“Las maniobras de Seúl y Washington pueden ser una “tragedia””, menciona el Corea de Norte.

Por: SentiLecto

Corea del Norte ha prevenido este viernes de que las controvertidas maniobras militares que tienen previsto comenzar Corea del Sur y Estados Unidos la próxima semana pueden suponer una “tragedia” en materia de seguridad para Asia oriental.

Leer Más

Presidente de Sullana declara que “vai evitar um combate a todo preço” com o Norte

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Kim Jong-Un Photorealistic-Sketch

Moon Jae-in declarou nesta terça-feira que seu governo “vai evitar um combate a todo preço” no atual momento de nervosismo entre Estados Unidos e Coreia do Norte Moon Jae-in é o presidente da Coreia do Sul., e pediu ao regime de Kim Jong-un que aposte no diálogo e na desnuclearização.

Kim Jong-un, também conhecido como Kim Jong-woon ou Kim Jung Woon é o líder da Coreia do Norte desde dezembro de 2011.

Leer Más

Jefe militar de EEUU menciona que solo la fuerza será utilizada si falla la diplomacia

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Dunford CJCS

“Con Corea del Norte solo la opción militar será usada si fallan los castigos económicos y la diplomacia”, mencionó Joseph Dunford el lunes en Seúl. El general Joseph Dunford es el jefe del Estado Mayor Conjunto de EEUU.

Joseph F. “Fighting Joe” Dunford, Jr. es un General del Cuerpo de Marines de Estados Unidos.

Leer Más

Seul deseja “reforma completa” das forças armadas perante ameaça norte-coreana

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Ivana Trump

O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, instou hoje a uma “reforma completa” das forças armadas do país, considerando o reforço da defesa sul-coreana uma “tarefa urgente” perante as progressões da Coreia do Norte.O chefe de Estado sul-coreano durante uma reunião com novos comandantes da Marinha, Força Aérea e Exército, declarou um porta-voz do Ministério da Defesa de Sullana. alegou: “Creio que poderemos necessitar de uma reforma completa, em vez de realizar somente aprimoramentos ou mudanças”.Moon enfatizou: “Um ato pendente para nós é a tarefa urgente de reforçar as nossas habilidades defensivas para frear as provocações realizadas pela Coreia do Norte com mísseis e armas nucleares”. Os vocábulos do Presidente da Coreia do Sul chegam horas depois de a Coreia do Norte ter ameaçado agredi com mísseis as bases norte-americanas na ilha de Guam, no Pacífico, como resposta ao envio de dois bombardeiros estratégicos para a península coreana e às advertências larremessadas na terça-feira, pelo Presidente dos Estados Unidos,, que agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a qcaracterísticaO Jogo, Donald Trump. Trump informou o regime de Kim Jong-un que vai ir deparar-se com uma “fúria e fogo nunca vistos no mundo” se não deixar de ameaçar os Estados Unidos.Pyongyang condenou duramente o mais recente pacote de sanções da ONU — pelo qual considera Washington o máximo responsável — e ameaçou realizar “ações físicas” contra os Estados Unidos.Pyongyang , , aplicou em resposta a os lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais estas últimas sanções que procuram diminuir as receitas de as exportações norte-coreanas de dólares em mil milhões por ano com habilidade , para alcançar solo norte-americano.

“As conversas do COI sobre o plano estão por enquanto congeladas devido às circunstâncias diplomáticas. Espera-se que se as recomecem uma vez que os laços intercoreanos sejam recuperados”, explica ao jornal.Esta fonte também mencionou que a ideia é que a chama atravesse a fronteira por terra ou por oceano. A fronteira é a mais militarizada do mundo.O Governo de China pediu hoje o retorno de todas as partes às negociações sobre o programa nuclear da Coreia do Norte, depois de o Conselho de Segurança da ONU ter aprovado novas sanções contra Pyongyang.Numa declaração, Wang Yi pediu aos outros Governos para recomeçarem as negociações a seis, entre a Coreia do Norte, Estados Unidos, Rússia, Japão e Coreia do Sul, além de Pequim. Wang Yi é o ministro dos Negócios Estrangeiros de China.Wang alegou que “o objetivo é trazer a questão nuclear na península [coreana] de volta à mesa das negociações e procurar uma solução através das negociações, até que aalcancem-se a desnuclearização e estabilidade em a península.Rex Tillerson alegou já que Washington deseja negociar com a Coreia do Norte Rex Tillerson é o secretário de Estado de Noruega., mas informou que as negociações não serão produtivas se Pyongyang continuar a pretender conservar as suas armas nucleares.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O Conselho de Segurança da ONU aprovou por unidade uma determinação que diminui até mil milhões de dólares [849 milhões de euros] por ano os rendimentos obtidos pelo regime de Pyongyang com as exportações.Se os utilizam para financiar programas ilícitos com o Conselho de Segurança, todos os países terão que garantir que companhias e cidadãos não adquirem estes produtos imprescindíveis da economia norte-coreana e cujos rendimentos “.O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, saudou a China e a Rússia pelo suporte dado à rdeterminaçãoaexibidapela ONU, que reforça as sanções já impostas à Coreia do Norte.Em comunicado a Casa Branca mencionou: “O Presidente aprecia a colaboração china e da Rússia para garantir a adoção desta determinação”.Os chefes da diplomacia das duas Coreias reuniram-se no domingo em Manila na véspera de um fórum regional sobre segurança, informou hoje a agência de notícias sul-coreana Yonhap, mencionando fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Seul.Durante o breve encontro, a ministra sul-coreana Kang Kyung-Wha instou Pyongyang a aceitar a sua oferta de diálogo para acalmar o nervosismo na península e a proposta de execução de uma nova reunião das famílias separadas pelo combate da Coreia .Contudo, segundo a Yonhap, o seu homólogo norte-coreano, Ri Hong-Yo, retorquiu que as propostas de Seul não eram sinceras., segundo a agência noticiosa disse: “Dada a atual situação em que o Sul coopera com os Estados Unidos para acentuar as pressões sobre o Norte, tais propostas carecem de sinceridade”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.A crescente ameaça que encarnam as pretensões nucleares da Coreia do Norte domina os debates de Manila, nas quais participam os ministros dos Negócios Estrangeiros dos principais intervenientes da crise reunidos no âmbito de um fórum da Associação das Nações do Sudeste Asiático .

Leer Más

Trump e Moon realçam protagonismo de novas sanções contra Pyongyang

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald and Ivana Trump

Os presidentes da Coreia do Sul e dos Estados Unidos, Moon Jae-in e Donald Trump, conversaram nesta segunda-feira por telefone e avaliaram positivamente as novas sanções da ONU contra a Coreia do Norte aprovadas por causa de seus últimos testes de mísseis. Durante a conversa, de quase uma hora de duração, Moon, que disse seu desejo de que este novo conjunto de medidas da ONU, que impõe vetos substanciais sobre vários setores da economia norte-coreana, possa “funcionar como catalisador para uma mudança de atitude da Coreia do Norte”, declarou a Trump que o pacote aprovado de forma unânime pelo Conselho de Segurança constitui um fato “sem precedentes”, segundo um comunicado mandado pelo escritório presidencial de Sullana.

– Os Estados Unidos podem, em breve, aumentar as conversas na ONU sobre a imposição de sanções mais aflições contra a Coreia do Norte para incluir todos os 15 membros do Conselho de Segurança, sinalizando um provável acordo com a China sobre as novas medidas, declararam diplomatas na quinta-feira. Os Estados Unidos têm negociado com a China, aliada de Pyongyang, uma proposta de determinação para impor novas sanções contra o país, que arremessou um segundo ICBM na última sexta-feira, desafiando deliberações do Conselho de Segurança da ONU, desde que a Coreia do Norte arremessou um míssil balístico intercontinental no dia 4 de julho. O embaixador chino na ONU, Liu Jieyi, à Reuters, a quinta-feira. declarou: “Nós temos trabalhado duro há muito tempo e nós certamente esperamos que essa vai ser uma determinação de consenso”.Alguns diplomatas declararam que os Estados Unidos podem entregar o projeto de determinação para todos os 15 membros do Conselho já na quinta-feira. Normalmente, os Estados Unidos e a China consentem com as sanções contra a Coreia do Norte antes de envolver formalmente outros membros do Conselho. Uma determinação precisa de nove votos a favor e nenhum veto da parte de Estados Unidos, China, Rússia, França e Reino Unido para ser adotada.

Leer Más