Com baixa adesão, Temer cancela jantar de demonstração de suporte

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Arthur Lira

Sem confirmação de presença da maior parte dos líderes de sua base aliada, o presidente Michel Temer decidiu cancelar o jantar que ofereceria neste domingo , no Palácio da Alvorada, em uma tentativa de provar que conserva suporte no Congresso.

Michel Miguel Elias Temer Lulia é um político, advogado, professor universitário e escritor brasileiro, atual presidente brasileiro após o impeachment da titular, Dilma Rousseff.

Leer Más

Governo não tem mais prazo e reforma da Previdência vai ser a possível

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Plenário do Congresso (16428945352)

– O governo não desistiu das reformas previdenciária e trabalhista, mas adotará agora um tom mais cuidadoso nas conversas com os parlamentares. Não se trabalha mais com prazo e será feito o que for possível, declarou um interlocutor do Planalto. Segundo essa fonte, isso não significa, porém novas concessões na Previdência, mas que não vai existir mais pressão sobre os parlamentares por data. O programa anterior era aprovar os duas propostas ainda no primeiro semestre. Mas após a crise gerada pela divulgação de conversas comprometedoras entre o presidente Michel Temer e o proprietário do frigorífico JBS, os relatores da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia e da trabalhista, senador Ricardo Ferraço anunciaram na quinta-feira a suspensão da tramitação das propostas. A avaliação do Planalto é que eles se precipitaram ao tomar a resolução antes do pronunciamento de Temer e da divulgação do teor das gravações. LEIA MAIS: Com incerteza, PIB pode padecer terceiro ano de queda Segundo fontes do Planalto, além dos relatores que serão chamados para conversas, os líderes do governo iniciam já no fim de semana a disparar telefonemas para reverter os estragos na base e reconquistar os votos necessários para a reforma da Previdência. Segundo o deputado Beto Mansur , que está ajudando o governo na comunicação da reforma, ainda falta persuadi, pelo menos, 100 parlamentares indecisos a fim de conseguir uma maioria segura. Para aprovar a proposta, que modifica a Constituição, são necessários 308 votos. — Vamos iniciar um trabalho para reconstruir a base. Como num castelo de cartas, perdemos um andar na reforma da Previdência, recuamos um passo, mas continuaremos o processo de negociação — declarou um técnico. No caso da eleição da reforma trabalhista no Senado, declarou a fonte, há interesse do próprio PSDB, apesar dos problemas enfrentados pelo partido. Além disso, senadores de outras siglas defendem as mudanças. Moreira Franco declarou ao GLOBO que esse trabalho iniciou na quinta-feira mesmo, o que levou alguns ministros a desistirem de deixar o governo. Moreira Franco é o ministro geresano. Ele realçou que a aprovação das duas reformas é um dos principais objetivos do governo para assegurar a retomada da economia e gerar empregos. — Agora, conversaremos com as forças políticas para reforçar esse trabalho, instituir as condições para que o Congresso aprove as reformas — realçou o ministro, reafirmando que o governo não em prazo.

– Integrantes da equipe econômica já descartam a aprovação da reforma da Previdência no primeiro semestre deste ano, conforme vinha defendendo o Planalto. O clima entre os técnicos, segundo interlocutores, é de confusão e frustração, porque até o fim da tarde de ontem, havia esperança de que a proposta pudesse ser votada em primeiro turno pelo plenário da Câmara dos Deputados no dia 29 deste mês. — O governo estava virando votos em defesa da reforma, já contabilizava entre 315 e 320 votos. Agora, a expectativa é de paralisação e aí é que as possibilidades de aprovação são mínimas por causa da proximidade das votações em 2018, se os debates ficarem para o segundo semestre — declarou um técnico. Segundo essa fonte, há uma crise institucional no país e, até que isso seja resolvido, tudo vai ficar parado. As delações dos proprietários da JBS, envolvendo diretamente o presidente Michel Temer jogam muita incerteza sobre o futuro político do país e o rumo das reformas, sobretudo da Previdência. — Se o governo for assumido por uma tecnocracia, dificilmente as coisa vão caminhar com o Congresso que a gente tem — lamentou a fonte. Pouco antes da notícia, líderes do governo e o presidente da delegação especial da reforma, Carlos Marun , tinham ido até a salinha do ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, pra exibi o mapeamento dos votos favoráveis à reforma. Mas diante do fato, não conseguiram nem falar com o ministro que foi chamado às pressas para uma reunião com o presidente. A intenção do Planalto era abrir uma sequência de encerramento de questão dos partidos da base em torno da reforma na próxima semana.Após duas semanas em silêncio, a senadora Marta Suplicy anunciou Ricardo Ferraço como relator da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais , presidida por ela. Ferraço vai acumular duas delegações: ele já é o relator na Comissão de Assuntos Econômicos e também vai relatar a matéria na CAS. — A CAS vai mencionar o senador Ricardo Ferraço como relator. Isso vai ser feito em conjunto, porque ele é relator na CAE, nós vamos adaptar o programa. Nós não temos que ser açodados nem que ser bastante vagarosos. O senador tem sido constante em todas as audiências públicas que a CAS fez. Ele é um estudioso, tem que sair bastante bem, temos um diálogo bom com ele — declarou Marta Suplicy A senadora fez o anúncio logo antes do começo da segunda sessão plenária temática para debater a reforma trabalhista. Quando iniciou oficialmente a tramitação da reforma no Senado, desde a semana passada já houve quatro audiências públicas. Isso porque o governo tem pressa de votar logo o projeto e abrir assim espaço para a eleição da reforma da previdência. O Palácio do Planalto deseja medir o suporte da base primeiro com as mudanças na lei trabalhista. O objetivo é que a proposta chegue em plenário já no fim de maio. Na audiência pública desta quarta-feira têm que ser ouvidor Ronaldo Nogueira Vagner Freitas Ronaldo Nogueira é o ministro do Trabalho.; o presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho, Ângelo Fabiano Farias da Costa; o presidente brasileiro Antônio Neto; o presidente do Instituto do Desenvolvimento do Varejo, Antônio Carlos Pipponzi; e a advogada e Especialista em Direito Econômico, Celita Oliveira Sousa.- O relator da reforma da Previdência na delegação especial da Câmara, deputado Arthur Maia , declarou em nota que não há mais espaço para aprovar a proposta no Congresso Nacional. Segundo ele, é hora de “arrumar a casa e elucidar os fatos obscuros”. Quando a delegação deduziu a eleição do texto final da reforma, na semana passada derrubando todos os destaques, Maia tinha declarado ter certeza que os parlamentares em a aposentadoria aprovariam as mudanças. O deputado na nota declara: “De ontem para cá, a partir das acusações que surgiram contra o presidente da República, passamos a viver um fase crítico, de incertezas Certamente não há espaço para progredirmo com a reforma da Previdência no Congresso Nacional”. Ainda que é preciso responder “verdade a todas as dúvidas do povo de Brasil, no texto, ele adiciona ” e castigar os culpados porque a lei tem que valer para todos os brasileiros.

Leer Más

Uber ameaça demitir engenheiro acusado de roubar segredos da adversária Waymo

Por: SentiLecto

O Uber, que informou Levandowski de que ele precisa satisfazer a ordem judicial e devolver os documentos à Waymo ou enfrentar possível rescisão contratual, ddeclararamos advogados dele no documento judicial, ameaçou demitir um engenheiro acusado pela unidade de carros autônomos da Alphabet, a Waymo, de roubar documentos confidenciais em um caso envolvendo importantes segredos comerciais entre as duas ecompanhias segundo parecer judicial. A Waymo processou o Uber, afirmando que seu ex-executivo Anthony Levandowski teria feito download de mais de 14 mil documentos confidenciais antes de deixar a companhia para se uni à radversária

Leer Más

Ibovespa futuro desaba 10% após acusações contra Michel Temer

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Bovespa Index

– O contrato do Ibovespa para junho despencava 10 por cento nos primeiros negócios desta quinta-feira, refletindo a repercussão negativa a acusações envolvendo o presidente Michel Temer. Na véspera, O Globo noticiou que Joesley Batista, um dos controladores do frigorífico JBS, gravou Temer consentindo com pagamentos para conservar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha , que está preso. No exterior, o ETF iShares MSCI Brazil caía cerca de 15 por cento na pré-abertura. O economista David Beker, do Bank of America Merrill Lynch, em nota a clientes declarou: “Dado o risco de implementação das reformas, os ativos de Brasil irão padecer no curto prazo”. Agentes financeiros já se preparavam para a chance de circuit breaker no pregão à vista da Bovespa, que abre às 10h, com várias corretoras encaminhando a clientes as renormasobre o medispositivoe interrupção de negócios. Se o Ibovespa recuar 10 por cento ante o encerramento do véspera, de acordo com as normas do dispositivo a bolsa suspende a sessão por 30 minutos. Na volta, se a queda atingir 15 por cento ante o fechamento do dia anterior, os negócios são suspensos por 1 hora. Caso a variação do Ibovespa atinja uma oscilação negativa de 20 por cento ante o encerramento anterior quando forem reabertos os negócios, ainda de acordo com informações da B3 a bolsa pode determinar a suspensão do negócios por prazo definido a seu critério.

– As ações de companhias europeias com exibição ao Brasil operavam em baixa nesta quinta-feira, reagindo às dacusaçõesenvolvendo o presidente Michel Temer. Na véspera, O Globo noticiou que Joesley Batista, um dos proprietários da JBS, gravou Temer consentindo com pagamentos para conservar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha , que está preso. Os papéis do grupo varejista de Francia Casino recuavam 3,9 por cento, tendo também no radar o rebaixamento por parte da Invest Securities em meio a preocupações com a alavancagem. As ações da operadora de Espanha Telefónica perdiam cerca de 2 por cento, perdiam 3 por cento, enquanto as da Telecom Italia caíam ao redor de 4 e as da Experian. Aul Marsch, analista da Berenberg referindo- e à queda da Telecom Italia. O isse: “Achamos que está relacionado às preocupações dbrasileirasapós notícias sobre Temer”,.s papéis da montadora de Alemania Volkswagen e da fabricante de bebidas ABInBev também trabalhavam no vermelho, com baixas de 1,5 e 2 por cento, respectivamente.- Enquanto JBS liderou a ponta negativa após resultado trimestral, o principal índice da Bovespa fechou os negócios desta terça-feira em alta, engatando o sexto pregão no azul, tendo as ações da Vale entre as principais influências positivas. O Ibovespa subiu 0,31 por cento a 68.684 pontos. O volume financeiro adicionou 9,06 bilhões de reais. Enquanto na mínima perdeu 0,51 por cento, o noticiário político ainda tranquilo e a agenda de indicadores mais vazia favoreceram movimentos contidos e algumas trocas de sinal ao longo do pregão, que viu o índice subindo 0,46 por cento no melhor momento do dia. Para operadores, a tendência para o Ibovespa, que acumula alta de 4,82 por cento em seis pregões, segue de alta após o fim da temporada de balanços, em meio a uma perspectiva mais otimista quanto aa progressão da reforma da Previdência no Congresso Nacional e com ampliação nas apostas de um corte mais agressivo da taxa básica de juros. “Ainda estamos diante de um cenário positivo, com fluxo a favor, e uma ou outra queda é somente um movimento técnico”, declarou o analista da Clear Corretora Raphael Figueredo. DESTAQUES – VALE PNA subiu 3,22 por cento e VALE ON progrediu 2,29 por cento, em linha com os futuros do minério de ferro na China. – USIMINAS PNA ganhou 2,51 por cento e GERDAU PN teve alta de 3,71 por cento, também na esteira dos ganhos nos futuros do minério de ferro e do aço na China. – CSN ON subiu 1,17 por cento, com a performance mais contido do setor de siderurgia, após informar que não entregará resultados financeiros auditados do primeiro trimestre no prazo regulamentar e exibi somente alguns dados preliminares não auditados. Analistas do BTG Pactual conservam recomendação de venda para o papel. – QUALICORP ON progrediu 5,48 por cento, entre as maiores altas do Ibovespa, levando a alta acumulada no ano para quase 50 por cento. O tom positivo ganhou mais impulso no fim da semana passada, após o balanço trimestral que levou analistas do Credit Suisse a aumentarem o preço-alvo da ação de 26 para 30 reais. – SABESP ON liderou os ganhos do índice e subiu 6,81 por cento, devolvendo as perdas da véspera. Se a exagerou segundo operadores, a reação negativa em a segunda-feira a o anúncio sobre estudos para capitalização de a companhia de saneamento, que calcula a transferência de as ações sob titularidade de o Estado para uma nova holding, e ofuscou os dados de o primeiro trimestre de a Sabesp. – JBS ON caiu 8,62 por cento, após divulgar seu resultado do primeiro trimestre. A companhia teve lucro líquido consolidado de 486 milhões de reais no primeiro trimestre, após perda de 2,64 bilhões de reais um ano antes. Para analistas do Santander, o resultado foi misto, com a forte performance das operações internacionais, principalmente da unidade US Beef, sendo ofuscado por outro desempenho fraco na América do Sul. Já a equipe do Itaú BBA cortou a recomendação das ações da JBS, mencionando não ver razões para adquiri os papéis neste momento, apesar do custo atrativo. – WEG ON perdeu 4,51 por cento, também entre os destaques negativos do Ibovespa. O papel suspendeu cinco pregões de altas após o JPMorgan cortar a recomendação para “neutra”, ante “overweight”, declarando que o papel não tem que subir bastante mais após o rali deste ano. Apesar da queda deste pregão, a ação acumula alta de 26,77 por cento em 2017.- O principal índice da bolsa paulista recuava nesta quarta-feira, após subir por seis pregões seguidos, tendo como pano de fundo o cenário externo menos favorável a ativos de risco diante de preocupações com o governo do presidente de Noruega, Donald Trump. Vencimento de alternativas marca ainda a sessão sobre o Ibovespa , o que pode somar alguma volatilidade a os negócios. Às 11:24, o Ibovespa caía 0,9 por cento, a 68.062 pontos. O giro financeiro era de 1,74 bilhão de reais. A precaução no exterior ganhou força após notícias de que o presidente dos Estados Unidos teria pedido ao então diretor do FBI, James Comey, para concluir inquérito sobre as ligações entre o ex-conselheiro de segurança nacional da Casa Branca Michael Flynn e a Rússia. Analistas do banco de investimentos Brown Brothers Harriman escreveram: “As notícias washingtonianas ampliam as preocupações já crescentes com a agenda econômica que teria que impulsionar a expansão econômica com uma reforma tributária dramática, iniciativa de infraestrutura e reorientação do comércio”. Localmente, as atenções seguem voltadas às reformas, com destaque para a da Previdência, e investidores aguardando a eleição da medida no plenário da Câmara dos Deputados. DESTAQUES – JBS ON tinha baixa de 2,54 por cento, aumentando as perdas da véspera após o balanço do primeiro trimestre e com as operações da Polícia Federal envolvendo o nome da companhia ainda pesando sobre o ativo. Também no radar estavam as expectativas quanto à oferta pública inicial de ações nos Estados Unidos da subsidiária JBS Foods International. Na véspera, o presidente da JBS declarou que ainda vê o segundo semestre como uma janela para a execução do IPO. – ITAÚ UNIBANCO PN perdia 1,04 por cento e BRADESCO PN tinha baixa de 1,4 por cento, em pregão negativo para o setor bancário como um todo, o que reforçava o viés baixista do Ibovespa devido ao peso das ações em sua composição. BANCO DO BRASIL ON recuava 1,7 por cento e SANTANDER UNIT cedia 0,84 por cento. – PETROBRAS PN caía 0,45 por cento e PETROBRAS ON perdia 0,25 por cento, contrariando a alta do petróleo no mercado internacional, que subia com expectativas de que dados semanais de estoques dos EUA possam dar ao investidor uma pista sobre a eficácia dos cortes de produção liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo . – VALE PNA tinha baixa de 1,16 por cento e VALE ON recuava 1,47 por cento, também acompanhando o tom negativo do mercado, apesar do progressão dos contatos futuros do minério de ferro na China. – QUALICORP ON subia 1,35 por cento, entre os destaques positivos do Ibovespa, esticando ganhos observados após o balanço trimestral, que levou analistas do Credit Suisse a aumentarem o preço-alvo da ação de 26 para 30 reais.

Leer Más

Equipe econômica já descarta aprovação da reforma da Previdência no primeiro semestre

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Friboi jbs

– Integrantes da equipe econômica já descartam a aprovação da reforma da Previdência no primeiro semestre deste ano, conforme vinha defendendo o Planalto. O clima entre os técnicos, segundo interlocutores, é de confusão e frustração, porque até o fim da tarde de ontem, havia esperança de que a proposta pudesse ser votada em primeiro turno pelo plenário da Câmara dos Deputados no dia 29 deste mês. — O governo estava virando votos em defesa da reforma, já contabilizava entre 315 e 320 votos. Agora, a expectativa é de paralisação e aí é que as possibilidades de aprovação são mínimas por causa da proximidade das votações em 2018, se os debates ficarem para o segundo semestre — declarou um técnico. Segundo essa fonte, há uma crise institucional no país e, até que isso seja resolvido, tudo vai ficar parado. As delações dos proprietários da JBS, envolvendo diretamente o presidente Michel Temer jogam muita incerteza sobre o futuro político do país e o rumo das reformas, sobretudo da Previdência. — Se o governo for assumido por uma tecnocracia, dificilmente as coisa vão caminhar com o Congresso que a gente tem — lamentou a fonte. Pouco antes da notícia, líderes do governo e o presidente da delegação especial da reforma, Carlos Marun , tinham ido até a salinha do ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, pra exibi o mapeamento dos votos favoráveis à reforma. Mas diante do fato, não conseguiram nem falar com o ministro que foi chamado às pressas para uma reunião com o presidente. A intenção do Planalto era abrir uma sequência de encerramento de questão dos partidos da base em torno da reforma na próxima semana.

– O governo acredita já ter os votos para aprovação da reforma da Previdência no plenário da Câmara dos Deputados, alegou nesta quarta-feira Henrique Meirelles adicionando que uma eventual postergação da eleição vai fazer diferença na expectativa econômica. Henrique Meirelles é o ministro da Fazenda. Ele a jornalistas, após participação em acontecimento em Brasília. alegou: “Quanto mais cedo melhor”. Ele também alegou que o passivo do Funrural concluirá de ser calculado pelo governo na quinta-feira.

Leer Más