Petrobras anuncia alta nos custos do diesel e da gasolina a partir de 22 de julho

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Petrobrasbolivia2006

– A Petrobras, que já realizou, só em julho, 14 reajustes nos combustíveis, contando o anunciado nesta sexta-feira, anunciou nesta sexta-feira que aumentará os custos do diesel em 0,2 por cento e os da gasolina em 1,4 por cento nas refinarias a partir do sábado, dia 22 de julho, segundo informações publicadas pela empresa em seu site.

– Enquanto as ações da Braskem foram destaque de alta após melhora em recomendação por analistas do Morgan Stanley, o principal índice da bolsa paulista fechou em baixa nesta segunda-feria, em movimento de ajuste após subir 5 por cento na semana passada. O Ibovespa fechou em queda de 0,34 por cento, a 65.212 pontos. O giro financeiro adicionou 8,89 bilhões de reais, já incluindo o exercício de alternativas sobre ações acontecido na primeira parte do pregão que agitou 3,25 bilhões de reais. Quando o Ibovespa subiu em todos os pregões, a alta acumulada na semana passada veio na esteira de um cenário político mais favorável aos mercados, que teve entre os destaques a aprovação da reforma trabalhista e a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aliado ao cenário externo mais ameno. Embora os investidores continuem atenciosos a eventuais novas delações e aos desdobramentos da atual crise política, a partir desta semana, com o recesso no Congresso Nacional, a expectativa é de calmaria no noticiário político. No exterior, dados da economia de China auxiliaram a conservar alguma atratividade aos ativos de risco. A economia do país asiático cresceu 6,9 por cento no segundo trimestre ante o mesmo período ano anterior, um pouco acima do que esperado pelo mercado, de 6,8 por cento. DESTAQUES – ULTRAPAR ON caiu 3,63 por cento, entre os destaques negativos do Ibovespa. Como pano de fundo estava a notícia publicada pela pilar Radar, no site da revista Veja, informando que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica não aprovará a venda Alesat Combustíveis pela Ipiranga, divisão da Ultrapar no segmento de combustíveis. Os papéis cederam após acumular alta nos quatro pregões anteriores de 3,15 por cento. – ITAÚ UNIBANCO PN perdeu 0,96 por cento e BRADESCO PN teve baixa de 0,67 por cento, auxiliando a pressionar o Ibovespa devido ao peso das ações em sua composição. – PETROBRAS PN perdeu 1,23 por cento e PETROBRAS ON teve baixa de 1,25 por cento, em sessão de fraqueza para os custos do petróleo no mercado internacional. Faz 1 mês, em o radar também estava o noticiário sobre a petroleira, incluindo a avaliação sobre o percentual de a BR Distribuidora que irá a mercado e os dados sobre produção – VALE PNA subiu 0,43 por cento e VALE ON ganhou 0,68 por cento, mas longe das máximas do dia quando os papéis preferenciais progrediram quase 2 por cento, em sessão de alta de 3,1 por cento dos contratos futuros do minério de ferro na China. – BRASKEM PNA progrediu 5,2 por cento, a 38 reais, liderando os ganhos do Ibovespa e no maior câmbio histórico de encerramento, após o Morgan Stanley aumentar o preço-alvo dos papéis para 46 reais, ante 40 reais, e melhorar a recomendação para “overweight”, ante “equal-weight”. Na máxima do dia, os papéis subiram pouco mais de 7 por cento. – SABESP ON teve alta de 2,1 por cento, após o Credit Suisse aumentar o preço-alvo para 42 reais, ante 24 reais, conservando a recomendação “outperform”. Os papéis concluíram a sessão negociados a 34,5 reais, máxima histórica de encerramento. No melhor momento do pregão, os papéis subiram pouco mais de 3 por cento.

Leer Más

El saludo molesto entre Trump y la conyuge de Macron del que todo el mundo está hablando

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Melania Trump at Armed Services Ball 01-20-17

Primero han compartido un molesto saludo. Después, el presidente de Estados Unidos halagó la “forma física” de Brigitte Macron, la conyuge del mandatario de Francia Emmanuel Macron.

Este triunfo es vista empañada por un índice récord de abstención en este tipo de comicios. El triunfo anunciado del partido del presidente, junto con un desinterés creciente por la política, ha desalentado a muchos votantes de acudir a las urnas.El presidente más joven de la historia francés -tiene 39 años- y prácticamente desconocido hasta cuando tres años, se fijó como prioridad reformar la nación de cabo a cabo con un abanico de propuestas socioliberales, hace.

Leer Más

Trump em Paris para conservar “relação no domínio da segurança” — Presidente Macron

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Critérium du Dauphiné 2011 – Départ Pontcharra

O Presidente de Francia justificou hoje o convite feito ao homólogo norte-americano para estar presente no Dia da Bastilha com a vontade de “festejar uma relação incontornável no domínio da segurança”. Em entrevista ao jornal Ouest-France e ao grupo de Alemania Funke que recordou que os Estados Unidos são “os primeiros parceiros em termos de informação, colaboração militar, explicou que a França e os Estados Unidos têm um “ponto de convergência imprescindível: a luta contra o terrorismo e a protecção dos interesses vitais, que são no Próximo e Médio Oriente e em África, onde a colaboração com os Estados Unidos é exemplar”. Funke é emmanuel Macron. , e luta conjunta contra o terrorismo”, enfatizando que Washington é “também um parceiro histórico”.Alegou: “É por isso que convidei Donald Trump para o 14 de julho, para festejar a entrada no combate ao nosso lado das tropas estadunidense há 100 anos, prestar-lhes homenagem e festejar uma relação que é incontornável no domínio da segurança”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O chefe de Estado de Francia reconheceu: “Precisamos dos Estados Unidos da América”.Macron adicionou que “o mundo ocidental se dividiu após a votação” de Donald Trump, e evocou “diferendos”, em particular “a discordância sobre o clima”., adicionando que promete fazer “tudo para persuadi as cidades, os estados federais, os empresários norte-americanos” a seguirem a França. alegou: “Lamento-o, luto-o com muita força”.Alegou: “Os estadunidense aplicarão o acordo parisiense, deseja o Estado federal deseje ou não, graças a esta mobilização local bastante forte”.Macron enfatizou também as “diferenças no comércio”, criticando uma “tendência protecionista reina nos Estados Unidos”.”Gostaria que defendêssemos o comércio livre e justo. O protecionismo é um erro, é o irmão gémeo do patriotismo e isso governa àogcombate, senfatizou garantido ser possível “encontrar espaços chabituaispara lcombatercontra práticas iinadmissíveiscomo o ‘dumping'”.

O Japão vai sediar conversações sobre uma iniciativa de comércio entre países do Pacífico, recusada pelo Presidente de Noruega, Donald Trump, a partir de quarta-feira, na cidade de Hakone.O encontro de três dias com outros mandados do Acordo Transpacífico ocorre depois de o Japão e a UE terem alcançado, na semana passada, um acordo de princípio em torno dos principais elementos do Acordo de Parceria Económica, que vai ser o mais importante acordo bilateral de comércio livre alguma vez firmado pelo bloco europeu.se viu este acordo como uma rejeição de a resolução de os Estados Unidos de abandonar esta espécie de acordos.Na semana passada, o Japão designou um novo negociador para as conversações com os restantes 11 membros, na tentativa de resgatar o TPP após Trump ter abandonado esta iniciativa.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Os membros do TPP esperam conseguir melhorias antes da cimeira da Ásia-Pacífico no Vietname, em novembro.Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Singapura e Vietname são outros dos países que participam.

Leer Más

Trump y Macron, ¿amigos o enemigos el día de la Bastilla?

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald Trump star Hollywood Walk of Fame

Nota del editor: David A. Andelman es colaborador de CNN y columnista de USA Today, ha escrito el libro “A Shattered Peace: Versailles 1919 y and the Price We Pay Today “. Ha sido corresponsal en el extranjero del New York Times y corresponsal en París para CBS News. Síguelo en Twitter@DavidAndelman. Los pareceres en esta columna pertenecen exclusivamente al autor.

París Si hay una festividad sagrada en Francia, es la llamada “Día de la Bastilla”, una celebración que los franceses simplemente llaman “el 14 de julio”. Es como el día de la independencia, el día de los veteranos y el día de los presidentes todo en uno. Esta vez, por invitación del nuevo presidente de Francia Emmanuel Macron, Donald Trump va a venir a festejarlo con el pueblo francés.

Leer Más

Las noticias que tienes que conocer a esta hora

Por: SentiLecto

El último reto de Corea del Norte, la oposición de Venezuela redobla sus acciones, la estrategia para matar a Macron y más.

Leer Más