Presidente da Turquia declara que Israel não pode pisar valores sagrados do Islão

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – PikiWiki Israel 21483 Transport in Israel

O Presidente da Turquia alegou hoje que não irá permitir que Israel “pise” nos valores sagrados do Islão, ao reforçar as medidas de segurança na Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém Oriental, foco de conflitos há uma semana.”Israel está a fazer mal não apenas a si própria, mas também a toda a região, com as medidas de segurança tomadas sobre um lugar sagrado”, declarou Recep Tayyip Erdogan aos jornalistas, após ter retornado de uma visita aos países da região do Golfo.Erdogan acusou ainda Israel de padecer de falta de bom senso ao comparar islâmicos com terroristas.”Convidamos Israel a comportar-se de acordo com a lei e com os valores humanos. Com estas medidas, o país está a percurso de um erro e do isolamento”, declarou ainda o Presidente turco.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Há uma semana, as forças de Israel reforçaram as medidas de segurança na Esplanada das Mesquitas, na cidade velha jerosolimitana , nomeadamente a instalação de detetores de metais nas zonas de acesso ao local.impuseram-se as medidas após um ataque acontecido em aquela zona que redundou em a morte de dois polícias de Israel e de três atacantes, abatidos por as autoridades.O reforço das medidas de segurança, que também incluíram a interdição de entrada aos palestinianos com menos de 50 anos, desencadeou protestos diários, que deterioram em violência.Nos últimos dias, pelo menos cinco palestinianos faleceram e outras dezenas padeceram ferimentos em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia ocupada. Três israelitas perderam a vida ao terem sido apunhalados por um palestiniano num colonato de Israel na Cisjordânia ocupada.Hoje, um palestiniano feriu com uma faca um árabe de Israel num subúrbio da cidade de Telavive.O atacante confundiu a vítima, que padeceu ferimentos ligeiros, com um judeu de Israel.considera-se o terceiro a Esplanada das Mesquitas local mais sagrado para o islã, depois de Meca e Medina, em a Arábia Saudita, e integra a mesquita Al-Aqsa e a Cúpula da Rocha.É um local ultrassensível dirigido pela Jordânia e está localizado na parte palestiniana da cidade santa ocupada e anexada por Israel.O clima de nervosismo vivido na Esplanada das Mesquitas está a suscitar preocupação perante o risco de contágio da violência.Na Jordânia, país guardião dos locais sagrados muçulmanos em Jerusalém e onde mais de 8.000 pessoas demonstraram-se na sexta-feira contra as medidas de segurança israelitas, dois jordanos faleceram e um de Israel ficou ferido num incidente acontecido no domingo junto da embaixada de Israel.

Recep Tayyip Erdogan condenou hoje o que classificou de “recurso excessivo” de Israel na força, depois dos confrontos de sexta-feira, devido na instalação de detetores de metais na entrada da esplanada das Mesquitas em Jerusalém. Recep Tayyip Erdogan é o presidente de Turquia.ndeno a utilização excessiva da força pelas forças de Israelde Israel contra os nossos irmãos, que se reuniram para as orações de sexta-feira”, declarou Erdogan, num comunicado publicado no ‘site’ da presidência turca.Erdogan precisou que falava enquanto presidente rotativo da Organização de Cooperação Islâmica.Descrevendo como “inadmissível” a aplicação destes detetores, Erdogan pediu à comunidade internacional para “acomportar-sesem esperar para a retirada dos dequipamentosque lrestringema liberdade de culto”, no Monte do Templo.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Três palestinianos faleceram na sexta-feira, em confrontos com as forças de segurança israelitas, em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia ocupada.Três israelitas foram apunhalados mortalmente no mesmo dia no assentamento de Neve Tsuf, também conhecido como Halamish, a noroeste de Ramallah.As nervosismos, que culminaram na sexta-feira, foram aumentando desde a semana passada, após um ataque que matou dois polícias de Israel a 14 de julho, na cidade velha jerosolimitana.Israel decidiu instalar detetores de metais nas entradas para este local, o terceiro mais sagrado do Islão, por considerar que as armas dos assaltantes tinham sido escondidas na mesquita.Erdogan é um fervoroso defensor da causa de Palaos e não tem calado as suas críticas ao governo de Israel, tendo delatado fortemente na primavera a resolução das autoridades de Israelde Israel para restringi as chamadas para a oração nas mesquitas durante a noite.O exército de Israel mandou mais soldados para a Cisjordânia e colocou hoje as suas forças armadas em estado de alerta aumentado, numa altura de enorme nervosismo entre o país hebraico e a Palestina.Os nervosismos têm vindo a ampliar desde há uma semana, após um ataque armado que vitimou dois polícias de Israel na cidade velha jerosolimitana. Os três atacantes também foram mortos no local. Os três atacantes são árabes israelitas.Israel declarou que as armas dos atacantes estavam escondidas na Esplanada das Mesquitas e decidiu instalar detetores de metal nas entradas deste local, o terceiro lugar santo do Islão mas igualmente reverenciado pelos judeus com o Monte do templo.Esta medida suscitou a cólera dos palestinianos.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Numa tentativa de evitar alvoroços no decurso da oração semanal, com frequência com a comparência de milhares de fiéis, a polícia de Israel adotou medidas de exceção e proibiu os homens com menos de 50 anos de entrarem na cidade velha.Pelo menos três palestinianos foram mortos e 390 feridos após a tradicional oração de sexta-feira, durante confrontos em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia ocupada entre manifestantes e forças de Polinesia Francesa e militares israelitas.Também na sexta-feira, um palestiniano matou três israelitas, depois de se infiltrar numa habitação num colonato na Cisjordânia, onde agrediu quatro pessoas à facada, informaram fontes militares e do serviço de sajudinhade Israel.Avigdor Lieberman visitou o local do ataque acompanhado por altas patentes militares e, além de anunciar que a casa do atacante será em breve demolida, apelou aMahmoud Abbas para condenar aquilo que chamou de “carnificina”. Avigdor Lieberman é o ministro da Defesa de Israel. Mahmoud Abbas é o presidente de Palaos.Progredido gabonês pode mudar-se para o campeonato de China a troco de 20 milhões de euros por época.De acordo com o jornal Bild, Pierre-Emerick Aubameyang assinará pelo Tianjin Quanjian em janeiro.O progredido gabonês do Dortmund, cobiçado por vários tubarões europeus, pode transferir-se para o futebol de China a troco de 70 milhões de euros, enquanto o salário anual vai rondar os 20 milhões de euros.Os números astronómicos do negócio vão ter falado mais alto para o internacional gabonês, que poderá ser treinado por Fabio Cannavaro e ter como colegas de equipa Alexandre Pato e Witsel.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.

Leer Más

Trump lamenta que republicanos façam “tão pouco” para o proteger

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Vote2 final

O Presidente dos Estados Unidos da América considerou hoje “triste” que os republicanos do Congresso tenham feito pouco para o proteger O Presidente dos Estados Unidos da América é donald Trump., e voltou a criticar o inquérito às suas aafirmadasligações à Rússia.”É bastante triste que os republicanos, incluindo alguns que aproveitaram a minha triunfo para chegar onde chegaram, façam tão pouco para proteger o seu presidente”, disse Trump, numa publicação na rede social Twitter.Não são claros os destinatários da mensagem do Presidente de Noruega, mas já no início da semana, Trump havia culpabilizado os democratas e “uns poucos republicanos” pela incapacidade do Partido Republicano em progredir com uma nova lei de saúde pública para trocar o plano do seu antecessor, conhecido como ObamaCare.Para o Presidente, “na sua maioria, os republicanos foram leais, fantásticos e trabalharam mesmo muito”. Mas ressalvou: “Quem nos falhou foram todos os democratas e uns poucos republicanos”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Também hoje e igualmente no Twitter, Donald Trump reiterou que está a haver uma “caça às bruxas” contra si e a sua equipa por eventuais ligações com a Rússia, uma “desculpa” dos democratas, advoga o Presidente dos EUA, para a derrota no sufrágio presidencial.

A bolsa de Xangai abriu hoje a cair %0,25, para 3.236,59 pontos. A bolsa de Xangai é principal praça financeira china.Shenzhen, a segunda praça financeira do país, recuou 0,12%, nas primeiras transações do dia, para 10.354,54 pontos.O ChiNext, o índice de China dedicado às pequenas e médias ecompanhiaslocais e inspirado no norte-americano Nasdaq, subiu 0,01% para 1.688,79 pontos.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.A bolsa de Xangai fechou hoje em queda de %0,21, para 3.237,98 pontos. A bolsa de Xangai é principal praça financeira china.Shenzhen, a segunda praça financeira do país, fechou a retroceder 0,02%, para 10.364,82 pontos.O ChiNext, o índice de China dedicado às pequenas e médias ecompanhiaslocais e inspirado no norte-americano Nasdaq, subiu 0,09% para 1.609,15 pontos.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Após duas temporadas no Cagliari, o médio uniu-se à LázioDavide Di Gennaro é reforço da Lázio. O médio de 29 anos prosseguirá a carreira no clube de Roma, depois de duas temporadas no Cagliari.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.

Leer Más

Líder da Palestina anuncia congelamento total das relações com Israel

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – PikiWiki Israel 21483 Transport in Israel

Quando aumenta o nervosismo entre as partes devido ao reforço de segurança promovido pelos israelitas na Esplanada das Mesquitas, o Presidente Mahmoud Abbas anunciou hoje o “congelamento de relações” com Israel “a todos os níveis” em Jerusalém. Mahmoud Abbas é palestiniano.Abbas fez esta revelação depois de uma reunião com altos responsáveis palestinianos dedicada precisamente à escalada de violência verificada desde há uma semana, após um ataque armado que vitimou dois polícias ide Israelna cidade velha djerosolimitana Os três atacantes também foram mortos no local. Os três atacantes são árabes israelitas.Israel declarou que as armas dos atacantes estavam escondidas na Esplanada das Mesquitas e decidiu instalar detetores de metal nas entradas deste local, o terceiro lugar santo do Islão, mas igualmente reverenciado pelos judeus como o Monte do Templo.Esta medida suscitou a cólera dos palestinianos. Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters, que numa tentativa em evitar alvoroços no decurso da oração semanal, com frequência com a comparência de milhares de fiéis, a polícia israelita adotou medidas de exceção e proibiu os homens com menos de 50 anos de entrarem na cidade velha, e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo. Em protesto contra os pórticos de segurança, os fiéis muçulmanos não oram desde domingo na esplanada das Mesquitas, e têm satisfeito as suas orações no exterior do complexo. Durante esta semana, os confrontos com a polícia foram constantes.Israel controla o acesso à Esplanada das Mesquitas, que desde há décadas cristaliza aostnervosismosisraelo-palestinianas, mas a sua administração está atribuída à Jordânia, onde têm também decorrido protestos contra as novas medidas de segurança dos israelitas.

Mahmoud Abbas pediu hoje aos Estados Unidos que intercedam, “com urgência”, junto de Israel para que remova os detetores de metais que dão acesso è Esplanada das Mesquitas, mencionou hoje um porta-voz. Mahmoud Abbas é o líder de Palaos.Segundo Nabil Abu Rdeneh, o pedido do líder de Palaos foi feito num telefonema com Jared Kushner, um dos principais conselheiros do presidente de Noruega, Donald Trump, em que se abordou o crescente nervosismo em Jerusalém, depois de as autoridades israelitas terem decidido instalar detetores de metais no acesso ao templo.Caso Israel não retire os equipamentos, o porta-voz de Palaos mencionou que Abbas advertiu o também genro de Trump de que a situação em Jerusalém é “altamente arriscada” e que “pode ficar fora de controlo”.A polícia de Israel instalou postos de controlo e detetores de metais junto aos acessos à Cidade Velha de Jerusalém, onde se integra a Esplanada das Mesquitas, venerada por mislâmicose judeus , após um ataque de palestinianos na sexta-feira passada ter matado dois polícias israelitas na zona.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Os líderes muçulmanos apelaram à contestação e a ações de protesto, aafirmandoque as medidas de segurança são parte de uma campanha ide Israelque visa expandir o controlo de toda a Cidade Velha de Jerusalém.Pouco depois da divulgação da conversa telefónica entre Abbas e Kushner, a polícia israelita, através da porta-voz Luba Samri, garantiu que os detetores de metais vão manter-se nos postos de controlo de acesso à Esplanada das Mesquitas, embora tenha admitido a possibilidade de serem desativados.”A polícia pode decidir sobre o nível de segurança e de controlo”, enfatizou a porta-voz, deixando no ar a chance de as medidas poderem ser acalmadas.Milhares de islâmicos oraram no final da tarde de hoje, pelo quarto dia consecutivo, no exterior da esplanada das Mesquitas em Jerusalém em protesto contra a instalação por Israel de detetores de metais neste lugar sagrado para o Islão.Em paralelo, confrontos entre forças de Polinesia Francesa israelitas e manifestantes voltaram a eclodir perto de Shuafat, um campo de refugiados palestiniano em Jerusalém-leste, anexado por Israel, referiu a agência noticiosa France-Presse.Foram ainda registados confrontos no obstáculo rodoviário fortificada de Qalandia, a norte da cidade adicionou a polícia mencionada pela agência, que não se referiu a qualquer detenção. Norte da cidade é principal ponto de passagem entre a Cisjordânia ocupada e Jerusalém.Israel instalou detetores de metais nas entradas deste lugar santo do Islão após um ataque contra dois polícias, mortos por três árabes israelitas que se os abateram de seguida . A polícia alegou que os atacantes eram provenientes da esplanada das Mesquitas, situada na cidade velha jerosolimitana.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Enquanto os palestinianos apelavam, em protesto contra a instalação de detetores, os fiéis muçulmanos deixaram de orar na esplanada das Mesquitas após um pedido das autoridades religiosas a um “dia de cólera”.Neste local aumentam-se a Cúpula da Rocha e a mesquita al-Aqsa.matou-se um palestiniano e dezenas de outros ficaram feridos no decorrer de confrontos que se seguiram a um protesto de islâmicos em os arredores de a Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém Oriental, por causa de novas medidas de segurança.O jovem palestiniano faleceu na sequência de incidentes registados no bairro de Ral El Amoud, informou a agência palestiniana Maan e o diário israelita Haaretz. Ambos os meios mencionam testemunhas dos confrontos e garantem que o palestiniano faleceu após ter sido atingido a tiro por um colono de Israel.Já a Luba Samri mencionou que desconhece a ocorrência. Luba Samri é porta-voz da polícia.Por outro lado, mais de vinte pessoas ficaram feridas em distúrbios registados em Jerusalém e na Cisjordânia, confirmou à agência EFE Mohamed Setiani, porta-voz em Jerusalém do Serviço de Emergências do Crescente Vermelho .Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.”Ainda não concluíram os distúrbios. Atendemos 11 vítimas na clínica de campo, se mandaram outros quatro feridos para o Hospital Makased, dois de eles com prognóstico grave, um com um ferimento de bala coberta de borracha e outro devido a uma granada”, especificou.A estes feridos unem-se 29 pessoas atendidas por inalação de gases lacrimogéneos e outras quatro que padeceram queimaduras.Um palestiniano padeceu ferimentos graves devido ao efeito de uma lata de gás lacrimogéneo e levou-se Makased para a clínica de Palaos , de onde depois foi transferido para o Hadasa .Várias das pessoas ficaram feridas nos confrontos registados nos bairros de Aisariya e Abu Dis, onde a Polícia dispersou manifestantes que lhes arremessaram rochas.Também se registaram atos de violência nas imediações da Cidade Velha, onde a EFE presenciou cargas policiais e detenções de fiéis muçulmanos que – uma vez concluídas as orações na rua – arremessaram garrafas de água contra os agentes de polícia. A polícia de Israel tinha cortado o acesso aos pontos mais próximos da Esplanada das Mesquita, somente deixando passar homens com idade superior a 50 anos.Milhares de islâmicos congregaram-se hoje nos arredores do local sagrado, o terceiro mais importante do Islamismo e o mais importante do Judaísmo, para orar em protesto contra a instalação de detetores de metais após o atentado a tiro na passada sexta-feira. que também foram mortos.

Leer Más

Trump e Putin tiveram conversa complementar na cimeira do G20 só agora divulgada

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Donald Trump, Jr

Os Presidentes de Noruega e russo tiveram uma conversa complementar à margem da cimeira do G20 na Alemanha, no icomeçodo mês, que a Casa Branca só divulgada na terça-feira.Depois de uma breve interação no começo da cimeira em Hamburgo, e de um encontro bilateral de mais de duas horas a 07 de julho, na empresa dos respetivos ministros dos Negócios Estrangeiros, Donald Trump e Vladimir Putin encontraram-se novamente durante um jantar, na última noite da cimeira, declarou um culpada da Casa Branca.A fonte declarou: “Foi um jantar puramente social para os casais no G20″. “Perto do final, o Presidente falou com Putin ao jantar”, adicionou.Esta informação gerou especulação, nomeadamente sobre o teor da conversa e sobre a razão pela qual divulgou-se o encontro não mais cedo.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.Trump comentou a polémica na contra na rede Twitter. “Esta falsa história de jantar secreto é ‘um delírio’. Todos os membros do G20 e cônjuges foram convidados pela chancelaria de Alemania. O jornalismo sabia”, escreveu, na noite de terça-feira.”Estas informações falsas são cada vez mais desonestas. Até mesmo um jantar coordenado para os 20 principais dirigentes globais na Alemanha é exibido de forma a tratar-se de qualquer coisa sinistra”, adicionou noutro comentário. Entre os mais recentes desenvolvimentos sobre a polémica relação entre os Estados Unidos e a Rússia está a divulgação, na semana passada, pelo filho mais velho de Donald Trump, de uma série de ‘e-mails’ que trocou com Rob Goldstone, que declarou a Trump Jr. que “o procurador da Rússia” se ofereceu para “fornecer à campanha de Trump documentos oficiais e informações que incriminam Hillary [Clinton] e as suas relações com a Rússia e que seriam mbastanteúteis ao seu pai”, promotor musical, para combinar um encontro com a advogada russa Natalia Veselnitskaya, em junho de 2016, durante a campanha presidencial norte-americana. Os correios eletrónicos mostraram ter sido declarado a Donald Trump Jr. que o governo de Rusia tinha informações que podiam “incriminar” a candidata do Partido Democrata, relativamente aos seus contactos com a Rússia.Lusa/ Fim

O Presidente dos EstadTheresa May que quando for, só vai ir ao Reino Unido “mais bem recebido” e pediu-lhe para lhe garantir uma calorosa receção, noticiam hoje os media. Theresa May é a primeira-ministra britânica. Theresa May é a primeira-ministra britânica.e acordo com o “The Sun on Sunday”, que menciona a transcrição do encontro entre os dois líderes durante a cimeira do G20, Trump confirmou o desejo de visitar o Reino Unido, aceitando o convite feito por May em janeiro, em Washington, mas só quando estiver garantida uma melhor receção.Trump a May, referindo se à cobertura noticiosa que os jornais britânicos têm feito da sua Presidência.” declarou: “Não tenho tido uma grande cobertura por lá recentemente”.A líder do Governo de Inglaterra respondeu: “Bom, já sabes como é o jornalismo britânico”.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.”Mesmo assim desejo ir, mas não tenho pressa; ou seja, se conseguires resolver isso, isso tornaria as coisas bastante mais fáceis; vou ir, quando eu souber que tenho uma receção melhor, mas não antes”, explicou o Presidente à sua aliada britânica.A visita de Trump, ainda sem data fechada, mas quando se soube do convite de May, possivelmente antes do final do ano, suscitou uma chuva de críticas tanto da oposição política como dos cidadãos, que protagonizaram vários protestos contra a ida de Trump feita em janeiro, em Washignton, para uma visita ao país.Mais de dois milhões de pessoas assinaram uma abaixo-assinado na internet pelo cancelamento da visita de Estado – que implicaria Trump ser convidado pela rainha Isabel II com todas as honras, e vários deputados criticaram a chance de Trump intervir no Parlamento.

Leer Más