Ministro confirma reunião sobre conteúdo local em leilões de petróleo para dia 16

– O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, confirmou nesta quinta-feira que se vai reunir no dia 16 com os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e da Casa Civil, Eliseu Padilha, para definir as novas normas de conteúdo local no setor de óleo e gás natural, que serão aplicadas na 14ª rodada de licitação de blocos exploratórios e na 3ª rodada do pré-sal. “Falta sentar-se e conversar. Está sendo boa a arbitragem da Casa Civil”, declarou Coelho Filho a jornalistas ao chegar em acontecimento em Brasília. A informação havia sido antecipada à Reuters por uma fonte com conhecimento do atemana quarta-feira.

Leer Más

Faz 1 ano, exportação de carne bovina de o Brasil cai %1, declara Abrafrigo

– Os embarques de carne bovina do Brasil, incluindo carne in natura e processada, recuaram 1 por cento em 2016, com quedas mais expressivas nas vendas para Rússia e Venezuela, dois países com economias afetadas pela queda nos câmbios do petróleo, informou nesta quinta-feira a Associação Brasileira de Frigoríficos . A comercialização com o exterior atingiu 1,35 milhão de toneladas, ante 1,361 milhão de toneladas em 2015, informou a entidade, com dados compilados junto ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços . Ao todo, 62 países ampliaram suas aquisições do Brasil enquanto outros 90 países diminuíram suas compras em relação a 2015, realçou a Abrafrigo, que “Quando o país comercializou 1,575 milhão de toneladas, é o segundo ano consecutivo de queda nas vendas depois do recorde de exportações de 2014″, realçou a associação, em nota. O recuo nos embarques acontece “apesar das boas notícias do ano passado como a abertura do mercado norte-americano à carne bovina in natura brasileira, volta da Arábia Saudita como compradora e o crescimento explosivo das importações do produto pela China”. Em receita, as exportações recuaram 8 por cento, atingindo 5,34 bilhões de dólares, estimou a associação. Uma vez que o dólar ainda está em platô de boa remuneração para os exportadores, a Abrafrigo declarou que vê perspectivas otimistas para as exportações do setor em 2017, com a entrada mais forte em novos mercados, o regresso de antigos clientes e uma ação mais agressiva das companhias brasileiras. Faz 1 ano, a entidade declarou que uma dezena de associados estão em processo de habilitação para vendas para a China que figurou como principal comprador de carne bovina de o Brasil,, com 33 por cento de os embarques.

Leer Más

Balança comercial registra em 2016 melhor resultado em dez anos

– A balança comercial brasileira já registra em 2016 seu melhor performance das últimos dez anos. Com o resultado parcial de US$ 1,874 bilhão de novembro, o país acumula um superávit de US$ 40,399 bilhões no ano. Faz 9 anos, quando o Brasil, que reduziu em %22,3 as compras de artigos de o exterior, teve saldo positivo de US, esse valor é superior a o registrado $ 40,039 bilhões. O Ministério da Indústria divulgou em esta segunda-feira os dados , Comércio Exterior e Serviços. No ano, as exportações brasileiras adicionam US$ 162,023 bilhões e as importações, US$ 121,624 bilhões. O saldo da balança comercial deste ano é 210,6% maior que o registrado no mesmo fase de 2015. A queda de as importações impulsiona principalmente essa performance. As exportações também caíram, mas em um ritmo menor. As vendas brasileiras para o exterior acumulam uma retração de 4,4% em 2016. Quando registrou superávit de US, a expectativa do governo federal é que a balança possa, pelo menos, equiparar a performance histórico de 2006 $ 46,457 bilhões. O MDIC trabalha com uma expectativa que varia entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões. Já analistas de mercado financeiro escutados pelo Banco Central reduziram, pela oitava semana seguida, a expectativa de superávit comercial brasileiro. Na semana passada, eles esperavam um saldo positivo de US$ 47,59 bilhões. Agora, aguardam US$ 47,42 bilhões de superávit. *Estagiário sob supervisão de Eliane Oliveira

Leer Más

Balança comercial registra saldo parcial de US$ 1,4 bilhão em novembro

– A balança comercial brasileira já registrou no mês, um superávit de US$ 1,442 bilhão. O saldo positivo é resultado da diferença entre as exportações, que adicionam US$ 6,144 bilhões, e das importações, que alcançaram US$ 4,702 bilhões. No ano, a balança acumula um saldo positivo de US$ 39,966 bilhões, mais que o dobro registrado em 2015. É o melhor resultado dos últimos nove anos. O Ministério da Indústria divulgou os dados , Comércio Exterior e Serviços. Somente entre os dias 7 e 13 deste mês, o Brasil exportou US$ 3,938 bilhões e importou US$ 2,817 bilhões, gerando um superávit de US$ 1,121 bilhão. A média das exportações da segunda semana de novembro foi de US$ 787,6 milhões, 7,1% acima da média da primeira semana, US$ 735,3 milhões. Um dos culpados por essa ampliação foram os produtos básicos como petróleo bruto, soja e milho e de semimanufaturados como açúcar e celulose . Os manufaturados, como automóveis e peças automotores, porém, registraram uma queda de 6,2%. Já as importações caíram 10,4% no fase. A média da segunda semana de novembro foi de US$ 563,3 milhões e a da primeira semana, US$ 628,5 milhões. O país tem adquirido do exterior menos combustíveis, lubrificantes, eletroeletrônicos e equipamentos mecânicos, por exemplo. No ano, quando comparado ao mesmo fase de 2015, as importações registram uma queda de 22,6%. Analistas de mercado financeiro escutados pelo Banco Central estão menos otimistas com o resultado da balança. No último boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central, eles reduziram mais uma vez a expectativa de resultado final da balança comercial de 2016, que agora é de um superávit de US$ 47,59 bilhões, ante os US$ 47,77 do último boletim. Há um mês, a expectativa era de US$ 49,18 bilhões. Ainda assim, esse número está dentro da margem esperada pelo governo federal. O MDIC espera um superávit entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões neste ano. *Estagiário sob supervisão de Eliane Oliveira

Leer Más

Analistas: triunfo de Trump atrapalharia economia brasileira

Foto: Wikipedia – Donald Trump by Gage Skidmore 3

Se vai conhecer o próximo presidente de os Estados Unidos em breve . E uma eventual triunfo do candidato republicano Donald Trump no pleito de hoje traria uma série de consequências negativas para a economia brasileira. A agência divulgou a avaliação pessimista de notícias Reuters com base em opiniões de experts em o mercado financeiro. Segundo os entrevistados, o triunfo traria perdas para o comércio exterior e diminuição do crescimento econômico.

Divulgaram-se detalhes bastante pessoais a instrutora de ioga, de quem não , chorou várias vezes a o recordar de seu encontro com o magnata republicano em 1998 em a saída de o torneio de tênis US Open,.

Leer Más