‘O outro lado do paraíso': Samuel banca namorada de Cido, seu amante

Por: SentiLecto

No segundo período de “O outro lado do paraíso”, Samuel, que quem dará dinheiro ao amante para ele levar a jovem para sair e até para adquiri uma joia para ela, terá um amante fixo: Cido , o motorista de Sophia . E para não perder o rapaz, o médico vai, inclusive, bancar a namoradinha de Cido.

Leer Más

4 formas de cuidar tu iPhone X

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Apple first logo

Cuando se rompe la pantalla de cualquier teléfono, es terrible. Pero cuando has gastado US$1,000 o más por ese teléfono, es más que terrible. Por maldición, si tu iPhone X se cae en la calle, ese es el peligro o sufre algún otro accidente catastrófico.

El teléfono de Apple de décimo aniversario llega finalmente el 3 de noviembre. La preventa empezó ya hace unos días, y según Apple el interés por el celular estuvo “por las nubes”.

Leer Más

Bovespa recua com precaução por política e de olho em noticiário corporativo; Cielo é destaque positivo

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – PE Verde – Braskem

– O principal índice da bolsa paulista mostrava fraqueza nesta terça-feira, após uma abertura mais positiva, com investidores ainda cuidadosos diante do cenário político local e atenciosos ao noticiário corporativo. As ações da Cielo disparavam e lideravam a ponta positiva após resultado trimestral, enquanto Braskem e Itaú Unibanco eram destaque de queda. Às 12:24, o Ibovespa caía 0,54 por cento, a 74.395 pontos. O giro financeiro era de 2,8 bilhões de reais. Quando chegou a subir 0,46 por cento, depois de fechar abaixo dos 75 mil pontos na véspera, o índice ensaiou uma recuperação mais cedo e voltar ao platô dos 75 mil pontos. O encerramento de mês, segundo operadores, também favorece alguma volatilidade aos negócios, conforme investidores adaptam suas carteiras. Após renovar recordes algumas vezes ao longo deste mês, o Ibovespa passou a encontrar resistência para conservar o otimismo, diante de incertezas no cenário político. Com o arquivamento da segunda acusação contra o presidente Michel Temer, os investidores avaliam se o governo vai ter força para aprovar suas reformas, principalmente a da Previdência, ainda que uma versão mais simples. DESTAQUES – CIELO ON subia 7,58 por cento, liderando a ponta positiva do índice após reportar números melhores que o esperado por analistas para o terceiro trimestre. No fase, o lucro líquido foi de 1,017 bilhão de reais, alta de 0,8 por cento ante igual fase de 2016. – Quando chegou a progredir 1 por cento na máxima até o momento, iTAÚ UNIBANCO PN recuava 2,46 por cento, revertendo os ganhos vistos mais cedo. No radar estavam os números reportados para o terceiro trimestre que, segundo analistas do BTG Pactual, foram amplamente em linha com o esperado. Faz 1 mês, o lucro recorrente de o Itaú foi de 6,254 bilhões de reais, alta de 11,8 por cento sobre um ano antes, em o fase de julho a setembro. – BRASKEM PNA caía 2,08 por cento, depois de ter recuado mais de 5 por cento na mínima do dia, devolvendo parte dos ganhos de quase 12 por cento registrados na véspera, após a divulgação de reportagem informando que a de Holguín Lyondellbasel estaria interessada em adquiri o controle da petroquímia. A Braskem declarou nesta terça-feira que a companhia de Holguín não abordou ela com qualquer proposta de aquisição. – EMBRAER ON, que subiam 0,65 cento, apesar dos contratos futuros do minério de ferro na China terem acumulado queda de 5,8 por cento, tinha baixa de 1,04 por cento. No radar estava o corte na recomendação do JP Morgan para os ADRs da fabricante de Brasil de aeronaves para “neutra”, ante “overweight”. – PETROBRAS PN tinha variação postiva de 0,06 por cento e PETROBRAS ON subia 0,63 por cento, em sessão sem viés definido para os custos do petróleo no mercado internacional.

– O principal índice da bolsa paulista tinha leves variações nesta sexta-feira, com as ações da RD liderando a ponta positiva após resultado do terceiro trimestre, em mais uma sessão com agenda de balanços carregada que tinha ainda Embraer em destaque de baixa. Às 11:49, o Ibovespa tinha alta de 0,12 por cento, a 75.990 pontos. O giro financeiro era de 2 bilhões de reais. Apesar do intenso volume de notícias corporativas desta sessão, investidores ainda seguiam de olho no cenário político, diante da expectativa de obstáculo para progressão de reformas, principalmente a da Previdência, no Congresso Nacional. Analistas da corretora Magliano, em nota a clientes escreveram: “Diante das incertezas da força política do governo e se realmente as procuras necessárias vão ir para frente, o Ibovespa inicia também a refletir uma diminuição no fluxo de recursos de investidores estrangeiros, que até então garantiram o rali da nossa bolsa de valor”. DESTAQUES – RD ON progredia 5,35 por cento, entre as maiores altas do Ibovespa, após reportar dados positivos para o terceiro trimestre, que marcou progressão de 16,8 por cento no lucro líquido sobre um ano antes, para 136,5 milhões de reais. A companhia reafirmou ainda seu guidance de abertura de 200 lojas em 2017. – SUZANO PAPEL E CELULOSE PNA progredia 2,04 por cento, com o papel reagindo aos números do terceiro trimestre que mostraram salto de 15 vezes no lucro líquido do terceiro trimestre ante igual fase do ano passado, para 801 milhões de reais. – GPA PN tinha alta de 0,93 por cento, após reportar seus números referentes ao fase de julho a setembro, com líquido consolidado de 72 milhões de reais, após perda de um ano antes. – CCR ON subia 1,7 por cento. Como pano de fundo também estava o balanço da companhia, que informou salto de 63 por cento no lucro adaptado do terceiro trimestre, para 433,1 milhões de reais. – PETROBRAS PN subia 0,54 por cento e PETROBRAS ON tinha alta de 0,82 por cento, na contramão dos custos do petróleo no mercado internacional, e em sessão de leilões de áreas do pré-sal. – EMBRAER ON caía 2,76 por cento após informar seus dados referentes ao terceiro trimestre deste ano e estimativas para 2018, com dados vistos por analistas da Coinvalores como tímidos e com a sinalização de que 2018 vai ser mais um ano de consumo de caixa. Faz 1 mês, a fabricante de aeronaves teve lucro líquido de 351 milhões de reais e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de 443 milhões de reais, ante 174 milhões de reais um ano antes, em o fase de julho a setembro. Para o próximo ano, a Embraer estima entregar de 85 a 95 jatos comerciais e de 105 a 125 jatos executivos leves e grandes, com receitas totais entre 5,3 bilhões e 6 bilhões de dólares. – ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES ON tinha perda de 3,79 por cento, mesmo após reportar seus dados do terceiro trimestre, considerados positivos por analistas, com alta anual de 10 por cento no lucro líquido, para 149,3 milhões. A equipe do Credit Suisse realçou a constante melhora nos números da companhia de educação, mas vê chance de preocupação das investidores em relação ao potencial ampliação da taxa de desistência devido aa ampliação de custo. – USIMINAS PNA tinha baixa de 1,64 por cento, após reportar números mais fracos que o esperado para o terceiro trimestre. A siderúrgica teve lucro líquido de 76 milhões de reais no terceiro trimestre e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização adaptado de 453 milhões de reais. – VALE ON caía 0,95 por cento, em sessão de perdas para os contratos futuros do minério de ferro na China. – O principal índice da bolsa paulista fechou em leve alta nesta sexta-feira, em mais uma sessão com agenda de balanços carregada e que teve as ações da RD entre os maiores ganhos após divulgar seus números, enquanto Usiminas ficou entre as maiores perdas. O mercado também reagiu a notícias sobre a mudança de comando no banco central de Noruega e, localmente, ao leilão do pré-sal. Com base em dados preliminares, o Ibovespa fechou em alta de 0,33 por cento, a 76.143 pontos, acumulando baixa de 0,3 por cento na semana. O giro financeiro era de 8,34 bilhões de reais; – O principal índice acionário da B3 caía nesta segunda-feira, com investidores preferindo a precaução diante de incertezas em relação aa progressão das reformas do governo e antes de uma agenda econômica mais intensa ao longo da semana. Às 11:31, o Ibovespa caía 0,9 por cento, a 75.289 pontos. O giro financeiro adicionava 1,35 bilhão de reais. Localmente, as atenções seguem voltadas ao noticiário político, à espera de novidades sobre a articulação do governo para aprogredirsua agenda econômica e passar uma reforma da Previdência, ainda que mais enxuta do que o esperado inicialmente. Os analistas da corretora Guide Investimentos, em nota a clientes escreveram: “Apesar dos esforços para aprovar uma reforma da Previdência enxuta e aprovar medidas de ajuste para 2018, a Câmara dos Deputados vai ter, na prática, quatro semanas até o fim do ano para eleições importantes”. Os próximos dias serão marcados por acontecimentos importantes para os mercados, como a reunião do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, além dos números sobre o mercado de trabalho de Noruega, na sexta-feira. DESTAQUES – VALE ON caía 1,29 por cento, em sessão de perdas para os contratos futuros do minério de ferro na China, que fecharam em queda de 3,3 por cento na Bolsa de Dalian. – CSN tinha queda de 1,26 por cento e USIMINAS PNA perdia 2,3 por cento, ambas engatando o quarto pregão seguido no vermelho após perdas dos contratos futuros do minério de ferro e do aço na China nesta sessão. No caso da CSN, também estava no radar a divulgação de números não auditados referentes aos três primeiros trimestres deste ano. GERDAU PN cedia 1,47 por cento. – HYPERMARCAS ON recuava 1,47 por cento, após reportar os dados do terceiro trimestre com lucro líquido de operações continuadas de 219,4 milhões de reais e receita líquida de 954,6 milhões de reais, alta de 17,7 ante igual fase do ano passado. Analistas do UBS realçaram o forte crescimento da receita, mas veem precaução com a pressão de margem. – BRADESCO PN caía 1,17 por cento e ITAÚ UNIBANCO PN tinha baixa de 0,87 por cento, auxiliando a pressionar o Ibovespa devido ao peso desses papéis em sua composição. – PETROBRAS PN recuava 0,41 por cento e PETROBRAS ON perdia 0,69 por cento, cedendo ao viés negativo do mercado e indo na contramão dos custos do petróleo no mercado internacional, que mostravam leves ganhos.

Leer Más

Aneel aprova nova ajudinha de R$ 1,1 bilhão a distribuidoras de energia

Por: SentiLecto

— Uma semana após ampliar os valores dos platô das bandeiras tarifárias, a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou, nesta terça-feira, nova ajudinha às distribuidoras. Os diretores da agência decidiram liberar R$ 1,124 bilhão disponíveis no fundo setorial Conta de Energia de Reserva . Se utilizará o valor para reduzi o rombo de as distribuidoras que poderia chegar a R 6 bilhões até o fim de o ano, segundo cálculos de a Associação Brasileiras de Distribuidoras de Energia Elétrica,, $ se nenhuma medida fosse tomada. Os preços extras provocam O déficit decorrentes de a crise hídrica. Com o volume dos reservatórios das hidrelétricas nos piores níveis da História, é preciso acionar mais usinas térmicas para garantir o fornecimento de eletricidade. O problema é que, além de mais poluentes, essas usinas são mais caras. Por isso, há um descompasso entre o valor que entra na conta das distribuidoras via tarifa e os preços extras decorrentes da utilização dos térmicos. O governo vem buscando opções para auxiliar no fluxo de caixa das distribuidoras diante do agravamento da situação dos reservatórios e da necessidade de ampliar a geração térmica. A primeira medida colocada em prática foi o aumento do valor cobrado na conta de luz quando a bandeira vermelha 2 está em vigor de R$ 3,50 para R$ 5,00 a cada 100 kilowatts-hora consumidos. Agora, a Aneel liberou a utilização do fundo setorial Coner, encargo instituído para remunerar projetos contratados em alguns leilões de energia. Essa medida não tem efeito nas tarifas, porque a conta já foi paga. Se aprovou a medida em personalidade ” cautelar ” e vai ser válida imediatamente, após os diretores de a agência terem avaliado que mesmo a utilização de esses recursos podem não cobrir todos os preços extras enfrentados por as distribuidoras devido a o cenário hidrológico desfavorável. Romeu Rufino avaliou a situação das distribuidoras como “excepcional” e “absolutamente crítica” e declarou que as áreas técnicas da agência vão seguir avaliando meios de solucionar o desequilíbrio financeiro das companhias do segmento. Romeu Rufino é o diretor-geral da Aneel. Contanto que estas não afetem o Orçamento, na semana passada, Henrique Meirelles declarou que o governo considera tomar medidas de ajudinha nas companhias. Henrique Meirelles é o ministro da Fazenda.

Leer Más

Nicolás Maduro logra quebrar la oposición venezolana

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – President Maduro’s approval rating

Nicolás Maduro ha logrado el objetivo marcado por sus estrategas: quebrar a la Unidad Democrática antes de cerrar 2017 para dejar el sendero expedito de cara a las presidenciales de 2018. Y lo hizo jugando con ventaja revolucionaria, agregando chantajes, amenazas y el triunfo en las elecciones regionales gracias a las emboscadas y ala “estafa numérica” en Bolívar, uno de los lugares más ricos del continente en oro, diamantes y coltán, que va a seguir en manos de un general bolivariano.

Nicolás Maduro Moros [2]​ es un político venezolano, conocido por ser vicepresidente de la nación entre 2012 a 2013 y actual presidente de la República Bolivariana de Venezuela desde 2013.

Leer Más