Em acontecimento inédito, robô governa orquestra ao lado de Andrea Bocelli

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Abb Sorocaba

O tradicional Teatro Verdi na Itália, recebeu um espetáculo inédito na noite desta terça-feira: uma ópera com o tenor Andrea Bocelli O tradicional Teatro Verdi é principal palco da cidade de Pisa., mas com a orquestra comandada por um robô. A apresentação fechou um concerto de caridade promovido pelo Primeiro Festival Internacional de Robótica, com o programa “Um sopro de esperança: do Stradivarius ao robô”.

Montou-se O YuMi em o palco para as três últimas músicas. O YuMi é robô colaborativo de dois braços produzido pela ABB. Ao lado de Bocelli, ele conduziu “La Donna è Mobile”, aria do terceiro ato da ópera Rigoletto, de Giuseppe Verdi. Logo depois, governou a solista Maria Luigia Borsi em “O mio babbino caro”, da ópera Gianni Schichi, de Giacomo Puccini, e fechou o espetáculo com o intermezzo da ópera Cavalleria Rusticana, de Pietro Mascagni.

Leer Más

Por influência de TV dos EUA, Olimpíada no Rio tem horário estadunidense

Foto: Wikipedia – Craps

“Quem determina os horários é o pessoal do COI. Você deve falar com eles.” A curta resposta é de um executivo da NBC, a emissora estadunidense que pagou em 2011 US$ 4,38 bilhões pelos direitos de transmissão dos Jogos até 2020, a maior transação da história olímpica. E que, não satisfeita, garantiu quatro anos depois os acontecimentos subsequentes, até 2032, por astronômicos US$ 7,75 bilhões, mesmo sem saber se a atração terá o mesmo alento daqui a mais de década. Isso explica, para quem já estudou a programação da Olimpíada do Rio, finais da natação após as 22h e jogos de vôlei de praia entrando pela madrugada. Nos dois casos, quem pagou pela celebração determina, ou “propõe”, como preferem dirigentes, a hora em que ela inicia. De acordo com o Comitê Olímpico Internacional, o vocábulo final não é das emissoras, termo ainda em voga no léxico olímpico, mas que soa anacrônico em tempos de transmissão multiplataforma. Só a NBC calcula colocar no ar quase 7.000 horas de programação, bem acima das 5.500 de Londres-2012 e das 3.600 de Pequim-2008, um crescimento exponencial induzido pelo progressão das transmissões por internet, celular e outros meios. O COI projeta mais do que o dobro de cobertura na transmissão digital que a tradicional, mas recorda que o maior indutor de audiência ainda é o horário nobre das TVs abertas. “Se consultam as emissoras, mas quem desenvolve e consente com a programação são as federações internacionais e o comitê organizador dos Jogos”, alega a assessoria de comunicação da entidade. Segundo o COI, a programação é um “complicado equilíbrio entre múltiplas questões desportivas e operacionais” que consumiu numerosas reuniões nos últimos anos. De fato, em pouco mais de duas semanas, a Olimpíada carioca precisa encaixar cerca de 700 acontecimentos diferentes, desafio logístico e, claro, muito caro. No Rio, um complicador a mais é o fuso horário, somente uma hora à frente de Nova York, o chamado “prime time” da TV nos EUA. Vendida como um benefício durante a candidatura brasileira aos Jogos, a proximidade se modificou em trunfo para a NBC. Acostumada a comunicar grandes acontecimentos olímpicos em “delay” , para adaptar-los à sua programação regular, a maior financiadora olímpica agora promove que Michael Phelps vai cair na piscina “ao vivo”. Já foi pior. Em Pequim-2008, as finais da natação também foram comunicadas ao vivo para os Estados Unidos, o que obrigou o maior medalhista da história e os seus oponentes a disputar as finais no fase da manhã, uma bizarrice em termos de esporte. A Globo alega que “foi ouvida, assim como outras emissoras parceiras do comitê”, mas não comenta se é a culpada pelo vôlei notívago carioca. Segundo a principal detentora de direitos sobre os Jogos no Brasil, “o objetivo é sempre promover o esporte da melhor maneira possível, levando em consideração os aspectos técnicos de cada modalidade e a maior visibilidade para cada um.” Objetos desse debate, as seleções brasileiras de vôlei, ouro e prata há quatro anos, em Londres, entram em quadra não antes das 22h30, horário nobre brasileiro. Ou estadunidense. Calendário Olímpico

Por costume, os países entram no estádio seguindo a ordem alfabética. No Maracanã, os EUA serão o 64º, entre os Estados Federados da Micronésia e a Estônia, de um total de 207 nações. Mas a NBC sonhava que o país entrasse mais no fim, o se fosse levado em consideração o nome em inglês, que aconteceria.”A gente deve jogar o jogo do dinheiro, não tem jeito. Temos que nos preparar para nadar à meia-noite, porque vseráà meia-noite”, diando ainda sonhava disputar os Jogos ., sse Cesar Cielo qu na quinta-feira 28 de julho a emissora NBC havia pedido para mudar a ordem do desfile das comissões na cerimônia de abertura para que os estadunidense passassem no final A emissora NBC é detentora dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos do Rio nos Estados juntados., mas a solicitação havia sido negada pelo comitê organizador. A NBC desejava que o desfile ocorresse de acordo com a ordem alfabética em inglês, ao invés do português, como calculava o protocolo. Desta forma, a comissão estadunidense, com o nome de “United States”, em inglês, passaria no final, o que não ocorria quando era chamada de “Estados Unidos”, em português. ” era verdade, nós também desejávamo transformar a ordem, pensávamo que o pedido era pertinente, mas a cartilha do COI estabelecia que o desfile precisava ocorrer de acordo com ordem alfabética local, então não haveria mudança”, havia justificado Mário Andrada, diretor de comunicação da Rio-2016, confirmando uma informação da Bloomberg. De acordo com o jornalismo estadunidense, a NBC teria pedido essa mudança para conservar sua audiência atenciosa por mais tempo e ampliar receitas de anúncio. Filial do gigante da mídia e do cinema Comcast, a emissora de TV aberta era detentora exclusiva dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos nos Estados Unidos desde 1988. O canal já se havia comprometido em desembolsar 12 bilhões de dólares para apresentar as Olimpíadas até 2032, o que fazia dele o principal contribuidor do movimento olímpico. Com os Jogos de Londres-2012, a NBC havia registrado audiências recorde, que haviam gerado 120 milhões de dólares de lucro. Para obter audiência máxima, o canal já havia advertido que não vai apresentar a cerimônia de abertura ao vivo. A transmissão entrará no ar uma hora depois do Rio, para iniciar às 20h00 na costa leste aestadunidense O poder de barganha da NBC era tamanho que a emissora já havia obtido que as finais da natação ocorressem a partir das 23h00 no Rio, um programa inusitado para o esporte, para que os lares nos Estados Unidos possam assistir às fproezasde Michael Phelps em horário nobre. Em Pequim-2008, as mesmas finais haviam ocorrido de manhã cedo pelava mesmo motivo, mudando totalmente a rotina dos nadadores.

Leer Más

10 años del ‘Katrina’

A lo largo de la próxima semana, Estados Unidos conmemorará diez años del paso del huracán Katrina por Luisiana, el desastre natural más costoso en la historia del país, uno de los cinco huracanes más letales en Estados Unidos y, por encima de todo, un símbolo tanto del fracaso institucional a la hora de impedir una tragedia humana que dejó más de 1.800 muertos — con un efecto particularmente devastador en la comunidad negra — como del espíritu de reconstrucción en una ciudad, Nueva Orleans, que diez años después todavía pugna por recobrarse de los efectos de la tormenta.

Leer Más