Destravamento de projetos na área de petróleo pode viabilizar investimentos de R$ 240 bi

Por: SentiLecto

O destravamento de alguns projetos na área de exploração e produção de petróleo no pré-sal pode viabilizar investimentos da ordem de R$ 240 bilhões, e a instalação de, no mínimo, 20 novas plataformas. Deu-se a informação em esta terça-feira pelDécio Oddone em palestra a empresários em a sede de a Firjan, em o Rio. Décio Oddone é o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo .

Leer Más

Bovespa cai 0,8% com preocupações políticas após acusação contra Temer

Por: SentiLecto

– O mercado acionário de Brasil fechou em queda nesta terça-feira, pressionado pelas incertezas políticas após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, exibi acusação contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva. Com base em dados preliminares, o Ibovespa fechou em queda de 0,84 por cento, a 61.662 pontos. O giro financeiro adicionava 6,7 bilhões de reais.

Leer Más

Após acusação, Lula defende saída antecipada de Temer

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Deputado Michel Temer

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta terça a saída antecipada do presidente Michel Temer do governo e a convocação de votações gerais.

Michel Miguel Elias Temer Lulia é um político, advogado e escritor brasileiro, atual presidente brasileiro após o impeachment da titular, Dilma Rousseff.

Leer Más

Não consulte o Congresso, se persistirem os sintomas

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Luís Roberto Barroso

Sob o título “O Congresso Nacional não pode fazer o papel da Anvisa”, o artigo a seguir é de autoria de Rogério Tadeu Romano, advogado e procurador regional da República aposentado.

Ao sancionar o texto que libera para venda no país três remédios anorexígenos , o presidente interino, Rodrigo Maia , arrancou mais um naco da autoridade da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Leer Más

Aprovação de Temer cai a 7%, declara Datafolha

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Deputado Michel Temer

– A aprovação ao governo do presidente Michel Temer caiu ao menor índice para um governo federal em 28 anos, informou neste sábado o jornal Folha de S.Paulo, com base em pesquisa do Datafolha, na esteira da crise política desencadeada pela delação premiada de executivos da JBS. Segundo o jornal, somente 7 por cento dos entrevistados consideraram o governo Temer ótimo ou bom. É o menor nível desde os 5 por cento obtidos por José Sarney em 1989. Se considerou a administração Temer em a outra ponta, ruim ou péssima por 69 por cento de os entrevistados por o Datafolha que entrevistou 2.771 pessoas entre quarta, e sexta-feira. Para 23 por cento dos que responderam à pesquisa, o governo é regular. No levantamento anterior, feito em abril, antes de ter sido divulgada gravação secreta feita pelo empresário Joesley Batista, da JBS, com Temer, o nível de ruim e péssimo para Temer era de 61 por cento, enquanto o de bom e ótimo era de 9 por cento. A gravação de Joesley, parte de um acordo de delação premiada, indica relações de ambos com o deputado federal cassado Eduardo Cunha e pode estimular acusação geresana contra Temer, por corrupção, obstrução de justiça e organização criminosa. O mesmo levantamento do Datafolha mostrou que 65 por cento dos entrevistados responderam que a saída de Temer seria o mais benéfico para o país. Outros 30 por cento compreenderam que é melhor que o presidente permaneça na posição. Enquanto 20 por cento se mostraram opostos, perguntados sobre a possível renúncia de Temer, 76 por cento dos inquiridos se mostraram favoráveis a esta alternativa. 81 por cento dos entrevistados responderam apoiar um impeachment, caso ele não abdique, e 15 por cento foram contra. O instituto questionou ainda se, no caso da saída de Temer, qual seria a melhor maneira de eleger o novo presidente. Enquanto 12 por cento optaram pela votação indireta por meio do Congresso Nacional, para 83 por cento dos entrevistados, o melhor percurso seria a votação direta.

Alegou: “Poderia declarar as maiores atrocidades das pessoas da família de alguém e isso, se eu desejasse fazer o que ele acabou declarando é liberdade de expressão, não deve fazer nada”.”O presidente ficou 4h20 comigo, 1h30 na individual. Tratamos dos mais variados temas, e ele revelando o interesse bastante grande da Rússia pela [ferrovia] Norte-Sul, pela questão da energia”, alegou. “Depois, ofereceu um almoço que foi uma coisa de Finlandia. Realmente, esbeltíssima”, descreveu.

Leer Más