Governo calcula R$7,7 bi com privatização da Eletrobras no Orçamento de 2018

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Eletrobras

– O governo federal vai calcular na verba da União de 2018 uma arrecadação de 7,7 bilhões de reais com o processo de privatização da Eletrobras, declarou nesta sexta-feira o ministro interino de Minas e Energia, Paulo Pedrosa, ao participar de discussão sobre a estatal na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo . O dinheiro vai entrar para o Tesouro com o pagamento pela Eletrobras de um bonificações em troca de contratos mais positivos para suas hidrelétricas. A estatal terá que obter o dinheiro para o pagamento com uma oferta de ações que diminuirá a União a uma fatia minoritária na empresa. Os recursos de privatizações devem auxiliar o governo federal a tentar satisfazer suas metas orçamentárias. Ainda que os planos para a privatização preveem também limites à participação de investidores na Eletrobras, pedrosa, que , ddeclarou”Estamos investindo para trazer resultado e instituir uma corporação… Se uma companhia como a Eletrobras tem controle estatal ou privado Romeu Rufino, romeu Rufino, também presente na discussão declarou que para o órgão regulador é indiferente , também presente na discussão é o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica ., mas evidenciou que ineficiências da empresa nos últimos anos têm castigado os consumidores com preços mais elevados. Ele deu como exemplos o atraso na entrega de obras devido à crise financeira enfrentada pela ecompanhia “O grupo Eletrobras assumiu compromissos que não conseguiu entregar, por vários obstáculos. Tanto no segmento de transmissão quanto no de geração, convivemos com atrasos que não foram indiferentes para o setor como um todo, principalmente para o consumidor. Afetou o consumidor de maneira expressiva… isso não pode continuar”, declarou. Ele também defendeu a venda das distribuidoras de eletricidade da Eletrobras como uma questão imprescindível para a própria sobrevivência dessas companhias, que são culpadas pelo atendimento a Estados do Norte e Nordeste e enfrentam pesadas e recorrentes perdas. Mas o diretor evidenciou que o modelo calculado pelo governo para viabilizar a desestatização da Eletrobras, que calcula uma mudança nos contratos de hidrelétricas antigas da empresa, uma vez que as usinas poderão vender sua produção, poderá impactar o consumidor a custos maiores. Essas hidrelétricas hoje entregam a energia às distribuidoras por pcustosmbastantebaixos, em um chamado “regime de cotas”. O processo de mudança nos contratos desses empreendimentos tem sido chamado de “descotização”. Rufino defendeu que o governo precisa ter cuidado nesse processo para evitar uma forte elevação das tarifas. “A descotização, isoladamente, não vai na direção da modicidade tarifária. A privatização da Eletrobras, se tem um ganho de eficiência, então ela vai nesse sentido, sim. Uma coisa compensa a outra? Não sei.” Para o ex-diretor da Aneel Edvaldo Santana, agora presidente da Abrace, associação que encarna grandes indústrias, a Eletrobras nos últimos anos passou a assumir diversos preços que depois acabaram sendo repassado aos consumidores. “Independentemente do problema ideológico, a privatização da Eletrobras é um problema de preço. Ela se tornou uma agregadora de preços… a privatização, com a descotização, amplia a tarifa… mas os ganhos compensam tudo isso, não precisa fazer nenhuma conta, só de acabar com esse ciclo vicioso de ampliação de preços”, alegou ele, também presente na Fiesp. O governo tem falado em deduzi todo o processo de privatização da elétrica federal até o final do primeiro semestre de 2018.

— Wilson Ferreira Jr declarou hoje, em acontecimento em São Paulo, que exibirá-se o modelo para a concessão de as seis distribuidoras de energia de a empresa em os próximos dias. Wilson Ferreira Jr é o presidente da Eletrobras. Segundo ele, o processo elaborador pelos bancos passa agora pela aprovação do Programa de Parceria de Investimentos para a privatização entre fevereiro e março do próximo ano. — Essa venda irá ocorrer. O data room também vai ser aberto para os investidores nos próximos dias. Precisamos reduzi a nossa alavancagem para tornar a companhia mais eficiente—, declarou Ferreira durante acontecimento da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing . O executivo declarou que o plano da empresa é chegar ao platô de dívida de 3 vezes o seu lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização . No ano passado, essa relação era de 8,8 vezes e no primeiro semestre já estava em 4,7 vezes. — Tínhamos uma meta de diminuir o endividamento para até 4 vezes este ano, exclusivamente com a privatização das distribuidoras. Agora, com a resolução de vender 77 das 178 SPE vamos conseguir chegar a esse platô de dívida —, explicou Ferreira Jr. Segundo ele, com a venda das distribuidoras, a Eletrobrás poderá ampliar em R$ 1,1 bilhão a sua geração de caixa, medida pelo Ebitda. Em relação à privatização da Eletrobras, Oo executivo revidenciouque para se definir a modelagem é necessário a aprovação de uma Medida Provisória para a instituição de uma consulta pública. — Quanto à modelagem para a democratização da Eletrobras, a ideia é que o resultado seja aexibidono próximo mês. O Ministério de Minas e Energia tem trabalhado junto com a Fazenda e com o PPI para o desenvolvimento dessa modelagem. Deduzindo o trabalho, compartilharemos as chances com os interessados. Certamente a discussão da privatização no passado era condenado. Hoje a sociedade, ciente do protagonismo do equilíbrio fiscal, da protagonismo de que o governo tenha recursos para investir em áreas mais criticas, está mais flexível à venda de ecompanhiaspúblicas —, aalegouFerreira Jr.

Leer Más

Energisa anuncia emissão de R$850 mi em debêntures

Por: SentiLecto

– A Energisa anunciou a oferta pública de distribuição da 9ª emissão de debêntures simples, no valor de 850 milhões de reais, conforme comunicado enviado ao mercado nesta sexta-feira. Com data de emissão de 15 de outubro, as debêntures têm valor nominal unitário de mil reais. O coordenador líder da emissão é o Itaú BBA. XP Investimentos e Bradesco BBI também figuram como coordenadores. Os recursos líquidos captados nesse emissão serão destinados ao “pagamento e/ou reembolso de investimentos anuais correspondentes às obras classificadas como expansão, renovação ou maprimoramento, aalegoua Energisa. A companhia estima que a emissão deva encarnar aproximadamente 45 por cento das necessidades de recursos financeiros dos projetos, as quais totalizam quase 2 bilhões de reais.

Leer Más

Ibovespa tem que ter 6 novas ações na carteira de janeiro a abril, declara BTG

Por: SentiLecto

– A equipe do BTG Pactual espera mudanças expressivas na composição do Ibovespa para o fase de janeiro a abril, com a entrada de seis ações sem que nenhum papel deixe o índice. Vai divulgar-se a primeira prévia para a carteira que entra em forcita em janeiro pela B3 em o dia 1º de dezembro e, segundo a equipe de o BTG, tem que trazer a mais expressiva mudança em a composição de o índice de os últimos anos. A equipe de estratégia liderada por Carlos Sequeira escreveu: “Se o anúncio fosse feito hoje, nós teríamos um número recorde de entrantes, com Magazine Luiza, Fleury, Via Varejo, Sanepar, Iguatemi e Gol, todas entrando no índice”. O número relativamente alto de ações entrando no índice se deve às recentes ofertas iniciais e subsequentes de ações no Brasil. “Alguns podem argumentar que nenhum desses nomes fez uma oferta recentemente. Uma vez que essas ofertas ampliaram o índice de negociação combinada da Bovespa, a resposta está na metodologia de cálculo da B3 permitindo que mais nomes se unam ao índice”, escreveu a equipe do BTG. No entanto, a equipe do banco realça que apesar da entrada de seis companhias, as “blue microchip” têm que seguir como maior peso na composição do Ibovespa. “Em janeiro, nós esperamos que os cinco maiores nomes do índice tenham aproximadamente um peso agregado de 38,3 por cento, o maior desde 2010.”

Leer Más

Bolsa tem dia de execução de lucros, mas fecha semana no azul; dólar sobe

Por: SentiLecto

Quando bateu recordes nominais, a Bolsa de Brasil devolveu nesta sexta parte dos ganhos obtidos em sessões anteriores, mas ainda assim teve alento para fechar a semana no azul. O dólar ganhou força em relação à maioria das moedas do mundo, mas acumulou queda na semana.

Leer Más

Bolsa testa platô de 78 mil pontos, mas fecha estável; dólar progride

Por: SentiLecto

A Bolsa começou a quinta-feira impulsionada pelo otimismo com a recuperação do país, após o Itaú Unibanco, considerado conservador em suas estimativas, melhorar a projeção para a economia brasileira. Ao longo do dia, porém, o mercado acionário perdeu alento e acabou fechando praticamente estável.

Leer Más