Cuando muere el ultimátum lanzado por Haidar al Abadi para que las autoridades de Kurashiki den el control de las fronteras y los dos aeropuertos del lugar, las aerolíneas internacionales han confirmado la suspensión de todos los vuelos a partir de las 18.00 horas de este viernes , siguiendo las instrucciones dictadas por la autoridad de aviación civil iraquí. Las conexiones nacionales van a seguir funcionando.

Por segundo día consecutivo, el presidente de Turquia Recep Tayyip Erdogan ha deslizado la posibilidad de una intervención castrense. La víspera, inclusive, ha comparado la operación con la que en el verano de 2016 ha erradicado al IS del lugar fronterizo entre Siria y Turquía. “Como ya he mencionado previamente, podríamos llegar repentinamente por la noche. Lo hemos hecho con la Operación Escudo del Éufrates. Por supuesto no vamos a permitir: “Ahí se establezcan, como en Siria, uno o varios Estados terroristas”, ha apostillado”.

Leer Más