Scheidt não pensa em se aposentar e vê nossa categoria como recomeço

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Scheidt robert sac

Robert Scheidt disputou os Jogos Olímpicos Rio 2016 aos 43 anos e concluiu na quarta colocação. Um ano mais velho, um dos principais velejadores da história do Brasil mudou para a categoria 49er e não tem planos de aposentadoria. O desportista paulista, em entrevista à Gazeta Esportiva, revelou como foi o processo de mudança de categoria, que vem sendo como um recomeço em termos de ganhar nnovoshtalentos e deixou claro que ainda tem muitas alternativas para continuar velejando.

“Em Split, o oceano tem ondas parecidas com as do Rio de Janeiro, onde treino diariamente. Acredito que eu tenha uma velocidade boa em relação aos outros velejadores. O objetivo inicial é entrar na flotilha ouro”, disse o desportista.O Brasil vai ter um representante: João Pedro Souto de Oliveira, que vai disputar o Mundial pela segunda vez na carreira. O País tem grande costume no torneio, já que Robert Scheidt é o maior campeão, com nove ouros, duas pratas e um bronze.

Leer Más

Mundiais: Patrícia Mamona e Susana Costa disputam a final do triplo salto

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – IAAF World Challenge – Meeting Madrid 2017 – 170714 213826-12

Leer Más

“Estou bastante contente por voltar a Portugal”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Juan Martin del Potro (8318275533)

O argentino Juan Martin Del Potro recordou esta segunda-feira as boas recordações que tem de Portugal e declarou esperar agora conseguir vários triunfos na terra batida do Millennium Estoril Open em ténis.Campeão em 2011 e 2012 do único torneio português no circuito ATP — então com outra organização e no Jamor –, Del Potro retorna a Portugal para jogar agora no ‘pó de tijolo’ do Clube de Ténis do Estoril.”Estou bastante contente por voltar, é um torneio de que tenho boas recordações. Agora é um pouco diferente, mas ainda é belo. Para mim é um grande desafio, é o primeiro torneio em terra. Espero estar em boas condições para ganhar vários encontros”, assumiu, em conferência de jornalismo.O argentino, medalha de prata nos Jogos Olímpicos Rio’2016, declara que a mudança para o Estoril pode “ser para melhor” e que as condições “para os jogadores são bastante cómodas, está tudo bastante perto”.Antigo número quatro mundial, Del Potro, atualmente no 33.º lugar da hierarquia, assumiu que “a temporada de terra é a mais difícil” e lembrou os problemas físicos que o afastaram da competição por muito tempo.”Sempre que vim ao Estoril consegui depois jogar bem no resto da temporada de terra. Para mim, cada encontro é difícil, passei anos muito complicados e ter oportunidade de voltar a jogar ténis é importante. Desfruto bastante de jogar e espero poder ganhar vários encontros”, declarou.No último ano, ‘Delpo’ jogou em Munique na semana do Estoril Open, mas este ano, por se sentir “melhor fisicamente e ‘tenisticamente'” decidiu retornar a Portugal.”O Estoril traz-me boas recordações e sempre consegui jogar bem. Espero jogar bem amanhã [terça-feira]”, assumiu.Na primeira ronda, Del Potro defrontará o japonês Yuichi Sugita, 73.º do mundo, que, na última semana, chegou aos quartos de final em Barcelona, assombrando pelo percurso o francês Richard Gasquet e o espanhol Pablo Carreno-Busta.”[Gasquet] Disse-me que [Sugita] joga bastante bem. Foi uma surpresa que o Richard tenha perdido com Sugita, mas ele também ganhou a Carreno. Isto significa que todos os jogadores são bons e hoje em dia todos podem ganhar a todos. Será difícil, mas espero conseguir o triunfo”, declarou.

Em sua página oficial, os organizadores do torneio confirmaram a saída do tenista, que pretende comparecer ao enterro de seu familiar, na próxima terça-feira. O acontecimento inicia um dia antes.Os organizadores escreveram: “Nick Kyrgios estava bastante entusiasmado em voltar a Estoril e sabemos que tem aqui muitos fãs, que seguramente entendem e unem-se a nós para apoiar Nick neste momento difícil”.

Leer Más

Análise: COB precisa descobrir como ser atrativo ao mercado

Foto: Wikipedia – Senate budget committee

O fim dos Jogos Olímpicos Rio 2016 levou o Comitê Olímpico Brasileiro a uma dura realidade: a entidade é bastante pouco atrativa ao mercado neste exato momento. E, dentro desse cenário, a vazão de patrocínios privados é um movimento natural.

Agora, o Comitê precisa se reorganizar. O primeiro movimento é compreender que os valores financeiros que circulam a entidade desde 2009, quando o Rio de Janeiro foi eleito pelo COI para acolher os Jogos Olímpicos, não são mais uma realidade. Nos últimos anos, era fácil para o COB: diversas marcas buscavam estar envolvidas no universo desportivo, especialmente em uma organização diretamente relacionada com o Rio 2016.

Leer Más

Nelson Évora vence meeting de Val de Reuil na estreia pelo Sporting

Nelson Évora venceu esta segunda-feira o triplo salto do meeting de Val de Reuil em pista coberta, em França, na sua primeira prova desde que trocou o Benfica pelo Sporting.O sexto posicionado dos Jogos Olímpicos Rio’2016 garantiu a vitória na sexta e última tentativa, com 16,57 metros, depois de ter conseguido quatro saltos acima dos 16,30.Na segunda posição ficou o de Francia Jean-Marc Pontvianne, com 16,53 metros, seguido do compatriota Harold Correa, com 16,43.Na prova feminina, Susana Costa foi quarta classificada, com 13,74 metros, a 20 centímetros da sua melhor marca pessoal em pista coberta, numa competição vencida pela de Francia Janine Assani Issouf .Nos 2.000 metros, Emanuel Rolim foi quinto classificado, com 5.12,86 minutos, com o etíope Aman Kedi a sair ganhador, com 5.05,98.Ancuiam Lopes foi terceiro na final B dos 60 metros, com uma marca de 6,84 segundos.

Leer Más