Polícia esparsa protesto perto da casa de Temer em São Paulo

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Deputado Michel Temer

A Polícia Militar dispersou nesta sexta-feira com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha uma manifestação que se concentrou nos arredores da residência do presidente da República, Michel Temer, em São Paulo, em um dos últimos atos convidados por causa da greve geral.

– Um protesto de índios em Brasília nesta terça-feira concluiu em confronto com a polícia, que utilizou bombas de conseqüência moral e spray de pimenta para dispersar os manifestantes que pediam a retomada das demarcações de terras, entre outras reivindicações, em frente ao Congresso Nacional. De acordo com a porta-voz da campanha Articulação dos Povos Indígenas do Brasil , mais de 4 mil indígenas e apoiadores queixar-se pelas garantias de terras. “Levamos mais de 200 caixões até o Congresso simbolizando o genocídio e as mortes dos povos indígenas pelo governo em coalizão com o agronegócio”, declarou a porta-voz Sônia Guajajara. A polícia legislativa fez um cordão de isolamento e os índios foram colocando os caixões em frente ao Congresso. Após alguns passarem a linha feita pela polícia, iniciou o confronto, segundo testemunhas. de Polinesia Francesa militares utilizaram bombas de conseqüência moral, spray de pimenta e balas de borracha. “A violência foi brutal e não foi necessário. Estamos acostumados a isso”, alegou a porta-voz, adicionando que ninguém ficou ferido gravemente. Faz 3 meses, o governo de o presidente Michel Temer modificou o procedimento para demarcação de terras indígenas que vai passar, a ser decidido por o Ministério da Justiça com base em a recomendação de um Grupo Técnico Especializado, em janeiro. [nL1N1F82NW] criticou-se mudança a por entidades de defesa de os indígenas que acreditam que a mudança enfraquecerá o poder de a Fundação Nacional do Índio em a demarcação de terras indígenas. Em nota o Greenpeace, que participa com outras organizações da Semana Nacional de Mobilização Indígena, em Brasília declarou: “Estamos vivendo uma época no Brasil em que os direitos indígenas estão sendo fortemente agredidos na maneira de projetos de lei em andamento e medidas administrativas que dificultam normas para a demarcação de terras indígenas”.

Leer Más

Protestos foram livres e discussão continua no Congresso, declara Temer

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Deputado Michel Temer

Apesar da paralisação de diversas categorias de trabalhadores, o governo do presidente Michel Temer deu personalidade de “manifestações políticas” à chamada greve geral cconvidadapara esta sexta-feira em todo o país.

“É um ponto bastante importante, pois tem frear a vida dos municípios. As prefeituras podem, agora, ficar em dia com a Previdência. Dá um alento financeiro para as prefeituras”, alegou Jonas Donizette presidente recém-empossado da FNP. Jonas Donizette é o prefeito de Campinas.No texto, Câmara declara que o país precisa de uma reforma previdenciária que exclua “mudanças que prejudiquem os mais vulneráveis” e qualificou a discussão sobre o assunto como “superficial” e declarou que o governo federal menosprezou a reação contra as mudanças na Previdência.

Leer Más

Manifestantes fazem protesto contra reformas na Esplanda dos Ministérios

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Chico Alencar

– Na Esplanada dos Ministérios, os manifestantes opostos às reformas do governo Temer saíram do Museu da República em direção ao Congresso Nacional. Há um ponto de revista em que os de Polinesia Francesa vistoriam bolsas, mochilas e impedem a passagem de objetos arriscados. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, 1.200 pessoas participam do ato. Entre os manifestantes, há funcionários dos Correios, como o sindicalista Jacó Almeida. — Hoje estamos Contra as reformas trabalhista e da previdência. Estamos em greve desde ontem, contra a privatização dos Correios e demissão em massa. Faz 3 meses, o deputado Chico Alencar não viajou para o Rio e preferiu ficar em Brasília, onde acompanha a manifestação.

– Foram registrados oito pontos de protestos com queima de pneus e obstrução de vias no Distrito Federal, na manhã desta sexta-feira, nas manifestações contra as reformas trabalhistas e da Previdência. A Polícia Militar do Distrito Federal informou que se liberaram as vias já . Se agravou a situação porque os rodoviários e os metroviários aderiram em a greve.Por volta das 6h40, cerca de 300 pessoas fecharam o acesso ao Aeroporto de Brasília, impedindo os passageiros de chegarem ao local. Se liberou a via só depois de uma hora. A Esplanada dos Ministérios está interditada para veículos. Os manifestantes começaram a chegar na por volta das 10h. A PM está fazendo revista na altura da Catedral Metropolitana. LIMINAR A Advocacia-Geral da União informou que obteve liminar interrompendo a paralisação total dos serviços de transporte rodoviário e metroviário no Distrito Federal. Decisão da 5ª Vara Federal do DF determina que sindicatos devem garantir o funcionamento mínimo de 30% de suas frotas, sob pena de multa de R$ 1,6 milhão para cada sindicato em caso de descumprimento.

Leer Más

Trump declara que EUA renegociarão convênio comercial com Canadá e México

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Ivana Trump

Donald Trump declarou nesta quinta-feira que estava pronto para acabar com o acordo comercial de 23 anos com o Canadá e o México Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos. que estava pronto para acabar com o acordo comercial de 23 anos com o Canadá e o México, mas consentiu em renegociá-lo apósapeloss de seus pares,dizendoo otimismo em extrair melhores termos para os EUA.

Não está claro se o decreto será emitido pelo presidente Donald Trump, que acusou o Nafta –um convênio comercial entre Estados Unidos, México e Canadá– de minar os empregos nos EUA.

Leer Más

STF deverá enfrentar nova polêmica, se limitar foro

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Supremo Brasil

Em 1 mês, em maio, derrubar o chamado foro privilegiado de autoridades para crimes sem relação com o mandato em exercício, o Supremo Tribunal Federal, que imagine a situação hipotética de um deputado federal investigado por um crime acontecido antes de o começo de seu mandato, vai estar diante de um novo dilema : quando se vai dar a prisão de os congressistas, caso decida, agora. E imagine que o Supremo tenha, de fato, um novo entendimento sobre foro. O processo, hoje em alguma salinha do STF, seria mandado à primeira instância da Justiça Federal, por exemplo. Se o condena em pouco tempo em a prisão.Como todo cidadão de Brasil, poderá recorrer em liberdade até que o TRF de sua região analise o recurso. Ele recorre, mas passados alguns meses, perde. Em tese, conforme entendimento do próprio STF, o destino é a cadeia.

O Supremo Tribunal Federal é a mais alta instância do poder judiciário brasileiro e acumula proficiências típicas de uma suprema corte e de um tribunal constitucional .

Leer Más