Sociais democratas na Alemanha conserva pré-requisito para aprovar aliança com Merkel

Por: SentiLecto

Os conservadores do partido da chanceler de Alemania, Angela Merkel, e enquanto debatiam como formar um governo mais de quatro meses, o Social Democrata tentaram neste sábado chegar a um acordo sobre normas trabalhistas e do sistema de Saúde após as votações.

Leer Más

Desembolsos do BNDES caem 20% em 2017, para pior nível em uma década

Por: SentiLecto

– Faz 1 ano, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social teve o quarto ano consecutivo de queda em a concessão de empréstimos, refletindo a acentuada queda em a procura de as companhias de Brasil por recursos para investimentos, em uma economia que começa a emergir de a pior recessão de a história. O banco de fomento anunciou nesta terça-feira que seus desembolsos no ano passado adicionaram 70,75 bilhões de reais, queda de 20 por cento em relação ao ano anterior e o menor nível desde os 65 bilhões de reais de 2007. “Esse número mostra a magnitude da recessão que tivemos no país”, declarou a jornalistas o presidente do banco de fomento, Paulo Rabello de Castro. Desde que o governo federal deixou de capitalizar a instituição, a forte retração da atividade reflete também a perda de poder de fogo do banco e passou a cobrar de volta os quase 500 bilhões de reais que injetou na última década. O BNDES, que tem que ter fechado 2017 com um índice de Basileia ao redor de 26 por cento, mais do que o dobro do piso regulatório de 11 por cento, já devolveu 133 bilhões de reais até o ano passado. A previsão é de que outros 130 bilhões voltem neste ano para os cofres do governo, que enfrenta uma crise fiscal. Segundo Castro, porém, a diminuição da intensidade da queda em indicadores antecedentes, como os volumes de consultas, de enquadramentos e aprovações no fim do ano passado mencionam que os desembolsos devem voltar a aumentar em 2018. A expectativa do banco para este ano é desembolsar mais de 90 bilhões de reais. Se a acentuou como a queda de os desembolsos foi bastante acentuada em os últimos anos, mesmo com as devoluções o banco ainda tem alguma folga. Por setores, a indústria teve no ano passado a pior performance, com uma queda de 50 por cento na tomada de recursos no banco. O segmento comércio e serviços tomou 21 por cento menos. Na outra ponta, os empréstimos aos setores agropecuário e de infraestutura aumentaram 3 e 4 por cento, respectivamente. O banco também divulgou que seu braço de participações em companhias, o BNDESPar, se desfez de 6,6 bilhões de reais em participações em negócios em 2017, equivalente a 10 por cento da carteira. Segundo Rabello de Castro, o BNDESPar já definiu a venda de outro lote de participações neste ano, dentro da estratégia de passar a ter uma carteira mais pulverizada e com foco em negócios voltados para inovação.

Leer Más

Valor da Cesp pode subir R$7,5 por ação com decreto federal, declara Itaú BBA

Por: SentiLecto

– O valor da elétrica Cesp, que o governo paulista pretende privatizar neste ano, tem que subir significativamente após um decreto federal que abre margem para uma renovação posterior das concessões de hidrelétricas da companhia, declararam analistas do Itaú BBA em relatório publicado na noite de domingo. “A medida possivelmente vai encorajar o governo do Estado de São Paulo a tentar privatizar a empresa de novo –nós estimamos que a renovação vai somar até cerca de 7,5 reais por ação ao valor da Cesp”, escreveu o time de analistas liderado por Pedro Manfredini. O decreto do governo federal, publicado na última sexta-feira, permite que ganhadores de leilões de privatização de companhias geradoras de energia municipais, estaduais ou federais renovem suas concessões por 30 anos. Faz 4 meses, o governo de São Paulo chegou a agendar um leilão de venda de sua fatia controladora em a Cesp de o ano passado, a um custo de 16,80 reais por ação, mas na época houve falta de interesse de investidores devido ao pouco prazo para buscar os ativos da empresa, cujas concessões vencem entre 2020 e 2028. A Cesp opera três hidrelétricas em São Paulo que adicionam 1,65 gigawatts em habilidade instalada. O texto do governo condiciona a renovação dos contratos ao pagamento de um bonificações ao Tesouro, que o Itaú BBA estimou em 2,5 bilhões de reais. Os analistas do banco declararam esperar que quando recomeçar o processo de privatização, o governo paulista conserve o custo de 16,80 reais por ação ordinária da Cesp, mas como o desembolso total ainda vai precisar levar em conta esse bonificações à União o pcustomínimo pela cempresadtem que alcançar24,30 reais por papel. Uma vez que a companhia opera exclusivamente hidrelétricas, além da renovação dos contratos da Cesp, um aprimoramento no cenário de chuvas no Brasil neste ano também deve favorecer o leilão de privatização e vem padecendo com uma menor produção em suas usinas devido ao nível baixo dos reservatórios hídricos no país. S analistas do Itaú BBA firmaram: “Nós reconhecemos que o custo agora parece levemente mais atraente, devido às expectativas de que a cempresavá se beneficiar de uma melhor perspectiva hidrológica para 2018″,.Eles também escreveram que com o pagamento da bonificações ao governo na privatização, é pouco provável que a renovação dos contratos gere valor para os acionistas minoritários da Cesp. O decreto do governo federal definiu que uma eventual arrecadação maior com o leilão da Cesp devido à perspectiva de renovação das concessões deverá ser compartilhada com a União. “Se vai dividir qualquer prêmio pago sobre o custo inicial entre Cesp e o governo federal. Se o arremesse ganhador chegar a 30 reais por ação, por exemplo encarnando um ágio de 23 por cento sobre o custo mínimo, 20,7 reais por ação iriam para a Cesp e 9,30 reais para o governo federal”, exemplificou o relatório. O Itaú BBA colocou um preço-alvo de 17 reais para a Cesp ao final de 2018, contra 15,22 reais atualmente. As ações da Cesp garantem aos minoritários direito de tag-along, o que significa que após a privatização eles poderão vender seus papéis na empresa ao novo controlador pelo mesmo custo do leilão de desestatização –sem contar o valor encarnado pelo bonificações de outorga.

Leer Más

Produção de petróleo russa atinge 10,94 mi bpd no acumulado de janeiro, declaram fontes

Por: SentiLecto

A Rússia produziu uma média de 10,94 milhões de barris de petróleo por dia entre 1º e 28 de janeiro, ou 1,493 milhão de toneladas, declararam duas fontes da indústria à Reuters nesta segunda-feira.

Leer Más

Foz calcula voos internacionais de Copa, Azul e Avianca

Por: SentiLecto

– Após fechar o último ano com 15% a mais de turistas, a cidade de Foz do Iguaçu começa 2018 com expectativas de se internacionalizar. Em visita à 38ª Fitur, o secretário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social , Gilmar Piolla, revelou à reportagem as investidas do destino das cataratas. A malha aérea internacional tem que ganhar pelo menos quatro voos internacionais. Piolla, que menciona que as negociações estão “progredidas” com pelo menos três transportadoras, lidera uma negociação frente à Infraero para trazer mais ecompanhiaspara a cidade. Os serviços vão partir de Bogotá , Montevidéu e Assunção e Cidade do Panamá . De acordo com ele, todas as saídas serão regulares, mas ainda não há detalhes sobre a operação. “Todos esses voos devem ocorrer ainda este ano”, adiantou Piolla, que deu ênfase ao processo de tornar Foz uma porta de entrada de turistas estrangeiros. Se admira a malha internacional de a cidade até o momento, somente por a cidade limarense, em operação de a Latam Airlines Peru. Em 1 mês, a Latam Brasil irá inaugurar um voo a partir de Salvador, em 10 de fevereiro. O destino de Paracel Islands vai receber este ano a Termatalia, a feira internacional de Turismo termal. Em 8 meses, o encontro ocorrerá de 19 a 22 de setembro, em o Recanto das Cataratas, com expectativas de receber. Outro acontecimento próximo de ser confirmado é o congresso anual da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, a Apavt, em 2019. O Portal PANROTAS é media partner da Fitur, e viaja com proteção GTA

Leer Más